“SE ELA DANÇA EU DANÇO”: EXERGAMES DE DANÇA

Palavras-chave: Dança, Educação Física e Treinamento, Jogos de Vídeo

Resumo

O estudo tem como foco a dança na escola e a possibilidade pedagógica dos exergames para o ensino da dança. Temos a dança escolar carregada de sentidos e significados e seu conteúdo na maioria das vezes, é ministrado apenas em eventos festivos e sem a devida abordagem. Objetivamos neste artigo apresentar reflexões teóricas de conversação entre o uso de exergames de dança e as aulas de Educação Física escolar junto ao ensino fundamental. Realizamos uma pesquisa teórica. Discutimos o fato de ser extremamente significativo estimular, motivar e introduzir as crianças num universo significativo de brincar e se-movimentar, por meio da dança e os exergames. Não pretendemos solucionar as dificuldades que o ensino da dança encontra na escola, apenas sabendo-se, dessas barreiras, permanece o desafio da inserção da educação física no universo digital dos exergames.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jonas Godtsfriedt, Técnico universitário na Universidade do Estado de Santa Catarina - Brasil

Doutor em Ciências do Movimento Humano pela Universidade do Estado de Santa Catarina com Bolsa pelo Programa de Bolsas Universitárias de Santa Catarina UNIEDU/Pós-Graduação (Chamada pública nº 1423/SED/2019). Membro do Grupo de Pesquisa Saúde, Educação, Movimento e Evolução.

Referências

ALMEIDA, F. de S.; NEVES, D. F. A dança, a criança e as tecnologias: favorecendo a integração de linguagens no contexto educativo. Cenas Educacionais, v. 4, p. e10406-e10406, 2021.

ARAÚJO, J. G. E.; BATISTA, C.; MOURA, D. L. Exergames na Educação Física: uma revisão sistemática. Movimento, v. 23, n. 2, p. 529-541, 2017.

ATHAYDE, R. Jogos Digitais na Educação Física Escolar: JUST DANCE NOW vai para sala de aula. 50 f. Monografia (especialização) – Universidade Federal de Santa Catarina, Programa de Pós-graduação em Educação na Cultura Digital. Florianópolis, SC. 2016.

BARACHO, A. F. de O.; GRIPP, F. J.; LIMA, M. R. de. Os exergames e a educação física escolar na cultura digital. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 34, n.1, p. 111-126, jan./mar. 2012.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular [Internet]. [citado em Fev, 27, 2022]. Disponível em:http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf . Brasília: Ministério da Educação; 2017.

CAILLOIS, R. Os jogos e os homens. trad de JG Palha. Lisboa: CotovIa, 1990.

COSTA, A. R. et al. “Brincar e se-movimentar” da criança: a imprescindível necessidade humana em extinção? Corpoconsciência, v. 19, n. 3, p. 45–52, 2015.

CRUZ JUNIOR, G. Retóricas do crime e poéticas do fora-da-lei: rastros de uma pedagogia do" mau-exemplo" nos videogames. 212f. Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Florianópolis, 2016.

CRUZ, M. M. S.; MEDEIROS, A. G. A. Educação física e dança: proposições e possibilidades na escola. Cenas Educacionais, v. 3, p. e7023, 2020.

DA SILVA, A. P. S.; SILVA, A. M. Jogos eletrônicos de movimento: esporte ou simulação na percepção de jovens?. Motrivivência, v. 29, n. 52, p. 157-172, 2017.

DE CASTRO, F. B.; KUNZ, E. O controle da subjetividade e das experiências corporais sensíveis: implicações para o brincar e se-movimentar da criança. Motrivivência, v. 27, n. 45, p. 44–57, 2015.

DE OLIVEIRA, J. L. Ensinar e aprender com as tecnologias digitais em rede: possibilidades, desafios e tensões. Revista Docência e Cibercultura, v. 2, n. 2, p. 161-184, 2018.

DINIZ, I. K. dos S.; DARIDO, S. C. Livro didático: uma ferramenta possível de trabalho com a dança na Educação Física Escolar. Motriz, v…v. 18, n. 1, p. 176-185, jan./mar. 2012.

FERREIRA, M. L. S.; GRAEBNER, L.; MATIAS, T. S. Percepção de alunos sobre as aulas de Educação Física no Ensino Médio. Pensar a Prática, v. 17, n. 3, p. 734-750, jul./set. 2014.

FERREIRA, V. Dança escolar: um novo ritmo para a educação física. Rio de Janeiro: Sprint, 2009.

GAO, Z. et al. Video game-based exercise, Latino children’s physical health, and academic achievement. American Journal of Preventive Medicine, v. 44, n. 3, p. S240-S246, 2013.

GEE, J. P. Bons videogames e boa aprendizagem. Perspectiva, v. 27, n.1, p.167-178, jan./ jun. 2009.

HUIZINGA, J. Homo Ludens: o homem como elemento da cultura. 2008.

MARCHETTI, P. H. et al. Jogos eletrônicos interativos “EXERGAMING”: uma breve revisão sobre suas aplicações na Educação Física. Pulsar, v. 3, n. 1, p. 1-13, 2011.

MARQUES, I. A. Dançando na escola. 4 ed. São Paulo: Cortez, 2007.

NEIRA, M. G. Incoerências e inconsistências da BNCC de Educação Física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 40, p. 215-223, 2018.

QUIROGA, M. A. et al. Video-games: Do they require general intelligence?. Computers & Education, v. 53, n. 2, p. 414-418, 2009.

SILVA, T. M. R.; KUNZ, E. O brincar dançante: a criança e sua inerente necessidade de brincar e se-movimentar pela dança. Corpoconsciência, v.23, n.1, p.100-108, 2019.

SURDI, A. C.; DE MELO, J. P.; KUNZ, E. O brincar e o se-movimentar nas aulas de Educação Física Infantil: realidades e possibilidades. Movimento, v. 22, n. 2, p. 459–470, 2016.

TONDIN, B.; DE BONA, B. C. A dança e seu espaço na escola: educação física ou artes?. Kinesis, v. 38, p.01-14, 2020.

VAGHETTI, C. et al. Exergames no currículo da escola: uma metodologia para as aulas de Educação Física. Proceedings of XII Simpósio Brasileiro de Jogos e Entretenimento Digital, p. 16-18, 2013.

VAGHETTI, C. A. O.; BOTELHO, S. S. da C. Ambientes virtuais de aprendizagem na educação física: uma revisão sobre a utilização dos exergames. Ciência e Cognição, v. 15, n. 1, p. 76-88, 2010.

Publicado
2022-03-02
Métricas
  • Visualizações do Artigo 119
  • ♪Áudio do resumo♪ downloads: 5
Como Citar
Godtsfriedt, J. (2022). “SE ELA DANÇA EU DANÇO”: EXERGAMES DE DANÇA. Cenas Educacionais, 5, e13251. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/13251
Seção
Artigos (Fluxo Contínuo)