Submissões

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • Autoria: Os textos não devem exceder a três autores, a não ser em caso de estudos multicêntricos conforme avaliação de pertinência por parte dos editores.

    A titulação mínima para os autores é o mestrado. Mestrandos podem enviar artigos em coautoria com seus orientadores.

    As contribuições individuais de cada autor devem ser listadas em um documento separado, enviado como arquivo suplementar.

     

  • Metadados obrigatórios: No formulário de submissão, devem ser incluídos, obrigatoriamente:

    a) título do artigo; opção pela seção temática, estudos ou documentos;

    b) nomes de todos os autores conforme disponível na Plataforma Lattes;

    c) endereço institucional do autor de correspondência;

    d) telefones dos autores;

    e) email de todos os autores;

    f) titulação principal;

    g)instituição a que pertence(m)

    h) cargo que ocupa(m);

    i) grupo de pesquisa.

  • Título, resumo e palavras-chave devem ser cadastrados no sistemas e enviados no manuscrito, em português, inglês e espanhol obrigatoriamente. As palavras-chave devem ser retiradas do Thesaurus do INEP.

    Cada versão do resumo deve conter no máximo 1000 caracteres, incluindo objetivo, método, resultados e conclusão.

    Após cada versão do resumo, devem ser incluídas as palavras-chave no respectivo idioma do resumo, cujo número desejado é de, no mínimo três e, no máximo, cinco.

    Atenção: cabe aos autores entregar traduções de boa qualidade. Traduções ruins resultarão em devolução ou rejeição sumária do artigo.

  • As figuras, gráficos, tabelas ou fotografias (em formato TIFF ou JPG, em alta resolução - 300 dpi), devem ser incluídas no corpo do manuscrito e podem ser submetidas também como arquivo suplementar.

    Quando apresentadas em separado, devem ter indicação dos locais onde devem ser incluídas, ser tituladas e apresentar referências de sua autoria/fontes.

    Devem seguir a Norma de apresentação tabular, estabelecida pelo Conselho Nacional de Estatística e publicada pelo IBGE em 1979.

  • As Referências devem constar no manuscrito conforme as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). O sistema de citação adotado por este periódico é de autor-data de acordo com a NBR 10520 de 2003.

    URLs e DOIs para as referências, quando disponíveis, devem ser informados.

    Observe as recomendações de normalização da revista.

  • As notas numeradas devem vir no rodapé da mesma página em que aparecem, assim como os agradecimentos, apêndices e informes complementares.
  • O arquivo da submissão deve estar em formato Microsoft Word ou OpenOffice (.doc ou .odf).

  • Encaminhamento e Apresentação dos Textos

    Os artigos devem ter, no máximo, 70 mil caracteres com espaços e, no mínimo, 45 mil caracteres com espaço; as resenhas podem ter até 30 mil caracteres com espaço.

    Os títulos devem ter no máximo 90 caracteres com espaços.

    • letra: Times New Roman 12
    • tamanho da folha A4
    • margens 2,5
    • espaçamento 1,5
    • paragráfo justificado
  • Procedimentos éticos

    O artigo encaminhado deve conter em rodapé na primeira página informações sobre a observação de procedimentos éticos durante a realização da pesquisa que deu origem ao texto apresentado


  • Originalidade e caráter inédito dos artigos

    O artigo a ser  publicado na Revista da FAEEBA-Educação e Contemporaneidade deve ser  inédito, não tendo sido publicado parcial ou integralmente em nenhum outro meio de divulgação científica.

  • Os autores devem colocar seu ORCID (Open Researcher and Contributor ID) no momento em que submeterem seu artigo a Revista da FAEEBA.

    Registre-se através do link https://orcid.org/ 

     ORCID  código alfanumérico que identifica exclusivamente cientistas e outros autores académicos e contribuidores e os diferencia de quaisquer outros pesquisadores.

     

  • Ao iniciar a submissão,no Passo 1 em: " Comentários para o editor", os autores devem informar para qual Dossiê Temático o artigo está sendo direcionado.
  • É necessário o espaço de um ano para que o autor volte a publicar na Revista da FAEEBA.

  • Revisão do idioma. É de responsabilidade dos autores a submissão de artigos com revisão de língua portuguesa e conforme as normas técnicas da Revista. A publicação final do artigo está condicionada à revisões de língua portuguesa feitas por profissionais certificados.

Diretrizes para Autores

Os autores são convidados a conferir todos os itens das normas para publicação antes de encaminar os textos. 

Qualquer informação que permita aos avaliadores a identificação dos autores deve ser suprimida antes do envio. Acesse este link para aprender a remover dados de identificação ocultos nos arquivos do Microsoft Word.

Atualizado em 15/07/2017

Dossiê Temático 68

Dossiê Temático - Educação e contação de histórias
Organização: Prof.ª Dr.ª Rosemary Lapa de Oliveira (UNEB) e Prof.ª Dr.ª Renata Junqueira de Souza (UNESP)

EMENTA

Contação de História e Docência: da formação de professores à sala de  aula da educação básica

Sabemos que, nas sociedades de tradição oral, os contadores de histórias fazem uso da palavra em sua dimensão educativa. E fazem isso através da oralidade, reconhecida por eles como o principal veículo de transmissão de saberes. Hoje, porém, o contador de histórias tem consciência de que o sujeito já nasce imerso na sociedade da escrita, influenciado por uma oralidade secundária, na expressão de Ong (1993), fortemente
demarcada por suportes tecnológicos que difundem voz e imagem em dimensões diversas. Eis aí o desafio de quem tem a pretensão de educar através das histórias numa proposta de educação ampla. Matos (2012) associando a arte de contar histórias com a educação, na perspectiva da dimensão formativa, afirma que o desenvolvimento humano, seja ele razão, sentimento, corporeidade ou espiritualidade, se realiza através da arte de viver. Cita a expressão usada por Hampaté Bá (2010) “do berço ao sarcófago”, para expressar a ideia
harmoniosa de “educação formativa”, que começa quando o indivíduo nasce e segue com ele até o final da vida. Nesses termos, pesquisadores de vários países europeus, africanos e da américa vêm investigando a importância da narrativa ficcional na formação cidadã, no sentido de ampliar repertórios linguísticos, psicoemocionais e sociais, encontrando um caminho profícuo de mediar o processo educativo em espaços formais e informais de ensino. As histórias desempenham papel de formação através do jogo ficcional, provocando envolvimento emocional, através do processo de identificação com as personagens, levando à ludicidade que se projeta na trama.

REFERÊNCIAS
HAMPATÊ BÁ, Amadou. A tradição viva. In: KI-ZERBO, Joseph. História Geral da África I, Metodologia e pré-história da África. 2 ed. P. Brasília: UNESCO, 2010, p. 167-212. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0019/001902/190249POR.pdf. Acesso em: 30 jun. 2021.

MATOS, Gislayne Avelar. A palavra do contador de histórias: sua dimensão educativa na contemporaneidade. São Paulo, Martins Fontes, 2005.

ONG, W. J. Oralidade e cultura escrita. Campinas, SP: Papirus, 1998.

Dossiê Temático 69

Dossiê Temático:
Educação, Formação e Inclusão Contra a Violência Escolar
Organização: Prof.ª Dr.ª Rosely Giordano

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.