EDITORIAL

Autores

  • Elizeu Clementino de Souza Universidade do Estado da Bahia - UNEB
  • Lívia Fialho Costa Universidade do Estado da Bahia - UNEB

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2016.v25.n45.p%25p

Resumo

As discussões construídas na sociedade brasileira após a promulgação da Constituição Federal de 1998, e também com a aprovação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nº 9.394/96, impactam no campo educacional em diversas questões relacionadas à reconfiguração e reorganização do sistema educacional. As disposições sobre educação
e diversidade ganharam maior visibilidade no contexto das reformas curriculares empreendidas pelo Ministério da Educação, mas também a partir de diferentes mobilizações vividas cotidianamente pelos Movimentos Sociais, especialmente aqueles relacionados a questões étnico-raciais, de diversidade afetivo-sexual, da educação quilombola, da
educação do campo, da educação indígena, da educação inclusiva, ganhando espaço e materialidade em documentos oficiais, tais como os Parâmetros Curriculares Nacionais, as Diretrizes Curriculares para Formação de Professores da Educação Infantil, do Ensino Fundamental, dos Parâmetros Curriculares em Ação, e, mais atualmente, nos grandes
e constantes embates relacionados ao Plano Nacional de Educação, com reflexos nos Planos Estaduais e Municipais, no tocante a questões de gênero e de sexualidade.
Este dossiê foi organizado em torno de pesquisas, oriundas de diversas regiões do Brasil, e de reflexões internacionais, interessadas nas relações entre educação, diversidade e desigualdades. São resultados de pesquisas e teorizações sobre relações de gênero e sexualidades da escola, com ênfase nas políticas de formação de professores para a
educação básica, na inclusão/exclusão de gays, transexuais e travestis das escolas, bem como o direito e garantias de uso do nome social de estudantes travestis e transexuais nas escolas

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elizeu Clementino de Souza, Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Possui Graduação em Pedagogia pela Universidade Católica do Salvador (1989), Graduação em Pedagogia com Habilitação em Supervisão Escolar pela Universidade Católica do Salvador (1990), Mestrado em Educação pela Universidade Federal da Bahia (1995), Doutorado Sanduíche na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação/Universidade de Lisboa e Doutorado em Educação pela Universidade Federal da Bahia (2004), Pós-Doutorado pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (2012). Atualmente é Professor Titular da Universidade do Estado da Bahia.Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Fundamentos da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: história de vida, formação de professores, pesquisa (auto) biográfica, abordagem autobiográfica e narrativas de formação.

Lívia Fialho Costa, Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (1993), mestrado em Sociologia pela Universidade Federal da Bahia (1996), mestrado em Antropologia Social e Etnologia - École des Hautes Études en Sciences Sociales (1997) e doutorado em Antropologia Social e Etnologia - École des Hautes Études en Sciences Sociales (2002). Pós-doutorado na Université Paris 13 (2013/CNPq). Atualmente é professora adjunto do Departamento de Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia (UNEB).Tem experiência na área de Ciências Sociais, com ênfase em Antropologia, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, escola, família, religião, protestantismo e conversão.

Como Citar

SOUZA, E. C. de; COSTA, L. F. EDITORIAL. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 25, n. 45, 2016. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2016.v25.n45.p%p. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/2279. Acesso em: 20 abr. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>