INTERCULTURALIDADE E ANÁLISE DO DISCURSO SOBRE O INDÍGENA: A IDENTIDADE EM SALA DE AULA

Palavras-chave: Interculturalidade. Discurso. Identidade.

Resumo

As reflexões sobre identidade são comumente desenvolvidas pelas áreas reconhecidas das ciências sociais; contudo, cada vez mais, a área de letras se insere nos desafios referentes a estas questões. Este trabalho se propõe, por meio da Análise do Discurso de Linha Francesa pecheuxtiana, a investigar como o discurso do senso comum sobre educação se constitui numa ameaça à identidade indígena. Autores como Eni Orlandi, Oswald Ducrot e Stuart Hall se apresentam como fundamentais para a fundamentação de nossa proposta. Dessa forma, se consideramos que a promoção da inclusão indígena é uma boa proposta para se tentar minimizar as injustiças sociais realizadas ao longo da história, consideramos também a importância de se refletir sobre as consequências desta iniciativa para que, uma vez levantados os problemas, seja possível repensar as práticas de ensino para esta população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mário Jorge Pereira da Mata, Professor no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano - Brasil

Doutorando, Mestre e Graduado em Letras.

Referências

CIAMPA, Antonio. C. A estória do Severino e a história da Severina. São Paulo: Editora Brasiliense, 1993.

DUBAR, Claude. Para uma teoria sociológica da identidade. Em A socialização. Porto: Porto Editora, 1997.

DUCROT, Oswald. O dizer e o dito. Campinas, São Paulo: Pontes 1987. Revisão técnica de tradução Eduardo Guimarães.

FOUCAULT, Michel. A Ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970; tradução Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2005. Tradução. Tomás Tadeu da Silva, Guaracira Lopes Louro.

MENDES, Edleise & CASTRO, L. Maria. Saberes em português: ensino e formação docente. In: Edleise Mendes, Maria Lúcia Souza Castro (org.) – Campinas: Pontes editores, 2008.

MÜLLER, O. Gilvan. O que quer a linguística e o que se quer da linguística – a delicada questão da assessoria linguística no movimento indígena. disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v19n49/a04v1949.pdf

ORLANDI, Eni P. Discurso em Análise: sujeito, sentido e Ideologia. Campinas: pontes Editores, 2012.

ORLANDI, Eni P. As Formas do Silêncio: movimento dos sentidos - Campinas: editora UNICAMP, 2007.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e Discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Editora UNICAMP, 2009. Tradução Eni Puccinelli Orlandi.

SANTIAGO, C. Mylene. Educação intercultural: desafios e possibilidades/ Mylene Cristina Santiago, Abdeljalil Akkari, Luciana Pacheco Marques. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013

Publicado
2018-07-14
Métricas
  • Visualizações do Artigo 241
  • ♪Áudio♪ downloads: 4
Como Citar
Mata, M. J. P. da. (2018). INTERCULTURALIDADE E ANÁLISE DO DISCURSO SOBRE O INDÍGENA: A IDENTIDADE EM SALA DE AULA. Cenas Educacionais, 1(1), 207-221. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/5144
Seção
Dossiê Temático