O ENSINO DE HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE DOCENTES DE DUAS ESCOLAS DA REDE ESTADUAL DE SÃO PAULO

Palavras-chave: Educação antirracista, Cultura afro-brasileira, Ensino médio

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo discutir a percepção sobre implementação do ensino de história e cultura afro-brasileira e africana na concepção de docentes de duas escolas pertencentes à rede estadual de ensino de São Paulo. Como fundamentação teórica, foi considerada a sociologia da educação, com ênfase nos estudos antirracistas. A metodologia de pesquisa etnográfica foi responsável por direcionar o levantamento de dados por meio de entrevistas semiestruturadas durante o período letivo do ano de 2015. Os resultados indicam que apesar de a lei ter sido publicada no ano de 2003, a maioria dos(as) docentes desconhecem seu conteúdo ou quando o conhecem não compreendem a profundidade e importância de sua implementação. Conclui-se que alguns elementos como péssimas condições de trabalho, falta de formação continuada e desinteresse pelo tema podem assumir papel central na dificuldade de implementação de uma educação antirracista que seja capaz de oferecer um processo de aprendizagem baseado num novo paradigma que considera a matriz afro-brasileira como componente fundante na formação do país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciano Nascimento Corsino, Professor no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Educação, Antirracismo, Gênero e Juventude.

Referências

ALMEIDA, Silvio. Racismo estrutural. São Paulo: Pólen, 2019.

AUAD, Daniela. Relações de gênero nas práticas escolares: da escola mista ao ideal de co-educação. 2004. 232f. Tese (Doutorado em Educação: Sociologia da Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

BEAUD, Stéphane; WEBER, Florence. Guia para a pesquisa de campo: produzir e analisar dados etnográficos. Petrópolis: Vozes, 2007.

BORJA, Maria Eunice Limoeiro; PEREIRA, Cleifson Dias. As leis nº 10.639/03 e nº 11.645/08: reflexões a partir do pensamento crítico acerca da colonialidade do saber. Cenas Educacionais, v. 1, n. 1, p. 242-270, 2018.

CAVALLEIRO, Eliane. Do silêncio do lar ao silêncio escolar: racismo, preconceito e discriminação na educação infantil. São Paulo: Contexto, 2000.

CORSINO, Luciano Nascimento; ZAN, Dirce Djanira Pacheco e. A ocupação como processo de descolonização da escola: notas sobre uma pesquisa etnográfica. ETD: Educação Temática Digital, v. 19, p. 26-48, 2017.

CORSINO, Luciano Nascimento. Juventude negra e cotidiano escolar: uma abordagem etnográfica no Ensino Médio. 2019. 254f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2019.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Rio de Janeiro: Fator, 1983.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GOMES, Nilma Lino. Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão. Acão educativa.org.br, 2012.

GOMES, Nilma Lino. Movimento negro e educação: ressignificando e politizando a raça. Educação e Sociedade. v. 33, n. 120, p. 727-744, jul.-set. 2012.

GOMES, Nilma Lino. O movimento negro educador: saberes construídos nas lutas por emancipação. Petrópolis: Editora Vozes, 2017.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio A. Como trabalhar com raça em sociologia. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.29, n.1, p. 93-107, jan./jun. 2003.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio A. Preconceito racial: modos, temas e tempos. São Paulo: Cortez, 2008.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio A. Racismo e antirracismo no Brasil. 2 ed. São Paulo: Editora 34, 2005.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio A. (Org.). Estratégias e políticas de combate à discriminação racial. São Paulo: EDUSP/Estação Ciências, 2003

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 1997.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária, 1986.

MONTEIRO, Rosana Batista. Educação para as relações étnico-raciais em um curso de pedagogia: estudo de caso sobre a implantação da Resolução CNE/CP 01/2004. 2010. 266f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2010.

MUNANGA, Kabengele. Por que ensinar a história da África e do negro no Brasil de hoje? Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, Brasil, n. 62, pp. 20-31, dez. 2015.

MUNANGA, Kabengele. (Org.). Estratégias e políticas de combate à discriminação racial. São Paulo: EDUSP/Estação Ciências, 2003.

PASSOS, Joana Célia dos. Escolarização de jovens negros e negras. In: OLIVEIRA, Iolanda; GONÇALVES E SILVA, Petronilha Beatriz; PINTO, Regina Pahim. Negro e educação: escola, identidades, cultura e políticas públicas. São Paulo: Ação Educativa, ANPEd, 2005.

SANTOS, Sales Augusto dos. A lei 10.639/03 como fruto da luta antirracista do Movimento Negro. In: Educação anti-racista: caminhos abertos pela lei Federal nº10.639/03. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005.

SANTOS, Gevanilda; SANTOS, Maria José P.; BORGES, Rosangela. A Juventude negra. In. BRANCO, Pedro Paulo Marconi; ABRAMO, Helena Wendel (Orgs.). Retratos da juventude brasileira: análises de uma pesquisa nacional. Fundação Perseu Abramo, 2011.

SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves. Estudos afro-brasileiros: africanidades. ABRAMOWICZ, Anete; GOMES, Nilma Lino. Educação e raça: perspectivas políticas, pedagógicas e estéticas. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

Publicado
2021-03-23
Métricas
  • Visualizações do Artigo 80
  • ♪Áudio♪ downloads: 2
Como Citar
Corsino, L. N. (2021). O ENSINO DE HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE DOCENTES DE DUAS ESCOLAS DA REDE ESTADUAL DE SÃO PAULO. Cenas Educacionais, 4, e10794. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10794
Seção
Dossiê Temático - DIDÁTICA EM QUESTÃO