A RELAÇÃO ESCOLAR DE ADOLESCENTES EM CONFLITO COM A LEI: SOCIOEDUCAÇÃO E DIREITOS HUMANOS A QUEM SE DESTINA?

Palavras-chave: Vulnerabilidade Social, Direitos Humanos, Socioeducação, Adolescentes Infratores/as

Resumo

A presente pesquisa focaliza o olhar para a trajetória de vida de 15 adolescentes (14 meninos e 01 menina) em conflito com a lei, que apresentam novas formas de atuação de juventudes marginalizadas, questiona estereótipos que associam ações juvenis à violência, drogas, tráfico, indiferença política, suposta renúncia pelo espaço público e escola. Dialoga-se com as histórias de vida dos/a adolescentes, com o objetivo geral de compreender o significado que atribuem ao ato transgressor e às práticas socioeducativas. A fundamentação teórica metodológica da presente pesquisa é a História Oral de Vida articulada à História Oral Temática, que pauta-se nos estudos de José Carlos Sebe Bom Meihy, coordenador do Núcleo de Estudos em História Oral da USP, no qual as histórias de vida narradas pelos/a adolescentes em conflito com a lei foram transcritas na íntegra, textualizadas e transcriadas. Destacam-se fragmentos das histórias dos/a adolescentes com o escopo de compreensão do contexto social a que estão inseridos/a, a reprodução de processos educativos apreendidos, o lugar destinado à escola e ao trabalho informal. A metodologia da transcriação inaugurou processo de criação e diálogo com vidas (re)criadas em narrativas. Os resultados da pesquisa evidenciam a singularidade das histórias, que se interligam com outras histórias no interior de práticas, propiciando novas formas de relação e formação humana, declarando o abandono social e político, no qual a garantia dos direitos humanos não ultrapassa a literatura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rubia Fernanda Quinelatto, Pós-doutoranda em Educação pela Universidade de São Paulo - Brasil

Doutora em Educação pela Universidade Federal de São Carlos. Servidora Federal na Pró-Reitoria Administrativa da Universidade Federal de São Carlos. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas GEPÊPrivação e do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação e Justiça Social

Referências

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Presidência da República, 1988.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei no8.069 de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Brasília: Senado Federal, 1990.

BRASIL. Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (SINASE). Brasília: CONANDA, 2006.

BRASIL. Lei no 12.594, de 18 de janeiro de 2012. Institui o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (SINASE), regulamenta a execução das medidas socioeducativas destinadas a adolescente que pratique ato infracional; e altera as Leis nos 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente); 7.560, de 19 de dezembro de 1986; 7.998, de 11 de janeiro de 1990; 5.537, de 21 de novembro de 1968; 8.315, de 23 de dezembro de 1991; 8.706, de 14 de janeiro de 1942; 8.621, de 10 de janeiro de 1946, e a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943.

CALDAS, Alberto Lins. Oralidade, texto e história: para Ler História Oral. São Paulo: Editora Loyola, 1999.

CAMPOS, Rafael Garcia. Auto-organização na construção de projeto de vida pelo adolescente em ressocialização. 99 fls. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva). Universidade Estadual Paulista, 2017.

CONCEIÇÃO, Willian Lazaretti da. Histórias de vidas que se unem: a professora, o professor e os [elos com os] jovens infratores. 2017. 136 fls. Tese (Doutorado em Educação). Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 2017.

FEFFERMANN, Marisa. Vidas arriscadas: o cotidiano dos jovens trabalhadores do tráfico. Petropolis: Editora Vozes, 2006.

FIORI, Ernani Maria. Educação libertadora. In: ________. Textos escolhidos, v. II, Educação e Política. Porto Alegre: Editora L&PM, 1991. p. 83-95

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 49ª reimpressão. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 2005.

GAMBOA, Silvio Sanchéz. Pesquisa em educação: métodos e epistemologias. Chapecó: Argos, 2007.

GUIMARÃES, Áurea Maria. Vidas de Jovens Militantes. Tese Livre Docência, 2010. Campinas - SP: [s.n.], 2010. Tese (livre docência) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, 2010.

LINS, Bruno Teixeira; LIMA, Caio Gonçalves Silveira; FEITOSA NETO, Pedro Meneses; OLIVEIRA, Ilzver de Matos. A demonização dos direitos humanos: religião e espaço público no estado pós-secular. Cenas Educacionais, v.3, p.e7579, 2020. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/7579Acesso em: 12 mar. 2021.

LOPES, Cloris Violeta Alves; MIRANDA, Kátia Aparecida da Silva Nunes. Paulo Freire e os Direitos Humanos: por um diálogo efetivo. Cenas Educacionais, V4, p. e9348, 2021. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/9348/7553 Acesso em maio, 2021.

MAFFESOLI, Michel. O Eterno Instante. O retorno do trágico nas sociedades pós-modernas. Tradução de Maria Ludovina Figueiredo. Lisboa: Editora Instituto Piaget, 2000.

MAFFESOLI, Michel. A Violência Totalitária: ensaio de antropologia política. Porto Alegre: Editora Sulina, 2001.

MAFFESOLI, Michel. O conhecimento comum. Introdução à Sociologia Compreensiva. Porto Alegre: Editora Sulina, 2010.

MAFFESOLI, Michel. A transfiguração do político: a tribalização do mundo. 4a Edição. Porto Alegre: Editora Sulina, 2011.

MARZOCHI, Andréa Souza. História de Vida dos Jovens da Fundação Casa: o lugar da escola nessas vidas. 2014. 188 fls. Dissertação (Mestrado em Educação). Campinas-SP: Universidade Estadual de Campinas, 2014.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom. Canto de morte de Kaiowá: História oral de vida. São Paulo: Editora Loyola, 1991.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom. Definindo história oral e memória. Cadernos CERU, v.5,n.2, p.52-60, 1994.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom. Manual de História Oral. 5ª Edição. São Paulo: Editora Loyola, 2005.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom; HOLANDA, Fabíola. História Oral: como fazer, como pensar. 2a Edição. São Paulo: Editora Contexto, 2013.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento. São Paulo: Editora Hucitec, 1993.

NARDI, Fernanda Ludke. Adolescentes em conflito com a lei: percepções sobre família, ato infracional e medida socioeducativa. 2010. 97 fls. Dissertação (Mestrado em Psicologia). Rio Grande do Sul: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2010.

PAULA, Liana de. A família e as medidas socioeducativas: a inserção da família na socioeducação dos adolescentes autores de ato infracional. 2004. 131 fls. Dissertação (Mestrado em Sociologia). São Paulo-SP: Universidade de São Paulo, 2004.

QUINELATTO, Rubia Fernanda. Entre saberes, sabores e desafios da tarefa educativa com jovens em conflito com a lei: como educadoras significam os processos educativos do espaço do programa de medidas socioeducativas em meio aberto. 2013. 174 fls. Dissertação (Mestrado em Educação). São Paulo-SP: Universidade Federal de São Carlos, 2013.

QUINELATTO, Rubia Fernanda. O Programa de medidas socioeducativas em meio aberto: educação ou reprodução do aprendizado da rua? 235 fls. Tese (Doutorado em Educação). São Paulo-SP: Universidade Federal de São Carlos, 2015.

ROVAI, Marta Gouveia de Oliveira. Osasco 1968: a greve no feminino e no masculino. 2012. 590 fls. Tese (Doutorado em História Social). São Paulo-SP: Universidade de São Paulo, 2012.

TOMASI, Laura de Oliveira. A singularidade da história de vida de adolescentes em conflito com a lei: a denúncia do desamparo. 2011. 106 fls. Dissertação (Mestrado em Psicologia). Rio Grande do Sul-RS: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2011.

VALLE, Lílian do. A escola imaginária. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 1997.

Publicado
2022-06-06
Métricas
  • Visualizações do Artigo 155
  • ♪Áudio do resumo♪ downloads: 14
Como Citar
Quinelatto, R. F. (2022). A RELAÇÃO ESCOLAR DE ADOLESCENTES EM CONFLITO COM A LEI: SOCIOEDUCAÇÃO E DIREITOS HUMANOS A QUEM SE DESTINA?. Cenas Educacionais, 5, e12070. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/12070
Seção
Dossiê Temático - ENSINO/EDUCAÇÃO E/PARA DIREITOS HUMANOS