ACESSIBILIDADE METODOLÓGICA NO ENSINO SUPERIOR: RECURSOS DIDÁTICOS PARA A PERMANÊNCIA DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA VISUAL NA ATUALIDADE

Palavras-chave: Ensino superior e cegueira, Deficiência visual, Inclusão no ensino superior, Acessibilidade no ensino superior, Tecnologia assistiva

Resumo

O corpo docente no ensino superior é um agente promotor na transformação do conhecimento e, consequentemente, na vida dos alunos, seja este com deficiência ou não. Visando a diminuição das barreiras metodológicas e maior facilidade na interação na relação ensino-aprendizagem dos alunos com deficiência visual, recomenda-se o conhecimento e adoção dos recursos de Tecnologia Assistiva, mais especificamente os relacionados às tecnologias digitais tendo devido as circunstâncias da atualidade pandêmica, oportunizando condições adequadas para o exercício da docência. Neste contexto, este artigo tem por objetivo a realização de um levantamento literário sobre os recursos de Tecnologia Assistiva utilizados em sala de aula, incentivando a permanência discente no ensino superior. Após análise dos resultados, constatou-se que os recursos utilizados ainda são incipientes e a formação docente não contempla a velocidade da transformação tecnológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa do Carmo Correia, Mestranda em Diversidade e Inclusão pela Universidade Federal Fluminense - Brasil

Docente no Centro Universitário Anhanguera de Niterói. Membro do grupo de pesquisa em Ciência e Aplicações.

Thiago Correa Lacerda, Docente no Programa de Pós-graduação em Diversidade e Inclusão da Universidade Federal Fluminense - Brasil

Doutor em Física pela Universidade Federal Fluminense. Docente no Instituto Federal do Rio de Janeiro. Membro do grupo de pesquisa em Ciência e Aplicações.

Ivani da Silva Soares, Mestranda em Diversidade e Inclusão pela Universidade Federal Fluminense - Brasil

Membro do grupo de pesquisa em Ciência e Aplicações.

Referências

ALMEIDA, José Guilherme de Andrade; FERREIRA, Eliana Lucia. Sentidos da inclusão de alunos com deficiência na educação superior: olhares a partir da Universidade Federal de Juiz de Fora. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v.22, n.spe, p.67-75, 2018. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-85572018000400067&lng=en&nrm=iso>. Accesso em 15 de fevereiro de 2021. http://dx.doi.org/10.1590/2175-3539/2018/047.

Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). NBR 9050: Acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências e edificações, espaço, mobiliário e equipamento urbano. Rio de Janeiro; 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L4024.htm>. Acesso em 1 de abril de 2021.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, 1988. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em 01 de abril de 2021.

BRASIL. Estatuto da criança e do adolescente. Lei n 8069/1990. Brasília, DF, 1990. Brasília: MEC. Secretaria de Educação a Distância, 2000. Cadernos da TV Escola.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria da Educação Especial. Subsídios para a formulação da política nacional de educação especial. Brasília, 1993.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Documento subsidiário à política de inclusão. Brasília, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial: Equitativa, Inclusiva e com Aprendizado ao Longo da Vida, 2020. Disponível em <https://www.gov.br/mec/pt-br/assuntos/noticias/mec-lanca-documento-sobre-implementacao-da-pnee-1/pnee-2020.pdf>. Acesso em 29 de abril de 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm>. Acesso em 01 de abril de 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999. Disponível em <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.htm> Acesso em 01 de abril de 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Decreto Nº 5.296 de 02 de dezembro de 2004. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20042006/2004/decreto/d5296.htm> Acesso em 29 de abril de 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer CNE/CP nº 15/2020 Diretrizes Nacionais para a implementação dos dispositivos da Lei nº 14.040. Disponível em

<http://portal.mec.gov.br/pec-g/33371-cne-conselho-nacional-de-educacao/85201-parecer-cp->. Acesso em 29 de abril de 2021.

BORGES, Wanessa Ferreira; MENDES, Enicéia Gonçalves. Usabilidade de Aplicativos de Tecnologia Assistiva por Pessoas com Baixa Visão. Rev. bras. educ. espec., Bauru, v.24, n.4, p.483-500, Dec. 2018. Availablefrom<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-65382018000400483&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 29 de abril de 2021. https://doi.org/10.1590/s1413-65382418000500002.

CANTORANI, José Roberto Herrera et al. A acessibilidade e a inclusão em uma Instituição Federal de Ensino Superior a partir da lei n. 13.409. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v.25, e250016, 2020. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782020000100214&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 15 de fevereiro de 2021. http://dx.doi.org/10.1590/s1413-24782020250016.

CARVALHO, M.R. Competências docentes na diversidade em Ead: refletindo acerca da inclusão de DF. Dissertação (Mestrado em Diversidade e Inclusão). Instituto de Biologia, Universidade Federal Fluminense. Niterói, p. 124, 2015.

CORAZZA, Sara Teresinha et al. Benefícios do treinamento funcional para o equilíbrio e propriocepção de deficientes visuais. Rev Bras Med Esporte, São Paulo, v.22, n.6, p.471-475, Dec. 2016. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922016000600471&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 13 de abril de 2021. https://doi.org/10.1590/1517-869220162206164644.

DECLARAÇÃO DE SALAMANCA: Sobre Princípios, Políticas e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais, 1994, Salamanca-Espanha. Disponível em <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf>. Acesso em 01 de abril de 2021.

ESTABEL, Lizandra Brasil; MORO, Eliane Lourdes da Silva; SANTAROSA, Lucila Maria Costi. A inclusão social e digital de pessoas com limitação visual e o uso das tecnologias de informação e de comunicação na produção de páginas para a Internet. Ci. Inf., Brasília, v.35, n.1, p.94-101, Apr. 2006. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-19652006000100010&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 29 Apr. 2021. https://doi.org/10.1590/S0100-19652006000100010.

FERRADA, R. B. H. Inclusão Digital de sujeitos com deficiência física através do uso da tecnologia assistiva. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, p. 152, 2009.

FURLAN, Elaine Gomes Matheus et al. Inclusão na educação superior: formação e experiência docente. Avaliação (Campinas), Sorocaba, v.25, n.2, p.416-438, Aug. 2020. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-40772020000200416&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 26 de abril de 2021. Epub Sep 07, 2020. https://doi.org/10.1590/s1414-4077/s1414-40772020000200010

FRANCO, J. R.; DIAS, T. R. S. A educação de pessoas cegas no Brasil. Rev. avesso do avesso, Araçatuba, v.5, n.5, p.74, ag. 2007.

GALVÃO FILHO, T. Tecnologia Assistiva: favorecendo o desenvolvimento e a aprendizagem em contextos educacionais inclusivos. In: GIROTO, C. R. M.; POKER, R. B.; OMOTE, S. (Orgs.). As tecnologias nas práticas pedagógicas inclusivas. Marília/SP: Cultura Acadêmica, 2012, p.65-92. Disponível em: http://www.galvaofilho.net/TA_educacao.pdf. Acesso em: 25 abr. 2021.

GARCIA, Raquel Araújo Bonfim; BACARIN, Ana Paula Siltrão; LEONARDO, Nilza Sanches Tessaro. Acessibilidade e permanência na educação superior: percepção de estudantes com deficiência. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v.22, n.spe, p.33-40, 2018. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-85572018000400033&lng=en&nrm=iso>. Accesso em 15 de fevereiro de 2021. http://dx.doi.org/10.1590/2175-3539/2018/035.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Demográfico, 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 de abril de 2021.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. INEP – Sinopse Estatística da Educação Superior 2019. Brasília: Inep, 2020. Disponível em: <http://inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-superior>. Acesso em: 04 de abril de 2021.

LOPES, V. C. S. Tecnologia Assistiva – Ferramenta para o ensino de geografia ao Deficiente Visual. Dissertação (Mestrado em Diversidade e Inclusão). Instituto de Biologia, Universidade Federal Fluminense. Niterói, p. 123, 2015.

NASCIMENTO, L. F. A audiodescrição como tecnologia em livro didático: um guia de orientação aos professores da educação básica. Dissertação (Mestrado em Diversidade e Inclusão). Instituto de Biologia, Universidade Federal Fluminense. Niterói, p. 152, 2017.

NASCIMENTO, Lhiliany Miranda Mendonça; BOCCHIGLIERI, Adriana. Modelos didáticos no ensino de Vertebrados para estudantes com deficiência visual. Ciênc. educ. (Bauru), Bauru, v.25, n.2, p.317-332, Apr. 2019. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-73132019000200317&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 29 Apr. 2021. Epub July 01, 2019. https://doi.org/10.1590/1516-731320190020004.

NOGUEIRA, Lilian de Fátima Zanoni; OLIVER, Fátima Corrêa. Núcleos de acessibilidade em instituições federais brasileiras e as contribuições de terapeutas ocupacionais para a inclusão de pessoas com deficiência no ensino superior. Cad. Bras. Ter. Ocup., São Carlos, v.26, n.4, p.859-882, Dec. 2018. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2526-89102018000400859&lng=en&nrm=iso>. Accesso em 23 de maio de 2021. https://doi.org/10.4322/2526-8910.ctoao1743.

MARUYAMA A.T.; SAMPAIO, P.R.S.; REHDER, J.R.L. Percepção dos professores da rede regular de ensino sobre os problemas visuais e a inclusão de alunos com baixa visão. Rev Bras Oftalmol. p. 68, ab. 2009.

MASSETTO, Marcos T. Didática: A aula como centro. São Paulo: FTD, 1997.

MONTEIRO, A.F.B. O uso de TA para inclusão do aluno com DV: Um estudo de caso no município de queimados, RJ. Dissertação (Mestrado em Diversidade e Inclusão). Instituto de Biologia, Universidade Federal Fluminense. Niterói, p. 113, 2015.

PERDIGÃO, L. T. Vendo com outros olhos: a audiodescrição no ES a distância. Dissertação (Mestrado em Diversidade e Inclusão). Instituto de Biologia, Universidade Federal Fluminense. Niterói, p. 155, 2017.

PEREIRA, Rosamaria Reo et al. Alunos com Deficiência na Universidade Federal do Pará: dificuldades e Sugestões de Melhoramento. Rev. bras. educ. espec., Bauru, v.26, n.3, p.387-402, July 2020. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-65382020000300387&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 15 de fevereiro de 2021. Epub Aug 21, 2020. http://dx.doi.org/10.1590/1980-54702020v26e0087.

PITANE – Portal de Informações sobre Tecnologia Assistiva para Pessoas com Necessidades Especiais. PUC Minas, 2011. Disponível em: http://www.contagem.pucminas.br/pitane/. Acesso em: 24 abr. 2021.

SANTOS, C. C. O. et al. Tecnologia Assistiva Digital: contribuições aos docentes com DV no ensino superior. InterdisciplinaryScientificJournaul, v. 7, 2020.

SANTOS, Priscila Valdênia dos; BRANDAO, Gisllayne Cristina de Araújo. Tecnologias Assistivas no Ensino de Física para Alunos com Deficiência Visual: um estudo de caso baseado na audiodescrição. Ciênc. educ. (Bauru), Bauru, v.26, e20046, 2020. Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-73132020000100243&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 29 de abril de 2021. Epub Oct 21, 2020. https://doi.org/10.1590/1516-731320200046.

TECNOLOGIA ASSISTIVA - Presidência da República - Secretaria Especial dos Direitos Humanos - Subsecretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência - CAT - 2009.

VAZ, J. M. C. et al. Material didático para ensino de biologia: possibilidades de inclusão. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo horizonte, v.12, n.3, p.81-104, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4243/2808. Acesso em 25 de abril de 2021.

Publicado
2021-05-26
Métricas
  • Visualizações do Artigo 466
  • ♪Áudio♪ downloads: 11
Como Citar
Correia, V. do C., Lacerda, T. C., & Soares, I. da S. (2021). ACESSIBILIDADE METODOLÓGICA NO ENSINO SUPERIOR: RECURSOS DIDÁTICOS PARA A PERMANÊNCIA DO ALUNO COM DEFICIÊNCIA VISUAL NA ATUALIDADE. Cenas Educacionais, 4, e11739. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11739
Seção
Dossiê Temático

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##