DIREITOS HUMANOS E EDUCAÇÃO MATEMÁTICA NO ENSINO MÉDIO: UMA INVESTIGAÇÃO DA SITUAÇÃO DAS TRABALHADORAS UTILIZANDO A ESTATÍSTICA

Palavras-chave: Direitos Humanos e Educação, Educação Matemática, Direitos das mulheres

Resumo

Em uma realidade na qual grande parte dos alunos da rede pública provém de situações de vulnerabilidade social, nas quais os direitos fundamentais que os pertencem são violados sistematicamente, urge construir percursos educacionais para educar em Direitos Humanos. Essa demanda, entretanto, precisa ser uma preocupação de todas as disciplinas escolares, inclusive da Matemática, usualmente vista como neutra e apolítica. Nesse trabalho, mostramos que é possível romper com essa visão e promover a Educação em Direitos Humanos em aulas de Matemática. Apresentamos uma estratégia didático-pedagógica, apoiada na problematização freiriana, com vistas à formação de sujeitos de direito, em que evidenciamos as trabalhadoras que lidam diariamente com a dupla jornada e a subestimação no mercado de trabalho. Destacamos a metodologia de desenvolvimento da atividade, sua estrutura baseada na imersão-emersão-reimersão propostas por Paulo Freire e sua realização em aulas de Matemática com três turmas da 3ª série do Ensino Médio de dois colégios (um Estadual e outro Federal) na cidade de Niterói - RJ, durante o primeiro semestre de 2019. A análise qualitativa das realizações mostrou que a atividade permitiu aos estudantes: investigarem a situação das trabalhadoras de maneira local e nacional, apropriarem-se e utilizarem de ferramentas estatísticas para analisá-la criticamente e se perceberem imersos em uma realidade na qual os Direitos Humanos não são plenamente exercidos por eles ou por essas mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luísa Cardoso Mendes, Professora na educação básica na rede privada de ensino de Niterói - Brasil

Mestra em Ensino de Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Integrante do Grupo de Pesquisa e Extensão Desenvolvimento e Inovação no Ensino de Ciências

Sonia Regina Alves Nogueira de Sá, Professora na Universidade Federal Fluminense - Brasil

Doutora em Física pelo Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas. Coordenadora do Grupo de Pesquisa e Extensão Desenvolvimento e Inovação no Ensino de Ciências. Membro pesquisadora da Associação Internacional de Inclusão, Interculturalidade e Inovação Pedagógica.

Referências

ABRAMO, L. W. A inserção da mulher no mercado de trabalho: Uma força de trabalho secundária? 2007. 327 f. Tese (Doutorado em Sociologia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

BORBA, M. C.; SKOVSMOSE, O. A ideologia da certeza em Educação Matemática. In: SKOVSMOSE, O (Org.). Educação Matemática Crítica: a questão da democracia. 4 ed. Campinas: Ltda, 2008. p. 127-160.

CANDAU, V. M. Educação em direitos humanos no Brasil: gênese, desenvolvimento e desafios atuais. In: PAIVA, A. R. Direitos humanos em seus desafios contemporâneos. Rio de Janeiro: PUC-Rio, 2012. p. 17-34.

CANDAU, V. M.; SACAVINO, S. B. Educação em Direitos Humanos e formação de professores. Educação, v. 36, n. 1, p. 59-66, 2013.

D’AMBRÓSIO, U. A busca da paz: responsabilidade de matemáticos, cientistas e engenheiros. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, v. 9, s.n., p. 66-77, 2011.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Terra, 2017.

GOMES, A. C. A invenção do trabalhismo. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

GUTSTEIN, E. Teaching and Learning Mathematics for Social Justice in an Urban, Latino School. Journal for Research in Mathematics Education, v. 34, n. 1, 2003, p. 37-73.

GUTSTEIN, E. Possibilities and challenges in teaching mathematics for social justice. Critical issues in mathematics education. S.v, s.n., p. 351-373, 2009.

HANRAHAN, N. W. Feminismo e políticas de reconhecimento: uma história cautelosa. In: PAIVA, A. R. Direitos humanos em seus desafios contemporâneos. Rio de Janeiro: PUC-Rio, 2012. p. 61-74.

LOPES, C. A. E. A Probabilidade e a Estatística no Ensino Fundamental: uma Análise Curricular. 1998. 125 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1998.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

PORTANOVA, R. A Educação Matemática e a Educação para a Paz. Educação, v. 29, n. 2, p. 435-444, 2006.

SKOVSMOSE, O. Critical Mathematics Education. In: LERMAN, S. (Org.), Encyclopedia of Mathematics Education. Cham: Springer, 2020. P. 154-159.

VIEIRA, L. B.; MOREIRA, G. E. Direitos Humanos e Educação: o professor de Matemática como agente sociocultural e político. Revista de Educação Matemática, São Paulo: v. 15, n. 20, p. 548-564, 2018.

Publicado
2022-07-03
Métricas
  • Visualizações do Artigo 104
  • ♪Áudio do resumo♪ downloads: 2
Como Citar
Mendes, L. C., & Nogueira de Sá, S. R. A. (2022). DIREITOS HUMANOS E EDUCAÇÃO MATEMÁTICA NO ENSINO MÉDIO: UMA INVESTIGAÇÃO DA SITUAÇÃO DAS TRABALHADORAS UTILIZANDO A ESTATÍSTICA. Cenas Educacionais, 5, e12066. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/12066
Seção
Dossiê Temático - ENSINO/EDUCAÇÃO E/PARA DIREITOS HUMANOS