https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/issue/feed Cenas Educacionais 2021-06-18T18:56:19-03:00 Prof. Dr. Ricardo Franklin de Freitas Mussi rimussi@yahoo.com.br Open Journal Systems <div id="journalDescription"> <p>A Cenas Educacionais (CEDU) (<a href="https://portal.issn.org/resource/ISSN/2595-4881#" target="_blank" rel="noopener">e-ISSN: 2595-4881</a>), instituída no ano de 2018, é um veículo oficical de publicação do <a href="http://www.ppgels.uneb.br/" target="_blank" rel="noopener">Programa de Pós-Graduação em Ensino, Linguagem e Sociedade</a> da <a href="https://portal.uneb.br/" target="_blank" rel="noopener">Universidade do Estado da Bahia</a> (PPGELS/UNEB). A CEDU é editada, a partir do ano de 2020, em sistema de fluxo contínuo em plataforma eletrônica (e-ISSN 2595-4881), com fluxo contínuo de submissão. O escopo da CEDU é publicar produções sobre Ensino, Educação e Interdisciplinaridade. A CEDU publica dossiês temáticos, relatos de experiências e/ou de casos, artigos originais, revisões de literatura, entrevistas, traduções, resenhas e pontos de vista após aceitos nos idiomas <strong>português, espanhol, francês&nbsp;</strong>e&nbsp;<strong>inglês</strong> conforme normatização apresentada nas diretrizes para autorxs.</p> <div>&nbsp;</div> </div> https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/9539 UM RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: E A DIDÁTICA COM ISSO? 2021-06-13T16:53:55-03:00 Ana Carolina Reis Pereira carolina-reis@hotmail.com <p>Relatar a experiência vivenciada durante o Estágio Supervisionado realizado no contexto da Educação de Jovens e Adultos, nos terceiros anos do Ensino Médio, no turno noturno, em uma escola pública localizada na cidade de Campinas – SP, durante os meses de fevereiro e março de 2018. Com o objetivo de inventariar a prática pedagógica no cotidiano da sala de aula, problematizamos aspectos da relação ensino-aprendizagem da Educação de Jovens e Adultos com base na leitura dos autores de referência, em nossas observações e nas entrevistas realizadas com a docente. Consideramos que a experiência de estágio proporcionou, através das vivências e discussões acerca do ensinar-aprender, momentos extremamente importantes para compreender e aprender como trabalhar com jovens e adultos, enriquecendo, sobremaneira, a formação docente desde a perspectiva crítica e emancipatória.</p> 2021-01-30T18:05:26-03:00 Copyright (c) 2021 Ana Carolina Reis Pereira https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10658 POR UMA DIDÁTICA CRÍTICA E LÚDICA 2021-06-13T17:16:41-03:00 Bernadete de Souza Porto bernadete.porto@gmail.com <p>Neste trabalho iremos analisar a ludicidade na formação inicial de pedagogos, descrevendo-a em importância para a intersecção necessária dos elementos do ensino, dos saberes docentes e ainda, como possibilidade de provimento do pensamento sobre os dilemas da prática, já que permite a expressão da tensão da relação conteúdo e forma e o estreitamento da relação teoria e prática, expondo temas essenciais à compreensão da didática e da formação de professores. A busca de uma síntese da formação inicial de professores, da apropriação da concepção crítica de educação e do papel da criatividade lúdica neste processo constitui a busca do presente artigo.&nbsp; O objetivo desta análise diz respeito, então, à introdução da ludicidade como elemento formador do pedagogo, analisando sua seriedade na apropriação da teoria pedagógica e da constituição dos saberes do conhecimento e pedagógico.</p> 2021-02-03T11:19:36-03:00 Copyright (c) 2021 Bernadete de Souza Porto https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10655 APRENDIZAGENS DIDÁTICAS PELA ALTERIDADE: EXPERIÊNCIA AUTOFORMADORA NA SUPERVISÃO NO PIBID EDUCAÇÃO FÍSICA DO IFCE 2021-06-13T17:28:45-03:00 Samara Moura Barreto de Abreu samara.abreu@ifce.edu.br Silvia Maria Nóbrega-Therrien silnth@terra.com.br <p>Centramos atenção nessa escrita para o modo que os sujeitos-autores implicados na supervisão do Pibid Educação Física do IFCE <em>campus </em>Canindé narram e significam as aprendizagens didáticas pela alteridade como processo de autoformação docente. Assim, definimos como objetivo geral analisar as aprendizagens didáticas pela alteridade na experiência autoformadora na supervisão do Pibid no IFCE <em>campus</em> Canindé. Compomos uma itinerância de uma etnopesquisa-formação por compreendê-la numa perspectiva dialógica e colaborativa, situada a um objeto de formação e implicada aos processos heurísticos-formativos. Tomamos o Pibid como contexto da formação, e três professores(as)-supervisores(as) como sujeitos-autores(as) que tiveram um espaço-tempo de 18 meses (agosto de 2018 a fevereiro de 2020) implicados na supervisão desse programa junto ao subprojeto de Educação Física do IFCE <em>campus </em>Canindé. Verificamos que as expressões subjetivas em conformação de alteridade foram manifestadas pelas aprendizagens didáticas/instrumentais: (1) desenvolvimento organizacional e curricular da escola e suas transações temporais da dinâmica social junto aos atores educativos, na medida em que estabelece a relação com a práxis pedagógica da supervisão; (2) constituição e/ou consolidação dos saberes docentes, sobretudo, situados na e pela relação teoria e prática, estando articuladas ao desenvolvimento pessoal e profissional; (3) postura cartográfica como modo de planejamento participativo, dispositivo lúdico e de investigação da própria prática. Alcançamos um lugar de consciência política e crítica que reconhece a alteridade como dimensão estésica e estética do processo de aprendizagem didática em Educação Física, estabelecendo nexos com a transformação social, como caminho de significação humana, e, portanto, existencial em tessitura colaborativa, como dimensão autoformadora.</p> 2021-02-03T13:43:11-03:00 Copyright (c) 2021 Samara Moura Barreto de Abreu, Silvia Maria Nóbrega-Therrien https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/9538 CURRÍCULOS DE HABILITAÇÕES DO ENSINO DE 2° GRAU NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE ENTRE 1971 A 1996 2021-06-13T17:41:22-03:00 Nara Lidiana Silva Dias Carlos nadalid@yahoo.com.br Ilane Ferreira Cavalcante ilane.cavalcanti@ifrn.edu.br Olivia Morais de Medeiros Neta olivianeta@gmail.com <p>O currículo, como qualquer outra produção humana, não é neutro, tem identidade própria ao mesmo tempo em que caracteriza a educação de uma determinada época. Nessa perspectiva, este escrito faz uma apreciação de três currículos das habilitações de Técnico em Contabilidade; Auxiliar de Escritório e Magistério do ensino de 2º grau. Essas habilitações escolhidas estiveram presentes nas quatro mesorregiões do Rio Grande do Norte (RN) e obtiveram altos índices de oferta entre os anos de 1971 e 1996. O objetivo é analisar a relação dessas fontes com as teorias dos currículos da época, com o intuito de compreender qual a vinculação da educação do RN com o mercado de trabalho. Baseadas neste objetivo, nos questionamos: os currículos das habilitações ofertadas no estado do RN, entre 1971 e 1996, tiveram influência do mercado de trabalho e das teorias de currículos tecnicistas que vigoravam à época? Trata-se de um estudo de revisão bibliográfica e análise documental, no qual as fontes foram coletadas na Secretaria de Estado da Educação e da Cultura. Os resultados indicam que, naquele momento, o currículo tinha sua identidade própria se relacionando aos ideais da produção capitalista, o que implica pronunciar que as necessidades mercadológicas eram mais importantes que as dos sujeitos. As estruturas curriculares quase nada retratam a preocupação em formar um sujeito integral ou em estudar as relações humanas e sociais. Todos esses pontos evidenciam a força do tecnicismo sobre a educação do período em análise.</p> 2021-02-03T14:56:23-03:00 Copyright (c) 2021 Nara Lidiana Silva Dias Carlos, Ilane Ferreira Cavalcante, Olivia Morais de Medeiros Neta https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8928 A RACIONALIDADE PEDAGÓGICA E OS SABERES SOBRE O ENSINO: UM ESTUDO SOBRE A EPISTEMOLOGIA DA PRÁTICA DOCENTE 2021-06-13T17:55:03-03:00 Maria de Lourdes Tavares Magalhães lourdesmari05@yahoo.com.br Bernadete Souza Porto bernadete.porto@gmail.com <p>A epistemologia da prática docente revela que o trabalho do educador é um espaço criativo de produção dos saberes sobre a docência. O estudo aqui apresentado tem como objetivo geral compreender a epistemologia da prática docente e como objetivos específicos: apreender o conceito de racionalidade pedagógica; analisar como esta racionalidade serve de fundamento para a constituição dos saberes pedagógicos; apreender o conceito de saber pedagógico e analisar como estes saberes são constituídos pelos professores.&nbsp; A metodologia adotada é a qualitativa, especificamente a bibliográfica, conforme aponta Severino (2007). Para análise dos dados provenientes da pesquisa bibliográfica nos amparamos no método de Análise de Conteúdo desenvolvido por Bardin (2011). Assim, nossos objetivos nos guiaram na construção do entendimento de que a epistemologia da prática é um estudo sistemático aceca dos saberes que os professores produzem no cotidiano de suas práticas em confronto com as teorias. Também foi possível delimitar o conceito de racionalidade pedagógica, a qual diz respeito as razões que servem de fundamento para as ações docentes, entende-se, portanto, que a racionalidade pedagógica serve de ponto de ancoragem do saber pedagógico. Elucidamos que o saber pedagógico é aquele que torna o professor capaz de transpor os conteúdos para uma situação de ensino de modo que estes possam ser assimilados pelos alunos. A constituição desses saberes pelos professores se realiza mediante o confronto entre as teorias da educação, que são conhecimentos científicos sistematizados pelos estudiosos da área e as práticas pedagógicas.</p> 2021-02-06T10:00:22-03:00 Copyright (c) 2021 Maria de Lourdes Tavares Magalhães, Bernadete Souza Porto https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/9355 PERIFERIA, PODER E CULTURA: PRATICANDO O CURRÍCULO CULTURAL E A INTERDISCIPLINARIDADE NA EDUCAÇÃO BÁSICA 2021-06-13T18:14:53-03:00 Galdino Rodrigues de Sousa galdinorodrigues@yahoo.com.br Wilson Alviano Júnior wilson.alviano@ufjf.edu.br Ricardo Ducatti Colpas ricardo@ufsj.edu.br <p>Trata-se de uma pesquisa-ação que objetiva problematizar como a inter-relação de práticas pedagógicas contribuiu para a promoção de uma educação democrática a partir do reconhecimento das vozes, da gestualidade e das brincadeiras de uma cultura subjugada. Relaciona os estudos culturais e a interdisciplinaridade em busca de renovações nos afazeres pedagógicos. Adota a valorização das práticas culturais dos alunos como fio condutor da proposta, mais especificamente o jogo de “bater cartinhas” ou “bafo” em uma escola estadual localizada na periferia do Espírito Santo. Evitando qualquer resposta definitiva, percebemos maior valorização do trabalho desenvolvido de forma coletiva e em diálogo com o repertório da cultura (corporal) dos alunos. Os estudantes, envolvidos na atividade pedagógica, perceberam-se como produtores de cultura e de novos significados, sujeitos que possuem e disseminam conhecimento e cultura. Ainda que algumas etapas do processo não tenham caminhado conforme esperado, esse objetivo central, fundamental no currículo cultural, foi atingido, e o trabalho dos professores, potencializado pelo agir interdisciplinar.</p> 2021-02-06T19:16:40-03:00 Copyright (c) 2021 Galdino Rodrigues de Sousa, Wilson Alviano Júnior, Ricardo Ducatti Colpas https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10231 FORMAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: DAS EXIGÊNCIAS LEGAIS AOS DESAFIOS REAIS DA INCLUSÃO EDUCACIONAL 2021-06-13T19:56:23-03:00 Jacqueline Lidiane de Souza Prais jacqueline_lidiane@hotmail.com Hallison Fernando Rosa hallison.fernando@gmail.com <p>Este artigo discute sobre a inclusão educacional e a necessidade/importância da formação didático-pedagógica dos professores universitários na educação superior. Parte do problema de pesquisa: de que maneira a formação do professor universitário tem sido contemplada no contexto da inclusão educacional? Essa questão é relevante, pois polariza-se a discussão para docência na educação básica, mas é na educação superior que a formação inicial oferece subsídios teóricos e práticos aos licenciandos que atuarão como docentes no primeiro nível da educação brasileira, bem como, a formação pedagógica dos professores universitários é um dos aspectos a ser problematizado no contexto da efetivação da inclusão. Tem como objetivos específicos: (i) explicitar bases legislativas sobre a formação docente para atuar na educação superior; (ii) apresentar subsídios necessários à formação do professor universitário no contexto da inclusão educacional; (iii) apontar desafios sobre a inclusão na educação superior relacionada à formação didático-pedagógica dos professores universitários. Utiliza como metodologia a pesquisa bibliográfica complementada pela análise documental na modalidade qualitativa. Tem como principais resultados: o requisito de ingresso como docente na educação superior não expressa preocupação com a formação pedagógica. A formação na pós-graduação enfatiza a realização de pesquisa e a promoção de pesquisadores. A democratização da educação superior, em especial, aos alunos com deficiência por meio de políticas afirmativas, expressam o direito de acesso, esbarra no desafio da capacitação docente para satisfazer as necessidades de aprendizagem dos alunos. Oferece uma contribuição ao campo da formação docente para a inclusão educacional de alunos com deficiência voltada para professores universitários.</p> 2021-02-07T17:49:10-03:00 Copyright (c) 2021 Jacqueline Lidiane de Souza Prais, Hallison Fernando Rosa https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/9348 PAULO FREIRE E OS DIREITOS HUMANOS: POR UM DIÁLOGO EFETIVO 2021-06-13T20:06:12-03:00 Cloris Violeta Alves Lopes cloris-carlos@uol.com.br Kátia Aparecida da Silva Nunes Miranda katia-nmiranda@hotmail.com <p>Busca-se com este artigo refletir e ampliar os debates sobre as contribuições epistemológicas de Paulo Freire que se aproximam das concepções voltadas às garantias dos Direitos Humanos. Assim, pretende-se a partir das reflexões levantadas pelo educador, analisar a contribuição da educação em direitos humanos na formação humana e para o exercício da cidadania de forma crítica e significativa. Para tanto, agregam-se a Freire (1971, 1979, 1980, 2001, 2005) neste estudo, como aporte para a sustentação teórica e ampliação das concepções apontadas, além das normativas legais, os seguintes autores: Benevides (1996, 2003), Candau et al (2013), Gadotti (2001) e Padilha (2008). Será, para além de uma percepção teórica e metodológica, que se apresenta neste artigo a educação em direitos humanos como um movimento que visa contribuir com exercício da cidadania, promovendo a aproximação e o diálogo entre a educação e direitos humanos, como direito e garantia inerentes a todos os cidadãos.</p> 2021-02-09T14:11:31-03:00 Copyright (c) 2021 Cloris Violeta Alves Lopes, Kátia Aparecida da Silva Nunes Miranda https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10773 ENSINO DA EDUCAÇÃO FÍSICA ENTRE MUROS E GRADES: NARRATIVAS (AUTO)BIOGRÁFICAS E REFLEXÕES COMPARTILHADAS 2021-06-13T20:16:16-03:00 Karine de Almeida Müller profkarinemuller@gmail.com Ueliton Peres de Oliveira uelitonoliveira@sesp.mt.gov.br Willian Lazaretti da Conceição will_lazaretti@hotmail.com <p>O presente artigo tem como objetivo analisar as narrativas (auto)biográficas de uma professora e dois professores de Educação Física e suas respectivas experiências com o ensino da Educação Física e na Gestão no contexto situado da socioeducação, especificamente na medida socioeducativa de internação em três Instituições responsáveis pela execução da medida socioeducativa de internação em diferentes Estados. As narrativas (auto)biográficas enquanto método permitiu que cada docente narrasse livremente a sua trajetória a fim de identificar as dinâmicas da ação docente nesse espaço peculiar de educação formal, respeitando as especificidades de cada região. Como resultados foi possível identificar que não há uma didática específica para este contexto, ou seja, não há que se pensar num currículo diferenciado, mas sim, em formação inicial e continuada que contemplem as legislações específicas, bem como, estudos de caso e a criação de fóruns que discutam efetivamente o que é educação em direitos humanos em busca da justiça social.</p> 2021-02-13T14:09:10-03:00 Copyright (c) 2021 Karine de Almeida Müller, Ueliton Peres de Oliveira, Willian Lazaretti da Conceição https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10656 A DIDÁTICA E A ANCESTRALIDADE: A CONGADA COMO UMA PRÁTICA SOCIAL 2021-06-13T20:24:48-03:00 Tatiane Pereira de Souza afroeducar@gmail.com <p>O que faz a Congada também ser considerada como prática social? Buscando responder essa indagação, este ensaio apresenta compreensões da educação em diálogo com a filosofia da libertação, para compreender a Congada como uma prática social que elabora e produz processos educativos próprios da participação e do compromisso com o percurso histórico das pessoas que ao pronunciarem o mundo vão se fazendo, refazendo, libertando-se e anunciando a transformação da realidade para si e para os outros.</p> 2021-02-15T10:45:56-03:00 Copyright (c) 2021 Tatiane Pereira de Souza https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/9523 VENDO A INCLUSÃO ESCOLAR PELAS LENTES DA DIVERSIDADE CULTURAL: UMA ANÁLISE DE ATIVIDADES DE ENSINO-APRENDIZAGEM EM ESTUDOS SOCIAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL 2021-06-13T20:31:13-03:00 Anderson Araújo-Oliveira Araujo-oliveira.anderson@uqam.ca <p>Nas escolas do Quebec, a diversidade cultural é abordada, entre outras maneiras, pela Grande Área de Formação (GAF) intitulada "Cidadania et viver-juntos", cujo objetivo principal é “permitir que os alunos participem da vida democrática da sala de aula ou da escola e desenvolvam uma atitude de abertura ao mundo e de respeito pela diversidade” (Gouvernement du Québec, 2001, p. 50). O cumprimento desse&nbsp;objetivo&nbsp;requer&nbsp;diferentes aprendizagens escolares, particularmente aquelas realizadas nas disciplinas específicas aos estudos sociais (história,&nbsp;geografia&nbsp;e&nbsp;educação&nbsp;para&nbsp;a cidadania) (Gouvernement du Québec, 2001). No entanto, é necessário reconhecer a grande dificuldade dos professores em compreender e levar em consideração as GAF em suas práticas cotidianas bem como a ausência de propostas oficiais para o tratamento didático da diversidade no ambiente escolar (Conseil supérieur de l’éducation, 2007). Este artigo propõe uma reflexão preliminar sobre a&nbsp;questão da&nbsp;diversidade&nbsp;cultural nas escolas a partir de uma análise crítica do lugar ocupado pela diversidade cultural&nbsp;no currículo escolar&nbsp;do&nbsp;Quebec e tratamento didático a ela reservado nas atividades de ensino-aprendizagem planejadas por futuros professores. O objetivo do&nbsp;artigo é&nbsp;traçar um&nbsp;arcabouço&nbsp;conceitual que permita delinear um modelo de tratamento didático da diversidade no ensino dos estudos sociais no nível fundamental e, posteriormente, analisar as práticas docentes prescritas (no discurso oficial, nos livros didáticos), declaradas (discurso dos professores sobre suas próprias práticas planejadas) e efetivas (práticas implementadas concretamente pelos professores) dentro desta disciplina.</p> 2021-02-15T19:17:34-03:00 Copyright (c) 2021 Anderson Araújo-Oliveira https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10778 TEMAS E DESAFIOS (AUTO)FORMATIVOS PARA PROFESSORƎS DE EDUCAÇÃO FÍSICA À LUZ DA DIDÁTICA E DA JUSTIÇA SOCIAL 2021-06-13T20:52:02-03:00 Luciana Venâncio luciana_venancio@yahoo.com.br Brena Dias Bruno brenadias.bruno@gmail.com Iury Crislano de Castro Silva iury.castro94@gmail.com Breno José Mascarenhas Sá de Flor brenomascarenhas@outlook.com.br Yasmin Gonçalves yasmin-goncalves@hotmail.com Luiz Sanches Neto luizitosanches@yahoo.com <p>Há pertinência da didática aos saberes específicos de cada área, correspondendo à noção de didática dos conteúdos específicos (<em>Fachdidaktik</em>). O objetivo deste artigo é analisar os desafios formativos sobre a temática relacionada à didática e justiça social durante a formação inicial em educação física. Investigamos qualitativamente o contexto situado do curso de licenciatura em educação física da Universidade Federal do Ceará. A disciplina “didática e educação física” consta na matriz curricular como obrigatória no curso, nos períodos diurno e noturno. O planejamento da disciplina foi relacionado à justiça social, com participação efetiva dəs estudantes e monitorəs do programa de iniciação à docência. Os principais temas apontados foram: (in)equidade; racismo; criticidade, reflexão e empoderamento; proeminência do lugar de fala e da escuta sensível como saberes necessários.</p> 2021-03-11T21:24:14-03:00 Copyright (c) 2021 Luciana Venâncio, Brena Dias Bruno, Iury Crislano de Castro Silva, Breno José Mascarenhas Sá de Flor, Yasmin Gonçalves, Luiz Sanches Neto https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10794 O ENSINO DE HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE DOCENTES DE DUAS ESCOLAS DA REDE ESTADUAL DE SÃO PAULO 2021-06-13T21:04:16-03:00 Luciano Nascimento Corsino luciano.corsino@hotmail.com <p class="Default" style="text-align: justify;"><span style="font-size: 11.0pt; font-family: 'Candara',sans-serif;">O presente trabalho tem como objetivo discutir a percepção sobre implementação do ensino de história e cultura afro-brasileira e africana na concepção de docentes de duas escolas pertencentes à rede estadual de ensino de São Paulo. Como fundamentação teórica, foi considerada a sociologia da educação, com ênfase nos estudos antirracistas. A metodologia de pesquisa etnográfica foi responsável por direcionar o levantamento de dados por meio de entrevistas semiestruturadas durante o período letivo do ano de 2015. Os resultados indicam que apesar de a lei ter sido publicada no ano de 2003, a maioria dos(as) docentes desconhecem seu conteúdo ou quando o conhecem não compreendem a profundidade e importância de sua implementação. Conclui-se que alguns elementos como péssimas condições de trabalho, falta de formação continuada e desinteresse pelo tema podem assumir papel central na dificuldade de implementação de uma educação antirracista que seja capaz de oferecer um processo de aprendizagem baseado num novo paradigma que considera a matriz afro-brasileira como componente fundante na formação do país.</span></p> 2021-03-23T09:54:39-03:00 Copyright (c) 2021 Luciano Nascimento Corsino https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10863 SENTIDOS DE PROFESSORAS SOBRE PRÁTICA PEDAGÓGICA NO PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA ABORDAGEM FENOMENOLÓGICA 2021-06-13T21:22:01-03:00 Tamara Ribeiro Lima tamararibeiro1214@gmail.com Nilma Margarida de Castro Crusoé nilcrusoe@gmail.com <p>Este artigo se insere nas discussões sobre a prática pedagógica nos anos iniciais e se propõe a analisar os sentidos atribuídos à prática pedagógica pelas professoras do 1<sup>o</sup> ano do Ensino Fundamental. A base metodológica está fundamentada na Fenomenologia de Alfred Schutz, pois parte-se do pressuposto de que a prática pedagógica é atravessada por sentidos que nascem da relação entre os entrevistados e o mundo e que guiam a ação pedagógica dos professores na escola. A investigação foi realizada no município de Vitória da Conquista na Bahia e foi utilizada entrevista semiestruturada com professoras que atuam no 1º ano do Ensino Fundamental. Para analisar os dados foi utilizada a Análise de Conteúdo. Os sentidos sobre a prática pedagógica expressam uma preocupação quanto ao ensino e aprendizado. O ato de ensinar se propõe a superar as dificuldades de aprendizagem com base na troca de experiências concretizada por meio de parceria entre professoras, equipe pedagógica, família e estudantes. Conclui-se que a relação com o outro torna-se elemento importante para o saber/fazer das professoras, sendo estruturada por meio das experiências que se consolidam significativamente no mundo da vida da escola.</p> 2021-04-07T13:32:51-03:00 Copyright (c) 2021 Tamara Ribeiro Lima, Nilma Margarida de Castro Crusoé https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10167 RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE ESTÁGIO BÁSICO EM PSICOLOGIA SOCIAL NO MODELO DE ENSINO REMOTO EMERGENCIAL 2021-03-14T16:39:41-03:00 Pablo Mateus dos Santos Jacinto pablojacintopsi@gmail.com <p class="Default" style="text-align: justify;"><span style="font-size: 11.0pt; font-family: 'Candara',sans-serif;">Este artigo tem por objetivo apresentar reflexões através de um relato de experiência sobre a condução da disciplina de Estágio Básico em Psicologia Social em uma instituição de ensino superior, durante o período de ensino remoto emergencial devido à pandemia da COVID-19, tendo como discentes estudantes de psicologia majoritariamente no quarto período do curso. O estágio se refere à prática do psicólogo social no contexto de acolhimento institucional. No processo pedagógico, foram priorizados recursos presentes na prática profissional, como relatórios e documentos jurídicos e socioassistenciais e realização de estudos de casos reais. Diante das limitações, a estratégia foi avaliada de modo positivo, embora os estudantes demandem explicitamente práticas presenciais. Aponta-se para a necessidade de realizar o planejamento acadêmico considerando as especificidades da Educação a Distância, não reproduzindo exatamente a lógica do ensino presencial. Sugere-se maiores estudos sobre o tema, já que o campo relatado é recente e, possivelmente, sofrerá alterações permanentes mesmo após a pandemia.</span></p> 2021-03-14T16:34:14-03:00 Copyright (c) 2021 Pablo Mateus dos Santos Jacinto https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10746 ESTÁGIO EM TEMPOS DE PANDEMIA: MUDANÇAS DE PARADIGMA NA CONCEPÇÃO E OPERACIONALIZAÇÃO NO ENSINO SUPERIOR 2021-03-14T16:47:03-03:00 Tiago Venturi tvtiago@hotmail.com Eliana Santana Lisbôa eliana.lisboa@ufpr.br <p>O presente trabalho tem como objetivo apresentar uma proposta formativa para o desenvolvimento das disciplinas de Estágio Supervisionado em Ciências e Estágio Supervisionado em Biologia de forma remota, com recurso às Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação -TDIC, em plena consonância com o paradigma educacional, vislumbrado pela pandemia e a consequente implantação do ERE nos diversos níveis do sistema educacional básico e superior. A proposta apresenta atividades em consonância com o Projeto Pedagógico do Curso composta por três momentos formativos: Tempo Observação, Tempo Planejamento e Tempo Docência. Acreditamos que além do contributo para a formação do licenciando, a presente proposta constitui um avanço para o estado da arte, num campo ainda pouco explorado que é o Ensino Remoto Emergencial. Isso porque privilegiou a interação, em meio virtual, entre os atores do processo formativo e promoveu a articulação entre conhecimentos da área das Ciências Biológicas, pedagógicos e tecnológicos com a prática docente.</p> 2021-03-14T16:44:37-03:00 Copyright (c) 2021 Tiago Venturi, Eliana Santana Lisbôa https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10936 NETNOGRAFIA COMO POSSIBILIDADE DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO E TECNOLOGIAS: AVALIAÇÃO, INTERAÇÃO E RECURSOS TECNOLÓGICOS 2021-03-14T16:53:27-03:00 Édison Trombeta de Oliveira edisontrombeta@gmail.com <p>Netnografia é um procedimento de coleta de dados que analisa sujeitos inseridos em comunidades digitais. No caso deste trabalho, isso ocorreu na Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), primeira universidade pública brasileira voltada exclusivamente à educação a distância, que fomenta o uso crítico de tecnologias em processos educacionais. O objetivo deste artigo é, então, analisar os dados coletados por meio da netnografia na disciplina Cálculo III, da licenciatura em Física da instituição, com base nas seguintes categorias: avaliação, interação e recursos tecnológicos. Como resultados, a netnografia possibilitou perceber que os instrumentos avaliativos se mostraram descolados dos conteúdos ensinados – ou seja, o que causa dificuldade não é o fato de ser uma disciplina a distância, mas sim problemas no planejamento da disciplina. Já para interação, a percepção foi de que apenas cerca de 10% dos alunos participavam das discussões. Por fim, foi possível verificar também que os recursos tecnológicos podem facilitar o ensino e a aprendizagem desde que eles sejam empregados com intencionalidade pedagógica, e não de maneira acrítica ou apenas por modismo. Assim, a netnografia se mostrou um instrumento de coleta de dados válido para contextos como este.</p> 2021-03-14T16:52:30-03:00 Copyright (c) 2021 Édison Trombeta de Oliveira https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10702 MULTILETRAMENTOS E ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: O USO DO GÊNERO REMIX PARA O DESENVOLVIMENTO DA CRITICIDADE DE ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL 2021-03-16T10:16:26-03:00 André Effgen de Aguiar aeffgen@gmail.com Ilana Gasparini de Souza gaspariniilana@gmail.com <p class="Default" style="text-align: justify;"><span style="font-size: 11.0pt; font-family: 'Candara',sans-serif;">Este artigo tem como objetivo estudar como a pedagogia dos multiletramentos e o ensino do gênero remix nas aulas de língua portuguesa podem contribuir para o desenvolvimento da criticidade de alunos do Ensino Fundamental. Pensamos que o uso das tecnologias e das novas mídias em sala de aula pode promover o interesse dos alunos em aprender com esses gêneros mais contemporâneos. Para realizar este estudo e fazer as análises que propomos, nos apoiamos na teoria dos multiletramentos (COPE E KALANTZIS, 2000; ROJO e MOURA, 2019; COPE, KALANTZIS e PINHEIRO, 2020) e nas definições do gênero remix (BUZATO et al, 2013), entendendo sua importância no ensino de língua, fazendo as conexões entre essas teorias e as orientações da BNCC (2017, 2018). Utilizando a metodologia da pesquisa-ação (FONSECA, 2002), foram ministradas quinze aulas sobre o gênero remix em uma turma de ensino fundamental e compiladas informações para análise. Verificamos que há a necessidade de se repensar a formação de professores e uma dificuldade por parte da escola para a inclusão de novas tecnologias em sala de aula. Analisando os resultados, percebemos que a produção do gênero remix conectou os alunos com questões sociais contemporâneas e os auxiliou no desenvolvimento de sua criticidade.</span></p> 2021-03-16T10:16:25-03:00 Copyright (c) 2021 André Effgen de Aguiar, Ilana Gasparini de Souza https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10406 A DANÇA, A CRIANÇA E AS TECNOLOGIAS: FAVORECENDO A INTEGRAÇÃO DE LINGUAGENS NO CONTEXTO EDUCATIVO 2021-03-22T23:41:54-03:00 Fernanda de Souza Almeida fefalmeida@gmail.com Deyzylany Ferreira Neves deyzylanyf.n@gmail.com <p>Essa investigação buscou experimentar uma possibilidade de vivenciar a dança com crianças entre 4 e 5 anos de idade em um Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) da cidade de Goiânia - GO, tendo as tecnologias de informação e comunicação (TIC) como eixo central dos procedimentos metodológicos. Para tanto, acessou-se estudos que perspectivam a dança com a infância, bem como a formação docente para trabalhar essa linguagem artística com meninas e meninos de pouca idade; além de autores que discutem as TIC no cotidiano educativo. Tratou-se de uma pesquisa qualitativa com caráter de estudo de caso, na qual promoveu-se 10 encontros dançantes utilizando o celular, <em>datashow</em>, <em>tablet, </em>entre outros recursos eletrônicos. A geração e análise dos materiais constituíram-se no registro em fotos e vídeos capturados pelas pesquisadoras e pelas crianças participantes. Notou-se ser viável o uso das tecnologias de informação e comunicação nas vivências em dança com a criançada, por despertar-lhes o interesse para a integração das linguagens artísticas. Essa investigação pode colaborar com a formação de professoras/es, uma vez que as Diretrizes Curriculares sobre a profissionalidade docente frisam a necessidade das TIC para o aprimoramento das práticas pedagógicas e a expansão cultural das/os envolvidas/os, assim como impulsionar maneiras outras de abordar a dança em uma interface crítica e criativa com as TIC na Educação Infantil.</p> 2021-03-17T11:32:59-03:00 Copyright (c) 2021 Fernanda de Souza Almeida, Deyzylany Ferreira Neves https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10740 O PAPEL DO PROFESSOR E O USO DAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS EM TEMPOS DE PANDEMIA 2021-06-03T17:35:34-03:00 Edna Alves Pereira da Silva ednaapsilva10@gmail.com Doralice Leite Ribeiro Alves doradimel@gmail.com Marinalva Nunes Fernandes mnfernandes@uneb.br <p>Esse texto visou analisar as relações entre o ensino e as novas tecnologias da informação e comunicação, observando a importância do professor/mediador no uso das ferramentas tecnológicas como aliada na busca de um ensino de qualidade mesmo em tempos de pandemia. Ferramentas estas que necessitam de profissionais qualificados, capazes de auxiliar os alunos na produção do seu próprio conhecimento, uma vez que estes atualmente fazem uso diário dos vários equipamentos tecnológicos existentes no ambiente que os cercam. Todavia, é notório que os discentes, na busca de conhecimentos significativos, necessitam de orientações, principalmente neste momento em que o ensino está sendo realizado de forma remota, ou seja, não presencial. Este texto está ancorado em um estudo bibliográfico sobre o papel do professor e o uso das tecnologias da informação e comunicação no processo de ensino-aprendizagem, tendo como base os seguintes autores: Costa et al (2020); Elias et al (2020); França (2020); Habowski e Conte (2019); Neira (2016); Oliveira (2001); Souza (2013); e Teruya (2005).</p> 2021-03-25T19:41:15-03:00 Copyright (c) 2021 Edna Alves Pereira da Silva, Doralice Leite Ribeiro Alves, Marinalva Nunes Fernandes https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10745 A TECNOLOGIA, A SOCIEDADE E A EDUCAÇÃO NO BRASIL: ALGUMAS REFLEXÕES CONTEMPORÂNEAS 2021-03-26T21:59:15-03:00 Rodolfo Silva Marques rodolfo.smarques@gmail.com Luiz Cezar Silva dos Santos lzcezar@ufpa.br <p>A presente pesquisa busca uma relação dialógica a partir da análise histórica da evolução tecnológica, das questões educacionais e do funcionamento da própria sociedade. No século XX, o mundo viveu a chamada terceira Revolução Industrial, acelerando comunicações, contatos e marcada pelos avanços técnico-científicos. A tecnologia, como meio de o ser humano melhorar a sua vida, ganha cada vez mais presença nos diversos ambientes sociais – e a educação tem muito destaque neste sentido. Compreender mais sobre essa realidade está no escopo desse artigo. Os caminhos metodológicos usados são o da revisão da literatura sobre as temáticas e a análise crítica das variáveis inerentes à discussão. Apresentam-se, como conclusões, o crescimento das tecnologias na mediação social, o aperfeiçoamento da educação a distância e o ensino híbrido se ampliando no contexto nacional.</p> 2021-03-26T21:59:14-03:00 Copyright (c) 2021 Rodolfo Silva Marques, Luiz Cezar Silva dos Santos https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10618 DESAFIOS DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR EM TEMPOS DE PANDEMIA: NOTAS SOBRE ESTRATÉGIAS E DILEMAS DE PROFESSORES(AS) NO COMBATE À COVID-19 (SARS-COV-2) 2021-03-30T00:06:18-03:00 Antonio Jansen Fernandes da Silva jansentimao@hotmail.com Cybele Câmara da Silva cybelecsilva@yahoo.com.br Rafael de Gois Tinôco rafaeldegois@hotmail.com Luciana Venâncio luciana_venancio@yahoo.com.br Luiz Sanches Neto luizitosanches@yahoo.com Allyson Carvalho de Araújo allyssoncarvalho@hotmail.com <p>A pandemia da covid-19 acarretou abrupta paralisação das atividades na educação básica brasileira pela necessidade do distanciamento social. As medidas de precaução têm demandado uma reestruturação dos sistemas de ensino, das estruturas pedagógicas e das estratégias de interação, quase todas implicadas em um processo mediado pelas tecnologias digitais. O objetivo deste artigo é analisar as experiências pedagógicas de três professores(as) das redes públicas de ensino do Rio Grande do Norte e do Ceará com fins de problematizar as implicações para a educação física escolar frente ao combate da pandemia via isolamento social. Trata-se de um estudo exploratório e descritivo, que faz uso de narrativas. O desenho de análise é inspirado na estrutura metodológica de casos pedagógicos, que compreende a elaboração de narrativas, a análise compartilhada das narrativas por diferentes sujeitos e a síntese das análises na forma de um balanço das experiências. Há três dimensões integradas na relação com o saber – dimensão identitária, social e epistêmica – que são fundamentais para os(as) professores(as) de educação física que narraram as situações vividas. Consideramos que o processo educativo não pode ser reduzido à transmissão de informações por meio de recursos tecnológicos e plataformas digitais.</p> 2021-03-30T00:06:16-03:00 Copyright (c) 2021 Antonio Jansen Fernandes da Silva, Cybele Câmara da Silva, Rafael de Gois Tinôco, Luciana Venâncio, Luiz Sanches Neto, Allyson Carvalho de Araújo https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/7549 EAD E REDES SOCIAIS: COMO CONCILIÁ-LAS 2021-04-04T16:03:17-03:00 Diogo Oliveira da Silva diogo17.chelsea@gmail.com <p>Este trabalho objetiva apresentar dados entre 2012 e 2018 sobre o avanço da educação a distância, em relação à sua rede de usuários, divididos aqui por faixa etária, sendo uma pesquisa de cunho classificatório, e a relevância das redes sociais e a sua influência no avanço da EAD em interação entre os usuários, visando obter e analisar dados provindos da inclusão desses usuários na EAD e a participação positiva das redes sociais nesse processo de acolhimento, divulgação e uso como ferramenta de inclusão digital. Os dados levantados são provindos de pesquisa estatística de fontes via <em>web</em> e de conteúdos educacionais públicos (Censo EAD). Buscamos neste trabalho, adquirir dados concretos para entender e classificar essa conciliação das redes sociais com a educação a distância, tendo em vista como um avanço na área. Para isso, trouxemos como base teórica, autores consagrados na área, como Leffa e Freire (2013) e Shirky (2011). A metodologia foi baseada em: (i) coleta de dados referentes aos avanços da EAD e do uso de redes sociais no país; (ii) análise dos dados e (iii) classificação dos usuários de acordo com faixa etária, nível escolar e perfil como usuário de redes sociais. Como resultados finais, vemos que a faixa etária dos maiores usuários em EAD é a mesma dos maiores usuários conectados em redes sociais, associando assim, a divisão de tempo conectado entre ambas, defendendo que as redes sociais têm somado ao ensino a distância, sendo um facilitador e um intermediário para a educação.</p> 2021-04-04T16:00:26-03:00 Copyright (c) 2021 Diogo Oliveira Da Silva https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10973 CRIANÇAS E TECNOLOGIAS: DESAFIOS E EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS 2021-04-05T08:51:36-03:00 Carla Milbradt cal_milbradt@hotmail.com Vinícius Barbosa Cannavô viniciuscannavo13@gmail.com <p><strong>Resenha crítica do livro</strong>: HABOWISKI, A. C.; CONTE, E. (Org.). Crianças e Tecnologia: influências, contardições e possibilidades formativas. São Paulo: Pimenta Cultural, 2020.</p> 2021-04-05T08:44:20-03:00 Copyright (c) 2021 Carla Milbradt, Vinícius Barbosa Cannavô https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10232 O USO DAS TIC NA INCLUSÃO SÓCIO LABORATIVA DA PESSOA COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA E/OU OUTRAS DEFICIÊNCIAS 2021-05-27T22:12:09-03:00 Moacir de Souza Júnior moacirjr_@hotmail.com Fernando Luís de Sousa Correia fernandoc@staff.uma.pt Zuleide Fernandes de Queiroz zuleidefqueiroz@gmail.com <p>O estudo investigou o tema da inclusão sócio laborativa da pessoa com Transtorno do Espectro Autista e/ou outras deficiências junto a 10 indivíduos com idades entre 16 a 36 anos que, além de matriculados também frequentavam a instituição Casa da Esperança. Os objetivos foram: a) identificar o uso das TIC no ambiente educacional como contribuição para o processo de aprendizagem; b) como o uso das TIC pode contribuir para a inclusão sócio laborativa. Para tal, foi realizada uma pesquisa de base qualitativa de cunho etnográfico.&nbsp; Os dados foram colhidos em um recorte de tempo entre os meses de agosto e outubro de 2014. A organização educacional foi escolhida pelo seu trabalho com crianças, adolescentes e jovens com TEA e/ou outras deficiências. O critério para que os alunos participassem da pesquisa é que os mesmos frequentassem a sala de informática. Participaram também 03 indivíduos que além de frequentarem a organização, são sujeitos que trabalham na instituição, fazendo uso das TIC e as utilizam no desenvolvimento de suas ações laborativas. A ferramenta utilizada para coleta de informações foi o uso de questionário semiestruturado, contendo dezesseis questões, no qual se buscou conhecer o perfil do discente, seu nível educacional, idade e tipo de deficiência, acesso às TIC, utilização da sala de informática, uso de jogos educativos, se sofreu algum tipo de preconceito e/ou estigma, atuação ou não no mercado de trabalho. Como conclusão, a pesquisa oferece elementos que ainda é necessário trabalhar para que o processo de inclusão sócio laborativa seja uma realidade maior para as pessoas com deficiência.</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> Aprendizagem; Etnografia; TIC.</p> 2021-05-27T10:10:46-03:00 Copyright (c) 2021 Moacir de Souza Júnior, Luís Fernando de Sousa Correia, Zuleide Fernandes de Queiroz https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11610 ENSINO E APRENDIZAGEM EM AMBIENTES VIRTUAIS. UM OLHAR SOBRE O PAPEL DO ESTUDANTE 2021-05-31T18:47:34-03:00 Delma Cabrera Abreu delmacabrera@gmail.com Andresa Sartor-Harada dreharada@gmail.com <p>A educação pela virtualidade tem se desenvolvido de forma vertiginosa na sociedade atual, complementando e, em muitos casos, substituindo a face a face. Essa nova forma de organizar a atividade educacional envolve muito mais do que a incorporação de tecnologias digitais. Ao contrário, todo o contexto pedagógico: professores, alunos, materiais didáticos, são modificados. Este artigo apresenta uma pesquisa bibliográfica orientada, primeiramente, a caracterizar o perfil do aluno virtual e, posteriormente, à busca de antecedentes de investigações latino-americanas principalmente, que abordam o estudo dos fatores que afetam a evasão nesta modalidade educacional. Os resultados finais indicam que a virtualidade requer alunos com características e habilidades pessoais que, a priori, nem sempre estão presentes e que a própria experiência educacional deve se desenvolver. Por outro lado, a virtualidade, mesmo nos níveis educacionais mais elevados, mantém os mesmos desafios de cobertura e evolução curricular das modalidades presenciais, contribuindo mais para a equidade no acesso do que para a permanência e graduação.</p> 2021-05-31T18:24:47-03:00 Copyright (c) 2021 Delma Cabrera Abreu, Andresa Sartor-Harada https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10956 TECNOLOGIAS E APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA 2021-06-14T13:34:46-03:00 Maria Andréia Maciel Nerling mariandreiars@hotmail.com Luiz Marcelo Darroz Idarroz@upf.br <p>Considerando o contexto escolar no ano de 2020, com o evento da pandemia pelo coronavírus, quer-se neste artigo refletir sobre importância da educação nessa nova realidade e como as tecnologias podem ser usadas como ferramenta de ensino, levando em conta a dificuldade de acesso às tecnologias digitais e a falta de preparo dos sujeitos para enfrentar o momento.&nbsp; Para discutir essas questões, a partir de revisão bibliográfica e considerando a experiência pessoal como professora da rede pública estadual do RS, propõe-se uma reflexão sobre o lugar da educação, sobre a tecnologia como instrumento de ensino e sobre o uso da tecnologia alinhada a uma aprendizagem significativa. Por fim, há que se afirmar que o ensino virtual e as aulas remotas são uma alternativa importante para este momento, mas que principalmente não importa o lugar, se presencial ou virtual, a educação é fundamental para a humanidade.</p> 2021-06-14T13:32:31-03:00 Copyright (c) 2021 Maria Andréia Maciel Nerling, Luiz Marcelo Darroz https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10789 FORMAÇÃO, HUMANIZAÇÃO E O CUIDADO EM SAÚDE NA NUTRIÇÃO: PERCEPÇÃO DOS ESTUDANTES DE UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA 2021-06-03T17:36:58-03:00 Lidiane Santos dos Anjos lidiane.jm@hotmail.com Milena Torres Ferreira milena_torresferreira@hotmail.com Caroline Raíza Dourado Lima nutricarollima@gmail.com Silvana Lima Guimarães França slgfranca@uneb.br Magno Conceição das Merces mmerces@uneb.br Marcio Costa de Souza mcsouza@uneb.br <p>O trabalho tem como objetivo conhecer a percepção de graduandos em nutrição a respeito do tema nutrição e cuidado humanizado. A metodologia do estudo é pautada na abordagem qualitativa com 10 graduandas de nutrição da Universidade do Estado da Bahia escolhidos de forma intencional. Para a produção dos dados foi aplicada entrevista semiestruturada e realizado diário de campo. A interpretação dos dados foi realizada baseada na análise de conteúdo de Bardin adaptada por Minayo. Na pesquisa podemos perceber que a universidade tem um grande papel no processo de humanização do sujeito, além de desenvolver a percepção crítica desses para lidar com a subjetividade do outro. Um dos limites apontados na formação dos profissionais é a desarticulação dos conhecimentos entre si na teoria-prática apresentado pelo currículo disciplinar. Desta forma, podemos concluir que, os discentes apresentaram uma base conceitual ampliada acerca do cuidado humanizado no serviço de nutrição, enfatizam em suas falas o conceito das tecnologias leves. A predominância dos questionamentos entre os entrevistados está relacionada a não continuidade de componentes curriculares disciplinas que abordem o tema tanto em teoria quanto na prática, assim como a falta de conexão da clínica com a humanização.</p> 2021-05-25T11:40:06-03:00 Copyright (c) 2021 Lidiane Santos dos Anjos, Milena Torres Ferreira, Caroline Raíza Dourado Lima, Magno Conceição das Merces, Marcio Costa de Souza https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11739 ACESSIBILIDADE METODOLÓGICA NO ENSINO SUPERIOR: RECURSOS DIDÁTICOS PARA A PERMANÊNCIA DO DEFICIENTE VISUAL NA ATUALIDADE 2021-06-03T17:37:42-03:00 Vanessa do Carmo Correia vanessacorreia@id.uff.br Thiago Correa Lacerda thiago.lacerda@ifrj.edu.br Ivani da Silva Soares ivanisoares@id.uff.br <p class="Normal1" style="text-align: justify; line-height: normal;"><span style="font-family: 'Candara',sans-serif; color: windowtext;">O corpo docente no ensino superior é um agente promotor na transformação do conhecimento e, consequentemente, na vida dos alunos, seja este com deficiência ou não. Visando a diminuição das barreiras metodológicas e maior facilidade na interação na relação ensino-aprendizagem dos alunos com deficiência visual, recomenda-se o conhecimento e adoção dos recursos de Tecnologia Assistiva, mais especificamente os relacionados às tecnologias digitais tendo devido as circunstâncias da atualidade pandêmica, oportunizando condições adequadas para o exercício da docência. Neste contexto, este artigo tem por objetivo a realização de um levantamento literário sobre os recursos de Tecnologia Assistiva utilizados em sala de aula, incentivando a permanência discente no ensino superior. Após análise dos resultados, constatou-se que os recursos utilizados ainda são incipientes e a formação docente não contempla a velocidade da transformação tecnológica. </span></p> 2021-05-26T13:28:24-03:00 Copyright (c) 2021 Vanessa do Carmo Correia, Thiago Correa Lacerda, Ivani da Silva Soares https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11152 EDUCAÇÃO FÍSICA E DEFICIÊNCIA VISUAL: DESAFIOS E ALTERNATIVAS 2021-05-29T00:50:49-03:00 Tiago Valério de Miranda t.valerio10@gmail.com <p>Tendo em vista o significativo aumento da quantidade de alunos com deficiência, em especial aqueles com deficiência visual, faz-se necessário discutir os desafios enfrentados por professores de educação física que trabalham em turmas inclusivas atendendo alunos cegos ou com baixa visão. Este trabalho tem como objetivo analisar os desafios enfrentados pelos professores de educação física para ministrar suas aulas, desafios enfrentados pelos alunos, problemas pedagógicos, infraestrutura e também encontrar as alternativas que os professores utilizam durante suas aulas, adaptando-as para uma turma do ensino regular com alunos deficientes visuais. O trabalho desenvolvido consiste numa uma revisão bibliográfica e teve como fontes de pesquisas artigos científicos, sites e livros publicados entre 1999 e 2017, disponibilizados nas bases de dados do Google, Google Acadêmico e Sciello. A coleta de dados seguiu a seguinte ordem: Análise de todo material escolhido; Análise mais aprofundada das partes referentes ao tema abordado; Registros das informações extraídas das fontes por meio de fichamentos. A pesquisa mostrou que a falta de formação acadêmica adequada nos cursos de licenciatura, o medo dos professores, a falta de acessibilidade nas escolas e a escassez de materiais adaptados dificultam a participação de alunos cegos ou com baixa visão nas aulas de educação física. A mudança desse cenário passa pela implementação, nos cursos de formação de professores de educação física, de disciplinas voltadas à atuação em turmas inclusivas e pelo aumento dos investimentos na educação de alunos com deficiência, melhorando a condição das escolas e a oferta de materiais.&nbsp;</p> 2021-05-29T00:29:38-03:00 Copyright (c) 2021 Tiago Valério de Miranda https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11764 CARACTERÍSTICAS DA ATIVIDADE DOCENTE DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO ESPECIAL DO MUNICIPIO DE JACOBINA-BAHIA 2021-06-15T11:48:46-03:00 Osni Oliveira Noberto da Silva osni_edfisica@yahoo.com.br <p>O objetivo deste artigo foi descrever as características da atividade do trabalho dos docentes que atuam com Atendimento Educacional Especializado no município de Jacobina/Bahia. Foi aplicado um questionário de perguntas fechadas a quatorze professores que atuam há pelo menos um ano com AEE nas escolas do referido município. De acordo com os resultados a maioria dos professores atuavam no AEE com uma grande quantidade de alunos de necessidades e/ou deficiências diferentes. A maioria também afirmou que utiliza as adaptações curriculares para os seus alunos. Percebeu-se também que a carga horária não é suficiente para executar um trabalho satisfatório e por isso, a maior parte dos professores pesquisados afirmaram que levam parte do trabalho para ser feito em casa.</p> 2021-05-30T14:03:03-03:00 Copyright (c) 2021 Osni Oliveira Noberto da Silva https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11752 ALTAS HABILIDADES OU SUPERDOTAÇÃO COM PARALISIA CEREBRAL: INDICAÇÃO DE AUSÊNCIA LITERÁRIA 2021-06-03T17:41:37-03:00 Ivani da Silva Soares ivanisoares1993@gmail.com Thiago Correa Lacerda thiago.lacerda@ifrj.edu.br Ana Carolyna Cerqueira Alves anacarolynaalves@id.uff.br <p>Ao observamos a história das pessoas com deficiência podemos constatar como esses indivíduos sofreram com a exclusão ao longo do tempo. No século XXI, percebemos que essa realidade não é diferente, eles continuam lutando a fim de que a sociedade os enxergue além da deficiência e para que possam reconhecer os seus talentos. Sendo assim, este trabalho tem o intuito de fazer uma reflexão a respeito da Dupla Excepcionalidade com a Paralisia Cerebral. Para isso, em primeiro lugar, são apresentados os conceitos envolvidos com o objetivo de trazer o conhecimento e mudar o olhar sobre os alunos que tenham tal deficiência. A partir deste contexto, o trabalho também tem como prerrogativa fazer um levantamento literário nas bases Scielo (Scientifique Eletronic Library Online), Periódicos CAPES e BVS (Base Virtual em Saúde) no período de 15 anos (2005 – 2020). Com os resultados obtidos, nos deparamos com uma ausência de literatura em relação às altas habilidades ou superdotação no que concerne ao indivíduo com paralisia cerebral. Observa-se ao longo do presente artigo que o motriz para essa ausência é a falta de conhecimento sobre o tema, o preconceito que foi culturalmente inserido na sociedade e os mitos que dificultam o diagnóstico certeiro e a identificação de uma pessoa com dupla excepcionalidade pela descrença na possibilidade de que um indivíduo com paralisia cerebral também tenha altas habilidades ou superdotação.</p> 2021-05-31T09:57:38-03:00 Copyright (c) 2021 Ivani da Silva Soares, Thiago Correa Lacerda, Ana Carolyna Cerqueira Alves https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10804 TRÊS DIMENSÕES DA ACESSIBILIDADE PARA UMA EFETIVA INCLUSÃO EDUCACIONAL DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA 2021-06-15T10:10:20-03:00 Milton Silva de Vasconcellos miltonsvasconcellos@gmail.com Valdirene Santos de Sena valsena21@hotmail.com <p>O discurso sobre a acessibilidade escolar de crianças com deficiência passa pela constatação de que este instituto é pluridimensional e que a efetividade da inclusão associa-se a observância de pelo menos três destas dimensões: o aspecto arquitetônico, comunicacional e atitudinal. Assim, o objetivo geral deste trabalho será o de entender a abordagem sobre acessibilidade e inclusão educacional de crianças com deficiência, considerando para tanto as três dimensões já citadas. A partir&nbsp; de uma discussão sobre o desenvolvimento histórico legislativo da educação especial e o desenvolvimento da questão da deficiência &nbsp;por meio da evolução feita pela terminologia destinada às pessoas com deficiência, bem como as dimensões da acessibilidade, observou-se que sem a aferição do aspecto/dimensão arquitetônico, somado ao aspecto/dimensão comunicacional e o aspecto /dimensão atitudinal, não se está tratando de efetiva inclusão, mas sim de mera retórica que aproxima estas políticas públicas a um caráter de integração e não de inclusão.</p> 2021-06-05T19:58:26-03:00 Copyright (c) 2021 Milton Silva de Vasconcellos, Valdirene Santos de Sena https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11766 DEFICIÊNCIA E SERVIÇO SOCIAL: O QUE DIZEM OS PERIÓDICOS? 2021-06-07T22:38:19-03:00 Agnes de Araújo Wolf agnes.wolf33@gmail.com Thaís Kristosch Imperatori thaisimperatori@unb.br <p>O Serviço Social, enquanto profissão interventiva na realidade social orientada para a garantia de direitos sociais, também atua na pesquisa e produção de conhecimento em diferentes áreas da política social. O presente trabalho visa analisar o entendimento do Serviço Social quanto à temática da deficiência em suas publicações periódicas. Para isso, foi realizada uma pesquisa bibliográfica dividida nas seguintes etapas: levantamento de revistas com avaliação CAPES Qualis A1 e A2; identificação dos artigos que contenham no título, resumo ou palavra-chave o termo deficiência; sistematização dos dados; e, por fim, análise das produções para identificação das temáticas centrais sobre deficiência. Os resultados mostram que apenas 0,95% do total de artigos disponíveis nas revistas <em>online </em>tratam de deficiência e que a maioria dos autores são professores. Também foi identificado que o eixo temático mais pesquisado é o Benefício de Prestação Continuada (BPC) somando 42,42% das produções. Como principais conclusões estão a baixa produção sobre a deficiência no campo do Serviço Social e a centralidade dada ao BPC nos estudos sobre deficiência.</p> 2021-06-07T22:38:18-03:00 Copyright (c) 2021 Agnes de Araújo Wolf, Thaís Kristosch Imperatori https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11763 POLÍTICA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO INCLUSIVA: REFLEXÕES A PARTIR DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2021-06-15T10:05:01-03:00 Susana Couto Pimentel scpimentel@ufrb.edu.br Solange Lucas Ribeiro solucasr@hotmail.com <p class="Default" style="text-align: justify;"><span style="font-size: 11.0pt; font-family: 'Candara',sans-serif; letter-spacing: .2pt;">Este artigo objetiva analisar os apontamentos do Plano Nacional de Educação (PNE), Lei nº 13.005/2014, sobre a formação de professores para atuar com demandas advindas da educação inclusiva. O PNE reúne diretrizes, metas e estratégias que definem os rumos da política educacional brasileira por uma década, constituindo-se numa bússola para as políticas públicas nessa área. Nesta reflexão foi utilizada a análise de documentos como metodologia, tomando como referência principal o texto da referida lei. Para discussão do texto legal foi utilizada a análise do conteúdo. Os resultados apontam que embora metade das metas do PNE tragam estratégias que referenciam a formação de professores, apenas em duas delas há abordagem específica sobre atuação na escola inclusiva. A análise do plano permite ainda concluir que há uma ênfase na formação inicial e que, portanto, o Brasil carece investir nas políticas de formação continuada docente para construção de sistemas educacionais inclusivos, tendo a escola como <em>locus</em> da referida formação.</span></p> 2021-06-11T16:01:02-03:00 Copyright (c) 2021 Susana Couto Pimentel, Solange Lucas Ribeiro https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11740 A INCLUSÃO ESCOLAR DO ALUNO SURDO: PROPOSTA BILÍNGUE NO CONTEXTO DA DIVERSIDADE E INCLUSÃO 2021-06-14T20:35:36-03:00 Tathianna Prado Dawes tathiannadawes@id.uff.br Alice Caldas de Morais Sodré Coutinho alicecmscoutinho@gmail.com <p>As oportunidades de aprendizagem que, em geral, são apresentadas para os sujeitos surdos tanto pelo convívio social quanto pela educação formal escolar muitas das vezes não lhes são satisfatórias. Tal fato pode ser compreendido pelo isolamento cultural e linguístico que esses sujeitos enfrentam em seus cotidianos. Para que seja possível desconstruir ou, ao menos, atenuar os entraves ouvintistas que se hasteiam entre o surdo e a realização de seus direitos educacionais, linguísticos e culturais, é preciso desmitificar os estigmas que compõem nosso imaginário quanto à surdez e aos surdos. No presente artigo, caminharemos desde breves resgates históricos e diversas concepções sobre a realidade surda até a importância do bilinguismo como ferramenta educacional e social de produção de autonomia para os sujeitos surdos. Sob a ótica de vários autores como Karnopp (2004), Quadros (2006; 2019) e Freire (2002) é possível vislumbrar infinitas possibilidades de ações e estratégias a fim de tecer uma realidade bilíngue e efetivamente inclusiva na qual seja possível aos sujeitos surdos atuar nos mais variados ambientes e situações sociais de maneira mais extensa e satisfatória. Através de reflexões sobre a realidade surda tanto no ambiente escolar quanto em outras oportunidades socializantes, buscaremos, a partir de uma concepção bilíngue, pensar estratégias e materiais didáticos para que não só o letramento, mas a maior parte possível do aprendizado do surdo possa ocorrer por interações espontâneas, afetivas e inclusivas.</p> 2021-06-14T20:35:35-03:00 Copyright (c) 2021 Tathianna Prado Dawes, Alice Caldas de Morais Sodré Coutinho https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11755 ESTRATÉGIAS DE ENSINO-APRENDIZAGEM E ADAPTAÇÕES METODOLÓGICAS UTILIZADAS PELOS PROFESSORES NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA PARA ALUNOS COM TEA 2021-06-15T09:08:52-03:00 Amanda Santana de Souza amanda.santanaa@hotmail.com Suzana Alves Nogueira sansouza@uefs.br <p class="Default" style="text-align: justify;"><span style="font-size: 11.0pt; font-family: 'Candara',sans-serif; color: windowtext;">Este estudo trata-se de uma investigação científica a fim de perceber quais são as estratégias de ensino-aprendizagem utilizadas nas aulas de Educação Física com alunos com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). O estudo teve como objetivo descrever e analisar as estratégias de ensino-aprendizagem utilizadas pelos professores nas aulas de Educação Física para alunos com TEA que frequentam o Núcleo Especializado de Pessoa com Espectro do Autismo (NEPEA) da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Feira de Santana-BA; e identificar as adaptações realizadas nas aulas de Educação Física para favorecer o processo de ensino-aprendizagem dos alunos com TEA. Foi realizada uma pesquisa de campo, de caráter descritivo e de abordagem qualitativa, na qual os dados foram coletados através de uma entrevista semiestruturada e analisados a partir do protocolo de análise de conteúdo. A pesquisa foi realizada na APAE de Feira de Santana, mais especificamente no NEPEA. Os participantes da pesquisa foram 6 professores de Educação Física. Os resultados da pesquisa evidenciaram que os professores, apesar de não terem suporte suficiente em sua formação inicial para trabalho com alunos com TEA, buscaram alternativas e capacitações que auxiliaram no início deste processo. Atualmente, os docentes utilizam estratégias favoráveis nas aulas de Educação Física para turmas de alunos com TEA e sempre que necessário realizam adaptações. Apesar das dificuldades, eles enfatizam a significância e relevância da Educação Física para o desenvolvimento dos alunos com TEA.</span></p> 2021-06-15T09:08:51-03:00 Copyright (c) 2021 Amanda Santana de Souza, Suzana Alves Nogueira https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11868 RELAÇÃO ENTRE FAMÍLIA, ESCOLA E ESPECIALISTAS NO PROCESSO DE INCLUSÃO ESCOLAR DE CRIANÇAS AUTISTAS NO MUNICÍPIO DE CAMPO FORMOSO/BA 2021-06-15T16:40:02-03:00 Samara da Silva Carvalho ssc_samaracarvalho@hotmail.com Gisele Soares Lemos Shaw giseleshaw@hotmail.com <p>O presente trabalho teve como principal objetivo investigar possíveis colaborações da família da escola e de especialistas no processo de inclusão escolar de três crianças autistas, estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental, do município de Campo Formoso, Bahia. Para tanto, participaram do estudo as mães das crianças, uma professora de atendimento educacional especializado, uma mediadora escolar, uma psicóloga e uma fonoaudióloga. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas, questionários e observação e foram analisados qualitativamente. Concluiu-se precariedade na interação entre familiares, educadores e especialistas das crianças, além da inexistência planejamento conjunto para elaboração de roteiros e de atividades a ser trabalhadas com os estudantes autistas. Destacou-se o interesse e participação das mães das crianças na busca por direitos de seus filhos e de alternativas para que a inclusão de fato aconteça.</p> 2021-06-15T16:40:01-03:00 Copyright (c) 2021 Samara da Silva Carvalho, Gisele Soares Lemos Shaw https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11751 FORMAÇÃO DOCENTE PARA ATUAÇÃO COM ESTUDANTES COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA: TRAJETÓRIAS E DESAFIOS 2021-06-15T21:20:37-03:00 Claudiane Cantanhede Ferreira claudiane9216@gmail.com Christianne Thatiana de Souza ctrsouza@gmail.com <p>A inclusão de estudantes com Transtorno do Espectro Autista (TEA) em escolas de ensino regular é relativamente recente e alvo de grandes discussões. Devido às especificidades apresentadas por este público e às suas demandas no âmbito escolar, os educadores questionam, especialmente, sobre como promover a aprendizagem e o desenvolvimento destes sujeitos. Os objetivos deste trabalho foram investigar a presença/ausência de processos formativos para atuar com estudantes com Transtorno do Espectro Autista ao longo da trajetória docente e discutir sobre como esta formação reverbera nas práticas dos educadores que atuam com este público. Participou deste estudo uma professora de ensino regular que tinha em sala de aula um aluno com TEA. As informações analisadas foram coletadas por meio de entrevista. Os resultados mostraram lacunas na formação da professora que podem ter contribuído para as dificuldades vivenciadas em sua atuação junto a estudantes com TEA em sala de aula. A análise dos dados apontou, também, a necessidade de constante aquisição de conhecimentos que auxiliem o professor em sua ação educacional voltada para este público na escola inclusiva. Devem ser garantidas condições para que o professor tenha acesso a uma formação inicial e continuada que contribua para sua atuação junto aos estudantes com TEA. Deste modo, é necessário investir na melhoria na formação docente tanto inicial quanto continuada, para que seja possível incluir de fato os estudantes com TEA nas escolas regulares, garantindo não apenas o acesso deste grupo à escola, mas sua permanência com qualidade.</p> 2021-06-15T21:04:05-03:00 Copyright (c) 2021 Christianne Thatiana de Souza, Claudiane Cantanhede Ferreira https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11425 MÉTODO E LIMITES DA RAZÃO EM KANT: ENFOQUES PRELIMINARES 2021-05-29T01:14:18-03:00 Edmilson Menezes ed.menezes@uol.com.br <p>O presente trabalho busca analisar a concepção de método em Kant, de forma a entendê-la não só como uma exigência interna ao sistema crítico – uma requisição imprescindível ao novo direcionamento da metafísica – mas, do mesmo modo, como um resultado da expressão moderna que entende método como uma arte de ordenamento e controle, capaz de instrumentalizar a razão humana quando da necessidade de estabelecer&nbsp; seu alcance e de seus limites.</p> 2021-05-29T01:14:18-03:00 Copyright (c) 2021 Edmilson Menezes https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11325 CONSTRUINDO CAMINHOS METODOLÓGICOS: A ABORDAGEM QUALITATIVA 2021-06-12T01:44:13-03:00 Izis Pollyanna Teixeira Dias de Freitas sertaovalente@yahoo.com.br Edinalva Padre Aguiar edinalva.aguiar@uesb.edu.br <p>O objetivo do artigo é apresentar os caminhos metodológicos seguidos ao realizar esta pesquisa com os jovens alunos do ensino médio da cidade de Lagoa Real/Bahia no ano de 2019. Entendemos que a abordagem metodológica e as escolhas investigativas se caracterizam como a espinha dorsal de uma pesquisa, sendo que, no nosso caso, algumas decisões foram tomadas a priori em consonância com o objeto da pesquisa. Ao longo de toda a investigação tivemos a intenção de atribuir um sentido social ao conhecimento histórico, por centrar-se na atualidade e nos modos de pensar de sujeitos do hoje, entendemos que a pesquisa desenvolvida foi de caráter sociológico, do tipo estudo de caso. Na construção deste texto utilizamos métodos que contribuíram para o diálogo e o alinhamento desta proposta que se apoiou na abordagem qualitativa como matriz teórico-metodológica e a análise de conteúdo como técnica para o tratamento e leitura dos dados coletados no campo empírico por meio de questionário semiestruturado aplicado aos sujeitos.</p> <p><strong>Palavras-chaves: </strong>metodologia da pesquisa; abordagem qualitativa; análise de conteúdo.</p> 2021-06-08T22:02:22-03:00 Copyright (c) 2021 Izis Pollyanna Teixeira Dias de Freitas, Edinalva Padre Aguiar https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11420 A ETNOMETODOLOGIA COMO PERSPECTIVA DE PESQUISA: DIÁLOGOS DA PRÁTICA 2021-06-12T09:18:12-03:00 Neide Cavalcante Guedes neidecguedes@hotmail.com <p>Neste artigo apresentamos ao leitor uma maneira simples de compreender a Etnometodologia, sua história, princípios e expoentes que ajudaram a construir essa abordagem metodológica como instrumento valioso de reflexão e pesquisa no âmbito da educação, cujo foco central seja o contexto social considerando que a realidade socialmente construída está presente na vivência cotidiana dos sujeitos.&nbsp; Isso faz com que reafirmemos que a pesquisa etnometodológica está muito mais comprometida em demonstrar e descrever de forma densa os detalhes, os ditos e os não ditos e de forma mais especial os etnométodos produzidos a partir da necessidade dos atores sociais.</p> <p>&nbsp;</p> 2021-05-31T00:02:12-03:00 Copyright (c) 2021 Neide Cavalcante Guedes https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11448 O MATERIALISMO HISTÓRICO DIALÉTICO APLICADO NA COMPREENSÃO DO FENÔMENO EDUCACIONAL 2021-06-12T09:21:37-03:00 Anselmo Alencar Colares anselmocolares@gmail.com Elenise Pinto de Arruda elenisearruda@hotmail.com Maria Lília Imbiriba Sousa Colares liliacolaress@gmail.com <p>O texto oferece contribuições aos que desejam utilizar o referencial teórico metodológico do materialismo histórico dialético para a pesquisa na área de educação. Apresenta a indissociabilidade de teoria e método que caracteriza os estudos, as análises, e a ação política de Marx e Engels, e que constituem a práxis. Traz também trechos de uma dissertação de mestrado que teve como problema de pesquisa as contradições e possibilidades para a construção da gestão democrática na escola, a partir do trabalho desenvolvido pela coordenação pedagógica em escolas localizadas na Amazônia brasileira. As duas partes dialogam com a perspectiva de demonstrar a viabilidade e a atualidade da aplicação do materialismo histórico dialético na compreensão do fenômeno educacional.</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> 2021-06-08T10:38:06-03:00 Copyright (c) 2021 Anselmo Alencar Colares, Elenise Pinto de Arruda, Maria Lília Imbiriba Sousa Calares https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11279 HISTÓRIA ORAL ENQUANTO MÉTODO POSSÍVEL NAS PESQUISAS EM DIREITOS HUMANOS 2021-06-12T09:37:06-03:00 Ana Carolina Reis Pereira carolina-reis@hotmail.com Rubia Fernanda Quinelatto rubiafq@gmail.com Willian Lazaretti da Conceição lazaretti@ufpa.br <p>O presente artigo tem como objetivo apresentar as nuances da história oral enquanto método possível e plausível nas pesquisas correlatas aos Direitos Humanos. Trata-se de um relato de experiência, do tipo qualitativo, que busca refletir sobre as possibilidades e disponibilidades para realização das pesquisas sobre Socioeducação e Justiça Restaurativa, utilizando-se do método da História Oral de Vida. Como resultados foi possível identificar que o método exige sensibilidade do/a pesquisador/a para lidar com narrativas que transitam entre diferentes tons de sentimentos, corrobora para uma escuta sensível dos/as colaboradores/as, direciona as lentes para os direitos por vezes negligenciados e se constitui como potência para a (re)formulação de políticas públicas que possam fomentar uma sociedade mais justa e equânime.</p> 2021-06-07T14:33:44-03:00 Copyright (c) 2021 ANA CAROLINA REIS PEREIRA, Rubia Fernanda Quinelatto, Willian Lazaretti da Conceição https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11340 A ANÁLISE DE DISCURSO E A PESQUISA EM POLÍTICA EDUCACIONAL: A INTERDISCURSIVIDADE DA AVALIAÇÃO E ACCOUNTABILITY NA EDUCAÇÃO BÁSICA EM ESTADOS DA REGIÃO NORDESTE 2021-06-12T09:48:40-03:00 Ana Lúcia Felix dos Santos analufelix@gmail.com Maria Angela Alves de Oliveira angelao012@gmail.com <p>O presente texto busca realizar uma reflexão sobre a análise do discurso como teoria e método de pesquisa para os estudos sobre educação,&nbsp;mormente acerca da&nbsp;política educacional. Apresenta-se uma reflexão teórica sobre a Análise Crítica do Discurso (ACD) e um exemplo analítico, tomando como objeto de&nbsp;estudo&nbsp;a política de avaliação da educação básica em estados da Região Nordeste e sua articulação com mecanismos de&nbsp;<em>accountability</em>. Os resultados revelaram que as dimensões/pilares do conceito de&nbsp;<em>accountability</em>&nbsp;(avaliação, prestação de contas e responsabilização) sofrem&nbsp;uma interposição de significados, mas claramente se aproximam&nbsp;de&nbsp;elementos da gestão gerencial,&nbsp;em consolidação&nbsp;na política educacional.</p> 2021-06-08T14:29:00-03:00 Copyright (c) 2021 Ana Lúcia Feliz dos Santos, Maria Angela Alves de Oliveira https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11421 GÊNERO, EDUCAÇÃO E METODOLOGIAS FEMINISTAS 2021-06-18T17:58:22-03:00 Carla Conceição da Silva Paiva ccspaiva@gmail.com Raiane Barboza de Sousa sousa_raiane@hotmail.com Erika Jane Ribeiro erikabrit@hotmail.com <p>Este artigo parte da problematização em torno da abordagem das temáticas de gênero em pesquisas científicas na área da educação, ancorando-se, para tanto, na análise das metodologias de cunho feminista, por meio da apresentação de duas pesquisas desenvolvidas no Vale do São Francisco, por mestrandas do Programa de Pós-Graduação - Mestrado em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos. As análises aqui suscitadas fundamentam e reforçam a necessidade de ampliação da adoção desse tipo de procedimento metodológico, visando a construção de conhecimento de modo diversificado e inclusivo, para romper com as invisibilidades e silenciamentos de gênero, racismo e classe social.</p> 2021-06-09T14:51:40-03:00 Copyright (c) 2021 Carla Conceição da Silva Paiva, Raiane Barboza de Sousa, Erika Jane Ribeiro https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11336 PESQUISA COM NARRATIVA VISUAL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA EM OCUPAÇÕES ESTUDANTIS SECUNDARISTAS 2021-06-17T16:32:50-03:00 Raquel Silva Barros raquelsb23@gmail.com <p>O presente artigo traz o relato de uma pesquisa doutoral que utiliza a narrativa visual como abordagem metodológica.&nbsp; O estudo finalizado em 2020 aponta o ato de narrar através de visualidades pautado no conceito de Cultura Visual (MIRZOEFF, 1998, 2015; CAMPOS, 2012, 2013; MITCHEL, 1987; AGUIERRE, 2013). Atrelando a imagem a todo o constructo contextual ao qual&nbsp; ela se relaciona, buscou-se&nbsp; a compreensão da tessitura narrada por jovens em ocupações estudantis secundaristas. As imagens produzidas e compartilhadas pelos estudantes&nbsp; através de dispositivos móveis conectados&nbsp; em rede (CASTELLS, 2013) promoveram ações ativistas através das mídias (GOMES, 2016; SODRÉ, 2018; PERUZZO, 2018). A observação das visualidades publicadas em páginas do <em>Facebook</em>&nbsp; e a escuta realizada em eventos abertos da ocupação permitiam a compreensão das principais temáticas trazidas e debatidas no contexto do movimento. O texto aponta a itinerância da pesquisa e as possibilidades encontradas ao se pensar as narrativas com/através de visualidades. Um recorte das visualidades percebidas na pesquisa maior é trazido no texto como forma de dialogar com as dinâmicas pensadas no percurso.</p> 2021-06-09T19:28:57-03:00 Copyright (c) 2021 Raquel Silva Barros https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11753 APONTAMENTOS PARA ORIENTAÇÃO DE MONOGRAFIA 2021-06-16T18:56:11-03:00 Edvaldo Costa Rodrigues edvaldo.uemanet@gmail.com <p><span style="font-size: 11.0pt; font-family: 'Candara',sans-serif;">O objetivo deste artigo é trazer alguns apontamentos para a orientação de monografia. Além de conceitos, destacam-se especificidades da atividade de orientação e sugestões de elaboração e defesa do texto monográfico. O conteúdo do artigo foi elaborado a partir de revisão de literatura e de reflexões do autor sobre suas experiências com orientação, bancas examinadoras e coordenação de trabalho de conclusão de curso. Conclui-se que conhecimentos sobre metodologia do trabalho científico e escrita acadêmica não são suficientes para uma orientação eficiente – se não houver disponibilidade e perfil para orientar – buscando-se estratégias didáticas que respondam às necessidades de aprendizagem de cada orientando.</span></p> 2021-06-16T18:56:10-03:00 Copyright (c) 2021 Edvaldo Costa Rodrigues https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11729 ETNOMETODOLOGIA COMO TEORIA DO SOCIAL EM PESQUISAS EM EDUCAÇÃO 2021-06-16T20:06:00-03:00 Kely-Anee de Oliveira Nascimento kelyanee@urc.uespi.br <p>O objetivo desse artigo é compreender a Etnometodologia como teoria do social e o seu uso em pesquisas em Educação. Entendemos que novas possibilidades para estudar os fenômenos sociais, sobretudo para as pesquisas em educação é importante para uma prática humana, social. Por ser uma abordagem de pesquisa válida para os estudos qualitativos das organizações sociais, parece viável utilizá-la no contexto das práticas educacionais tendo como base os conceitos-chave prática, indicialidade, <em>accoutability</em>, reflexividade e noção de membro. Nesse sentido utilizamos a abordagem qualitativa e a perspectiva teórica da Etnometodologia em nosso estudo para compreender as contribuições da formação e da prática para a construção dos saberes/fazeres das coordenadoras pedagógicas que atuam na rede pública municipal da cidade de Teresina-PI. Trouxemos para discussão a importância da Etnometodologia nesse processo, que contribuiu para que pudéssemos mergulhar nas ações de todos os dias da prática gestora das coordenadoras, como membro, entender os termos indiciais e os etnométodos produzidos em suas tarefas de todos os dias.</p> 2021-06-16T20:00:27-03:00 Copyright (c) 2021 Kely-Anee de Oliveira Nascimento https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11658 DIAGNÓSTICO DA AVALIAÇÃO FORMATIVA DA APRENDIZAGEM NA UNIVERSIDADE DE ECONOMIA INTERNACIONAL DE HUNAN 2021-05-27T14:47:32-03:00 Wei Zhou liazw890716@gmail.com Dayana Travieso Valdés dayana@cepes.uh.cu Abelardo López Domínguez abelardo@cepes.uh.cu <p>O espanhol é uma língua oficial falada em muitos países internacionalmente. O trabalho apresentado centra-se na função formativa da avaliação da aprendizagem durante o ensino da Língua Espanhola numa universidade chinesa. Por este motivo, este artigo apresenta o seguinte objetivo: Socializar os resultados do diagnóstico da avaliação da aprendizagem do Espanhol Básico como Língua Estrangeira na Universidade Internacional de Economia de Hunan de China. Na pesquisa, foram aplicados métodos teóricos para refletir as relações essenciais do objeto em investigação, métodos empíricos, que destacam as características fenomenológicas em estudo e técnicas estatísticas, como formas de avaliação das informações obtidas. Como resultado fundamental, o diagnóstico realizado evidenciou deficiências nas diferentes dimensões abordadas na função formativa de avaliação da aprendizagem dos alunos.</p> 2021-05-27T14:47:31-03:00 Copyright (c) 2021 Wei Zhou, Dayana Travieso Valdés, Abelardo López Domínguez https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/9207 O ESTADO DO CONHECIMENTO SOBRE O JORNAL POTIGUAR BRADO CONSERVADOR 2021-05-28T18:53:27-03:00 Heriberto Silva Nunes Bezerra heribertobezerra@rn.sesi.org.br Hélio Teodósio de Melo Filho helioteo@hotmail.com Idinária Faustino Pereira idinariafaustino@yahoo.com.br <p class="Normal tm5">Este artigo tem como objetivo investigar os desdobramentos sociais advindos da inserção da imprensa potiguar no século XIX, relacionando-os com a produção bibliográfica- acadêmica sobre o jornal Brado Conservador e averiguar as consequências da inserção deste na sociedade Norte Rio-Grandense. Buscou-se, ainda, analisar a utilização do jornal como fonte no discurso do conhecimento científico em trabalhos acadêmicos. Nesse sentido, adota-se como metodologia a pesquisa qualitativa e a análise do discurso, com base na leitura e interpretação de cinco estudos que conversam sobre a temática, tais como: Brito (2016), Burgardt (2014), Maciel (2017), Morais (2000) e Paiva (2011). Diante disso, foi observado que o jornal Brado Conservador desenvolveu-se tendo, como foco, cinco eixos de pesquisas: educação, movimentos sociais e de gênero, seca, trabalho e escravidão.</p> <p class="Normal">&nbsp;</p> 2021-05-28T18:26:33-03:00 Copyright (c) 2021 Heriberto Silva Nunes Bezerra, Hélio Teodósio de Melo Filho, Idinária Faustino Pereira https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10349 QUE ESPORTES PRATICAM MENINOS E MENINAS CANDIDATOS A UMA ESCOLA PRÉ-UNIVERSITÁRIA DE ARGENTINA, DE ACORDO COM SUA ORIGEM EDUCACIONAL E GÊNERO 2021-06-09T21:20:09-03:00 Mariano Anderete Schwal marianoand3@hotmail.com <p>Os esportes, como atividades de tempos livres, estão ligados a diferentes estilos de vida e por sua vez são o resultado de práticas determinadas por diferentes hábitos de classe e estereótipos de gênero. No caso das crianças em idade escolar, é condicionada pelas escolhas dos pais e das mães, bem como pelas práticas dos jovens que fazem parte da sociedade.<br>O trabalho tem uma dupla análise teórica, por um lado está baseado na obra de Pierre Bourdieu e, por outro, nas teorias da sociologia do esporte que explicam a diferença entre homens e mulheres na escolha da prática. executar. Utiliza-se como técnica a análise de correspondência, a partir de uma pesquisa realizada com candidatos a ingressos em uma escola pré-universitária de Bahía Blanca, Argentina, em 2018. Nesse sentido, os esportes praticados por meninos e meninas de 11 anos, cujas famílias pertencem a uma determinada classe social com aspirações acadêmicas universitárias.&nbsp; A metodologia quantitativa implementada foi realizada por meio de uma análise de correspondência entre as variáveis ​​"tipo de escola de origem" e "gênero" entre os alunos que desejam ingressar na escola pré-universitária estudada, a fim de identificar quais esportes praticam os aspirantes a alunos. com a referida instituição e que vínculo têm com as características sociais históricas de seus alunos. Da mesma forma, serão levadas em consideração as características esportivas próprias da cidade de Bahía Blanca e do país onde se realiza o estudo. Os resultados indicam que o gênero e a origem social influenciam no tipo de esporte praticado por cada aluno.</p> 2021-06-09T18:50:38-03:00 Copyright (c) 2021 Mariano Anderete Schwal https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10716 O ENSINO DE ESPORTES RADICAIS NA ESCOLA: UMA ABORDAGEM A PARTIR DA SAÚDE RENOVADA 2021-06-18T18:09:55-03:00 Veríssimo Santos de Jesus verissimosantosdejesus@gmail.com Lucas dos Santos lsantos.ed.f@gmail.com Isaac Costa Santos isaky.humanos@gmail.com Antonio José Pinheiro Júnior pinheiro._@hotmail.com Franck Nei Monteiro Barbosa francknei@yahoo.com.br <p>O referido estudo é um relato das experiências vividas durante a disciplina Estágio Supervisionado</p> <p>I, realizada no sexto semestre do curso de Licenciatura em Educação Física da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Tem como objetivo discutir as experiências vivenciadas por docentes ao abordarem <em>o Le Parkour </em>na perspectiva da concepção pedagógica saúde renovada na educação básica. O processo de estágio foi desenvolvido com discentes do ensino fundamental durante o segundo semestre de 2015. As intervenções pedagógicas ocorreram em uma escola municipal do município de Jequié-BA, tendo a atividade física e saúde como proposta central, por meio do esporte radical <em>Le Parkour</em>. A abordagem do Le Parkour, a partir da concepção da saúde renovada, se mostrou satisfatória para contextualizar a relação entre atividade física e saúde. As experiências vivenciadas durante o estágio tiveram significativa importância no processo de formação docente, bem como contibuiu para o amadurecimento profissional e pessoal.</p> 2021-06-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Veríssimo Santos de Jesus, Lucas dos Santos, Isaac Costa Santos, Antonio José Pinheiro Júnior, Franck Nei Monteiro Barbosa https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10024 EXPERIMENTANDO A DOCÊNCIA NO PIBID: O ENSINO DO ATLETISMO NOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 2021-06-10T01:09:55-03:00 Claudia Gomes Teixeira claudia.gomes23.cg@gmail.com Keila Souza Pereira Oliveira keilauneb@outlook.com Marlon Messias Santana Cruz marlonmessias@hotmail.com Nadson Santana Reis nadsonsr@hotmail.com Pedro Alves Castro profpacastro@gmail.com <p>Este texto se constitui como um relato de experiência decorrente de um trabalho pedagógico – de experimentação à docência – vinculado ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), fomentado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e materializado em um colégio da rede pública da cidade de Guanambi/Bahia com turmas de 9º Ano do Ensino Fundamental. Nessa direção, seu objetivo é apresentar e discutir, de maneira crítica e reflexiva, os principais aspectos que atravessaram o trato didático-pedagógico do conteúdo atletismo nas aulas de Educação Física nos anos finais do Ensino Fundamental. A estruturação didática do ensino contemplou a avaliação diagnóstica; a conceituação e sistematização do conteúdo, de maneira ampla e reflexiva; a vivência das habilidades, fundamentos e modalidades básicas do esporte; e por fim, a realização de um “minitorneio” das modalidades de atletismo trabalhadas. Tal proposta foi organizada tendo em vista a necessidade de ampliação de vivências e reflexões sobre esse tema no contexto escolar. Como resultados, ressalta-se que experiência em tela contribuiu não só com a ampliação de vivências dos esportes convencionalmente trabalhados no âmbito escolar, mas também com a descoberta de novas possibilidades e maneiras de ressignificação do conteúdo no nível de ensino em questão.</p> 2021-06-10T01:08:39-03:00 Copyright (c) 2021 Claudia Gomes Teixeira, Keila Souza Pereira Oliveira, Marlon Messias Santana Cruz, Nadson Santana Reis, Pedro Alves Castro https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10885 RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE ASPECTOS DO ENSINO DA NATAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA 2021-06-11T17:13:46-03:00 Marcela Rodrigues dos Santos marceladossantos728@gmail.com Fábio Fernandes Flores fabioedfgbi@gmail.com Tiago Dantas Pereira tiagodantaspersonal@gmail.com <p>O presente estudo objetiva identificar os aspectos que envolvem o trabalho com o ensino da natação na primeira infância. Tal ação ocorreu durante a vivência discente no Estágio VIII, cuja proposta foi ministrar aulas de natação para crianças em uma clínica de Guanambi/Bahia. Este trabalho é um relato de experiência de abordagem qualitativa e caráter descritivo. O estágio foi constituído por: observação e intervenção; e para a coleta de dados adotou-se o roteiro de observação qualitativa e o diário de bordo. O cronograma foi composto por aproximação ao meio líquido, flutuação, respiração e propulsão. Diante da observação, notou-se que o local tem estrutura adequada, e que havia a existência de três relações do professor regente: com os responsáveis pelas crianças – era comunicativo; com as crianças – era afetuoso; e com relação ao conteúdo - era atento ao seu cumprimento. Quanto à intervenção, primou-se pela ludicidade para a aprendizagem; e quando tinha novidades na aula as crianças participavam com mais animação. A trajetória foi marcada por dificuldades (insegurança para ministrar a aula), motivações (presenciar a aprendizagem) e aspecto potencial (apoio dos docentes). Diante desta conjuntura, compreende-se que os aspectos que envolvem o trabalho com o ensino da natação na primeira infância são: relação interpessoal (com os responsáveis e as crianças), características das aulas, presença do pai/mãe da criança na aula e perfil profissional.</p> 2021-06-11T17:13:45-03:00 Copyright (c) 2021 Marcela Rodrigues dos Santos, Fábio Fernandes Flores, Tiago Dantas Pereira https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10715 FORMAÇÃO DE ATLETAS NOS CLUBES DE FUTEBOL 2021-06-17T14:05:34-03:00 John Willian Ribeiro de Araújo johneducador@gmail.com Leandro Alexandre Chagas leoalexandre007@gmail.com Luís Cláudio Nascimento Santana luisst018@gmail.com Marcelle Esteves Reis Ferreira marcelleeducacaofisica@gmail.com Gustavo Marques Porto Cardoso gugampc@hotmail.com <p>Trata-se de um artigo de revisão integrativa da literatura, do tipo descritivo e abordagem qualitativa no qual se buscou analisar as exigências legais para a atuação dos clubes de futebol na formação de atletas. Foi realizado levantamento bibliográfico de artigos disponíveis na íntegra, em português, nas bases de dados SCIELO e LILACS, utilizando como palavras-chave futebol, “formação de atletas” e “gestão de clubes”, aplicando o recorte temporal de 2014 a 2018. Ao término do processo de seleção, restaram sete artigos que atenderam aos critérios estabelecidos. Após a leitura dos estudos e a análise descritiva dos dados foram criadas as seguintes categorias, a partir dos temas mais recorrentes encontrados: baixa escolaridade na modalidade de futebol; clube formador de atletas; gestão do clube formador e repercussão na carreira dos atletas de futebol. Verificou-se que, apesar dos deveres legais estabelecidos aos centros de formação de futebol no que tange à formação de atletas, muitos destes ainda atuam sem supervisão e/ou política pedagógica apropriadas. Há, portanto, a necessidade de compreender o jovem atleta como sujeito em formação humana e esportiva, atentando-se, de fato, aos requisitos exigidos pela legislação brasileira acerca da sua formação, a fim de que se ampliem as possibilidades de obtenção de sucesso na carreira profissional.</p> 2021-06-17T14:05:33-03:00 Copyright (c) 2021 John Willian Ribeiro de Araújo, Leandro Alexandre Chagas, Luís Cláudio Nascimento Santana, Marcelle Esteves Reis Ferreira, Gustavo Marques Porto Cardoso https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10555 O AGENDAMENTO-MIDIÁTICO ESPORTIVO EM TORNO DAS CINCO NOVAS MODALIDADES DO PROGRAMA OLÍMPICO DE TÓQUIO/2020 2021-06-18T18:56:19-03:00 Cristiano Mezzaroba cristiano_mezzaroba@yahoo.com.br Weverton Paulo dos Santos weverton.paulo1@gmail.com <p>Este trabalho, de cunho descritivo-exploratório e do tipo documental, identificou e analisou as estratégias de agendamento midiático-esportivo em torno das cinco novas modalidades esportivas inseridas nas Olimpíadas Tóquio/2020. Entre 01/08/2019 e 24/03/2020, acompanhamos e observamos dois principais portais de internet brasileira, GloboEsporte.com e UOL, selecionando todas reportagens que fizessem menção às 5 novas modalidades olímpicas. Utilizando a técnica da análise de conteúdo, chegamos a quatro categorias: personificação, cultura imagética, expectativas de medalhas e pandemia, as quais, sucintamente, foram a forma como os veículos utilizaram suas estratégias para pautar o evento, chamar a atenção do público, informando-o quanto ao megaevento esportivo, apresentando as novas modalidades, o que evidencia o caráter mercadológico e espetacularizado dessas práticas corporais agora esportivizadas.</p> 2021-06-18T18:56:18-03:00 Copyright (c) 2021 Cristiano Mezzaroba, Weverton Paulo dos Santos https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8182 TESES E DISSERTAÇÕES SOBRE CURRÍCULO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2021-06-04T21:24:36-03:00 Ana Denise Ribeiro Mendonça Maldonado denise.ribeiro@ufms.br <p class="Default" style="text-align: justify;"><span style="font-family: 'Candara',sans-serif; color: windowtext;">O presente texto apresenta percurso de investigação, parte da escrita de tese de doutoramento, sobre os currículos dos cursos de Ciências Contábeis, pauta do programa de pesquisa do/no Grupo de Estudos e Pesquisas Observatório de Cultura Escolar (OCE). Tal proposição está fundada na busca por informações acerca da eleição dos objetos pesquisados, das fontes utilizadas e dos problemas registrados, nas teses e dissertações defendidas no Brasil sobre os currículos dos cursos de Ciências Contábeis. Diante disso, levantamos e selecionamos as produções disponibilizadas no banco de dados da Biblioteca Digital da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), da Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD) e da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da Universidade de São Paulo (USP), a partir dos descritores Currículo AND “Ciências e Contábeis”. Nesse contexto, vale destacar que temos em atividade 1922 cursos de graduação em Ciências Contábeis, sendo 1686 presenciais e 236 à distância, que intentam formar indivíduos para o mercado de trabalho, com a ideia do futuro do profissional contábil, apto a acompanhar a tendência global. Diante disso, inferimos que a pesquisa sobre Ciências Contábeis e Currículo indica demanda crescente de objetos, fontes, temáticas e/ou problemas, que necessitam ser discutidos e aprofundados.</span></p> 2021-06-02T15:31:34-03:00 Copyright (c) 2021 Ana Denise Ribeiro Mendonça Maldonado