A PRÁTICA DO KENDÔ NA UNIVERSIDADE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Palavras-chave: Ensino, Atividades de Extensão, Artes Marciais

Resumo

O Kendô é uma arte marcial Japonesa que vem ganhando espaço no mundo ocidental. Com características semelhantes à esgrima, proporciona combates entre dois oponentes nos quais o objetivo é golpear o seu adversário com uma espada de bambu, em locais determinados e protegidos por uma armadura. O ambiente universitário, além de ser um espaço de produção e troca de conhecimento acadêmico e científico, também se constitui como um lugar de formação profissional e pessoal. Nesse sentido, entendemos a formação como um processo amplo e que envolve as diferentes dimensões humanas, que na Universidade se desenvolvem em atividades com características diversas: nas aulas em sala, em aulas de campo, nos laboratórios, nas entidades estudantis, no envolvimento em projetos (artísticos, culturais e esportivos por exemplo), entre outras. O presente relato de experiência tem como objetivo descrever as ações realizadas para o desenvolvimento de um projeto de prática de Kendô voltado para iniciantes no ambiente universitário, bem como compartilhar alguns desafios encontrados ao longo desta empreitada. O projeto em questão foi desenvolvido na Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo, em diferentes formatos nas diversas edições ocorridas entre 2015 e 2019. Contou com a participação de pessoas da comunidade interna e externa e promoveu intercâmbios entre os inscritos e praticantes de outras localidades. Os desafios impostos que mais se destacaram, observando-se o período em questão, foram o provimento do equipamento necessário para a prática e a heterogeneidade das turmas, no que diz respeito ao nível de prática.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Harumi Tsukamoto, Professora no Programa de Pós-Graduação em Língua, Literatura e Cultura Japonesa da Universidade de São Paulo - Brasil

Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo. Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Práticas Esportivas.

Rafael Itsuo Takahashi, Mestrando em Língua, Literatura e Cultura Japonesa pela Universidade de São Paulo - Brasil

Graduado em Artes Visuais, Pintura, Gravura e Escultura pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, 

Referências

ALL JAPAN KENDO FEDERATION. Kendo Fundamentals. Tokyo: Satou-Insyokano Inc., 2011a.

ALL JAPAN KENDO FEDERATION. Japanese-English Dictionary of Kendo. 2. ed. Tokyo: All Japan Kendo Federation, 2011b.

ALL JAPAN KENDO FEDERATION. The Official Guide for Kendo Instruction. Tokyo: All Japan Kendo Federation, 2011c.

ALL JAPAN KENDO FEDERATION. Training Method for Fundamental Kendo Techniques with a Bokuto (Bokuto-ni-yoru Kendo Kihon-waza Keiko-ho). Tokyo: Rokuseisha Insatsu, 2012.

BENNETT, A. A brief synopsis of the history of the modern kendo. Kendo World, v. 3, n. 1, 2004. Disponível em:<http://www.kendo-world.com> Acesso em 01/05/2017.

CANG, V. G. Preserving Intangible Heritage in Japan: The Role of the Iemoto System. International Journal of Intangible Heritage, v.3, p. 71 - 81, 2008.

CORREIA, W. R.; FRANCHINI, E. Produção acadêmica em lutas, artes marciais e esportes de combate. Motriz. Rio Claro, v. 16, n. 1, p. 01 – 09, 2010.

CRAIG, D. M. A arte do Kendô e Kenjutsu. São Paulo, Madras, 2015.

DE MELLO, A. F.; DE ALMEIDA FILHO, N.; RIBEIRO, R. J. Por uma Universidade socialmente relevante. Atos de Pesquisa em Educação, [S.l.], v. 4, n. 3, p. 292-302, mar. 2010. ISSN 1809-0354. Disponível em: <https://proxy.furb.br/ojs/index.php/atosdepesquisa/article/view/1718>. Acesso em: 22 out. 2021. doi: http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2009v4n3p292-302.

DONOHUE, J. J. Modern educational theories and traditional martial arts training methods. In: DeMARCO, M. A. (Org.) Teaching and learning martial arts. Santa Fe: Via Media Publishing Company, 2017.

Del VECCHIO, F. B.; FRANCHINI, E. Princípios pedagógicos e metodológicos no ensino das lutas. In: FRANCHINI, E.; Del VECCHIO, F. B. Ensino de lutas: reflexões, propostas e programas (Orgs.). São Paulo: Scirtecci Editora, 2012, p. 09 - 27.

HONDA, S. Kendo: approaches for all levels. Bunkasha International Corporation, 2012.

MOSSTON, M.; ASHWORTH, S. Teaching Physical Education. First online edition, 2008.

THE JAPANESE BUDÔ ASSOCIATION. The Definition of Budô. 2014. Disponível em: https://www.nipponbudokan.or.jp/english/teigi_eng. Acesso em: 27 maio 2021.

KOBAYASHI, Luiz. Peregrinos do Sol: A Arte da espada samurai. São Paulo: Estação Liberdade, 2010.

MINISTÉRIO DO ESPORTE. Diesporte: Diagnóstico Nacional do Esporte – Caderno 2 (2016). Disponível em: http://www.esporte.gov.br/diesporte/diesporte_revista_2016.pdf. Acesso em 01 de junho de 2017.

SAKURAI, Célia. Os Japoneses. São Paulo: Contexto, 2007.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. The Ottawa charter for health promotion. (1986) Disponível em: < http://www.who.int/healthpromotion/conferences/previous/ottawa/en/ > Acesso em 25 de maio de 2017.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (regional office for Europe) Promoting sport and enhancing health in European Union countries: a policy content analysis to support action. (2011) Disponível em < http://www.euro.who.int/__data/assets/pdf_file/0006/147237/e95168.pdf.> Acesso em 25 de maio de 2017.

Publicado
2021-10-22
Métricas
  • Visualizações do Artigo 145
  • ♪Áudio♪ downloads: 8
Como Citar
Tsukamoto, M. H., & Takahashi, R. I. (2021). A PRÁTICA DO KENDÔ NA UNIVERSIDADE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA. Cenas Educacionais, 4, e12168. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/12168
Seção
Dossiê Temático