https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/issue/feed Cenas Educacionais 2020-10-25T11:42:38-03:00 Ricardo Fraklin de Freitas Mussi rimussi@yahoo.com.br Open Journal Systems <div id="journalDescription"> <p>A revista Cenas Educacionais (CEDU), instituída no ano de 2018, é um veículo oficical de publicação do Programa de Pós-Graduação em Ensino, Linguagem e Sociedade da Universidade do Estado da Bahia (PPGELS/UNEB). A CEDU é editada, a partir do ano de 2020, em sistema de fluxo contínuo em plataforma eletrônica (e-ISSN 2595-4881), com fluxo contínuo de submissão. O escopo da CEDU é publicar produções sobre Ensino, Educação e Interdisciplinaridade. A CEDU publica dossiês temáticos, relatos de experiências e/ou de casos, artigos originais, revisões de literatura,&nbsp;entrevistas, traduções, resenhas&nbsp;e pontos de vista após aceitos nos idiomas&nbsp;<strong>português, espanhol, francês&nbsp;</strong>e&nbsp;<strong>inglês</strong> conforme normatização apresentada nas diretrizes para autorxs.</p> <div>&nbsp;</div> </div> https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8363 Apresentação do Dossiê Temático - A UNIVERSIDADE É UM LUGAR DE TODXS E PARA TODXS? 2020-09-13T20:29:21-03:00 Sidnay Fernandes dos Santos Silva sidnayfernandes@hotmail.com Ricardo Franklin de Freitas Mussi rimussi@yahoo.com.br Apresentação do Dossiê Temático - A UNIVERSIDADE É UM LUGAR DE TODXS E PARA TODXS? 2020-05-10T19:09:47-03:00 Copyright (c) 2020 Sidnay Fernandes dos Santos Silva, Ricardo Franklin de Freitas Mussi https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8365 A UNIVERSIDADE É UM LUGAR DE TODOS E PARA TODOS? 2020-09-13T20:29:21-03:00 Dermeval Saviani dermeval.saviani.2013@gmail.com <p>Buscando responder à indagação contida no título, este artigo começa com a exposição da origem e significado da instituição universitária apresentando, no segundo tópico, o surgimento e características da universidade no Brasil; no terceiro tópico situa o dilema produtividade-qualidade em que desembocou a universidade brasileira, indicando-se sua possível superação; finalmente, no quarto tópico, discute em que condições a universidade poderá se constituir como um lugar de todos e para todos.</p> 2020-05-10T19:09:47-03:00 Copyright (c) 2020 Demerval Saviani https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8361 MEMÓRIAS DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS (UFSCAR) 2020-09-13T20:29:21-03:00 Maria Luiza Ferreira Duques luizaduques@hotmail.com Cláudio Eduardo Félix dos Santos cefsantos8@gmail.com Este estudo objetiva analisar, mediante as memórias de educadores, as concepções formativas presentes no Programa de Alfabetização de Funcionários (PAF) da UFSCar. O estudo tem nos direcionado a uma aproximação com o método materialista histórico, cujas análises se estruturam por entrevistas e estudos de documentos. Os resultados, ainda preliminares, apontam que o PAF se gestou numa concepção pedagógica específica para a EJA, oportunizando uma construção científica em íntima relação com a prática. Os educadores sinalizam o impacto da dimensão política na educação, tendo o respeito aos saberes dos educandos como esteio para a ação pedagógica. As memórias oportunizaram o entendimento do alcance do PAF para a reconfiguração da EJA no Brasil. 2020-05-10T19:09:47-03:00 Copyright (c) 2020 Maria Luiza Ferreira Duques, Cláudio Eduardo Félix dos Santos https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8359 ESCUTAR A EXPERIÊNCIA DA PESQUISA PARA PROMOVER A TRANSFORMAÇÃO DO PENSAR E FAZER ACADÊMICO 2020-09-13T20:29:21-03:00 Luciete de Cássia Souza lima Bastos lbastos@uneb.br <p>Este texto é produto da mesa: <em>Partir e Retornar para fazer a diferença- em discussão professores doutores da casa</em>, realizada no V Seminário Interdisciplinar de Ensino, Extensão e Pesquisa, entre os dias 28 e 30 de agosto de 2019 pelo Departamento de Ciências Humanas, Campus VI-Caetité da Universidade do Estado da Bahia. Trata-se de um estudo interdisciplinar sobre a construção da identidade das crianças quilombolas da comunidade de Sambaíba, desde o início, uma pesquisa <em>com </em>crianças e não <em>sobre </em>elas, cujas reflexões possibilitaram compreender como o diálogo entre antropologia e educação vem se apropriando da problematização das relações sociais, envolvendo as infâncias. Meu percurso teórico-metodológico encontrou o caminho para uma concepção de infância plural na etnografia. A pesquisa levou-me a algumas constatações, nem todas conclusivas, mas instigantes: são inúmeros os sentidos/significações oportunizados pelas narrativas das crianças; trata-se de um estudo sobre identidades plurais; que se constroem nos processos de interação escola/comunidade/crianças do/no quilombo; que o adjetivo quilombola tem um peso discriminatório; que a construção dessa(s) identidade(s) repercute nas formas de enfrentamento da discriminação em ambientes escolares multiculturais. Conclui que essa autoafirmação é dolorosa e cambiante entre “o ser e o não ser”, dependendo do lugar em que as crianças estejam e com quem se relacionam a identidade é mais, ou menos, evidente. A ausência de uma educação quilombola e de uma escola estruturada física e pedagogicamente para este fim, dificultam a educação institucionalizada dessas crianças, que não se veem representadas e respeitadas em seus saberes e fazeres, portanto excluídas do processo.</p> 2020-05-10T19:09:47-03:00 Copyright (c) 2020 Luciete de Cássia Souza lima Bastos https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/7481 DISCURSOS SOBRE O BILINGUISMO EM CONTEXTO INTERCULTURAL DE ENSINO NA UNILA: DOIS PESOS E OUTRAS MEDIDAS 2020-09-13T20:29:21-03:00 Jocenilson Ribeiro jonuefs@gmail.com Nathália Nunes admnunesnathalia@gmail.com <p dir="ltr"><span>A educação bilíngue em um espaço de enunciação (GUIMARÃES, 2006) plurilíngue sempre foi um desafio, uma vez que as disputas discursivas põem em jogo questões complexas envolvendo identidade, interculturalidade, direitos linguísticos e discriminação. Em que medida os discursos sobre bilinguismo se apresentam como regime de verdade institucionalizada? O objetivo da pesquisa foi entender como se apresenta a noção de bilinguismo na UNILA a partir de documentos oficiais. Diante disso, este trabalho teve como objetivo apresentar uma análise de documentos oficiais da UNILA cotejados com outras materialidades discursivas a partir das quais analisamos os termos “bilinguismo” e “bilíngue”. Este estudo teve como pressuposto teórico-metodológico os referenciais do campo da análise do discurso, ponto de partida para entender os discursos sobre as línguas na UNILA, os saberes formais e não formais sobre o modo como são tratadas e funcionam nos diferentes espaços de enunciação. Nossa hipótese é a de que, apesar de declarar uma proposta de ensino bilíngue, na prática, a UNILA não apresenta um desejável equilíbrio entre o ensino das línguas à comunidade, ainda que reconheça a necessidade de valorização da diversidade linguística e do plurilinguismo como política integrada à educação intercultural.</span></p><p dir="ltr"><span>Palavras-Chave:</span><span> Análise do discurso; discurso sobre as línguas; bilinguismo; plurilinguismo; UNILA.</span></p> 2020-05-10T19:09:47-03:00 Copyright (c) 2020 Jocenilson Ribeiro, Nathália Nunes https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/7196 MARIELLE FRANCO E EDSON LUÍS: UM ENUNCIADO IN MEMORIAN 2020-09-13T20:29:21-03:00 Gabrielle Alves Reis gabsrsb@gmail.com Emerson Tadeu Cotrim Assunção emersonbrumado@hotmail.com Talita de Souza Figueredo figueredo.tali@gmail.com <p>No presente trabalho, trazemos como acontecimentos discursivos os assassinatos da vereadora do PSOL (RJ), Marielle Franco, morta em março de 2018, e o de Edson Luís de Lima Souto, em 28 de março de 1968, morto pela polícia em uma manifestação estudantil no Rio de Janeiro. O objeto da pesquisa é compreender como o enunciado “luto” emergiu através das manifestações ocorridas após a morte da vereadora, tendo como campo associado de memória a passeata que aconteceu após a morte de Edson Luís de Lima Souto. Como objetivo geral, buscamos evidenciar como as imagens externas nos remetem a uma memória social e coletiva por meio das imagens interiores, despertando um imaginário social que constitui um acontecimento discursivo contra a repressão aos direitos humanos. A imagem externa que trazemos é uma fotografia feita na manifestação realizada no velório da vereadora, em 2018. No cartaz, há a formulação enunciativa “Transformar o luto em luta. Marielle Franco, presente”. A repetição se materializa por meio da utilização da formulação “luto”, produzindo um efeito de duplicidade que retoma o discurso de mártir de Edson reproduzido sobre Marielle, quanto pela materialidade do suporte, o cartaz. Para tanto, a pesquisa parte da noção de intericonicidade (COURTINE, 2006; 2009; 2013) e sobre discursos e enunciados (FOUCAULT, 2008; 1995). Utilizamos como metodologia a Análise do Discurso de linha francesa (FOUCAULT, 2008). As análises indiciam que tal formulação dialoga dentro de uma mesma memória discursiva, evidenciando os lugares ocupados por estes, comprovando o acontecimento discursivo de resistência e as características da intericonicidade e formação discursiva.</p> 2020-07-27T10:09:48-03:00 Copyright (c) 2020 Cenas Educacionais https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/7469 DISCURSOS NAS AULAS DE MATEMÁTICA E A CONSTRUÇÃO DE BARREIRAS PARA O DESENVOLVIMENTO DA CRIATIVIDADE COMPARTILHADA 2020-09-13T20:29:21-03:00 Alexandre Tolentino de Carvalho alexandre.tolenca@gmail.com Cleyton Hércules Gontijo cleytongontijo@gmail.com <p><span>Cientes que as salas de aula estão atravessadas por relações assimétricas de poder percebidas nos discursos e construídas e reproduzidas por meio deles, discutimos, no presente trabalho, os efeitos que essas relações de poder exercem sobre o desenvolvimento de habilidades criativas em matemática e sobre a criatividade compartilhada em matemática quando os alunos trabalham em grupos. Portanto, o objetivo desse estudo foi analisar as barreiras para a criatividade compartilhada em matemática que emergem nos discursos originados nos momentos de interação de alunos do 5º ano do ensino fundamental quando solucionavam problemas matemáticos abertos, recorrendo, para tanto, à Análise do Discurso Crítica (ADC). Identificamos as seguintes barreiras presentes nas falas dos alunos: Excesso de críticas, Críticas antecipadas, Descrédito de alunos tidos como ruins em matemática, Medo de participar, Falta de avaliação crítica de ideias, Ideias ignoradas, Intolerância ao erro e autoimagem negativa. </span><span lang="PT">Conclui-se que a configuração da turma, com poucas interações durante a aula e com escassas oportunidades para internalização dos conceitos matemáticos trabalhados, interferiu diretamente nas relações de poder instituídas na turma estudada e emergidas nos discursos analisados, resultando em situações desfavoráveis para a aprendizagem efetiva de todos devido à produção de barreiras para a ciatividade compartilhada em matemática. Então, </span><span>lança-se dois desafios ao docente atual: a) oferecer oportunidades para o desenvolvimento dos conhecimentos matemáticos de forma criativa e b) instalar espaços de aprimoramento da criatividade compartilhada por meio da remoção de barreiras.</span> </p><p>Palavras-chave: criatividade em matemática, criatividade compartilhada em matemática, discurso, ensino de matemática, relações de poder.</p> 2020-08-24T11:47:19-03:00 Copyright (c) 2020 Cenas Educacionais https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/7803 ACONTECIMENTOS CONTRAOFENSIVOS: DESLIZAMENTOS DE SENTIDOS NA PÁGINA #MARCHADASVADIAS 2020-09-13T20:29:21-03:00 Sidnay Fernandes dos Santos Silva sidnayfernandes@gmail.com Lúzira da Silva Ferreira luziravitooriaale020416@gmail.com <p>Historicamente, as mulheres são vítimas de uma conjuntura patriarcal na qual são concebidas como submissas e inferiores. Estudos sobre as lutas das mulheres na sociedade e os modos como seus corpos físicos são significados são urgentes e relevantes para a construção de uma era contemporânea (e futura) pautada nos direitos humanos e na equidade de gênero. Nessa perspectiva, nosso propósito nesta pesquisa é analisar textos dados a circular em manifestações denominadas “Marcha das Vadias” e publicados na página do <em>Instagram #marchadasvadias, </em> com foco nas imagens de <em> corpos seminus das mulheres</em>. Esse movimento feminista surge em 2011 no Canadá, após um policial declarar que, para evitar estupros, as mulheres deveriam deixar de se vestir como vadias. O dizer desse sujeito filia-se a um posicionamento discursivo machista e a “Marcha das Vadias” emerge como resposta. Práticas contraofensivas e de resistências pelo direito não só de as mulheres se vestirem como quiserem, mas também pelo fim da “cultura do estupro” são materializadas nas ruas de Toronto e discursivizadas em âmbito internacional. Acionamos procedimentos analíticos da Análise de Discurso e recorremos teoricamente a Orlandi (2005), Fernandes (2007), Courtine (2009), Milanez e Gonçalves (2018), Belting (2006), Stearns (2007) e Pinto (2010), dentre outros. Observamos como, em tais protestos, os corpos femininos são suportes materiais e, ao mesmo tempo, discursos centrais de práticas libertárias.</p> 2020-09-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Cenas Educacionais https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8584 ASTRONOMIA NO ENSINO FUNDAMENTAL POR MEIO DE TIRINHAS 2020-09-13T20:29:21-03:00 Marcos Oliveira dos Santos 81porcento@gmail.com Wagner Duarte José wagnerjose@uesb.edu.br <span>O presente artigo analisa o uso de tirinhas no ensino de tópicos de Astronomia no Ensino Fundamental, tendo como protagonistas Galileu Galilei e Nicolau Copérnico, e suas importantes descobertas. As tirinhas são apresentadas em atividades sobre os modelos geocêntrico e heliocêntrico em conjunto com a confecção de diversos materiais envolvendo escalas – comprimento, volume e tempo – para representar distâncias dos planetas internos do Sistema Solar e estudar os fenômenos lunares. A proposta foi implementada nas aulas de ciências do nono ano do ensino fundamental de uma escola pública de um município de pequeno porte do sudoeste baiano. Verificamos que as tirinhas desempenharam relevante papel como recurso pedagógico, contribuíram na apropriação do conhecimento e estimularam a criatividade, possibilitando momentos de descontração e uma nova visão nas aulas de Ciências Naturais.</span> 2020-05-13T00:22:15-03:00 Copyright (c) 2020 Marcos Oliveira dos Santos, Wagner Duarte José https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8585 O MÉTODO JIGSAW E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A SITUAÇÃO DE ESTUDO 2020-09-13T20:29:21-03:00 Jéssica Goes Ramos Pinto jelgoes@gmail.com Maxwell Roger da Purificação Siqueira maxwell_siqueira@hotmail.com O ensino de ciências é apresentado em sala de aula, muitas vezes, de maneira descontextualizada e fragmentada. Propostas curriculares como a Situação de Estudo (SE), tem como um dos principais objetivos proporcionar um ensino que possibilite aproximações do conteúdo com a realidade do aluno e para isso não há uma metodologia definida, podendo ser facilmente adaptada ou apresentar características próprias. Com isso, foi desenvolvida uma Situação de Estudo, em um curso Técnico de Enfermagem com o título: Automedicação: Um mal necessário? Em que em uma das etapas utilizou-se do Método Jigsaw, conhecido por incentivar a cooperatividade na aprendizagem. Para essa etapa, participaram 30 alunos, que foram divididos em quatro grupos para realização de uma sequência de observação, experimentação e discussão. Os resultados apresentados revelaram contribuições significativas tanto para aprendizagem individual como a coletiva, além de colaborar como os objetivos destacados pela SE. Nesse sentido, observa-se a relevância da SE como uma proposta curricular flexível, dinâmica e versátil. 2020-05-13T01:14:15-03:00 Copyright (c) 2020 Jéssica Goes Ramos Pinto, Maxwell Roger da Purificação Siqueira https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8590 CONSERVAÇÃO DA ENERGIA COMO CENTRO DA PROPOSTA EDUCACIONAL DA UNIVERSIDADE: AVALIAÇÃO POR TRIANGULAÇÃO METODOLÓGICA TEÓRICA 2020-09-13T20:29:21-03:00 Liliana del Valle Ortigoza liliortigoza@gmail.com Juan José Llovera-González fellovera@gmail.com Héctor Santiago Odetti hodetti@fbcb.unl.edu.ar <p>Na universidade de hoje, o trabalho independente, interativo e autônomo é essencial. Por essa razão, propôs-se ressignificar o ensino da física nos cursos de ciências da saúde, tendo como eixo de ensino e de aprendizagem a conservação da energia. Utilizou-se o modelo de reconstrução educativa, assumindo como referências teóricas: Conhecimento Pedagógico do Conteúdo (Schulman), Aprendizagem Significativa (Ausubel) e Teoria da Atividade (Engeström). A partir de um diagnóstico sobre conhecimentos de conceitos físicos e competências do aluno ingressante na carreira universitária, da análise do desenho curricular, de conteúdos recuperados de física e sua importância, uma proposta educacional foi desenhada e implementada - por três anos consecutivos - com eixo em conservação de energia. O ambiente de ensino foi concebido com estratégias educativas presenciais e virtuais, adaptadas ao comportamento do estudante, possibilitando diferentes formas de aprendizagem. Após seis meses de estudo em uma disciplina de física, foram realizados testes de solidez, buscando interpretar o grau de competências e conhecimentos alcançados, bem como sua relação com os resultados das avaliações diagnósticas. Nesse contexto, o objetivo deste artigo foi avaliar indicadores de relevância do modelo educativo adotado, por meio de triangulação teórico-metodológica. Foram utilizados métodos qualitativos e quantitativos, avaliando momentos antes, durante e após a implementação da proposta, desde diversos atores e instrumentos. Os principais resultados mostraram relevância educativa e aprendizagem significativa, com melhorias no desempenho acadêmico. Foram propostas modificações curriculares, considerando as vozes dos atores e possíveis vínculos com outras disciplinas.</p> 2020-05-14T00:14:19-03:00 Copyright (c) 2020 Liliana del Valle Ortigoza, Juan José Llovera-González, Héctor Santiago Odetti https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8619 ANÁLISE DA ANOVA POR MEIO DE UM PROJETO DE INVESTIGAÇÃO 2020-09-13T20:29:21-03:00 Manni Diego diegomanni@gmail.com Eugenia Emilia Berta eugeniaemiliaberta@gmail.com María Florencia Walz florencia.walz@gmail.com Guillermo Blasón guilleblason@yahoo.com.ar Olga Beatriz Avila olga.beatriz.avila@gmail.com <p>A estatística desempenha um papel importante nos currículos, não apenas no ensino universitário, mas também no ensino médio. As mudanças que ocorreram nos últimos anos no campo da ciência e da tecnologia geraram uma constante modernização da educação; portanto, torna-se necessário que os professores apliquem novas estratégias didáticas que permitam aos alunos desenvolver seus processos de aprendizagem. Nesse sentido, o ensino de Estatística por meio de projetos de pesquisa se destaca como uma das propostas pedagógicas mais apropriadas para tais fins. Sob essa premissa, os professores responsáveis pelo curso de Estatística dos cursos de graduação em Nutrição, Bioquímica e Biotecnologia da Faculdad de Bioquímica e Ciencias Biológicas da Universidad Nacional del Litoral, propuseram abordar o conteúdo análise de variância (ANOVA) sob essa metodologia para analisar seu impacto. Trabalharam com estudantes dos cursos: Biotecnologia, Nutrição e Bioquímica, que cursaram Estatística em 2018. Após a implementação da estratégia, os alunos tiveram que enviar um relatório sobre o desenvolvimento e a resolução do projeto proposto. Observou-se diferença estatística entre o grupo de alunos avaliados com essa metodologia em relação aos avaliados nos anos anteriores quando não foi aplicada a estratégia avaliada. De acordo com os resultados observados, podemos inferir que a estratégia teria favoreceu o processo de ensino-aprendizagem do tópico, pelo menos nas carreiras voltadas à saúde, biologia ou técnica.</p> 2020-05-16T20:34:48-03:00 Copyright (c) 2020 Manni Diego, Eugenia Emilia Berta, María Florencia Walz, Guillermo Blasón, Olga Beatriz Avila https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8620 O ATO DE PEDALAR E A FLEXIBILIDADE COGNITIVA EM SALA DE AULA: TRANSVERSALIDADE CURRICULAR EM MEIO AMBIENTE, SAÚDE E PLURALIDADE CULTURAL 2020-09-13T20:29:21-03:00 Helma Pio Mororó José hpmororo@uesb.edu.br Wagner Duarte José wagnerjose@uesb.edu.br Fábio da Purificação de Bastos fabio@ufsm.br <p>O ato de pedalar na cidade e a convivência dos diversos modais na cidade em atividades escolares pode sensibilizar/conscientizar como uma atividade cultural que propicia mobilidade urbana, esporte e lazer, com benefícios associados à saúde, meio ambiente, economia, potencializando a educação como prática da liberdade no âmbito do trânsito, majoritariamente motorizado, e ao exercício da cidadania ativa. Tendo como referência a educação dialógico-problematizadora e a teoria da flexibilidade cognitiva, analisamos uma atividade educacional com o tema “Pedalar na cidade” desenvolvida com 16 professores em formação inicial a partir de mini-casos problematizados segundo os pressupostos dessas teorias. Concluímos que a atividade potencializou o desenvolvimento da flexibilidade cognitiva dos participantes, com potencial transferência de conhecimento para o contexto escolar, em especial nas temáticas saúde e meio ambiente na perspectiva da educação como prática da liberdade.</p> 2020-05-16T21:22:18-03:00 Copyright (c) 2020 Helma Pio Mororó José, Wagner Duarte José, Fábio da Purificação de Bastos https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8670 “DESENHE UM CIENTISTA”: AS CONCEPÇÕES DOS ESTUDANTES DO CENTRO JUVENIL DE CIÊNCIA E CULTURA SOBRE OS CIENTISTAS 2020-09-13T20:29:22-03:00 Karine Brandão Nunes Brasil Karine.brandao@enova.educacao.ba.gov.br <p>A alfabetização científica ultrapassa o ensino de conceitos e códigos da ciência. Ela vai além dessa instrumentalização, sendo compreendida como uma atividade social, histórica e ideologicamente construída para atender uma diversidade de interesses da sociedade. Consequentemente, a reflexão sobre os conhecimentos prévios e as concepções que os estudantes possuem a respeito do profissional em ciência são necessárias tanto para reflexão dessas relações sociais e suas consequências para sociedade, quanto para conduzir o trabalho do letramento científico com os estudantes da Educação Básica. Portanto, o objetivo desse trabalho foi verificar as visões e percepções que os estudantes possuem sobre a profissão cientista. A pesquisa foi realizada através da aplicação de uma sequência didática (SD) com estudantes do Centro Juvenil de Ciência e Cultura matriculados em cursos da área de Ciências Naturais. A atividade foi aplicada com 67 estudantes, os quais realizaram todos os passos da SD apresentada, inclusive nas discussões conduzidas. Alguns estereótipos sobre profissionais da ciência se mantiveram como relatados ao longo da história da ciência, como uso de óculos, jaleco, e maioria homem branco de meia idade, mas, destaca-se nesse trabalho, o aumento da presença do gênero feminino, bem como, professores do Ensino Médio visto como pesquisadores, em comparação aos trabalhos anteriores. A análise do conhecimento prévio dos alunos a respeito dos cientistas auxiliou no planejamento das atividades realizadas durante o curso, a fim de desmistificar os estereótipos a respeito dessa profissão, bem como validou a Sequência Didática aplicada.</p> 2020-05-25T20:16:57-03:00 Copyright (c) 2020 Karine Brandão Nunes Brasil https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8672 CIÊNCIA EM QUESTÃO: O QUE PENSAM ALUNOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA DA UESB SOBRE A NATUREZA DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO? 2020-09-13T20:29:22-03:00 Márcia de Oliveira Menezes marciaomenezes14@gmail.com Renato Pereira de Figueiredo renatofigueiredo2005@yahoo.com.br <p>Este artigo teve como objetivo caracterizar concepções sobre natureza da ciência construídas por estudantes do último ano do curso de Licenciatura em Física da UESB, campus de Vitória da Conquista. Utilizamos as categorias: descoberta, conhecimento, processo, explicação e educação, extraídas da pesquisa realizada por Abell e Smith (1994) sendo que as concepções relativas a elas, foram extraídas das respostas consideradas mais representativas de cada categoria, obtidas em pesquisa anterior realizada com alunos do Curso de Ciências Biológicas por Figueiredo et al. (2014). Os resultados revelaram que a maioria dos alunos de Licenciatura em Física considera Ciência como um processo enquanto que, para a maioria dos estudantes de Ciências Biológicas, a Ciência está relacionada ao conhecimento.</p> 2020-05-25T20:37:36-03:00 Copyright (c) 2020 Márcia de Oliveira Menezes, Renato Pereira de Figueiredo https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8828 O ENSINO DE MATEMÁTICA NA ESCOLA NORMAL DE CAETITÉ-BAHIA (1926-1961): ALGUNS LIVROS DIDÁTICOS 2020-09-13T20:29:22-03:00 Fabrícia Oliveira de Araújo fabriciaraujo86@hotmail.com Janice Cassia Lando janicelando@gmail.com <p>Neste artigo apresentamos um breve panorama histórico dos resultados da pesquisa de mestrado que se propôs estudar saberes na formação matemática dos discentes da Escola Normal de Caetité-Bahia (1926-1961). Este recorte temporal refere-se ao período de funcionamento dessa escola. Trata-se de uma pesquisa histórica na perspectiva da história cultural de acordo com Roger Chartier e as análises incorporam discussões de teóricos que abordam conceitos da Cultura Escolar (Dominique Julia) e <em>saberes a ensinar </em>e <em>para ensinar (</em>Rita Hofstetter e Bernard Schneuwly). Nesse contexto, observamos que a interiorização da oferta do curso de formação de professores, por meio da criação de escolas normais no Estado da Bahia, oportunizou à cidade de Caetité sediar uma unidade de ensino nesta modalidade. E, tendo como interesse, investigar como sucedeu os processos formativos no âmbito da matemática, é que, por meio dos livros didáticos de matemática utilizados nessa instituição, constatamos que foram sendo constituídos saberes referentes à álgebra, geometria, estatística e, principalmente, aritmética, assim como foram contemplados, em alguma medida, saberes acerca do método intuitivo, escola nova e ensino tradicional da matemática.</p> 2020-06-10T13:09:58-03:00 Copyright (c) 2020 Fabrícia Oliveira de Araújo, Janice Cassia Lando https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8829 DIÁLOGO-PROBLEMATIZADOR E PESQUISA-AÇÃO NO ESTÁGIO CURRICULAR DOCENTE MEDIADA POR TECNOLOGIAS CRIATIVAS EDUCACIONAIS EM REDE 2020-09-13T20:29:22-03:00 Fábio da Purificação de Bastos fabio@ufsm.br Ilse Abegg ilse.abegg@ufsm.br <p>Trata-se de sistematização do ensino-aprendizagem universitário, na perspectiva dialógico-problematizadora, no escopo curricular do estágio curricular docente, no curso de formação inicial de professores de Ciências da Natureza e suas Tecnologias. Do ponto de vista tecnológico-educacional, mediamos tanto os trabalhos universitários de orientação docente, tanto como o do discente-estagiário(a), com tecnologia criativa educacional, caracterizada como ambiente virtual de ensino-aprendizagem livre e aberto. Coerentemente com a pesquisa-ação, o desenvolvimento ocorreu em ciclos espiralados de planejamentos, relatos, avaliações deliberativas e replanejamentos, todas estas quatro etapas mediadas tecnologicamente em rede, garantindo a criticidade e colaboração no âmbito prático da investigação-ação na unidade escolar básica. Os resultados produzidos sinalizam boas orientação universitária e condução docente-estagiária, ainda que a natureza colaborativa da mesma necessite de otimizações na mediação tecnológico-educacional criativa.</p> 2020-06-10T16:52:25-03:00 Copyright (c) 2020 Fábio da Purificação de Bastos, Ilse Abegg https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8843 PRODUÇÃO DE MAPAS CONCEITUAIS PARA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO SOBRE AS RELAÇÕES COM OS ANIMAIS DA FAUNA URBANA E SAÚDE 2020-09-13T20:29:22-03:00 Daiana Kelly Moraes Lisbôa dkmlisboa@gmail.com Islana dos Reis Fonseca islanafonseca@gmail.com Gabriele Marisco gabrielemarisco@uesb.edu.br <span>A utilização de metodologias ativas contribui positivamente para a aprendizagem significativa. Os mapas conceituais são esquemas gráficos elaborados para organizar e representar um determinado conhecimento. Eles apresentam conceitos que são ligados entre si por meio de linhas que estabelecem conexões. A elaboração de mapas conceituais por crianças favorece a organização do conhecimento na estrutura cognitiva. O objetivo deste trabalho foi </span><span>analisar a construção de conhecimento dos estudantes sobre as relações com os animais da fauna urbana e saúde, por meio da produção de mapas conceituais. </span><span>O trabalho foi desenvolvido em uma escola municipal de Vitória da Conquista, BA, com alunos do 4º e 5º ano do Ensino Fundamental. Foram realizadas aulas expositivas dialogadas sobre os temas vida animal e zoonoses, e foram elaborados mapas conceituais sobre os assuntos pelos alunos. </span><span>Os resultados mostraram que o mapa do tipo teia de aranha foi o mais usado, e a partir das informações apresentadas nos mapas conceituais, foi possível observar que os estudantes conseguiram organizar os conhecimentos prévios, assuntos abordados na aula expositiva e estabelecer relações sobre respeito e emoções dos animais da fauna urbana, bem como a influência das zoonoses na saúde humana. </span><span>Assim, o uso de mapas conceituais como estratégia didática, contribuiu para uma aprendizagem significativa, colocando o aluno como um sujeito ativo na construção de conhecimento.</span> 2020-06-14T16:52:48-03:00 Copyright (c) 2020 Daiana Kelly Moraes Lisbôa, Islana dos Reis Fonseca, Gabriele Marisco https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/9091 OPERAÇÕES ARITMÉTICAS INVERSAS E CÁLCULO MENTAL NO JOGO DIGITAL FAZENDINHA MATEMÁTICA 2020-09-13T20:29:22-03:00 Matheus Omar de Sousa matheusomar.uni@gmail.com Pablo Silva de Souza pablosilva.png@gmail.com Laelson Almeida Miranda laelsonmiranda605@gmail.com Tânia Cristina Rocha Silva Gusmão professorataniagusmao@gmail.com <span>Baseando-se nos conceitos de reversibilidade e cálculo mental e acreditando no potencial dos jogos digitais para a aprendizagem matemática, relatamos, neste artigo, uma experiência desenvolvida com estudantes dos Anos Finais do Ensino Fundamental, quando estes jogaram e avaliaram um jogo digital educacional de conteúdo matemático chamado Fazendinha Matemática. Dentro de uma abordagem qualitativa analisamos a experiência obtendo como resultados que o jogo permitiu explorar e estimular a percepção dos alunos sobre as relações que as operações de multiplicação e divisão possuem uma como inversa da outra; estimular o cálculo mental; fazê-los identificar a matemática presente no jogo; avaliar o interesse deles pelo jogo e sugerir mudanças para torná-lo ainda mais atrativo. Concluímos que </span><span>uma maneira de ajudar os alunos a compreender as operações inversas e, portanto, o conceito de reversibilidade, é inseri-los em ambientes ricos, explorando o cálculo mental e fazendo uso de recursos didáticos, como é o caso dos jogos digitais educacionais.</span> 2020-07-18T11:13:47-03:00 Copyright (c) 2020 Matheus Omar de Sousa, Pablo Silva de Souza, Laelson Almeida Miranda, Tânia Cristina Rocha Silva Gusmão https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/9243 FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES(AS) PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA NO MUNICÍPIO DE BOM JESUS DA LAPA – BAHIA 2020-09-13T20:29:22-03:00 Selvo Silva de Oliveira Filho selvoflh@hotmail.co Estácio Moreira da Silva estacio.moreira@ifbaiano.edu.br Priscila Coutinho Miranda priscila.miranda@ifbaiano.edu.br <p>A presente pesquisa ocorreu em 2018 e seu objetivo foi compreender como se concretiza a formação continuada dos docentes de matemática do Ensino Fundamental dos Anos Iniciais na Escola Municipal Nossa Senhora Aparecida, em Bom Jesus da Lapa-Ba. A opção metodológica utilizada foi predominantemente qualitativa por meio de investigação bibliográfica, análise documental e grupo focal. Inicialmente analisamos a infraestrutura da escola e, em seguida, o Projeto Político Pedagógico (PPP) e entrevistamos as professoras à luz da revisão bibliográfica da educação matemática e formação continuada de professores. O referencial teórico serviu de mote para análise documental do PPP na identificação de propostas de formação continuada oferecida pela escola aos professores. Também realizamos entrevista com as docentes. Todas lecionam há mais de 25 anos, sendo duas no quinto ano e uma no terceiro ano do Ensino Fundamental. Atribuímos nomes fictícios às docentes: Esmeralda, Ametista e Topázio. Os resultados da pesquisa mostraram que no PPP da escola há previsão de momentos para discussão e debates entre os professores, mas fica claro nas reconstruções de memória das professoras que estes encontros não aconteceram. Também não identificamos uma periodicidade de encontros que coadunem com os preceitos da formação continuada de professores.</p> 2020-08-01T20:04:55-03:00 Copyright (c) 2020 Selvo Silva de Oliveira Filho, Estácio Moreira da Silva, Priscila Coutinho Miranda https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/7023 EDUCAÇÃO FÍSICA E DANÇA: PROPOSIÇÕES E POSSIBILIDADES NA ESCOLA 2020-09-13T20:29:22-03:00 Marlon Messias Santana Cruz marlonmessias@hotmail.com Ana Gabriela Alves Medeiros gabimedeirosef@gmail.com <p>A inclusão e exclusão da dança na escola ocorrem a partir dos diferentes interesses e concepções acerca da educação e formação humana e técnica das crianças e jovens. Visto a dança como possibilidade educativa, possuindo propostas de ensino sistematizadas delimitamos como objetivo deste trabalho discutir acerca do trato do conhecimento da dança no espaço escolar, especificamente, no espaço das aulas de Educação Física. Recorremos às concepções, conceitos e proposições para o trato do conhecimento e organização do trabalho pedagógico da dança no espaço escolar. Estudo bibliográfico onde delineamos os limites e possibilidades de superação das problemáticas significativas ao trato com o conhecimento da dança no contexto da escola.</p> 2020-07-08T16:09:17-03:00 Copyright (c) 2020 Cenas Educacionais https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8438 SALA DE AULA INVERTIDA NO ENSINO SUPERIOR EM ENFERMAGEM: REVISÃO DE LITERATURA 2020-10-22T09:40:04-03:00 Gabriel Lucas Pereira Guimarães gabriel.enfer.exec@gmail.com Kauan Alcântara Teixeira de Menezes kauanmennezeskm@hotmail.com Sarah dos Santos Conceição sarahs.conceicao@gmail.com Cinthia Soares Lisboa Cinthiaslisboa@gmail.com Núbia Samara Caribé de Aragão nscaribe@hotmail.com <p>Este trabalho objetiva evidenciar o que tem sido publicado na literatura científica sobre os desafios enfrentados e estratégias utilizadas pelos docentes no uso da sala de aula invertida no ensino superior em enfermagem. Foi realizada uma revisão bibliográfica da literatura por meio do google acadêmico, com caráter qualitativo, permitindo buscar elementos para reflexão e contribuição com propostas para a melhoria da qualidade do ensino superior com a utilização da sala de aula invertida. Atualmente, os educadores no âmbito da enfermagem, estão sendo inseridos a essa nova metodologia de ensino, tal abordagem tem demonstrado resultados positivos, especialmente, com relação ao desempenho dos alunos. Os resultados evidenciaram que a utilização da sala de aula invertida tem sido considerada favorável, no entanto, faz-se necessário capacitar alunos e professores para lidar com esta nova metodologia. É importante salientar que essa metodologia exige mudança de comportamento entre alunos e professores, requer habilidades especiais, como trabalho em equipe, resolução de conflitos e colaboração, além de preparo antecipado, reflexão crítica e aceitação do novo.</p> 2020-10-22T02:14:39-03:00 Copyright (c) 2020 Gabriel Lucas Pereira Guimarães, Kauan Alcântara Teixeira de Menezes, Sarah dos Santos Conceição, Cinthia Soares Lisboa, Núbia Samara Caribé de Aragão https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8489 ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL DE SAÚDE RESIDENTE NO ENFRENTAMENTO DA COVID-19: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DA SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO DISTRITO FEDERAL 2020-09-13T20:29:22-03:00 Carolina Leite Ossege ossege.c@gmail.com Otavio Maia dos Santos otavioomaiaa@gmail.com Ana Cristina Dias Franco anacrisdiasfranco@gmail.com Natacha de Oliveira Hoepfner natacha.oh1@gmail.com Delmason Soares Barbosa de Carvalho delmason.carvalho@gmail.com Giselle Hentzy Moraes giselle.hm@gmail.com Elaine Ramos de Moraes Rego elaineramos.fisioterapeuta@gmail.com Ana Cristina Machado machadoanadf@gmail.com Débora Barbosa Ronca deboraronca@gmail.com O presente estudo teve como objetivo descrever as atividades desenvolvidas pelos Profissionais de Saúde Residentes (PSR), vinculados a Programas de Residência Multiprofissional em Gestão de Políticas Públicas para a Saúde, nas ações para o enfrentamento da doença COVID-19 realizadas pela Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal (DF). Trata-se de um relato de experiência acerca do processo de trabalho desenvolvido pela Comissão de Apoio Técnico (CAT) à Vigilância Epidemiológica em parceria com o Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública do DF, no período de março a abril de 2020. As atividades desenvolvidas foram divididas em cinco etapas e envolveram o recebimento, estruturação e organização de informações dos casos internados suspeitos e confirmados de COVID-19, disponibilizadas diariamente pelas instituições de saúde públicas e privadas do DF. A CAT foi composta por uma equipe multiprofissional, o que favoreceu a integração do trabalho e o processo de ensino-aprendizagem. Os PSR atuaram na identificação de entraves e contribuíram no aprimoramento dos fluxos de trabalho, bem como na utilização de um Sistema de Informação em Saúde (formulários <em>online </em>- FormSUS) para a celeridade e monitoramento das informações. A notificação imediata dos casos é necessária para que medidas de prevenção e controle ocorram em tempo oportuno, especialmente em cenários de pandemia. A atuação dos PSR contribuiu para o fortalecimento das ações de vigilância epidemiológica e para um trabalho integrado e qualificado, subsidiando a tomada de decisão pelos gestores no enfrentamento da COVID-19 no DF. 2020-05-10T19:09:47-03:00 Copyright (c) 2020 Carolina Leite Ossege, Otavio Maia dos Santos, Ana Cristina Dias Franco, Natacha de Oliveira Hoepfner, Delmason Soares Barbosa de Carvalho, Giselle Hentzy Moraes, Elaine Ramos de Moraes Rego, Ana Cristina Machado, Débora Barbosa Ronca https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8869 EDUCAÇÃO INTERPROFISSIONAL EM SAÚDE E SEU IMPACTO NA ATENÇÃO INTEGRAL 2020-09-13T20:29:22-03:00 Luísa Caroline Costa Abreu luisacaroles@gmail.com Cauê Sousa Cruz e Silva caue.s.cruz@gmail.com Karlos Henrique Messias Ribeiro dos Santos karl0s2801@gmail.com Sarah dos Santos Conceição sarahs.conceicao@gmail.com <p>A interprofissionalidade é uma ferramenta de otimização dos recursos humanos disponíveis para a consolidação da assistência à saúde integral e resolutiva. Porém, aplicá-la é um desafio, devido a formação fragmentada dos profissionais de saúde. O presente artigo visa descrever a experiência do planejamento e execução de uma atividade de educação interprofissional em saúde. Para tanto, desenvolveu-se uma oficina educativa, direcionada para prática interprofissional em saúde. Foi apresentado um caso clínico, que abordava a história de uma pessoa idosa que sofreu acidente vascular encefálico e convivia com as sequelas desse episódio, além de traumas emocionais de sua vivência. Solicitou-se que cada profissional definisse uma proposta terapêutica para o caso. Um dos participantes era convidado a apresentar sua proposta, sendo oportunizada complementação pelos demais integrantes da equipe. A oficina possibilitou a percepção de que, isoladamente, nenhuma profissão conseguiria contemplar totalmente as necessidades do usuário. Assim, fomentou o uso da ação integrada entre diferentes profissionais, ao demonstrar que ações pontuais e desarticuladas não seriam suficientes para atuar de forma efetiva nos cuidados e necessidades relacionados com a saúde do indivíduo. Portanto, o produto desta oficina resultou em uma atividade consistente, contemplada por múltiplos olhares, experiências, conhecimentos e perspectivas, que não obteria tamanho êxito se planejada isoladamente, por um único grupo profissional. Pretende-se, com este relato, propagar as potencialidades da construção coletiva e o olhar interprofissional sobre temas transversais às profissões da área da saúde.</p> 2020-06-20T17:37:26-03:00 Copyright (c) 2020 Luísa Caroline Costa Abreu, Cauê Sousa Cruz e Silva, Karlos Henrique Messias Ribeiro dos Santos, Sarah dos Santos Conceição https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/9399 CAPOEIRA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: EXPERIÊNCIAS NAS MANIFESTAÇÕES POPULARES DE SALVADOR 2020-09-13T20:29:22-03:00 Alexandra da Paixão Damasceno de Amorim paixao.alexandra@gmail.com Lenira Peral Rengel lenirarengell@gmail.com <p>Objetiva-se descrever as experiências de festejos culturais baianos no cotidiano pedagógico de uma escola de educação infantil, enfatizando aspectos da cultura baiana e suas manifestações populares. Trata-se de um relato de experiência. A dimensão polissêmica que a prática da capoeira possui corrobora para ser eixo central para atender determinantes impostos pela legislação CNE nº 11645/2008, sem perder de vista a especificidade de sua prática e as vivências culturais de Salvador por meio de projeto integrador em escola de educação infantil, tornado o corpo como eixo central do processo de ensino-aprendizagem. Conclui-se que experiências desta natureza contribuem para despertar a valorização, reconhecimento e o respeito pela cultura baiana, envolvendo as nossas manifestações populares e agregando valores culturais desde a educação infantil.</p> 2020-08-25T19:46:17-03:00 Copyright (c) 2020 Alexandra da Paixão Damasceno de Amorim, Lenira Peral Rengel https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/9525 ADERÊNCIA DE ESCOLARES NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA 2020-10-22T17:53:48-03:00 Adriano Almeida Souza almeidaef@outlook.com Natália Silva Oliveira naatysoliveira@gmail.com Sabrina da Silva Caires sabrinacaires9@hotmail.com Claudio Bispo de Almeida claudio_bispo_de_almeida@hotmail.com Hector Luís Rodrigues Munaro hlrmunaro@uesb.edu.br Cezar Augusto Casotti cacasotti@uesb.edu.br <p>A aderência nas aulas de Educação Física (EF) depende de fatores motivacionais, sociais e de saúde. Quanto mais os alunos participam das aulas de EF, maior será o nível de atividade física e, consequentemente, melhor a sua saúde. Para tanto, objetiva-se analisar a aderência dos alunos do ensino fundamental de uma escola pública nas aulas ministradas sobre conteúdo atividade física e saúde relacionado a jogos cooperativos e ginástica calistênica. Este relato de experiência refere-se às aulas ministradas por um estagiário de EF em uma turma de primeiro ano de ensino fundamental em uma escola pública localizada no município de Jequié-BA em 2019. Ministrou-se uma aula semanal com os conteúdos de ginástica calistênica e jogos cooperativos a partir de estratégias expositivo-dialogada e práticas relacionadas a saúde. Foram considerados com aderência os alunos que permaneceram em todas as etapas da aula até o final. Entre os 25 alunos matriculados na turma, 21 aderiram às aulas. Apesar de não haver professor de EF na escola, a professora da turma contribuiu em todas as atividades do estágio e no planejamento. Aulas cooperativas, com estruturação e diversificadas com proposta de atividades extras promoveram maior aderência. Conclui-se que houve adesão e aderência dos alunos nas aulas de EF, apesar dos desafios para suas para alcançar esse resultado. Aulas cooperativas, estruturadas e diversificadas foram úteis para manter a participação dos alunos. O trabalho multidisciplinar entre EF e outras disciplinas da escola potencializa o aprendizado de conteúdos específicos de forma lúdica e contextualizada.</p> 2020-10-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Adriano Almeida Souza, Natália Silva Oliveira, Sabrina da Silva Caires, Claudio Bispo de Almeida, Hector Luís Rodrigues Munaro, Cezar Augusto Casotti https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/9776 CORPO E LINGUAGEM DIALÓGICA COMO ESTRATÉGIAS DE INTERPRETAÇÃO E PARTICIPAÇÃO: UMA EXPERIÊNCIA PEDAGÓGICA NA FILOSOFIA DIFERENCIAL DA HISTÓRIA NOS LEMS 2020-10-25T11:42:38-03:00 Jorge Andrés Palma Osses jorge.palma@lms.cl Ana Karen Ramírez Balmaceda ana.ramirez.b@usach.cl <p>O trabalho apresentado é um exercício interpretativo-crítico que descreve uma experiência de aprendizagem em sala de aula no Liceo Experimental Manuel de Salas (LEMS) durante os anos 2016-2018. Tenta localizar os fundamentos históricos e epistêmicos da instituição escolar, identificando suas origens e implicações na atualidade, reconhecendo a importância do papel das provas padronizadas e da hegemonia da leitura e da escrita nas propostas curriculares e práticas pedagógicas da tradição. A escola chilena, reafirmando a legitimação do silêncio do exercício participativo e o papel da corporalidade como possibilidade de produção semiótica na escola.</p> 2020-10-25T11:42:37-03:00 Copyright (c) 2020 Jorge Andrés Palma Osses, Ana Karen Ramírez Balmaceda https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8358 CONTRA-AGENDAMENTO: A COBERTURA DO THE INTERCEPT BRASIL COMO RESISTÊNCIA À COBERTURA SILENCIOSA E ENVIESADA DA MÍDIA BRASILEIRA 2020-09-13T20:29:22-03:00 Fernanda Vasques Ferreira fernanda.jornalista82@gmail.com Louis Fernando Aldeberto Popov Cardoso louis.popov@gmail.com <span>Informar com qualidade é função precípua do jornalismo a partir de um acordo tácito entre cidadãos e imprensa. Qual o papel do <em>The Intercept Brasil </em>(TIB) no contra-agendamento das informações da operação Lava-Jato frente à cobertura jornalística da grande mídia brasileira? A Análise de Conteúdo foi utilizada para analisar conteúdos jornalísticos veiculados durante um mês de cobertura do caso pelo TIB. Identificamos que, enquanto a mídia brasileira silenciava o assunto, o TIB deu visibilidade e importância ao tema. Contudo, a cobertura do TIB foi pautada pela grande imprensa como resultado de vazamentos ilegais a partir de diálogos que poderiam ter sido adulterados. </span> 2020-05-10T19:09:47-03:00 Copyright (c) 2020 Fernanda Vasques Ferreira, Louis Fernando Aldeberto Popov Cardoso https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8410 A VIVÊNCIA DA ESPIRITUALIDADE POR USUÁRIOS DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS DE COMUNIDADE TERAPÊUTICA DO SUDOESTE BAIANO 2020-09-13T20:29:22-03:00 Sabrina Maria José Novais Meira sabrina.meira@hotmail.com Tarcísia Castro Alves tarcycastro@yahoo.com.br O uso de substâncias psicoativas (SPA) transcende a categoria de problema de saúde pública, gerando efeitos não apenas nos indivíduos, mas em toda a sociedade. As comunidades terapêuticas (CT) surgem como proposta complementar de cuidado em saúde mental que traz em sua lide uma fragilidade na cobertura assistencial do setor público de saúde. Algumas CT trazem a espiritualidade como recurso direcionador das intervenções por elas desenvolvidas. Neste sentido, o presente estudo objetivou elucidar o impacto da vivência da espiritualidade na terapêutica de usuários de substâncias psicoativas em CT do sudoeste baiano. Trata-se de um estudo qualitativo, descritivo e exploratório, com a participação de seis usuários de SPA. A coleta consistiu na aplicação entrevista semiestruturada. A análise ocorreu por meio da técnica do Discurso do Sujeito Coletivo. Observou-se a espiritualidade no CT é desenvolvida e direcionada pela vivência religiosa, intermediada pela organização e participação em cultos comunitários, estando a espiritualidade estimulada através de práticas de orações. 2020-05-10T19:09:47-03:00 Copyright (c) 2020 Sabrina Maria José Novais Meira, Tarcísia Castro Alves https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8468 SABERES DA TRADIÇÃO E CONHECIMENTOS CIENTÍFICOS: ENTRELAÇADOS PELA TEORIA DO PENSAMENTO COMPLEXO 2020-09-13T20:29:22-03:00 Lucineide Souza Santos luzsempre@hotmail.com Renato Pereira de Figueiredo renatofigueiredo2005@yahoo.com.br <span>O presente trabalho retrata fragmentos da Dissertação intitulada O Entufado-baiano, a Águia e o Ensino da Ciência. A pesquisa concretiza-se a partir da nossa inquietude quanto ao grande distanciamento do mundo dos saberes. Por um lado, os saberes da tradição, rotulados muitas vezes como um arquivo morto e sem identidade, por outro, os conhecimentos científicos, encontrados na supremacia da ciência institucionalizada. Movidos pelas vozes plurais, fazemos uma viagem, cujo destino é a Reserva Mata do Passarinho. E como estratégia para o desenvolvimento da pesquisa fizemos uso de narrativas, tendo como aporte a Teoria do Pensamento Complexo, proposta por Edgar Morin. </span><span>Os resultados visam apresentar a importância do avizinhamento entre saberes.</span> 2020-05-10T19:09:47-03:00 Copyright (c) 2020 Lucineide Souza Santos, Renato Pereira de Figueiredo https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8469 MEMÓRIA DISCURSIVA E SENTIDOS DE INTERVENÇÃO MILITAR NO BRASIL NO SÉCULO XXI 2020-09-13T20:29:22-03:00 Antônia de Jesus Alves dos Santos antoniajadsantos@gmail.com <span>Partindo do pressuposto de que a comunicação midiática cumpre importante função social, discute-se no presente texto, a partir de artigos jornalísticos publicados na impressa nacional, a relação entre sentido e memória discursiva. Diante da crise política que começou a se desenhar em 2013 e marca ainda hoje a conjuntura política e econômica do Brasil, dos discursos sobre intervenção militar materializados nos artigos selecionados, e tomando o conceito de memória discursiva da Análise do Discurso pecheutiana, busca-se aqui uma compreensão sobre os sentidos de intervenção militar mobilizados por esses dizeres.</span> 2020-05-10T19:09:47-03:00 Copyright (c) 2020 Antônia de Jesus Alves dos Santos https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8485 REVITALIZAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE LÍNGUAS ORIGINÁRIAS: O CASO TUPINAMBÁ, OLIVENÇA (BAHIA) 2020-09-13T20:29:22-03:00 Clara Carolina Souza Santos claracarolina@gmail.com Karine Silva Porto karines@fasa.edu.br <span>Neste texto, apresentaremos as escolhas para uma ortografia Tupinambá, eleita em uma assembleia democrática e esclarecida, ocorrida em 2010, com lideranças e professores indígenas, na comunidade Tupinambá, Olivença – Bahia. Essa assessoria linguística foi requerida pela própria comunidade Tupinambá, obrigada a acolher a língua portuguesa em suas interações sociais, após um longo processo de conflito e opressão. A recuperação e revitalização linguística em uma comunidade busca inserir elementos da língua original nas escolas indígenas, ensinando a língua alvo (Tupinambá) em encontros quinzenais, voltados para a produção de material didático de uso escolar. </span> 2020-05-10T19:09:47-03:00 Copyright (c) 2020 Clara Carolina Souza Santos, Karine Silva Porto https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8618 CONCEITO DE SEGUNDA ORDEM: O DIÁLOGO COM O PASSADO PELOS ALUNOS DO ENSINO MÉDIO 2020-09-13T20:29:22-03:00 Izis Pollyanna Teixeira Dias de Freitas sertaovalente@yahoo.com.br Edinalva Padre Aguiar edinalva.aguiar@uesb.edu.br <p>O texto que se segue refere-se a parte da discussão teórica da pesquisa intitulada A concepção de passado apresentada pelos jovens e alunos do Ensino Médio (Lagoa Real/BA) que se encontra em andamento junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGED), da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Insere-se no campo do ensino da História e seu principal objetivo é analisar as concepções de passado apresentadas por alunos do Ensino Médio. A escolha de tal conceito ocorreu por considerarmos importante investigar como os alunos dialogam com o passado e, pensando historicamente, possibilitam em si a construção efetiva da aprendizagem histórica. Definimos a abordagem qualitativa como matriz teórico-metodológica a ser utilizada na análise dos dados.</p> 2020-05-16T19:32:34-03:00 Copyright (c) 2020 Izis Pollyanna Teixeira Dias de Freitas, Edinalva Padre Aguiar https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8623 JOGOS E BRINCADEIRAS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA PARA O DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA 2020-09-13T20:29:22-03:00 Divanalmi Ferreira Maia divanalmi@gmail.com Álvaro Luís Pessoa de Farias alvarofariasalpf@gmail.com Marcos Antonio Torquato de Oliveira prof_torquato@hotmail.com <p>As aulas de Educação Física, presentes no convívio diário, proporcionaram nas crianças conhecimentos diversificados a partir do momento que foi estimulado o desenvolvimento motor, afetivo, cognitivo e social. Porém, relacionando essas experiências com os jogos e brincadeiras de maneira lúdica, o aprendizado se tornou cada vez mais fácil. Dessa forma, a criança atribuiu sentido ao seu mundo, apropriando-se de conhecimentos relacionados ao meio que estão inseridas, possibilitando na construção de sua própria identidade. O presente trabalho buscou planejar e promover atividades para auxiliar no desenvolvimento integral da criança por meio de jogos e brincadeiras. O estudo foi desenvolvido através de um relato de experiência, realizada através de aulas práticas e teóricas, registradas através de fotos e vídeos. Os jogos e brincadeiras podem ser utilizados nas aulas de Educação Física como ferramentas estimuladoras e enriquecedoras, pois contribui para o professor ter mais possibilidades de trabalhar o desenvolvimento das crianças com recursos adequados garantindo resultados favoráveis aos objetivos propostos. Podemos concluir que, de acordo com os objetivos e os conceitos abordados nessa pesquisa, os jogos e brincadeiras não podem ser negligenciados pelos professores na escola, pois contribuem na formação humana, proporcionando aos alunos conhecimento de si mesmo e do que o cerca e é imprescindível que tenhamos a consciência da contribuição dessas ferramentas pedagógicas nas aulas de Educação Física.</p> 2020-05-17T17:51:24-03:00 Copyright (c) 2020 Divanalmi Ferreira Maia, Álvaro Luís Pessoa de Farias, Marcos Antonio Torquato de Oliveira https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/6994 INCIDÊNCIA HISTÓRICA DO ESPORTE NA REGIÃO DA CHAPADA DIAMANTINA - SERTÃO BAIANO 2020-09-13T20:29:22-03:00 Fábio Santana Nunes fabiosanunes@bol.com.br Jean Carlo Ribeiro jeancarlo@mail.uft.edu.br <p>Objetiva-se com este trabalho revelar a incidência histórica do esporte no Sertão Baiano, em especial, a região de Jacobina na Chapada Diamantina. Tomamos como recorte histórico as décadas de 20 e 30 do século XX e como fontes da pesquisa, jornais publicados no período. Nos periódicos “O Centro” e “O Lidador”, respectivamente, encontramos indícios de organização esportiva no início da década de 1920 e vivências de futebol e basquetebol durante a década de 1930. Os registros agregam ao movimento de interiorização dos esportes no Brasil, fenômeno ocorrido principalmente a partir do início do século XX. Confirmando uma tendência evidenciada em recentes estudos históricos sobre o esporte nos sertões brasileiros, em Jacobina, práticas esportivas teriam sido registradas em ambiente ainda de baixa densidade demográfica e tímido processo de urbanização.</p> 2020-07-30T21:12:36-03:00 Copyright (c) 2020 Cenas Educacionais