A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO NA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS: O PROTAGONISMO EM CRIANÇAS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Palavras-chave: Construção de Conhecimento, Educação Escolar Básica, Processo de Ensino-Aprendizagem

Resumo

A construção do conhecimento de forma contextualizada com a realidade da criança e com uma sociedade múltipla ainda é um grande desafio para a Educação Brasileira. O objetivo desta pesquisa consiste em compreender o desenvolvimento do protagonismo infantil na construção do conhecimento científico por meio da prática pedagógica explorando a contação de histórias em uma escola da rede pública municipal de ensino. A pesquisa de caráter qualitativo, desenvolvida na metodologia de Estudo de Caso, baseia-se na realização e observação das práticas pedagógicas em uma turma de 3º ano do Ensino Fundamental, no estado Rio Grande do Sul, Brasil. As discussões ocorrem no contexto da pesquisa desenvolvida pelo grupo de pesquisa Convivência e Tecnologia Digital na Contemporaneidade - COTEDIC UNILASALLE/CNPq. Os dados empíricos são os registros das atividades dos educandos e anotações da professora. Assim, reflete-se sobre o protagonismo infantil na construção do conhecimento científico por meio da elaboração de hipóteses, experiências e ação cognitiva, e na contação de histórias para a contextualização dos conhecimentos e elaboração de metáforas. A partir desta pesquisa, procura-se aproximar a criança do fazer científico, refutando a ideia de que o conhecimento está pronto, imutável e deve ser somente memorizado. O desenvolvimento do protagonismo se dá por meio de práticas pedagógicas: em que as crianças tem vez e voz e seus conhecimentos legitimados; que contemplam a autonomia, a ação cognitiva, a autoria e o senso crítico para a construção de novos conhecimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Érica Cecília Da Boit, Mestranda em Educação na Universidade La Salle - Brasil

Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional pela Faculdade Dynamus de Campinas. Professora na Rede Pública Municipal de Nova Santa Rita e na Rede Estadual do Rio Grande do Sul. Integrante do Grupo de Pesquisa Convivência e Tecnologia Digital na Contemporaneidade.

Luciana Backes, Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade La Salle - Brasil

Doutora em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos e Doutora em Sciences de l’Education pela Université Lumiére Lyon - 2. Pós-Doutora em Ciências Sociais pela Université Paris Descartes – Sorbone.  Professora convidada no Centre Edgar Morin (Paris). Coordenadora do Grupo de Pesquisa Convivência e Tecnologias Digitais na Contemporaneidade.

Referências

BACKES, L. Espaço de Convivência Digital Virtual: A cultura emergente no processo de formação do educador. 2011. Tese (Doutorado em Educação). Universidade do vale do Rio dos Sinos- UNISINOS, São Leopoldo, Rio Grande do Sul, 2011. Cotutela em Science de l’Education, Université Lumière Lyon 2.

BACKES, L. As manifestações da autoria na formação do educador em espaços digitais virtuais. Educação, Ciência e Cultura, v.17, n.2, p.71-85, 2012.

BACKES, L; MANTOVANI, A.M. Educação On-Line na Cibercultura: Desafios de literaturalizar a Ciência em E-book. Informática na Educação: teoria e prática, v.20, n.4, p.95-113, 2017.

BACKES, L.; MANTOVANI, A. M.; BARCHINSKI, K. C. Educação Superior em espaços híbridos: a presença e a copresença no processo de cooperação. Conjecturas: Filos. Educ, Caxias do Sul, v.22, n.3, p.458-481, 2017.

BACKES, L.; CHITOLINA, R.; SCIASCIA, C. Recontextualização das Ciências por meio da Contação de Histórias:O Processo de Aprendizagem. PSIQUE, v.15, n.1, p.128-143, 2019.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. (Versão dezembro 2017). Brasília: MEC, 2017.

FELICETTI, V. L. Um estudo sobre o problema da MATOFOBIA como agente influenciador nos altos índices de reprovação na 1º série do Ensino Médio. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação). - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul. 2007.

FREIRE, P. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. 2.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

LAKOFF, G.; JOHNSON, M. Los mitos del objetivismo y el subjetivismo. In: LAKOFF, G.; JOHNSON, M (Orgs.) Metáforas de la vida cotidiana. Madrid: Ediciones Catedra, 1986.

LIBÂNEO, J.C. Democratização da escola pública: pedagogia crítico-social dos conteúdos. 27.ed. São Paulo: Loyola, 2012.

MALUF, M. As Mil e Uma Histórias de Manuela. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

MATURANA, H.; VARELA, F. De máquinas e seres vivos. Autopoiese: organização dos vivos. 3.ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

MATURANA, H.; VARELA, F. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. São Paulo: Palas Athena, 2002.

MATURANA, H. et al. A realização da vida. Science Daily, 2005.

PALMA, H. A Ciencia y metáforas: Los viejos ruidos ya no sirven para hablar. Cuardernos de Neuropsicologia, v.9, n.1, p.134-146, 2015.

SANTOS, B.S. Um discurso sobre as ciências. São Paulo: Cortez, 2004.

YIN, R.K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Publicado
2022-01-01
Métricas
  • Visualizações do Artigo 145
  • ♪Áudio do resumo♪ downloads: 1
Como Citar
Da Boit, Érica C., & Backes, L. (2022). A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO NA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS: O PROTAGONISMO EM CRIANÇAS DO ENSINO FUNDAMENTAL. Cenas Educacionais, 5, e12583. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/12583
Seção
Dossiê Temático - PRÁTICAS/REFLEXÕES PEDAGÓGICAS FREIREANAS