A PRÁTICA DOS ESPORTES NO TEMPO DE LAZER COMO FATOR PROTETIVO PARA A SAÚDE FÍSICA E MENTAL DE DOCENTES

Palavras-chave: Condições de trabalho, Saúde mental, Esportes, Atividades de lazer, Promoção da saúde

Resumo

No trabalho docente, a desvalorização social do trabalho, demandas excessivas, inexistência de tempo para lazer, têm contribuído para a ocorrência de transtornos mentais. Nesse sentido oposto, a prática de esportes no tempo de lazer pode promover o bem-estar e satisfação entre seus praticantes. Diante disso, este trabalho tem como objetivo analisar a associação da prática de esportes no tempo de lazer com indicadores de saúde mental de docentes. O estudo caracteriza-se como de corte transversal, com a participação de 170 docentes de uma universidade baiana, em exercício no período da coleta. A coleta consistiu na aplicação de instrumento para verificação sociodemográfica e de apoio social, Transtorno Mental Comum (TMC), Inventário de Sintomas de Stress e o International Physical Activity Questionnaire. Os dados apontam estresse em 24%, dos participantes, sendo que, destes, 87,5% encontram-se em fase de resistência e 12,5% em fase de exaustão. No tocante aos TMC, a prevalência é de 20,4%. Dos participantes, 15,5% afirmaram praticar alguma atividade esportiva no seu tempo de lazer; já 35,7% afirmaram não praticar nenhum tipo de atividade física. Dentre os sedentários, 34,6% apresentam TMC e 57,7% estresse.  Assim, práticas esportivas na rotina docente é uma estratégia que deve ser encorajada, pois, se associa com menores níveis de estresse e presença de TMC em indivíduos que possuem uma regularidade maior em atividades físicas e práticas esportivas, contribuindo para a promoção de qualidade de vida e bem-estar para esses sujeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denize Pereira de Azevêdo, professora na Universidade Estadual de Feira de Santana - Brasil

Doutora em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Catarina

Edson Leão dos Santos, Graduando em Educação Física pela Universidade Estadual de Feira de Santana - Brasil

Membro do Núcleo Inter/Transdisciplinar de Ensino, Pesquisa e Extensão de Educação em Saúde.

Ana Vitória Lima Ferreira, Graduanda em Psicologia pela Universidade Estadual de Feira de Santana - Brasil

Integrante do Núcleo Inter/Transdisciplinar de Ensino, Pesquisa e Extensão de Educação em Saúde

Marroney de Santana Nery, Graduando em Educação Física pela Universidade Estadual de Feira de Santana - Brasil

Membro do Núcleo Inter/Transdisciplinar de Ensino, Pesquisa e Extensão de Educação em Saúde

Thyago Vinicius Santos Souza, Graduando em Educação Física pela Universidade Estadual de Feira de Santana - Brasil

Membro do Núcleo Inter/Transdisciplinar de Ensino, Pesquisa e Extensão de Educação em Saúde.

Referências

ALECRIM, J. V. C. Políticas públicas de esporte e lazer na promoção da saúde e covid-19: o que devemos aprender para o futuro. Boletim de Conjuntura (BOCA), v.2, n.5, p.91-100, 2020.

ARAÚJO, C. M.; RAMOS, M. D. P.; SILVA, O. O. N.; SOUZA, E. C. Condições de trabalho docente: uma análise sobre a remuneração salarial e satisfação com a carreira. Cenas Educacionais, v. 3, n. 9907, p. 1-18, nov. 2020.

ARENDT, H. ORIGENS DO TOTALITARISMO. SÃO PAULO: COMPANHIA DAS LETRAS, 1990.

AZEVÊDO, D. P. Atividades físicas no tempo de lazer, transtorno mental comum e estresse em docentes de uma instituição de ensino superior pública da Bahia. Tese (Doutorado em Educação Física) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Desportos, Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Florianópolis, 2017.

BARBANTI, V. J. O que é esporte. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, v. 2, p. 54-58, 2006.

BARROSO, A. L. R.; DARIDO, S. C. Compreensão e avaliação de um modelo de classificação do esporte na educação física escolar: visão de professores. Conexões, Campinas, SP, v. 17, p. e019011, 2019. DOI: 10.20396/conex.v17i0.8654139. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8654139. Acesso em: 28 maio. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças não Transmissíveis. Vigitel Brasil 2018: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico : estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal em 2018 / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças não Transmissíveis. – Brasília: Ministério da Saúde, 2019.

CAMPOS, R. C., CAPPELLE, M. C. A., & MACIEL, L. H. R. Carreira esportiva: o esporte de alto rendimento como trabalho, profissão e carreira. Revista Brasileira de Orientação profissional, v.18, n.1, p.31-41, 2017.

DIEHL, L; MARIN, A. H. Adoecimento mental em professores brasileiros: revisão sistemática da literatura. Estud. Inter. em Psicol., v. 7, n. 2, p. 64-85, 2016.

DUMAZEDIER, J. Lazer e cultura popular. São Paulo: Perspectiva, 1973.

FARIAS, M. D; ARAÚJO, T. M. Transtornos Mentais Comuns entre trabalhadores da zona urbana de Feira de Santana -BA. Rev. Bras. Saúd. Ocup., São Paulo, v.36, n.123, p.25-39, 2011.

GALATTI, L. R.; PAES, R. R.; COLLET, C.; SEOANE, A. M. Esporte contemporâneo: perspectivas para a compreensão do fenômeno. Corpoconsciência, [S. l.], v. 22, n. 3, p. 115-127, 2018. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/6444. Acesso em: 25 maio. 2021.

JACQUES, M. da G. C. Abordagens teórico-metodológicas em saúde/doença mental & trabalho. Psicol. Soc., Belo Horizonte, v. 15, n. 1, Jan. 2003.

JACQUES, M. da G. C. “Doença dos nervos”: uma expressão da relação entre saúde/doença mental. In: JACQUES, M. da G. C; CODO, W. (orgs). Saúde mental e trabalho: leituras. 5ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011, cap. 4, p. 98-111.

JACQUES, M. da G. C. O nexo causal em saúde/doença mental no trabalho: uma demanda para a psicologia. Psicologia & sociedade, v. 19. n. especial, p. 112-119, 2007.

JUNIOR, E. G; LIPP, M. E. N. Estresse entre professores do ensino fundamental de escolas públicas estaduais. Psicol. Estud., v. 13, n. 4, p. 847-857, 2008.

LIMA, M. E. A. Transtornos mentais e trabalho: o problema do nexo causal. Rev. Adm. da FCAD: Minas, v. 2, n. 1, p. 73-80, 2015.

LIPP, M. E. N. Inventário de sintomas de stress para adultos de Lipp - ISSL. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2000.

LUDEMIR, A. B; FILHO, D. A. de M. Condições de vida e estrutura ocupacional associadas a transtornos mentais comuns. Rev. Saúde Pública, v. 36, n. 2, p. 213-221, 2002.

MARCELLINO, N. C. Lazer e educação. Campinas: Papirus. 1990.

MACIEL, M. G.; SARAIVA, L. A. S.; MARTINS, J. C. O. Semelhanças e especificidades entre os estudos do ócio e os estudos do lazer. Revista Subjetividades, v.18, n.2, p.13-25, 2018.

MATSUDO S, ARAÚJO T, MATSUDO V, ANDRADE D, ANDRADE E, OLIVEIRA L, BRAGGION G. Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ): estudo de validade e reprodutibilidade no Brasil. Revista Atividade Física & Saúde, v.6, n.2, p.5-18, 2001.

NEVES, D. R. et al. Sentido e significado do trabalho: uma análise dos artigos publicados em periódicos associados à Scientific Periodicals Electronic Library. FGV EBAPE, v. 16, n. 2, 2018.

Organização Mundial de Saúde. Relatório Mundial da Saúde: Saúde mental - nova concepção, nova esperança. 1ed. Lisboa: OMS; 2002.

PAES, R. R. Esporte competitivo e esporte espetáculo. In: MOREIRA, W. W.; SIMÕES, R. (orgs.). Fenômeno esportivo e o terceiro milênio. Piracicaba: Unimep, 2000. p. 33-39.

SADIR, M. A; BIGNOTTO, M. M; LIPP, M. E. N. Stress e qualidade de vida: influência de algumas variáveis pessoais. Paidéia: Ribeirão Preto, v. 20, n. 45, p. 73-81, 2010.

SILVA, C. L. et. al. Atividade física de lazer e saúde: uma revisão sistemática. Mudanças – Psicologia da Saúde, v. 25, n. 1, p. 57-65, Jan.-Jun., 2017.

TUBINO, M. J. G. O que é esporte? 3.ed. São Paulo: Brasiliense, 2006.

VIEIRA, V. R.; SILVA, J. V. P. Barreiras à prática de atividades físicas no lazer de brasileiros: revisão sistematizada. Pensar a prática, v. 22, p. 1-22, 2019.

Publicado
2021-09-28
Métricas
  • Visualizações do Artigo 284
  • ♪Áudio♪ downloads: 24
Como Citar
Pereira de Azevêdo, D., Leão dos Santos, E., Lima Ferreira, A. V., de Santana Nery, M., & Santos Souza, T. V. (2021). A PRÁTICA DOS ESPORTES NO TEMPO DE LAZER COMO FATOR PROTETIVO PARA A SAÚDE FÍSICA E MENTAL DE DOCENTES. Cenas Educacionais, 4, e10608. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10608
Seção
Dossiê Temático