EXISTIR PARA RESISTIR

(AUTO)BIOGRAFIA, NARRATIVAS E APRENDIZAGENS COM A DOENÇA

Autores

  • Elizeu Clementino de Souza Universidade do Estado da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2016.v25.n46.p59-74

Palavras-chave:

Saúde e doença, Doenças crônicas, HIV/AIDS, Aprendizagem biográfica, Revista Saber Viver

Resumo

O texto discute articulações entre saúde e doença, tomando como objeto de investigação as aprendizagens biográficas que os sujeitos constroem sobre processos de adoecimento, especialmente em suas experiências com doenças crônicas, notadamente portadores do HIV/AIDS, através de narrativas de colaboradores publicadas na Revista Saber Viver, na Seção “Conte sua história”. Do ponto de vista teórico-metodológico, toma-se como método de investigação a pesquisa (auto)biográfica e, como fonte, narrativas de experiência desses sujeitos com o adoecimento, considerando-as como dispositivo de subjetivação, intermediado pelas palavras, com vistas a discutir aspectos conceituais sobre educação terapêutica do paciente, numa perspectiva que articula cuidado-saúde-doença. As análises das narrativas buscam depreender aprendizagens biográficas e modos como os sujeitos narram suas experiências e dão sentido à doença, à saúde, aos tratamentos, aos preconceitos e às diferentes formas de enfrentamento da/sobre a doença, possibilitando analisar aprendizagens biográficas e modos como os sujeitos aprendem a (con)viver com a doença, a superar preconceitos e construir formas de enfrentamento da soropositividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elizeu Clementino de Souza, Universidade do Estado da Bahia

Doutor em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Pós-doutor em Educação pela FEUSP. Professor Titular do Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade, da Universidade do Estado da Bahia (PPGEduC/
UNEB). Pesquisador 1D CNPq. Coordenador do Grupo de Pesquisa (Auto)biografia, Formação e História Oral (GRAFHO).
Pesquisador associado do Laboratoire EXPERICE (Université de Paris 13- Paris 8). Tesoureiro da Associação Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica (BIOgraph). Membro do Conselho de Administração da Association Internationale des Histories
de Vie en Formation et de la Recherche Biographique en Education (ASIHIVIF-RBE).

Referências

ADESÃO certa é fundamental. Revista Saber Viver, Rio de Janeiro, ano 2, n. 13, p. 13, nov./dez. 2001. Disponível em: <http://www.saberviver.org.br/index.php?g_edicao=depoimento013>. Acesso em: 10 abr. 2013.

ASSUMIR que é soropositivo é um boa? Revista Saber Viver, Rio de Janeiro, ano 1, n. 01, p. 8-9, out./nov. 1999. Disponível em: <http://www.saberviver.org.br/index.php?g_edicao=depoimento001>. Acesso em: 10 abr. 2013.

BENJAMIN, Walter. O narrador: considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In: ______. Magia e técnica, arte e política (Obras escolhidas, Vol. 1). São Paulo: Brasiliense, 1993. p. 197-221.

CONTRERAS DOMINGO, José. Profundizar narrativamente la educación. In: SOUZA, Elizeu Clementino de. (Auto)biografías e documentação narrativa: redes de pesquisa e formação. Salvador: EDUFBA, 2015. p. 37-61.

CONTRERAS DOMINGO, José; FERRÉ, Núria Pérez de Lara. La experiencia y la investigación educativa. In: CONTRERAS, José y LARA, Núria Pérez de (Comps.). Investigar la experiencia educativa. Madrid: Ediciones Morata, 2010. p. 21-86.

DELORY-MOMBERGER, Christine. De la recherche biographique em éducation: fondements, méthodes, pratiques. Paris: Téraèdre, 2014.

______. Expérience de la maladie et reconfigurations biografhiques. Revista Education Permanente, Paris, CNAM, n. 195, p. 121-131, 2013.

______. Abordagem metodológica na pesquisa biográfica. Revista Brasileira de Educação, v. 17, n. 51, p. 523-740, set./dez. 2012.

______. La condition biographique: essais sur le réccit de soi dans la modernité avancée. Paris: Téraèdre, 2009.

______. Biografia e educação. Figuras de l’indivíduo-projeto. Trad. Maria da Conceição Passeggi, João Gomes Neto, Luis Passeggi. São Paulo: Paulus, 2008.

______. Les histoires de vie. De l´invention de soi au projet de formation. Paris: Anthropos, 2004.

DELORY-MOMBERGER, Christine; TOURETTE-TURGIS, Catherine. Vivreavec la maladie: expériences, épreuves, résistances. Le sujet dans la cité. Revue Internationale de Recherche Biographique, Paris, n. 5, p. 134-38, nov. 2014.

DELORY-MOMBERGER, Christine; SOUZA, Elizeu Clementino de (Dir.). Parcours de vie apprentissage biographique et éducation. Paris: Téraèdre, 2008.

É POSSÍVEL ser feliz! Revista Saber Viver, Rio de Janeiro, ano 3, n. 20, p. 10, jan./fev. 2003. Disponível em: <http://www.saberviver.org.br/index.php?g_edicao=depoimento020>. Acesso em: 10 abr. 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Pesquisa Nacional de Saúde - PNS 2013: percepção do estado de saúde, estilos de vida e doenças crônicas. Rio de Janeiro, 2014. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/pns/2013/>. Acesso em: 15 mar. 2016.

LARROSA BONDÍA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, ANPEd, São Paulo, n. 19, p. 20-28, jan./abr. 2002.

______ (Org.). Déjame que te cuente: ensayos sobre narrativa y educación. Barcelona: Editorial Laertes, 1995.

______. Herido de realidad y en busca de realidad. Notas sobre los lenguajes de la experiencia. In: CONTRERAS, José; LARA, Núria Pérez de (Comps.). Investigar la experiencia educativa. Madrid: Ediciones Morata, 2010. p. 87-116.

LAURINDO-TEODORESCU, Lindinalva; TEIXEIRA, Paulo Roberto. Histórias da AIDS no Brasil, v. 1: as respostas governamentais à epidemia de AIDS. Brasília, DF: Ministério da Saúde/Secretaria de Vigilância em Saúde/Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais, 2015a. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0023/002355/235557POR.pdf/>. Acesso em: 10/02/2016.

______. Histórias da AIDS no Brasil, v. 2: a sociedade civil se organiza pela luta contra a AIDS. Brasília, DF: Ministério da Saúde/Secretaria de Vigilância em Saúde/Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais, 2015b. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0023/002355/235557POR.pdf/>. Acesso em: 10/02/2016.

MALTA, D. C. et al. Inquéritos nacionais de saúde: experiência acumulada e proposta para o inquérito de saúde brasileiro. Revista Brasileira de Epidemiologia, Rio de Janeiro, v. 11, supl. 1, p. 159-167, maio 2008. Disponível em: <http://www.scielosp.org/pdf/rbepid/v11s1/16.pdf>. Acesso em: dez. 2014.

PAUL, M. L’accompagnement: une posture professionnelle espécifique. Paris: L’Harmattan, 2004.

PENSE bem antes de se aposentar. Revista Saber Viver, Rio de Janeiro, ano 1, n. 03, p. 9, fev./mar. 2000. Disponível em: <http://www.saberviver.org.br/index.php?g_edicao=003>. Acesso em: 10 abr. 2013.

PINEAU, G. L'accompagnement en formation: de l'avant-naissance à l'après-mort. Entre solidarité et professionnalité. Education Permanente, Paris, n. 153, p. 29-41, 2002.

______. As histórias de vida como artes formadoras da existência. In: SOUZA, Elizeu Clementino de; ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto (Org.). Tempos, narrativas e ficção: a invenção de si. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006. p. 41-59.

______. Accompagnements et histoire de vie. Paris: L'Harmattan, 1998.

POIRIER, J. et al. Histórias de vida: teoria e prática. Trad. de João Quintela. Oeiras, Portugal: Celta, 1999.

REUTER, Yves. L’analyse du récit. 2. ed. Paris: Armand Colin, 2011.

RICOEUR, P. Teoria da interpretação. Trad. de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1996.

SILVA, Lindinalva Laurindo da. Ameaça da identidade e permanência da pessoa. São Paulo: Cortez, 2004. (Coleção Questão da nossa época, v. 113).

SOMOS soropositivos para o HIV. Revista Saber Viver, Rio de Janeiro, ano 6, n. 34, p. 12, out./dez. 2005. Disponível em: <http://www.saberviver.org.br/index.php?g_edicao=sua_historia034>. Acesso em: 10 abr. 2013.

SOU SOROPOSITIVO sim, e daí? Revista Saber Viver, Rio de Janeiro, ano 3, n. 24, p. 9, set./out. 2003. Disponível em: <http://www.saberviver.org.br/index.php?g_edicao=depoimento024>. Acesso em: 10 abr. 2013.

SOUZA, Elizeu Clementino de. Diálogos cruzados sobre pesquisa (auto)biográfica: análise compreensiva-interpretativa e política de sentido. Revista Educação, Santa Maria, RS, v. 39, n. 1, p. 39-50, jan./abr. 2014a.

______. Tentativa de exploração e de interpretação do estar-no-mundo: discursos, poderes e fabricação de identidade. In: SOUZA, Elizeu Clementino de; BALSSIANO, Anna Luiza; OLIVEIRA, Anne-Marie (Org.). Escrita de si, resistência e empoderamento. Curitiba: CRV, 2014b. p. 115-138.

______. “Savoir vivre” avec la maladie: apprentissages biographiques et récits de résistances. Le sujet dans la cité. Revue Internationale de Recherche Biographique, Paris, n. 5, p. 138-148, nov. 2014c.

______. Acompanhar e formar – mediar e iniciar: pesquisa (auto)biográfica e formação de formadores. In: PASSEGGI, Maria; SILVA, V. B. da (Org.). Invenções de vidas, compreensões de itinerários e alternativas de formação. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. p. 157-179.

______ (Org.). (Auto)biographie: écrits de soi et formation au Brésil. Paris: L´Harmattan, 2008. (Coleção Histoire de Vie).

______. A arte de contar e trocar experiências: reflexões teórico-metodológicas sobre história de vida em formação. Revista Educação em Questão, Natal, v. 25, n. 11, p. 22-39, jan./abr. 2006.

TOURETTE-TURGIS, Catherine. L’education thérapeutique du patients: la maladie comme occasion d’aprentissage. Louvain-la-Neuve: De Boeck, 2015.

______. Dossier Aprendre du malade. Education Permanente, Paris, n. 195, 2013.

TOURETTE-TURGIS, Catherine; THIEVENAZ, Joris. L’education thérapeutique du patient: champ de pratique et champ de recherché. Savoirs. Revue Internationale de Recherches en Éducation et en Formation des Adultes, Paris, n. 35, p. 11-48, 2014.

UMA GUERRA que eu não tenho medo de perder. Revista Saber Viver, Rio de Janeiro, ano 6, n. 37, p. 11, jul./set. 2006. Disponível em: <http://www.saberviver.org.br/index.php?g_edicao=sua_historia_37>. Acesso em: 10 abr. 2013.

VONTADE de viver. Revista Saber Viver, Rio de Janeiro, ano 3, n. 23, p. 9, jul./ago. 2003. Disponível em: <http://www.saberviver.org.br/index.php?g_edicao=depoimento023>. Acesso em: 10 abr. 2013.

>. Acesso em: 10 abr. 2013.

Publicado

2016-08-30

Como Citar

SOUZA, E. C. de. EXISTIR PARA RESISTIR: (AUTO)BIOGRAFIA, NARRATIVAS E APRENDIZAGENS COM A DOENÇA. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 25, n. 46, p. 59–74, 2016. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2016.v25.n46.p59-74. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/2717. Acesso em: 29 maio. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)