PRESENÇA E ATUAÇÃO DE MULHERES MÃES NA UNIVERSIDADE: DIALOGANDO COM PROFESSORES/AS E ALUNAS

Samara Gomes Aguiar, Valquiria Normanha Paes, Sônia Maria Alves de Oliveira Reis

Resumo


Este trabalho objetivou analisar, a partir das especificidades da condição feminina, como acontece o ingresso, a permanência e a participação de mulheres que são: “mães, esposas, donas de casa ou trabalhadoras” no Departamento de Educação, Campus XII da Universidade do Estado da Bahia. A análise dos dados aqui apresentados fundamenta-se predominantemente nos pressupostos da abordagem qualitativa, que auxiliou no entendimento em amplitude do contexto do problema. Tendo em vista que esta é uma pesquisa de campo, valeu-se de questionários e entrevistas semiestruturadas visando identificar o perfil das estudantes que cursam a Educação Superior no Campus XII. Para apurar os dados coletados, recorreu-se à técnica da análise de conteúdo por ela se tratar de uma verificação múltipla de significados sobre um mesmo fenômeno. Os resultados apontam que hoje os problemas mascararam-se de formas bastante sutis, tornando-se mais difíceis de serem problematizados e devido a isso as mulheres defrontam-se com batalhas que nem elas mesmas sabem que precisam ser lutadas, tendo como maior adversária a naturalização de sua situação, pois ela conduz a um estado de acômodo frente à negação de muitos de seus direitos, e isso impede a mudança de acontecer. As discussões tecidas ao longo do texto mostraram ainda que o perfil das mulheres mudou, assim como suas funções na sociedade e em virtude disso a academia não pode mais invisibilizar esse público, pois diante de um predomínio numérico e maioria substancial, atuam agora como protagonistas em diversos ambientes, e também em suas próprias vidas.


Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Darlane Silva Vieira; SANTOS, Helena Miranda dos (Orgs). Gênero na psicologia: articulações e discussões. Salvador/BA, 2013. Disponível em: Acesso em: 20 set. 2017.

BADINTER, Elisabeth. Um amor conquistado: o mito do amor materno. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Tradução Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) - terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília/DF: MEC/SEF, 1998.

CARVALHO, Débora Jucely. A conquista da cidadania feminina. Revista multidisciplinar da UNIESP, 2011. Disponível em: . Acesso em: 26 mai. 2015.

DELPHY, Christine. Patriarcado (Teorias do). In: HIRATA, Helena. et al. (Orgs.). Dicionário crítico do feminismo. São Paulo/SP, 2009.

FERREIRA, Norma Sandra de Almeida. As Pesquisas Denominadas “Estado da Arte”. Educação & Sociedade. Ano XXIII, nº 79. 2002. Disponível em: . Acesso em: 13 set. 2018.

FIORIN, Pascale Chechi; OLIVEIRA, Clarissa Tochetto de; DIAS, Ana Cristina Garcia. Percepções de mulheres sobre a relação entre trabalho e maternidade. Revista Brasileira de Orientação Profissional. São Paulo/SP, 2014. v. 15. n.1. p. 25-35. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2018.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas 2003.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 21. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

SANTANA, Joelma Ramos; WAISSE, Silvia. Chegada e difusão da pílula anticoncepcional no Brasil, 1962-1972: qual informação foi disponibilizada às usuárias potenciais. Revista Brasileira de História da Ciência. Rio de Janeiro/RJ, v. 9, n. 2, p. 203-218, jul/dez 2016. Disponível em: . Acesso em: 07 set. 2018.

SOBRINHO; José Dias. Universidade fraturada: reflexões sobre conhecimento e responsabilidade social. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior. Campinas; Sorocaba, SP, v. 20, n. 3, p. 581-601, nov. 2015. Disponível em: . Acesso em: 08 nov. 2018.

SOUSA, Cynthia Pereira de. Gênero e Universidade no Brasil: acesso ao Ensino Superior e condição feminina no meio universitário. In: GARCÍA, Consuelo Flecha; PALERMO, Alicia Itatí. (Orgs.). Mujeres e Universidad em España y América Latina. Buenos Aires/Argentina: Mino y Dávila, 2008. Disponível em: . Acesso em: 05 nov. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Cenas Educacionais

CONTATO

 Programa de Pós-graduação em Ensino, Linguagem e Sociedade, Departamento de Ciências Humanas, Campus VI da Universidade do Estado da Bahia

Endereço: Avenida Contorno, S/N, Bairro São José, Caetité, Bahia, Brasil

CEP: 46.400-000

Telefones: (77) 3454-2021 ou (77) 9 9134-3435

e-mail: ceduuneb@gmail.com

ISSN: 2595-4881

REDES SOCIAIS:

INDEXAÇÕES INTERNACIONAIS:

             

           

INDEXAÇÕES NACIONAIS:

    

REVISTA INTEGRANTE:

    

LINKS DE INTERESSE:

                     

Licença:

 Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Free counters!