Revista Baiana de Educação Matemática https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica <p>A&nbsp;<strong>Revista Baiana de Educação Matemática</strong> (<strong>e-ISSN</strong>: 2675-5246/<strong>Prefixo DOI</strong>: 10.47207) iniciou as suas atividades editoriais em 2020 e cumpre com a função de divulgar trabalhos que têm como foco o professor que ensina Matemática, sua formação, a realidade e cultura escolar e o ensino e aprendizagem dessa ciência. É uma publicação do Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos (PPGESA), vinculado à Universidade do Estado da Bahia (UNEB),&nbsp;<em>Campus </em>III, em parceria com o <em>Campus&nbsp;</em>VII da mesma universidade e com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE), <em>Campus </em>Santa Maria da Boa Vista/PE. A revista não cobra nenhuma taxa de processamento de artigos (Article Processing Charge - APC) e publica em fluxo contínuo (rolling pass).&nbsp;<br><strong>Qualis/CAPES</strong>: B2</p> <p>A <strong>Revista Baiana de Educação Matemática</strong> encontra-se indexada em:&nbsp;<a href="https://scholar.google.com.br/citations?view_op=list_works&amp;hl=pt-BR&amp;authuser=1&amp;user=MPfEr2gAAAAJ&amp;gmla=AJsN-F4TDL1CelN9iebTnIgL-JNsxLH7QtoMD_Rdhyoh2cYrUolc4rDy-Bqzjt_JH65idADDIWJcckmQQpnHTAF0V6eXNWIhkh1rFG0JvjTJ1co65lB5-ic" target="_blank" rel="noopener">Google Scholar&nbsp;</a>|&nbsp;<a href="https://www.sumarios.org/revista/revista-baiana-de-educa%C3%A7%C3%A3o-matem%C3%A1tica-rbem" target="_blank" rel="noopener">Sumários</a>&nbsp;|&nbsp;<a href="http://journalseeker.researchbib.com/view/issn/2675-5246" target="_blank" rel="noopener">ResearchBib</a>|&nbsp;<a href="http://www.cnen.gov.br/centro-de-informacoes-nucleares/livre" target="_self">Revistas de Livre Acesso</a>|<a href="https://www.isindexing.com/isi/journaldetails.php?id=14172" target="_blank" rel="noopener">Internacional Scientific Indexing&nbsp;</a>|&nbsp;<a href="http://index.pkp.sfu.ca/index.php/browse/index/9029" target="_blank" rel="noopener">PKP Index</a>|&nbsp;<a href="https://www.abecbrasil.org.br/novo/" target="_blank" rel="noopener">ABEC BRASIL</a>|&nbsp;<a href="http://esjindex.org/search.php?id=4566" target="_blank" rel="noopener">Eurasian Scientific Journal Index</a>|&nbsp;<a href="http://olddrji.lbp.world/JournalProfile.aspx?jid=2675-5246" target="_blank" rel="noopener">Directory of Research Journals Indexing</a>|&nbsp;<a href="https://www.latindex.org/latindex/ficha?folio=29606" target="_blank" rel="noopener">Latindex</a>|&nbsp;<a href="https://diadorim.ibict.br/handle/1/2770" target="_blank" rel="noopener">Diadorim</a>|&nbsp;<a href="https://journals.indexcopernicus.com/search/details?id=66876" target="_blank" rel="noopener">Index Copernicus Internacional</a>|<a href="https://www.crossref.org/" target="_blank" rel="noopener">Crossref</a>|<a href="https://www.doi.org/" target="_blank" rel="noopener">Digital Object Identifier (DOI)</a>|<a href="https://doaj.org/toc/2675-5246?source=%7B%22query%22%3A%7B%22filtered%22%3A%7B%22filter%22%3A%7B%22bool%22%3A%7B%22must%22%3A%5B%7B%22terms%22%3A%7B%22index.issn.exact%22%3A%5B%222675-5246%22%5D%7D%7D%2C%7B%22term%22%3A%7B%22_type%22%3A%22article%22%7D%7D%5D%7D%7D%2C%22query%22%3A%7B%22match_all%22%3A%7B%7D%7D%7D%7D%2C%22size%22%3A100%2C%22_source%22%3A%7B%7D%7D" target="_blank" rel="noopener">DOAJ</a>|<a href="https://latinrev.flacso.org.ar/revistas/revista-baiana-educacao-matematica" target="_blank" rel="noopener">LatinREV</a>| <a href="https://www.citefactor.org/journal/index/26192/bahia-journal-of-mathematical-education#.YBmq8ehKjDc" target="_blank" rel="noopener">CiteFactor</a>|<a href="https://isindexing.com/isi/journaldetails.php?id=14172" target="_blank" rel="noopener">International Scientific Indexing(ISI)</a></p> pt-BR <p>Uma nova publicação de artigo anteriormente publicado na&nbsp;<em>Revista Baiana de Educação Matemática</em>, fica sujeita à expressa menção da precedência de sua publicação neste periódico, seguindo as normas de referência. Autores que publicam na RBEM concordam com os seguintes termos:</p> <div class="member"> <ul> <li class="show"> <p>O Conselho Editorial se reserva ao direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, sintática, ortográfica e bibliográfica com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores. As provas finais poderão ou não ser enviadas aos autores.</p> </li> <li class="show"> <p>Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a&nbsp;<em>Licença Creative Commons Attribution&nbsp;</em>(<a href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/deed.pt_BR" target="_blank" rel="noopener">CC BY-NC-SA</a>).</p> </li> <li class="show"> <p>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista, exemplo: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro, com reconhecimento de autoria e publicação inicial na RBEM.</p> </li> <li class="show"> <p>Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online — em repositórios institucionais, página pessoal, rede social ou demais sites de divulgação científica.</p> </li> </ul> </div> ajnunes@uneb.br (Américo Junior Nunes da Silva) revistabaianadeeducmat@gmail.com (Suporte técnico) sáb, 01 jan 2022 00:00:00 -0300 OJS 3.1.2.4 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 A Matemática Financeira no Ensino Médio Brasileiro: perspectivas para formação de indivíduos críticos https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/13232 <p>Segundo a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é imperativo formar cidadãos mais ativos, críticos, analíticos e que sejam capazes de modificar o ambiente no qual estão inseridos. O ensino da Matemática Financeira aos estudantes do Ensino Médio não foge a essa regra e é conhecimento fundamental a qualquer indivíduo. Assim, para entender a importância da Matemática Financeira buscou-se compreender como a Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF) definida pelo Governo Federal, a BNCC e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB) interagem para promover o desenvolvimento destes cidadãos mais críticos e participativos na sociedade. Através de uma pesquisa qualitativa, baseada em revisão de literatura e documental buscou-se identificar os pontos convergentes e discrepantes entre estas três diretrizes legais e a formação de cidadão efetivamente críticos. Concluiu-se que a base legal para educação no Brasil proporciona às escolas esta opção. No Ensino Médio, particularmente, isso ocorre atualmente através da construção, por parte das escolas, do Projeto de Vida, além do exposto nas diretrizes da BNCC. As pesquisas que subsidiaram as conclusões demonstram que o uso de exemplos reais, práticos e aplicáveis a realidade rotineira dos alunos tem grande efeito para desenvolver o pensamento crítico na Matemática Financeira. Identificou-se também que uma exigência básica aos profissionais deste século é o desenvolvimento de sua criticidade em qualquer área do conhecimento, mas principalmente nas relacionadas e negócios e investimentos financeiros.</p> Adriano Alves de Rezende, Angela Silva-Salse, Eduardo Carrasco Copyright (c) 2022 Adriano Alves de Rezende, Angela Silva-Salse, Eduardo Carrasco https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/13232 qui, 13 jan 2022 06:32:34 -0300 Experimentação Didática para o Desenvolvimento da Aprendizagem Significativa Visando a Compreensão dos Racionais: um estudo baseado em uma pesquisa docente https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/13797 <p>O objetivo desta pesquisa foi desenvolver uma forma atrativa e dinâmica de aprendizagem dos racionais para facilitar a compreensão e assimilação desse conteúdo para estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental. Para este propósito, foi realizado uma pesquisa com 30 professores de Matemática de Instituições públicas e privadas do Norte e Noroeste Fluminense do Estado do Rio de Janeiro, com intuito de obter dados específicos de sucesso para este aprendizado em suas aulas. Nesta Pesquisa Docente, foi constatado ser apropriado conjecturar experimentações fazendo o uso de atividades contextualizadas, jogos e materiais manipulativos, com a intenção de promover o desenvolvimento de uma aprendizagem mais significativa. Neste sentido, para a construção da proposta didática, esta pesquisa se baseou nos dados da Pesquisa Docente supracitada. Foi utilizada a metodologia do tipo qualitativa, tendo em vista a análise da assimilação dos conteúdos pelos discentes a partir da experimentação, averiguando até que ponto esses recursos integrados a proposta didática tornariam a aprendizagem significativa. Os dados foram coletados por meio da aplicação de questionários investigativos, sequência didática e avaliações, além de observações e intervenções pedagógicas. A sequência didática e a coleta de dados foram implementadas em três turmas de 6º ano do Ensino Fundamental do Colégio Estadual Maria Leny Vieira Ferreira Silva, no município de São José de Ubá – RJ. Os resultados foram analisandos à luz da teoria de David Ausubel e mostraram que a experimentação proposta contribuiu significativamente para a ampla compreensão dos racionais, promovendo a autonomia, senso crítico e capacidade argumentativa dos estudantes.</p> Nelson Barbosa, Isabela Estephaneli Corty Ribeiro Copyright (c) 2022 Nelson Barbosa, Isabela Estephaneli Corty Ribeiro https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/13797 seg, 25 abr 2022 14:02:37 -0300 Materiais Didáticos Manipuláveis para o Ensino de Geometria https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/14299 <p>Os conhecimentos geométricos podem ser observados em todos os momentos da nossa vida, seja nos formatos dos pequenos objetos que nos cercam, seja nas grandiosas construções das civilizações humanas. Este fato mostra a importância e a necessidade de incluir seus conteúdos nos espaços escolares de maneira criativa e dinâmica. Para isso, construímos projetos que enfatizam os conhecimentos geométricos com um deles voltados para o ensino de geometria envolvendo materiais didáticos. O projeto foi desenvolvido numa pesquisa durante o Programa de Iniciação Científica (IC) 2019-2020, da Universidade do Estado da Bahia - UNEB no <em>Campus</em> Senhor do Bonfim. Neste artigo apresentamos um recorte desta pesquisa com objetivo de catalogar materiais didáticos manipuláveis que podem auxiliar o professor de matemática que leciona geometria para o sexto ano do Ensino Fundamental. A pesquisa ancora-se na perspectiva da abordagem qualitativa e pautou sua construção na revisão bibliográfica de livros, artigos e laboratórios de matemática e geometria de universidades públicas brasileiras. Os dados coletados foram selecionados, analisados e consolidaram 10 categorias. Como resultados catalogamos 92 materiais didáticos manipuláveis que podem ajudar no ensino de conteúdos geométricos para os anos finais do Ensino Fundamental e, destes, 30 podem ser propostos para o sexto ano.</p> Mirian Ferreira de Brito, Vinicius Christian Pinho Correia Copyright (c) 2022 Mirian Ferreira de Brito, Vinicíus Christian Correia https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/14299 seg, 18 jul 2022 07:23:47 -0300 Argumentação em aulas de Probabilidade no Ensino Fundamental: uma proposta utilizando o Peer Instruction (Instrução por Pares) https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/13735 <p>O presente trabalho tem como objetivo principal analisar como a proposta do Peer Instruction (Instrução por Pares) pode contribuir para desenvolver a argumentação em aulas de Probabilidade do 5º ano do Ensino Fundamental. Para tanto, por meio de uma pesquisa qualitativa trazemos uma proposta de utilização de dois jogos digitais sobre probabilidade inseridos na metodologia Peer Instruction. Os resultados dos testes realizados com a proposta demonstraram que os jogos são potencialmente significativos e podem trazer uma nova abordagem da metodologia ativa instrução por pares e favorecer a argumentação na medida que sua interface possibilita a elaboração de conjecturas e justificativas acerca dos conceitos de probabilidade, além de tornar o processo ensino-aprendizagem mais dinâmico.</p> Ewellyn Amâncio Araújo Barbosa, Claudia de Oliveira Lozada, Jaciara de Abreu Santos Copyright (c) 2022 Ewellyn Amâncio Araújo Barbosa, Claudia de Oliveira Lozada, Jaciara de Abreu Santos https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/13735 seg, 01 ago 2022 14:04:55 -0300 O que pensam os professores de Matemática sobre o livro didático: do processo de escolha à utilização como recurso didático https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/14757 <p>O livro didático é um dos recursos pedagógicos mais utilizados no processo de ensino e aprendizagem no contexto escolar brasileiro, inclusive tendo um programa específico instituído por meio de política pública há mais de vinte anos: o Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD). Nesse campo de disputa, estão os professores da Educação Básica que fazem parte do processo de escolha do material que chega (ou deveria chegar) nas escolas. Nesse sentido, a presente pesquisa tem como objetivo analisar as percepções dos professores de Matemática sobre o processo de escolha do livro didático e a sua utilização em sala de aula, inclusive durante o ensino remoto, modalidade motivada e condicionada no país por causa da crise pandêmica. Para tanto, essa pesquisa com característica qualitativa descritiva (GIL, 2002), utilizou para coleta de dados questionários que foram aplicados a um grupo de 21 professores de Matemática das redes estadual e municipal de uma cidade do interior do Rio Grande do Sul, atuantes na Educação Básica. Os resultados mostram que os professores se reconhecem como agentes essenciais no processo de escolha do material didático, assumindo essa responsabilidade e requerendo maior espaço e liberdade nessa seleção, pois o livro didático ainda é um recurso muito utilizado pelos docentes.</p> Daniel Fernandes da Silva Copyright (c) 2022 Daniel Fernandes da Silva https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/14757 qui, 22 set 2022 08:24:48 -0300 Grupos de pesquisa da área de matemática que estudam sobre as tecnologias digitais https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/14787 <p>O presente artigo teve como objetivo identificar os grupos de pesquisa do CNPq que abordam o uso de tecnologias digitais e seu uso pelos grupos de pesquisa selecionados. Este é parte de uma pesquisa de doutorado realizada na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Para isso, foi feita uma busca no Diretório de Grupos de Pesquisa do Brasil CNPq. A fim de atender o objetivo listado, foi realizado um protocolo de busca com os descritores e os critérios de inclusão e exclusão dos grupos, bem como modo de análise dos dados, buscando responder a pergunta: “O que os grupos de pesquisa do CNPq vêm pesquisando quando o assunto tratado é o uso das tecnologias digitais no ensino?”. Ao término da análise, foi possível detectar os grupos e as tecnologias utilizadas por eles. Com isso, a pergunta diretriz e os objetivos foram respondidos: 17 grupos foram identificados e a tecnologia mais utilizada foi o software GeoGebra.</p> <p>&nbsp;</p> Taiane de Oliveira Rocha Araújo, Maria Deusa Ferreira da Silva, Mateus Souza de Oliveira Copyright (c) 2022 Taiane de Oliveira Rocha Araújo Araújo, Maria Deusa Ferreira da Silva, Mateus Souza de Oliveira https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/14787 sex, 30 set 2022 11:14:11 -0300 A insubordinação criativa como possibilidade para a educação matemática de jovens e adultos https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/14671 <p>O presente estudo apresenta uma reflexão acerca da prática docente na educação matemática de jovens e adultos, buscando com destaque à insubordinação criativa como possibilidade à promoção de uma educação matemática crítica e humanizadora. Por meio da observação e análise de situações de ensino e aprendizagem de matemática em uma turma de Educação de Jovens e Adultos (EJA) foram tecidas reflexões sobre as consequências das escolhas de uma docente na compreensão e aprendizagem de matemática pelos estudantes. Ao final, foram tecidas considerações acerca do papel que a educação matemática pode exercer na formação crítica dos estudantes da EJA e da insubordinação crítica como meio para tal. Como resultado, foi enfatizado o papel da Insubordinação Criativa na formação crítica do sujeito da educação de jovens e adultos e, para que isso ocorra, ressaltou-se a necessidade da ressignificação da formação do próprio educador.</p> Maria Emília de Castro Urpia, Erica Valeria Alves Copyright (c) 2022 Maria Emília de Castro Urpia, Erica Valeria Alves https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/14671 qui, 03 nov 2022 15:28:25 -0300 Integrando a Universidade na Escola através da Matemática Básica: uma experiência no ensino à distância https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/14957 <p>Este trabalho tem, como objetivo, discorrer sobre as atividades de um curso de extensão sobre os tópicos da Matemática básica, tendo, como público-alvo, alunos concluintes do Ensino Médio, que pretendem fazer cursos na área de ciências exatas, e os discentes do primeiro período da Universidade Federal do Tocantins de diversos cursos, tais como: engenharia florestal, agronomia, biotecnologia, química ambiental, dentre outros. Para a realização do curso, foi adotado o formato de ensino à distância, por meio de um ambiente virtual de aprendizagem, pois o planejamento e desenvolvimento do curso ocorreu em um período em que a instituição encontrava-se com suas atividades presenciais suspensas devido à pandemia causada pela COVID-19. Durante o curso, foram realizados cinco encontros síncronos nos meses de outubro e novembro de 2020, conduzidos por dois professores e três acadêmicos, contando com a participação efetiva de 88 cursistas. Os resultados obtidos durante o curso indicam que a maioria dos alunos apresenta dificuldades em resolver situações problemas contextualizadas que envolvem regras e manipulações algébricas, ou seja, têm dificuldades em realizar a interpretação dos dados que, nesse tipo de questão, não se apresentam de forma clara, sendo necessária a conciliação de uma leitura detalhada com os conceitos matemáticos. Assim sendo, o curso proporcionou aos participantes uma revisão dos conceitos básicos da Matemática, com enfoque em problemas contextualizados.</p> Raylson dos Santos Carneiro, Rogerio dos Santos Carneiro, Kattia Ferreira da Silva Copyright (c) 2022 Raylson dos Santos Carneiro, Rogerio dos Santos Carneiro, Kattia Ferreira da Silva https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/14957 qui, 27 out 2022 16:19:05 -0300 Ensino de Estatística, Probabilidade e Combinatória na Educação Básica: https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/15640 <p>Esse artigo tem por objetivo identificar alguns dos principais desafios para o ensino de Estocástica — Estatística, Probabilidade e Combinatória — na educação básica brasileira, que atende estudantes com idades na faixa de seis a dezessete anos, a partir da reforma curricular, desencadeada pela publicação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), em 2018, e a formação de professores que ensinam Matemática. Buscamos evidenciar possíveis fragilidades na formação inicial e continuada no campo da Estocástica, frente às novas demandas educacionais. É uma pesquisa de natureza qualitativa, de cunho bibliográfico e documental, que analisa documentos oficiais norteadores da educação básica e pesquisas recentemente publicadas, que caracterizam as dificuldades enfrentadas e apontam para alternativas para a promoção do letramento, raciocínio e pensamento estocásticos. Ao final, apresentamos algumas propostas que podem contribuir para alcançar os objetivos centrais da educação Estocástica, em consonância com a BNCC.</p> Samya de Oliveira Lima, Reinaldo Feio Lima, Ady Wallace Jaques Silva, Cassio Cristiano Giordano Copyright (c) 2022 Samya de Oliveira Lima, Reinaldo Feio Lima, Ady Wallace Jaques Silva, Cassio Cristiano Giordano https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/15640 seg, 28 nov 2022 11:01:02 -0300 Curiosidade e Investigação https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/15671 <p>A Educação Infantil no Brasil constitui primeira etapa da Educação Básica. Discussões a respeito de propostas pedagógicas para ensino de crianças de zero a cinco anos, foram intensificadas com a publicação das Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil em 2009. Atualmente, a Base Nacional Comum Curricular orienta a organização do currículo mediante Campos de Experiências contemplando uma diversidade de conhecimentos, entre eles os de matemática e estatística. O objetivo deste artigo é analisar a vivência do planejamento de uma professora da Educação Infantil com crianças de 5 anos sobre o trabalho com estatística com base no letramento estatístico. O trabalho é um recorte de uma pesquisa de mestrado, na qual realizou-se estudos em grupo conduzidos em contexto colaborativo e que envolveu reflexões e elaboração de planejamento de aulas na perspectiva do letramento estatístico, a partir de etapas do ciclo investigativo. O planejamento da docente expressou a possibilidade de vivência de uma investigação cuja problematização partiu da curiosidade das crianças. A sua prática colocou em evidência mediações coletivas das etapas do ciclo investigativo desde a escolha do tema, elaboração do instrumento para a entrevista, realização da coleta dos dados, organização e representação dos dados em gráfico pictórico, assim como discussão sobre os aspectos conclusivos da pesquisa. Destaca-se a importância das reflexões e análises que a professora participou durante os estudos em grupo, sobre o letramento estatístico. Consideramos que a valorização de aspectos do universo infantil estimulou a investigação realizada pelas crianças e contribuiu para que elas participassem da atividade como protagonistas.</p> Flávia Luíza de Lira, Liliane Maria Teixeira Lima de Carvalho Copyright (c) 2022 Flávia Luíza de Lira, Liliane Maria Teixeira Lima de Carvalho https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/15671 seg, 28 nov 2022 11:10:13 -0300 Livros Didáticos em Braille: Uma Análise das Adaptações de Gráficos Estatísticos Para Estudantes Cegos https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/15593 <p>Este artigo tem o objetivo de analisar adaptações de gráficos estatísticos para o Braille em livros didáticos dos anos finais do Ensino Fundamental. Para atingir ao objetivo proposto, sete livros didáticos em Braille foram analisados com base numa pesquisa documental. Como principais resultados, identificamos que aproximadamente 28% dos gráficos são excluídos dos livros e 47% sofrem alguma mudança para outro tipo de representação, sendo as mais comuns: listagem e tabela. Nos gráficos preservados foram encontrados erros associados, sobretudo, a problemas na escala. Ressalta-se que as modificações encontradas e os erros, possivelmente, são decorrentes de limitações do Sistema Braille. Dessa forma, ratificamos a necessidade do desenvolvimento de pesquisas voltadas para adaptações de gráficos para o ensino de Estatística para estudantes cegos.</p> Mayra Darly da Silva, Liliane Maria Teixeira Lima de Carvalho Copyright (c) 2022 Mayra Darly da Silva, Liliane Maria Teixeira Lima de Carvalho https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/15593 ter, 29 nov 2022 09:34:48 -0300 El desarrollo de la alfabetización estadística de los estudiantes de secundaria brasileña: https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/15516 <p>Brasil atraviesa una crisis institucional, agravada por los efectos de la pandemia de COVID-19. El gobierno federal apoya sus posiciones antidemocráticas difundiendo noticias falsas. Un ejemplo reciente fue el discurso del presidente brasileño en la 76ª sesión de la Asamblea General de las Naciones Unidas. Presentamos una investigación cualitativa enfocada en una experiencia de enseñanza basada en proyectos, en vista de la Estadística Cívica. Analizamos la confrontación de los datos presentados en este discurso con información recolectada de otras fuentes, con el uso de textos ricos y en la lectura e interpretación de dados dinámicos, elementos de gran relevancia para la promoción de la alfabetización estadística. Nuestro objetivo es destacar las posibles contribuciones de la Estadística para comprender y combatir la difusión de noticias falsas.</p> Cassio Cristiano Giordano, Fernanda Angelo Pereira, Fabiano dos Santos Souza Copyright (c) 2022 Cassio Cristiano Giordano, Fernanda Angelo Pereira, Fabiano dos Santos Souza https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/15516 ter, 29 nov 2022 09:45:00 -0300 Theme choice in a Project-Based Learning https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/15435 <p>This article discusses interdisciplinarity in the teaching of Statistics through a Project-Based Learning. We´re sharing the discussion aroused by the publishing of the Common National Curriculum Base in 2018, that suggests learning projects, whose level of complexity and broadness increases gradually throughout the entire basic education (from six to seventeen years old). Our goal is to highlight the initial moment, which is paramount to the success of this approach:&nbsp; the selection of the theme to be investigated. Initially, it is a qualitative research study that analyses official documents, recent studies in the area, as well as recordings of the sessions in which teachers and students discuss the theme to be chosen. In the end, a few considerations that may contribute to promoting Statistics Literacy are presented.</p> Fernanda Angelo Pereira, Tiago da Silva Gautério, Cassio Cristiano Giordano Copyright (c) 2022 Fernanda Angelo Pereira, Tiago da Silva Gautério, Cassio Cristiano Giordano https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/15435 ter, 29 nov 2022 09:53:15 -0300 O Jogo “Lançando A Moeda" https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/15702 <p>Este estudo teve como objetivo investigar como um grupo de crianças de uma turma de 2ª ano (7 e 8 anos) se apropriam das noções de acaso, ideia de aleatório e espaço amostral em situações de jogo. As crianças participantes estudam na Rede Pública Municipal de Uberlândia - Minas Gerais – Brasil. &nbsp;A investigação foi de cunho qualitativo e buscou referencial teórico na Educação Estatística, nos estudos sobre Probabilidade&nbsp;e no papel dos jogos educacionais. A produção dos dados foi realizada por meio do jogo “Lançando a moeda”, e por meio de observação participante. Inferimos que as crianças adquiriram as habilidades de: apresentar os possíveis resultados de um experimento aleatório com moedas; perceber que o resultado do lançamento da moeda depende do acaso; e compreender que nem todos os fenômenos são determinísticos.</p> Sandra Gonçalves Vilas Bôas, Keli Cristina Conti Copyright (c) 2022 Sandra Gonçalves Vilas Bôas, Keli Cristina Conti https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 https://revistas.uneb.br/index.php/baeducmatematica/article/view/15702 qui, 01 dez 2022 05:50:54 -0300