Avaliação no Ensino Remoto de Matemática: analisando categorias de respostas

Palavras-chave: Avaliação. Ensino Remoto. Função Exponencial.

Resumo

Diante da pandemia, em 2020, as aulas presenciais foram suspensas e as escolas tiveram que adotar um modelo que atendesse ao isolamento social e que permitisse a continuidade das aulas. Algumas escolas adotaram o Ensino Remoto Emergencial (ERE), outras criaram uma estrutura similar ao ensino à distância (EAD). Essas adaptações geraram outros dilemas sobre como seria o ensino e, consequentemente, como seria avaliar nestes modelos de ensino. Este trabalho relata a experiência de avaliação com três turmas da 2ª série, na Escola SESC de Ensino Médio (ESEM), que adotou o ERE, a partir de uma situação problema, estruturada no ambiente de aprendizagem com referências à realidade. O modelo usado foi uma pesquisa, que tinha como objetivo promover uma maior reflexão e compreensão sobre a importância da aplicação da função exponencial na análise do comportamento da infecção pelo vírus. Os alunos tinham que explicar a diferença entre as funções exponencial, linear e quadrática, a partir de informações de cunho matemático disponíveis num texto que deveria ser acessado por um link fornecido. Além disso, eles tinham que acessar outro material, para entender alguns conceitos relacionados ao COVID 19, como a taxa de contágio, velocidade de transmissão, e como esses conceitos (ou alguns deles) se relacionam com o modelo matemático estudado, a Função Exponencial. Usando essas produções, foram categorizadas e analisadas as respostas dos 45 alunos em relação à aprendizagem de funções exponenciais. Esta experiência indica que é possível ampliar o processo de avaliação usando as tecnologias digitais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel de Oliveira Lima, Pólo Educacional do SESC- Escola SESC de Ensino Médio/PEMAT-UFRJ

Possui licenciatura plena em Matemática pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e mestrado profissional em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Doutorando em Ensino de Matemática no PEMAT/UFRJ.Lecionou na Prefeitura do Rio de Janeiro, na Prefeitura de Nova Iguaçu, no Estado do Rio de Janeiro, no Colégio Pedro II e no Colégio de Aplicação da UERJ . Atualmente é professor do Pólo Educacional do SESC. Hoje, pesquisa Avaliação da e para a aprendizagem no GPAM (Grupo de Pesquisa em Avaliação da UFRJ).E, possui pesquisas nas seguintes áreas: Educação Financeira, Insubordinação Criativa, Aprendizagem Criativa, Educação Matemática Crítica e Metodologias Ativas.

Lilian Nasser, Programa de Pós-graduação em Ensino de Matemática, do Instituto de Matemática da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PEMAT/UFRJ)

Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1972), mestrado em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1976) e doutorado em Educação Matemática - University of London (1992). Atualmente é pesquisadora do Projeto Fundão e do Programa de Pós-graduação em Ensino de Matemática, do Instituto de Matemática da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PEMAT). Atou, em 2014, como coordenadora Adjunta de Matemática do Pacto Nacional para a Alfabetização na Idade Certa no Estado do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: Geometria, Teoria de van Hiele, Educação Matemática no Ensino Superior, Argumentação e Processo Dedutivo, Matemática Financeira e Avaliação da Aprendizagem. Tem experiência na elaboração e correção de itens, e também na análise dos resultados de avaliações institucionais. Desde 2019 coordena o Grupo de Pesquisa de Avaliação em Matemática (IM/UFRJ).

Referências

AMANTE, L; OLIVEIRA, I. Avaliação das Aprendizagens: Perspetivas, contextos e práticas.In: Amante, L; Oliveira, I. Avaliação das Aprendizagens: Perspetivas, contextos e práticas. Portugal: Universidade Aberta-LE@D, 2016. p 54-74.

ANDRADE, M.; FRANCO, C.; CARVALHO, J. B. P. Gênero e desempenho em matemática ao final do ensino médio: quais as relações?. In: Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, n. 27, jan./jun. 2003.

ARROYO, Miguel G. Currículo, território em disputa. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Edição revista e atualizada. Lisboa: Edições 70, 2009.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Edição revista e atualizada. Lisboa: Edições 70, 2016.

ESTEVES, Manuela. Análise de Conteúdo. In: LIMA, Jorge Ávila de; PACHECO, José Augusto (Orgs.). Fazer investigação: contributos para a elaboração de dissertações e teses. Porto: Porto Editora, 2006, p. 105-126.

FERNANDES, D. Avaliar para aprender: fundamentos, práticas e políticas. São Paulo: Editora Unesp. 2008.

JÜRGENSEN, Bruno Damien da Costa Paes. CENÁRIOS PARA INVESTIGAÇÃO COMO FERRAMENTA DE AVALIAÇÃO: UMA DISCUSSÃO. Educação Matemática em Revista, Brasília, v. 22, ed. 56, p. 21-38, out/dez 2017.

MÉNDEZ, Juan A. Avaliar para conhecer: examinar para excluir. Porto Alegre: Artmed. 2002.

MENDES, R. M.; MISKULIN, R. G. S. A Análise de Conteúdo como uma metodologia. Cadernos de pesquisa, São Paulo, v. 47, n. 165, p. 1044-1066, jul./set. 2017.

NASSER, L., LIMA, D., NOVÔA VAZ, R., et al."Discussing insubordinate practices in mathematics evaluation", International Journal for Research in Mathematics Education, p. 471–480, 2019.

SERAFIM, R. J., &WALTER, S. A. O que Bardin diz que os autores não mostram? Estudo das produçõescientíficas brasileiras do período de 1997. Administração: ensino e pesquisa 18(2), pp. 241–269. 2017.

SKOVSMOSE, O. Cenários para investigação. Bolema, 14, 66-91. 2000.

VALA, J. A análise de conteúdo. In: SILVA, A. S.; PINTO, J. M. (Orgs.). Metodologia das ciências sociais. 8. ed. Porto: Afrontamento, 1986, p. 101-128.

VAZ, R. F. N..; NASSER, L. Em busca de uma avaliação mais “justa”. Com a Palavra o Professor, Vitória da Conquista (BA), v.4, n.10, setembro-dezembro, 2019.

VILAS BOAS, B. M. Avaliação formativa e formação de professores: ainda um desafio. Linhas Críticas, 2006 v. 12, n. 22, p. 75-90, 11.

Publicado
2020-12-22
Métricas
  • Visualizações do Artigo 798
  • PDF (PORTUGUÊS) downloads: 391
Como Citar
Lima, D. de O., & Nasser, L. (2020). Avaliação no Ensino Remoto de Matemática: analisando categorias de respostas. Revista Baiana De Educação Matemática, 1, e202018. https://doi.org/10.47207/rbem.v1i.10311