CONCEITO DE SEGUNDA ORDEM: O DIÁLOGO COM O PASSADO PELOS ALUNOS DO ENSINO MÉDIO

Palavras-chave: Passado, Aprendizagem Histórica, Ideias Históricas, Conceito de Segunda Ordem, Educação Histórica.

Resumo

O texto que se segue refere-se a parte da discussão teórica da pesquisa intitulada A concepção de passado apresentada pelos jovens e alunos do Ensino Médio (Lagoa Real/BA) que se encontra em andamento junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGED), da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB).  Insere-se no campo do ensino da História e seu principal objetivo é analisar as concepções de passado apresentadas por alunos do Ensino Médio. A escolha de tal conceito ocorreu por considerarmos importante investigar como os alunos dialogam com o passado e, pensando historicamente, possibilitam em si a construção efetiva da aprendizagem histórica. Definimos a abordagem qualitativa como matriz teórico-metodológica a ser utilizada na análise dos dados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Izis Pollyanna Teixeira Dias de Freitas, Professora na rede Estadual de Educação do Estado da Bahia - Brasil

Mestranda em Educação pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (PPGEd-UESB). Integrante do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Ensino de História (LAPEH/CNPq).

Edinalva Padre Aguiar, Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil

Doutora em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA/BA). Membro do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Ensino de História (LAPEH). 

Referências

AGUIAR, Edinalva Padre. O ensinado, o aprendido: a educação histórica e a consciência histórica. 2013. 338 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2013. Disponível em: <https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/14561/1/Tese%20Edinalva%20Padre%20Aguiar.pdf> Acesso em: 07 jun. 2018.

BARCA, Isabel. Educação histórica: uma nova área de investigação. In: Revista da Faculdade de Letras História. Porto, III Série, vol. 2, 2001, p. 013-021.

BORRIES, Bodo von. Competência do pensamento histórico, domínio de um panorama histórico ou conhecimento do cânone histórico? Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 60, p. 171-196, abr./jun. 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/er/n60/1984-0411-er-60-00171.pdf>. Acesso em 11 jan.2019.

CASTRO, Júlia. Perspectivas de alunos do ensino secundário sobre a interculturalidade e o conhecimento histórico. In: Currículo sem Fronteira, v. 7, n. 1, pp. 28-73, jan/jun 2007. Disponível em: <http://www.curriculosemfronteiras.org/vol7iss1articles/castro.pdf>. Acesso em 24 out.2018.

HOBSBAWM, Eric J. Era dos extremos: o breve século XX: 1924-1991. Trad. Marcos Santarrita. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

LEE, Peter. “Nós fabricamos carros e eles tinham que andar a pé”: Compreensão das pessoas do passado. In: BARCA, Isabel (Org.). Actas das Segundas Jornadas Internacionais de Educação História. Braga: 2003, p. 9-19.

LEE, Peter. DICKINSON, Alaric. ASHBY, Rosalyn. Las ideas de los niños sobre la historia. In: CARRETRO, Mario. VOSS, james F. (Comps.). Aprender e pensar la historia. Buenos Aires: Amorrortu, 2004, p. 217-248.

LEE, Peter. Em direção a um conceito de literacia histórica. Educar em Revista, nº espe Curitiba, p. 131-150, 2006. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.403>. Acesso em 11 jan.2019.

LEE, Peter. Literacia histórica e história transformativa. Educar em Revista, nº 60 pp. 107-146. Curitiba Apr./June 2016. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-40602016000200107&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em 11 jan.2019.

SANTOS, Flávio Batista dos; CAINELLI, Marlene Rosa. Educação Histórica e Temporalidade: campo e categoria do ensino e aprendizagem em História. Rer. HISTEDBR. Campinas, SP v. 19, p. 1-16, julho 2019. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8654355/21036>. Acesso em 06 ago.2019.

SANTOS, Rita de Cássia G. Pacheco dos. O conceito de passado e sua significância histórica para professores de história e os livros didáticos recebidos no PNLEM. In: ANTÍTESES, v. 5, n. 10, p. 537-553, jul. /dez. 2012. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/issue/view/855> Acesso em: 03 jul. 2018.

SANTOS, Rita de Cássia G. Pacheco dos. A significância do passado para professores de história. 2013. 262 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2013. Disponível em: <http://www.ppge.ufpr.br/teses/d2013_Rita%20de%20Cassia%20Gon%C3%A7alves%20Pacheco%20dos%20Santos.pdf> Acesso em: 07 jun. 2018.

SCHMIDT, Maria Auxiliadora M. dos S. Perspectiva da consciência histórica e da aprendizagem em narrativas de jovens brasileiros. Tempos Históricos. Volume 12 - 1º semestre, 2008, p. 81-96. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/download/1946/1538. Acesso em: 04 fev. 2020.

Publicado
2020-05-16
Métricas
  • Visualizações do Artigo 500
  • ♪Áudio♪ downloads: 25
Como Citar
Freitas, I. P. T. D. de, & Aguiar, E. P. (2020). CONCEITO DE SEGUNDA ORDEM: O DIÁLOGO COM O PASSADO PELOS ALUNOS DO ENSINO MÉDIO. Cenas Educacionais, 3, e8618. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/8618
Seção
Artigos (Fluxo Contínuo)

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##