RELAÇÕES ENTRE A ATIVIDADE FÍSICA E SAÚDE NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

Palavras-chave: Educação para saúde, Educação física escolar, Sociedade

Resumo

Este artigo tem o objetivo de discutir as possíveis relações entre as aulas de educação física escolar, a prática de atividades físicas na vida adulta e a saúde, a partir da opinião de adultos moradores do estado do Rio de Janeiro (Brasil). Trata-se de uma investigação de abordagem quali-quantitativa, que se baseou nas respostas de 545 adultos a um questionário “on line”, sobre fatores que motivam e/ou impedem a prática regular de atividades físicas.  As respostas foram analisadas à luz de referenciais teóricos que advogam pela influência dos determinantes econômicos, sociais, culturais e políticos na saúde. Desta forma, percebemos que, na visão da sociedade, a relação entre atividade física e saúde, permanece fortemente apoiada no viés biológico e medicalizante, enquanto a Educação Física escolar segue tangenciando este debate sem contribuir com o desenvolvimento de sujeitos capazes de ampliar a visão sobre esta relação. Precisamos aprofundar os estudos sobre a educação para saúde na Educação Física escolar e identificar estratégias pedagógicas que possibilitem uma reflexão ampliada sobre a relação atividade física e saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Santos Collier, Professora na Universidade Federal Fluminense - Brasil

Doutora em Ensino em Biociências e Saúde pelo Instituto Oswaldo Cruz. Membro dos grupos de pesquisa Schools for Health in  Europe  (SHE)  e  Clínica  em  Epidemiologia  e  Tecnologias  Inovadoras  em  Saúde  (Fiocruz)

Referências

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL, Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília-DF: MEC, Secretaria de Educação Básica, 2017.

CAMARA, F. M. et al. Educação Física na promoção da saúde: para além da prevenção multicausal. Revista Mackenzie de educação física e esporte, v. 9, n. 2, 2010.

CARVALHO, F.F.B. Educação Física e Saúde Coletiva: diálogo e aproximação. Corpus et Scientia, v 8, n 3, p. 109-126, 2013.

CARVALHO, N. A. Abordagem pedagógica de temáticas da saúde nas aulas de educação física escolar. 2012. Tese de Doutorado. Dissertação de Mestrado). Programa Associado de Pós-Graduação em Educação Física, Universidade Federal de Pernambuco e Universidade Federal da Paraíba, Recife.

CARVALHO, Y.A. Entre o biológico e o social: tensões no debate teórico acerca da saúde na educação física. Motrivivência. Ano XVII, n. 24, p. 97-105, 2005.

CORDOVIL, A.P.R. et al. O espaço da Educação Física na escola: um estudo sobre os conteúdos das aulas no Ensino Médio. Pensar a prática, v. 18, n. 4, 2015.

DAMICO, J.G.S.; MEYER, D.E. O corpo como marcador social: saúde, beleza e valoração de cuidados corporais de jovens mulheres. Revista Brasileira de ciências do esporte, v. 27, n. 3, 2006.

DANTAS, M.G.; DANTAS, C.G.F.L.; SILVA, M.C. Por uma educação física crítica no ensino médio em Macapá. Periferia. v. 8, n. 2, p. 92-107, 2016.

FERNANDES, R.A. et al. Desnutrição e sua associação com atividades durante o lazer entre adolescentes. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, p. 875-880, 2014.

FERREIRA, M.S. Aptidão física e saúde na educação física escolar: ampliando o enfoque. Revista brasileira de ciências do esporte, v. 22, n. 2, 2001.

FERREIRA, H.S.; OLIVEIRA, B.N.D.; SAMPAIO, J.J.C. Análise da percepção dos professores de Educação Física acerca da interface entre a saúde e a Educação Física escolar: conceitos e metodologias. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 35, p.673-685, 2013.

FERREIRA, H. S.; SAMPAIO, J. J. C. Tendências e abordagens pedagógicas da Educação Física escolar e suas interfaces com a saúde. EFDesportes.com, Buenos Aires, Ano 18, 2013.

FERREIRA, M.S.; CASTIEL, L.D.; CARDOSO, M.H.C.A. Atividade física na perspectiva da Nova Promoção da Saúde: contradições de um programa institucional. Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, p. 865-872, 2011.

FLORINDO, A.A. et al. Prática de atividades físicas e fatores associados em adultos, Brasil, 2006. Revista de Saúde Pública, v. 43, p. 65-73, 2009.

FONTOURA, H.A. Tematização como proposta de análise de dados na pesquisa qualitativa. Formação de professores e diversidades culturais: múltiplos olhares em pesquisa. Niterói: Intertexto, v. 1, p. 61-82, 2011.

KNUTH, A. G.; AZEVEDO, M. R.; RIGO, L. C. A inserção de temas transversais em saúde nas aulas de educação física. Revista brasileira de atividade física & saúde, v.12, n.3, p. 73-78, 2007.

LUZ, M. T. Educação física e saúde coletiva: papel estratégico da área e possibilidades quanto ao ensino na graduação e integração na rede de serviços públicos de saúde. Educação física e saúde coletiva: políticas de formação e perspectivas de intervenção, p. 9-16, 2007.

MINAYO, M.C.S. Los conceptos estructurantes de la investigación cualitativa. Salud colectiva, v. 6, p. 251-261, 2010.

OLIVEIRA, J. P., PAIVA, A. C., MELO, M. S. T., BRASILEIRO, L. T., JÚNIOR, M. S. Os saberes escolares em saúde na educação física: Um estudo de revisão. Motricidade, v. 13, p. 113-126, 2017.

OLIVEIRA, V.J.M.; GOMES, I.M.; BRACHT, V. Educação para a saúde na Educação Física escolar: uma questão pedagógica!. Cadernos de formação RBCE, v. 5, n. 2, 2015.

OLIVEIRA, V.J.M.; STREIT, I.A.; AUTRAN, R.G. Três movimentos reflexivos sobre educação física, saúde e escola: desafios pedagógicos. Humanidades & Inovação, v. 7, n. 10, p. 354-369, 2020.

PINA, L. D. Atividade física e saúde: uma experiência pedagógica orientada pela pedagogia histórico-crítica. Motrivivência, v. 30, 158-168, 2008.

RIBEIRO, S.D.D.; MEZZAROBA, C. Mídia, corpo e mercado: (im)possibilidades formativas diante do poder simbólico. Perspectiva, Florianópolis. v.3, n.1, p. 160-183, 2019.

SALLIS, J.F. et al. Predictors of change in children's physical activity over 20 months: variations by gender and level of adiposity. Am J Prev Med. v.16, p. 222-229, 1999.

SANTOS, J.W.F; SILVA, D.F. Impactos da educação física escolar na escolha dos (as) discentes por um estilo de vida fisicamente ativo fora da escola. Revista Sítio Novo. v. 3, n.1, p. 57-65, 2019.

SOARES, C.L. et al. Metodologia do Ensino da Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.

SOBRAL, F. Investigação das relações entre saúde e desporto: história, estado actual e perspectivas de evolução. Actas–Desporto. Saúde. Bem-Estar -Jornadas Científicas. FCDEF-Universidade do Porto, 1991.

TABORDA, M.; RANGEL, M. Pesquisa Quali-quantitativa On-line: Relato de uma experiência em desenvolvimento no campo da saúde. CIAIQ2015, 2015.

TAFFAREL, C.Z. Sobre o Sistema de Complexos Homem-Esporte-Saúde: reflexões a partir de contribuições da Alemanha. In: MATIELLO JÚNIOR, Edgard; CAPELA, Paulo; BREILH, Jaime (Orgs.). Ensaios alternativos latino-americanos de educação física, esportes e saúde. Florianópolis: Copiart, p. 159-183, 2010.

VIEIRA, V.R.; SILVA, J.V.P. Barreiras à prática de atividades físicas no lazer de brasileiros: revisão sistematizada. Pensar a Prática. v. 22, p.2-22, 2019.

WENDT, A. et al. Preferências de atividade física em adultos brasileiros: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde. v. 24, p. 1-9, 2019.

WILTSHIRE, D.F.V; MEZZAROBA, C. O esporte de alto rendimento faz mal à saúde? Uma análise das atletas da seleção brasileira de ginástica rítmica. Motrivivência. v.41, p. 190-205, 2013.

Publicado
2021-10-11
Métricas
  • Visualizações do Artigo 827
  • ♪Áudio♪ downloads: 5
Como Citar
Collier, L. S. (2021). RELAÇÕES ENTRE A ATIVIDADE FÍSICA E SAÚDE NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR. Cenas Educacionais, 4, e11196. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11196
Seção
Dossiê Temático