POR UMA DIDÁTICA CRÍTICA E LÚDICA

Palavras-chave: Pedagogia, Formação inicial, Ludicidade

Resumo

Neste trabalho iremos analisar a ludicidade na formação inicial de pedagogos, descrevendo-a em importância para a intersecção necessária dos elementos do ensino, dos saberes docentes e ainda, como possibilidade de provimento do pensamento sobre os dilemas da prática, já que permite a expressão da tensão da relação conteúdo e forma e o estreitamento da relação teoria e prática, expondo temas essenciais à compreensão da didática e da formação de professores. A busca de uma síntese da formação inicial de professores, da apropriação da concepção crítica de educação e do papel da criatividade lúdica neste processo constitui a busca do presente artigo.  O objetivo desta análise diz respeito, então, à introdução da ludicidade como elemento formador do pedagogo, analisando sua seriedade na apropriação da teoria pedagógica e da constituição dos saberes do conhecimento e pedagógico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bernadete de Souza Porto , Docente no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Ceará

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Ceará. Integrante do Grupo de Pesquisa Formação Docente.

Referências

ALMEIDA, P. N. Educação lúdica – técnicas e jogos pedagógicos. 6ªed.São Paulo:Loyola, 1990.

ANGOTTI, M. Semeando o trabalho docente. In: OLIVEIRA, Z.M. Educação infantil: Muitos olhares. São Paulo:Cortez, 1994.

BAKHTIN, M. Marxismo e Filosofia da Linguagem. 5a. Ed., S.P.:HUCITEC, 1990.

BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. 5a. Ed., São Paulo:HUCITEC, 1990.

BROUGÉRE . G. O Jogo e a educação. Porto Alegre, Artes Médicas, 1998 (Cap. 5)

BROUGÉRE . O Jogo e a Educação. Porto Alegre, Artes Médicas, 1998 (Cap. 5)

BROUGERÉ, Gilles. A criança e a cultura lúdica. In: KISHIMOTO, T. O brincar e suas teorias . São Paulo, Pioneira

BROUGÈRE, Gilles. Brinquedo e Cultura. São Paulo: Cortez, 1995.

CANDAU, V. (Org.) Magistério: construção cotidiana. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

CHATEAU, J. O Jogo e a criança. São Paulo: Summus Editorial, 1987.(Introdução).

CHATEAU, Jean. O Jogo e a Criança. São Paulo, Summus Editorial, 1987.(Introdução)

CRÓ, M. L. Formação inicial e contínua de educadores/professores: estratégias de intervenção. Lisboa, Portugal:Porto editora, 1998.

CURY, J. Educação e contradição: elementos metodológicos para uma teoria crítica do fenômeno educativo. São Paulo: Cortez, Autores Associados, 1989.

D’ÁVILA, C. Eclipse do Lúdico. D´ÀVILA, M.C. (org.). Educação e Ludicidade. Ensaios 04. Salvador: UFBA/FAED/GEPEL, 2007.
de Janeiro: Bertrand Brasil, 1985.

DUARTE, N. Educação escolar, teoria do cotidiano e a escola de Vigotski. Campinas, SP :Autores Associados, 1996. (Coleção polêmicas do nosso tempo; v.55).

DUARTE, Newton. Educação escolar, teoria do cotidiano e a escola de Vigotski. Campinas, SP:Autores Associados, 1996. (Coleção polêmicas do nosso tempo; v.55)

EDWARDS, V. Os sujeitos no universo da escola. São Paulo: Ática, 1997.

ELKONIN, D. B. Psicologia do Jogo .S.P.: Martins Fontes,1998 S.P.: Cortez, 1995. (Cap.5)

ELKONIN, D. B. Psicologia do jogo .S.P.: Martins Fontes,1998 São Paulo: Cortez, 1995. (Cap.5).

ENGELS, F. A Dialética da Natureza. 3a. Edição. R. J.:Paz e Terra, 1979

ENGELS, F. A Dialética da natureza. 3a. Edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979. 218

FISCHER, E. A necessidade da arte. Rio de Janeiro: Zahar editores, 1971.

FORTUNA, Tânia. A Formação Lúdica Docente e a universidade. Porto Alegre: UFRGS, 2011. 425p. Tese de (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira. Universidade do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

FRANCHI , E. Pedagogia da Alfabetização. S. P.: Cortez, 1988.

FREIRE, P. Educação e mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

GIROUX, H. Teoria crítica e resistência em educação. Petrópolis, RJ: 1986.

GNERRE E GAGLIARI. Línguagem, escrita e poder. S.P.: Martins Fontes, 1987.

HUIZINGA, . Homo ludens . São Paulo, Editora Perspectiva , 1990 (Cap. 1)

HUIZINGA, . Homo Ludens. São Paulo, Editora Perspectiva, 1990 (Cap. 1)
In.: Cadernos de Pesquisa/Núcleo de Filosofia e História da Educação. V. 3., n.1. (1999) – Salvador: UFBA. Faculdade de Educação. Programa de Pós graduação e Pesquisa, 1999.

KISHIMOTO, T. Jogo, brinquedo, brincadeira e educação. São Paulo: Cortez, 1996

KLEIN, Lígia R. Alfabetização: quem tem medo de ensinar? S.P.: Cortez; Campo Grande: editora UFMS, 1996.

KOSIK, Karel. Dialética do Concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

KRAMER, S. Por entre as pedras- arma e sonho na escola. 2ª ed. S.P.: Ática, 1994.

LEONTIEV, A O desenvolvimento do Psiquismo Humano. Lisboa: Livros Horizonte. 1978

LIBÂNEO, J. C. Democratização da escola pública. 2ª ed. São Paulo: Loyola, 1986.

LUCKESI, C. Filosofia da educação. São Paulo: Cortez :Autores Associados, 1996.

LUKÁCS, G. Ontologia do ser social – os pricípios ontológicos fundamentais da Marx, São Paulo: Ciências Humanas, 1979.

LURIA, A R. Pensamento e linguagem Poroto Alegre: Artes médicas, 1986.

MARQUES, M. L. & AZEVEDO, Ma. A. (Orgs) Alfabetização hoje. São Paulo: Cortez, 1994.

MARTINS et all. Um estudo da relação entre jogo, trabalho e criatividade na aprendizagem da leitura e escrita de crianças de classes populares. Relatório de pesquisa (mimeo, 1994)

MARTINS, A & ESPOSITO, V. (orgs). Pedagogo artesão: construindo a trama no cotidiano da escola. São Paulo:EDUC:1996.

MARX e ENGELS. Cartas filosóficas e outros escritos. São Paulo, Grijalbo, 1977.

MARX, K. O Capital-crítica da economia política, Livro I, Vol. I, 13a. ed., Rio

MOITA, M. C. Percursos de formação e de trans-formação. IN Nóvoa, Antonio. Vidas de professores. Porto Editora, 2ª edição, 1997.

MORALES, P. A relação professor-aluno – o que é, como se faz. São Paulo:Edições Loyola, 1999.

MRECH, L. M. O uso de brinquedos e jogos na interação psicopedagógica de crianças com necessidades especiais. In: KISHIMOTO, T. M. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortez, 1996.

NEGRINE, A . Aprendizagem e desenvolvimento infantil – simbolismo e jogo. Porto Alegre: PRODIL, 1994.

NEGRINI, ª Aprendizagem e desenvolvimento infantil – simbolismo e jogo. Porto Alegre:PRODIL, 1994.

NÓVOA, A. (org) Vidas de professores. Porto Editora, 2ª edição, 1997.

NUNES, V. M. L. Os espaços potenciais na sala de aula: um estudo das possibilidades de descrição da criatividade infantil. Tese (Doutorado em Educação, UFBA), Salvador, 1997.

OLIVEIRA, M. Vygotsky – Aprendizado E Desenvolvimento – Um Processo Sócio-Histórico. S.P. Scipioni, 1993.

OLIVEIRA, M. Vygotsky – aprendizado e desenvolvimento – um processo sócio histórico. São Paulo: Scipioni, 1993.

OLIVEIRA, Z. M. Educação infantil: muitos olhares. São Paulo: Cortez, 1994.

OLIVEIRA, Zilma M. Educação infantil: muitos olhares. S. P.> Cortez, 1994.

OSTROWER, Fayga. Acasos e a criação artística. Rio de Janeiro, RJ: Campus. 1990.

OSTROWER, Fayga. Criatividade e processos de criação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

PAZ, Otavio. Marcel Duchamp ou o castelo da pureza. São Paulo, SP: Ed. Perspectiva, 2004.

PENTEADO, H. D. Jogo e formação de professores: video psicodrama pedagógico. In. KISHIMOTO, T. M. (Org.) In: Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortez, 1996.

PIMENTA, S. G. (org.) Didática e formação de professores: percursos e perspectivas no Brasil e em Portugal. São Paulo: Cortez, 1997. 226

PIMENTA, Selma Garrido. Para uma Ressignificação da Didática – ciências da educação, pedagogia e didática (uma revisão conceitual e uma síntese provisória). In:
PIMENTA, Selma Garrido (Org.). Didática e Formação de Professores: percursos e perspectivas no Brasil e em Portugal. São Paulo: Cortez, 2011.

PIMENTA, Selma Garrido. Professor: formação, identidade e trabalho docente. In:

PIMENTA, Selma Garrido; GHEDIN, Envandro (Orgs.). Professor Reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. 7 ed. São Paulo: Cortez, 2012.

PIRES DOS SANTOS, S.M.P. O lúdico na formação do educador. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

PORTO, B. S. Cotidiano escolar: repetição/invenção/reinvenção. Recife, Pe, 1993, Dissertação (Mestrado em Educação), UFPE, 1993.

PORTO, Bernadete de Souza. Bola de meia, bola de gude: a criatividade lúdica, a formação e a prática pedagógica do professor-alfabetizador. Fortaleza: UFC, 2001. 249p. Tese de (Doutorado em Educação Brasileira) – Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira. Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2001.

REDIN, E. O espaço e o tempo da criança: se der tempo a gente brinca. Porto Alegre:Mediação, 1998.

RODRIGUES, Â. & ESTEVES, M. Análise de necessidades na formação de professores. Lisboa, Portugal:Porto editora, 1993.

ROSA, S. Construtivismo e Mudança. São Paulo, Cortez, 1994.

SANTOS, S.M.P. O lúdico na formação do educador. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

SAVIANI, D. Escola e democracia. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1983.

SAVIANI. Filosofia da Educação Brasileira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991a.

SILVA, T. T. Desconstruindo o construtivismo pedagógico. Porto Alegre, SHUCHODOLSKI, B. A pedagogia e as grandes correntes filosóficas: a pedagogia da essência e a pedagogia da existência. 4ª ed. Lisboa: Livros Horizonte, 1992.

THERRIEN, Jacques. Da epistemologia da Prática à Gestão dos Saberes no Trabalho Docente: convergências e tensões nas pesquisas.In: DALBEN, A.; DINIZ, J.; SANTOS, L. (Org). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente.XV ENDIPE. Belo Horizonte: Autêntica, 2010b. Disponível em: http://jacquestherrien.com.br/publicacoes-disponiveis/. Acesso em: 15/10/17.

VÁSQUEZ, A. Filosofia da Praxis, 2a. ed., Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. A aventura de formar professores.2 ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Alternativas Pedagógicas para a Formação do Professor da Educação Superior. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro e VIANA, Cleide Maria Quevedo Quixadá. (Orgs.) Docentes para a Educação superior: processos formativos. Campinas, SP: Papirus, 2010.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Didática: uma retrospectiva histórica. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro. (coord.). Repensando a Didática. 21. ed. Campinas, São Paulo: Parirus, 2004.

VYGOTSKY, L.S.. Teoria e método em Psicologia. São Paulo: Martins Fontes, 1996 a

WALLON, H. A evolução psicológica da criança. São Paulo: Martins Fontes: Edições 70, 1981.
Publicado
2021-02-03
Métricas
  • Visualizações do Artigo 93
  • ♪Áudio♪ downloads: 4
Como Citar
Porto , B. de S. (2021). POR UMA DIDÁTICA CRÍTICA E LÚDICA. Cenas Educacionais, 4, e10658. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10658
Seção
Dossiê Temático - DIDÁTICA EM QUESTÃO