Reflexões sobre os desafios para a aprendizagem matemática na Educação Básica durante a quarentena

Palavras-chave: Aprendizagem. Educação Matemática. Ensino Remoto. Tecnologias.

Resumo

O objetivo do artigo é suscitar reflexões sobre possíveis desafios para o ensino e a aprendizagem matemática na Educação Básica durante a quarentena, devido à COVID19. Foi desenvolvido a partir das diretrizes legais educacionais criadas para validar a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia, atentando para a diferenciação do ensino remoto emergencial e o ensino a distância, diante deste fato de inédita ocorrência na Educação Básica. Discorremos sobre as dificuldades encontradas pelos alunos nesse momento onde o ensino está sendo realizado de forma remota. Abordamos através da análise de referencial teórico e de situações reais a superação dos docentes e a importância da formação continuada e tecnológica do professor. Sugerimos possibilidades para aprendizagens significativas nesse contexto atual. E destacamos a necessidade de enfrentamento do problema com a aplicação de políticas públicas educacionais que promovam a igualdade de oportunidades, a equidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcele da Silva Santos, SEEDUC_RJ / Prefeitura Municipal de Macaé

Mestre em práticas da Educação Básica pelo Colégio Pedro II (2016). Especialista em Novas Tecnologias no Ensino da Matemática pela UFF (2012).Graduação em MATEMÁTICA pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2009).

Neide da Fonseca Parracho Sant’Anna, Colégio Pedro II

Possui graduação em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mestrado em Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Exerceu no Colégio Pedro II as funções de Chefe do Departamento de Matemática, Diretora de Pesquisa e Pós-Graduação e Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação. Seus temas de pesquisa, sobre os quais tem ministrado minicursos em diversos congressos da área de Educação Matemática, incluem o ensino de frações e a teoria de van Hiele.

Referências

AUSUBEL, David. P. The Acquisition and Retention of Knowledge: A Cognitive View. Springer: Dordrecht, 2000.

BRASIL. Lei nº 14.040, de 18 de agosto de 2020. Estabelece normas educacionais excepcionais a serem adotadas durante o estado de calamidade pública reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020; e altera a Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2019-2022/2020/Lei/L14040.htm. Acesso em 18 de agosto de 2020.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 1988.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 188, de 3 de fevereiro de 2020. Declara Emergência em Saúde Pública de importância Nacional (ESPIN) em decorrência da Infecção Humana pelo novo coronavírus. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, 04 de fevereiro de 2020.

BRASIL. Ministério da educação. Portaria nº 343, de 17 de março de 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus - covid-19. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília,18 de março de 2020.

BRASIL. Ministério da educação. Portaria nº 345, de 19 de março de 2020. Altera a Portaria MEC nº 343, 17 de março de 2020. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília,19 de março de 2020.

BRASIL. Ministério da educação. Portaria nº 356, de 20 de março de 2020. Dispõe sobre a atuação dos alunos dos cursos da área de saúde no combate à pandemia do COVID-19. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, 20 de março de 2020.

BRASIL. Ministério da educação. Portaria nº 544, de 17 de março de 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais, enquanto durar a situação de pandemias do novo coronavírus. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, 20 de março de 2020.

BRASIL. Ministério da educação. Parecer CNE/CP nº5, de 28 de Abril de 2020. Reorganização do calendário escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da pandemia da COVID-19. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília,01 de junho de 2020.

BRASIL. Ministério da educação. Parecer CNE/CP nº9, de 08 de Junho de 2020. Reexame do parecer CNE/CP nº5 que tratou da reorganização do calendário escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da pandemia da COVID-19. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília,01 de junho de 2020.

BRASIL. Ministério da educação. Parecer CNE/CP nº11, de 07 de Julho de 2020. Orientações Educacionais para a realização de aulas e atividades pedagógicas presenciais e Não Presenciais no contexto da Pandemia. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília,03 de agosto de 2020.

BRASIL. Medida provisória nº 934, de 1º de abril de 2020. Diário Oficial união República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 1º abr. 2020. Seção 1, p.1.

BRASIL. Decreto nº 5.622 de 19 de dezembro de 2005. (Revogado). Regulamenta o art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

BRASIL. Decreto nº 9.057, de 25 de maio de 2017. Regulamenta o art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017.

CIFUENTES-FAURA, Javier. Consecuencias en los niños del cierre de escuelas por Covid– 19: el papel del gobierno, profesores y padres. Revista Internacional de Educación para la Justicia Social, Madrid, v. 9, n. 3e, p. 1-12, 2020. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2020.

DIAS, Erica; PINTO, Fátima. C. F. Educação e sociedade. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v. 27, n. 104, p. 449-454. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s0104-40362019002701041. Acesso em 18 ago. 2020.

DO CARMO, Vítor Martins; DE MARCO, Fabiana Fiorezi. Ensinando Matemática Com Jogos: Possibilidades e Propostas. Editora Appris, Curitiba-PR, 2019.

DOS SANTOS, Aparecida Raquel Gonçalves; GONÇALVES, Paulo Gonçalo Farias. Videoaulas na aprendizagem em matemática: um olhar para os canais do youtube. Revista Tecnologias na Educação. Ano 9. n.v.19. Julho 2017. Disponível em Acesso em 16 nov. 2020

FARDO, M. L. A gamificação como estratégia pedagógica: estudo de elementos dos games aplicados em processos de ensino e aprendizagem. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de Caxias do Sul,Caxias do Sul, 2013.

INSTITUTO PENÍNSULA. Sentimento e percepção dos professores nos diferentes estágios do coronavírus no Brasil. 2020. Disponível em https://www.institutopeninsula.org.br/pesquisa-sentimento-e-percepcao-dos-professores-nos-diferentes-estagios-do-coronavirus-no-brasil/. Acesso em: 16 nov. 2020

KAMPF, Cristiane. A geração Z e o papel das tecnologias digitais na construção do pensamento. Com Ciência. nº.131, Campinas, 2011. Disponível em . Acesso em 19 ago.2020.

MACHADO, Patricia L. P. Educação em tempos de pandemia: O ensinar através de tecnologias e mídias digitais. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 05, Ed. 06, Vol. 08, pp. 58-68. Junho de 2020. ISSN: 2448-0959 Acesso em: 08 ago. 2020.

MATTAR, João. Metodologias ativas para educação presencial, blended e a distância. Artesanato Educacional, São Paulo, 2017.

MELO, Marcela Camila Piccin de. A resolução de problemas: uma metodologia ativa no ensino de matemática para a construção dos conteúdos de" Potenciação e radiciação" com alunos do ensino fundamental. 2020. Dissertação de Mestrado. Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

ONU. Coronavírus deixa mais de 776 milhões de alunos fora da escola, diz UNESCO. Nações Unidas, Brasil, 2020. Disponível em: . Acesso em: 11 ago. 2020.

PASINI, Carlos G. D; CARVALHO, Élvio de; ALMEIDA, Lucy Hellen C. A educação híbrida em tempos de pandemia: algumas considerações. Rio Grande do Sul. FAPERGS, 2020. Disponível em Acesso em 08 ago. 2020.

PEREIRA, Zeni Terezinha Gonçalves; DA SILVA, Denise Quaresma. Metodologia ativa: Sala de aula invertida e suas práticas na educação básica. REICE: Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, v. 16, n. 4, p. 63-78, 2018.

PRENSKY, M. Digital natives, digital immigrants part 1. On the horizon, v. 9, n. 5, p. 1-6, 2001. Disponível em: . Acesso em: 01 ago. 2019.

TAJRA, Sanmya Feitosa. Informática na Educação: novas ferramentas pedagógicas para o professor na atualidade. Saraiva Educação, São Paulo, 2011.
Publicado
2020-12-17
Métricas
  • Visualizações do Artigo 711
  • PDF (PORTUGUÊS) downloads: 1073
Como Citar
Santos, M. da S., & Sant’Anna, N. da F. P. (2020). Reflexões sobre os desafios para a aprendizagem matemática na Educação Básica durante a quarentena . Revista Baiana De Educação Matemática, 1, e202013. https://doi.org/10.47207/rbem.v1i.10240