TEMAS E DESAFIOS (AUTO)FORMATIVOS PARA PROFESSORƎS DE EDUCAÇÃO FÍSICA À LUZ DA DIDÁTICA E DA JUSTIÇA SOCIAL

Palavras-chave: Colaboração, Criticidade, Complexidade, Currículo, Interseccionalidades

Resumo

Há pertinência da didática aos saberes específicos de cada área, correspondendo à noção de didática dos conteúdos específicos (Fachdidaktik). O objetivo deste artigo é analisar os desafios formativos sobre a temática relacionada à didática e justiça social durante a formação inicial em educação física. Investigamos qualitativamente o contexto situado do curso de licenciatura em educação física da Universidade Federal do Ceará. A disciplina “didática e educação física” consta na matriz curricular como obrigatória no curso, nos períodos diurno e noturno. O planejamento da disciplina foi relacionado à justiça social, com participação efetiva dəs estudantes e monitorəs do programa de iniciação à docência. Os principais temas apontados foram: (in)equidade; racismo; criticidade, reflexão e empoderamento; proeminência do lugar de fala e da escuta sensível como saberes necessários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Venâncio, Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutora em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Professora na Universidade Federal do Ceará. Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física Escolar e Relações com os Saberes.

Brena Dias Bruno, Graduanda em Educação Física pela Universidade Federal do Ceará

Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física Escolar e Relações com os Saberes.

Iury Crislano de Castro Silva, Graduado em Educação Física pela Universidade Federal do Ceará

Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física Escolar e Relações com os Saberes

Breno José Mascarenhas Sá de Flor, Graduando em Educação Física pela Universidade Federal do Ceará

Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física Escolar e Relações com os Saberes

Yasmin Gonçalves, Graduanda em Educação Física pela Universidade Federal do Ceará

Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física Escolar e Relações com os Saberes

Luiz Sanches Neto, Professor no Programa de Pós-Graduação em Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutor em Ciências da Motricidade pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Professor na Universidade Federal do Ceará. Pesquisador no Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física Escolar e Relações com os Saberes.

Referências

ALMEIDA, S. L. de. O que é racismo estrutural? Belo Horizonte: Letramento, 2018.

ASSMANN, S. J.; PICH, S. Ato e potência na educação e na educação física. Anais... XVII Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte / IV Congresso Internacional de Ciências do Esporte, Porto Alegre, 2011. Disponível em: <https://www.rbceonline.org.br/congressos/index.php/XVII_CONBRACE/2011/index>. Acesso em: 31 jan. 2021.

BARBIER, R. A escuta sensível na abordagem transversal. In: BARBOSA, J. (Org.). Multirreferencialidade nas ciências e na educação. São Carlos: UFSCar, 1998. p. 168-199.

BELTRAME, D. M. Políticas educacionais e educação física: a equidade na educação física escolar. Journal of Physical Education, v. 11, n. 1, p. 149-156, 2000.

BERTH, J. Empoderamento. São Paulo: Pólen, 2019.

BRACHT, V. Educação física e aprendizagem social. Porto Alegre: Magister, 1997.

BRASIL. Lei 10.639/2003, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9. 394, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília.

BUTLER, J. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In: LOURO, G. L. (Org). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999. p. 110-127.

CANCHERINI, Â. A escuta sensível como possibilidade metodológica. Anais... IV Seminário Internacional de Pesquisa e Estudos Qualitativos, Rio Claro-SP, 2010. Disponível em: <https://arquivo.sepq.org.br/IV-SIPEQ/Anais/artigos/49.pdf>. Acesso em: 31 jan. 2021.

CANDAU, V. M. F.; KOFF, A. M. N. S. A didática hoje: reinventando caminhos. Educação & Realidade, v. 40, n. 2, p. 329-348, 2015. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/2175-623646058>. Acesso em: 31 jan. 2021.

CANEN, A. Universos culturais e representações docentes: subsídios para a formação de professores para a diversidade cultural. Educação & Sociedade, v. 22, n. 77, p. 207-227, 2001. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0101-73302001000400010>. Acesso em: 31 jan. 2021.

CAPARRÓZ, F. E. BRACHT, V. O tempo e o lugar de uma didática da educação física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 28, n. 2, p. 21-37, 2007. Disponível em: <http://revista.cbce.org.br/index.php/RBCE/article/download/53/61>. Acesso em: 31 jan. 2021.

CARVALHO, D. M. da S.; FRANÇA, D. X. de. Estratégias de enfrentamento do racismo na escola: uma revisão integrativa. Educação & Formação, v. 4, n. 12, p. 148-168, 2019. Disponível em: <https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/974>. Acesso em: 25 jan. 2021.

CASTRO, E. A.; QUEIROZ, E. R. de. Educação a distância e ensino remoto: distinções necessárias. Nova Paideia – Revista Interdisciplinar em Educação e Pesquisa, v. 2, n. 3, p. 3-17, 2020. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.36732/riep.v2i3.59>. Acesso em: 5 fev. 2021.

CAVALLEIRO, E. Discriminação racial e pluralismo nas escolas públicas na cidade de São Paulo. In: BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Educação anti-racista: caminhos abertos pela Lei Federal nº 10.639/03. Brasília: MEC, 2005. p. 65-104.

CHARLOT, B. Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre: Artmed, 2000.

CHARLOT, B. Relação com o saber, formação de professores e globalização: questões para a educação hoje. Porto Alegre: Artmed, 2005.

CHARLOT, B. A questão antropológica na Educação quando o tempo da barbárie está de volta. Educar em Revista, v. 35, n. 73, p. 161-180, 2019. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.62350>. Acesso em: 5 fev. 2021.

CHARLOT, B. Educação ou barbárie? Uma escolha para a sociedade contemporânea. São Paulo: Cortez, 2020.

CONCEIÇÃO, W. L. da; ARAÚJO, A. C. de. Tornar-se professor(a) de educação física: elementos que transcendem a provisão institucional de saberes. Revista de Educação Física, Saúde e Esporte, v. 3, n. 1, ed. esp., p. 57-68, 2020. Disponível em: <https://intranet.limoeiro.ifce.edu.br/revistas/refise/article/view/96>. Acesso em: 9 mar. 2021.

CONCEIÇÃO, W. L. da; CAMMAROSANO- ONOFRE, E. M. Adolescentes em privação de liberdade: as práticas de lazer e seus processos educativos. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, v. 11, n. 2, p. 573-585, 2013. Disponível em: <http://revistaumanizales.cinde.org.co/rlcsnj/index.php/Revista-Latinoamericana/article/view/936>. Acesso em: 9 mar. 2021.

CONCEIÇÃO, W. L. da. Histórias de vidas de professores/as e o fazer docente na socioeducação. Revista Prática Docente, v. 5, n. 2, p. 1395-1409, 2020. Disponível em: <http://200.129.244.167/periodicos/index.php/rpd/article/view/790>. Acesso em: 7 mar. 2021.

CORSINO, L. N. Raça, gênero e a lei 10.639/03 no âmbito da educação física escolar: percepções docentes. Revista Interinstitucional Artes de Educar, v. 1, n. 2, p. 247- 262, 2015.

CORSINO, L. N.; AUAD, D. Relações raciais e de gênero: a educação física escolar na perspectiva da alquimia das categorias sociais. Educação: Teoria e Prática, v. 24, n. 45, p. 57-75, 2014.

DARIDO, S. C.; RANGEL-BETTI, I. C. A.; RAMOS, G. N. S.; GALVÃO, Z.; FERREIRA, L. A.; SILVA, E. V. M.; RODRIGUES, L. H.; SANCHES NETO, L.; PONTES, G. H.; CUNHA, F. P. A educação física, a formação do cidadão e os parâmetros curriculares nacionais. Revista Paulista de Educação Física, v. 15, n. 1, p. 17-32, 2001.

DARIDO, S. C. Os conteúdos na educação física escolar. In: DARIDO, S. C.; RANGEL, I. C. A. (Orgs.). Educação física na escola: implicações para a prática pedagógica. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. p. 64-79.

DAVIS, A. Mulheres, raça e classe. São Paulo: Boitempo, 2016.

D’ÁVILA, C.; MACHADO, R.; RADEL, D. O olhar de estudantes de licenciatura da Universidade Federal da Bahia sobre EaD e ensino de didática no contexto da pandemia pela covid- 19. Revista Cocar, n. 9, ed. esp., p. 1-20, 2021. Disponível em: <https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/4127>. Acesso em: 9 mar. 2021.

DEVELAY, M. Donner du sens aux savoirs : la didactique, quarante ans après. Educar em Revista, n. 58, p. 149-163, 2015.

ELLIOTT, J. Editorial review: Lesson study as curriculum analysis (Kyouzai Kenkyuu) in action and the role of “the teacher as a researcher”. International Journal for Lesson and Learning Studies, v. 6, n. 1, p. 2-9, 2017. Disponível em: <https://doi.org/10.1108/IJLLS-11-2016-0045>. Acesso em: 5 fev. 2021.

FLOR, B. M. S. de; LIMA, C. E. S.; SILVA, I. C. de C.; SANCHES NETO, L.; VENÂNCIO, L. Planejamento participativo como instrumento político e pedagógico em aulas de educação física no programa de residência pedagógica. Revista Brasileira de Educação Física Escolar, n. 4, v. 2, p. 123-137, 2020.

FONTANA, M. G. Z. “Lugar de fala”: enunciação, subjetivação, resistência. Conexão Letras, v. 12, n. 18, p. 63-71, 2017. Disponível em: <https://doi.org/10.22456/2594-8962.79457>. Acesso em: 5 fev. 2021.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 11ª ed. Rio de Janeiro: Graal, 1993.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir. 7ª ed. Petrópolis-RJ: Vozes, 1987.

FRANCO, M. A. S. Pedagogia e práticas pedagógicas interculturais. Pesquiseduca, v. 12, n. 27, p. 367-379, 2020. Disponível em: <https://periodicos.unisantos.br/pesquiseduca/article/view/991>. Acesso em: 5 fev. 2021.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 2ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GARBINI, F. A. Z.; LEÃES FILHO, W. V. C. A educação física como meio para desenvolver a criticidade e autonomia em crianças e adolescentes. Santa Maria-RS: UFSM-CEFD, 2006.

GOMES, N. L. O movimento negro educador: saberes construídos nas lutas por emancipação. Petrópolis-RJ: Vozes, 2017.

GOMES, N. L. Educação e identidade negra. Aletria, v. 9, n. 1, p. 38-47, 2002. Disponível em: <https://www.formacaocaleidos.com.br/files/Educacao-e-Indentidade-Negra.pdf>. Acesso em: 5 fev. 2021.

GOMES, N. L. A força educativa e emancipatória do movimento negro em tempos de fragilidade democrática. Teias, v. 21, n. 62, p. 360-371, 2020. Disponível em: <https://doi.org/10.12957/teias.2020.49715>. Acesso em: 5 fev. 2021.

GONZALEZ, L. Racismo e sexismo na cultura brasileira. Ciências Sociais Hoje, n. 2, p. 223-244, 1984.

GUIMARÃES, A. S. A. Preconceito e discriminação: queixas de ofensas e tratamento desigual dos negros no Brasil. São Paulo: Editora 34, 2004.

HEEMSOTH, T.; WIBOWO, J. Fachdidaktisches Wissen von angehenden Sportlehrkräften messen. German Journal of Exercise and Sport Research, v. 50, n. 2, p. 308-319, 2020. Disponível em: <https://doi.org/10.1007/s12662-020-00643-0>. Acesso em: 7 dez. 2020.

HOPPER, T.; KRUIßELBRICK, D. Teaching games for understanding: what does it look like and how does it influence student skill learning and game performance? Avante, v. 22, p. 1-29, 2002.

INFORMAL, Dicionário Online. Verbete: expressão “lugar de fala”. Disponível em: <https://www.dicionarioinformal.com.br/significado/lugar de fala/10905>. Acesso em: 9 set. 2020.

KECK, R. W.; KÖHNLEIN, W.; SANDFUCHS, U. (Orgs.). Fachdidaktik zwischen Allgemeiner Didaktik und Fachwissenschaft: Bestandsaufnahme und Analyse. Bad Heilbrunn: Klinkhardt, 1991.

LIBÂNEO, J. C. Antinomias na formação de professores e a busca de integração entre o conhecimento pedagógico-didático e o conhecimento disciplinar. In: MARIN, A. J.; PIMENTA, S. G. (Orgs.). Didática: teoria e pesquisa. Araraquara-SP: UECE/Junqueira & Marin, 2015.

LIBÂNEO, J. C. School educative aims and internationalization of educational policies: impacts on curriculum and pedagogy. European Journal of Curriculum Studies, v. 3, n. 2, pp. 444-462, 2016.

LIMA, C. E. S.; FERREIRA, E. C. da S.; SANCHES NETO, L.; VENÂNCIO, L. Breaking cultural “taboos” about the body and gender: Brazilian students’ emancipation from a thematic perspective of school physical education. Frontiers in Education, v. 5, n. 155, p. 1-8, 2020. Disponível em: <https://doi.org/10.3389/feduc.2020.00155>. Acesso em: 5 fev. 2021.

LOPES, A. C.; MACEDO, E. Teorias de currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

LOUCHART, A. Trop crepués ? : Ce que disent les cheveux des femmes noires en Occident. Lille: Hakari, 2019.

LOURO, G. L. Gênero, sexualidade e educação. 16ª ed. Petrópolis-RJ: Vozes, 2018.

LUTTRELL, W. (Org.). Qualitative educational research: readings in reflexive methodology and transformative practice. Londres: Routledge, 2010.

MALDONADO, D. T.; VIEIRA, P. de B. A.; SANCHES NETO, L.; FREIRE, E. dos S. Inovação na educação física escolar: desafiando a previsível imutabilidade didático-pedagógica. Pensar a Prática, v. 21, n. 2, p. 444-458, 2018. Disponível em: <https://doi.org/10.5216/rpp.v21i2.45299>. Acesso em: 5 fev. 2021.

MOREIRA, A. F.; CANDAU, V. Indagações sobre currículo: currículo, conhecimento e cultura. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007.

NEPOMUCENO, L. B.; CAVALCANTE, J. A. M.; VENÂNCIO, L.; SANCHES NETO, L. Círculo de cultura como componente qualitativo da pesquisa em educação física: reflexões teórico-metodológicas. Pensar a Prática, v. 22, p. 1-13, 2019. Disponível em: <https://doi.org/10.5216/rpp.v22.55524>. Acesso em: 5 fev. 2021.

NOGUEIRA, V. A.; MALDONADO, D. T.; SILVA, S. A. P. dos S. A avaliação na construção da didática em educação física: reflexões e considerações em uma comunidade de aprendizagem. Conexões, v. 18, e020001, p. 1-17, 2020. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.20396/conex.v18i0.8655629>. Acesso em: 5 fev. 2021.

OLIVEIRA, A. T. C.; ROCHA, L. L.; VENÂNCIO, L.; SANCHES NETO, L. Professores(as)-pesquisadores(as) de educação física na educação básica: idiossincrasias e fomento à formação na região metropolitana de Fortaleza. Caderno de Educação Física e Esporte, v. 17, n. 2, p. 143-151, 2019. Disponível em: <https://doi.org/10.36453/2318-5104.2019.v17.n2.p143>. Acesso em: 5 fev. 2021.

PEREIRA, A. S. M.; VENÂNCIO, L. African and Indigenous games and activities: a pilot study on their legitimacy and complexity in Brazilian physical education teaching. Sport, Education and Society, online, p. 1-16, 2021. Disponível em: <https://doi.org/10.1080/13573322.2021.1902298>. Acesso em: 9 mar. 2021.

PHILPOT, R.; SMITH, W.; OVENS, A. P. Pedagogias críticas na formação de professores de educação física para o novo milênio. Movimento, v. 25, e25064, p. 1-14, 2019. Disponível em: <https://doi.org/10.22456/1982-8918.95142>. Acesso em: 5 fev. 2021.

RANGEL, I. C. A. Racismo, preconceito e exclusão: um olhar a partir da educação física escolar. Motriz, v. 12, n. 1, p. 73-76, 2006. Disponível em: <http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/63>. Acesso em: 12 jun. 2020.

RIBEIRO, D. O que é lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento, 2017.

RODRIGUES, D. A. A educação física perante a educação inclusiva: reflexões conceptuais e metodológicas. Journal of Physical Education, v. 14, n. 1, p. 67-73, 2003.

RODRIGUES, J. M. A relação do corpo para a construção da identidade negra. In: FELINTO, R. (Org.). Culturas africanas e afro-brasileiras em sala de aula: saberes para professores, fazeres para os alunos: religiosidade, musicalidade, identidade e artes visuais. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012. p. 61-66.

SANCHES NETO, L. Pressupostos de convergência, sistematização e complexidade na educação física: perspectiva de professores(as)-pesquisadores(as). In: VENÂNCIO, L.; SANCHES NETO, L.; ULASOWICZ, C.; OKIMURA-KERR, T. (Orgs.). Educação física no ensino fundamental II: saberes e experiências educativas de professores(as)-pesquisadores(as). Curitiba: CRV, 2017. p. 15–48.

SANCHES NETO, L.; OYAMA, E. R. Da escravidão negra à “escravidão econômica” contemporânea: implicações para a educação física no Brasil. Discorpo, n. 9, pp. 45-71, 1999.

SANCHES NETO, L.; VENÂNCIO, L. A luta por visibilidade dəs afrolatinəs como desafio curricular à educação física antirracista. In: FILGUEIRAS, I. P.; MALDONADO, D. T. (Orgs.). Currículo e prática pedagógica de educação física escolar na América Latina. Curitiba: CRV, 2020. p. 29-41.

SANCHES NETO, L.; VENÂNCIO, L.; SILVA, E. V. M.; OVENS, A. P. A socially-critical curriculum for PETE: students’ perspectives on the approaches to social-justice education of one Brazilian programme. Sport, Education and Society, online, p. 1-14, 2020. Disponível em: <https://doi.org/10.1080/13573322.2020.1839744>. Acesso em: 5 fev. 2021.

SCOTT, J. W. Gender and the politics of history. New York: Columbia University Press, 1988.

SILVA, C. C. Penteados afro-brasileiros; uma expressão etnocultural. In: Anais... Congresso internacional interdisciplinar em sociais e humanidades. Niterói RJ: ANINTER-SH/ PPGSD-UFF, 3 a 6 set. 2012. Disponível em: <http://www.aninter.com.br/ANAIS%20I%20CONITER/GT04%20Rela%87%E4es%20%82tnicorraciais/PENTEADOS%20AFRO-BRASILEIROS;%20UMA%20EXPRESS%C7O%20ETNOCULTURAL-%20trabalho%20completo.pdf>. Acesso em: 9 mar. 2021.

SILVA, E. V. M.; VENÂNCIO, L. Aspectos legais da educação física e integração à proposta pedagógica da escola. In: DARIDO, S. C.; RANGEL, I. C. A. (Orgs.). Educação física no ensino superior: implicações para a prática pedagógica. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011. p.50-63.

SILVANO, H. S.; VENÂNCIO, L.; SANCHES NETO, L. Avaliação do processo de aprendizagem: algumas implicações à educação física escolar. Revista Brasileira de Educação Física Escolar, n. 4, v. 3, p. 156-186, 2020.

SODRÉ, M. Do lugar de fala ao corpo como lugar de diálogo: raça e etnicidades numa perspectiva comunicacional. RECIIS, v. 13, n 4, p. 877-886, 2019. Disponível em: <https://doi.org/10.29397/reciis.v13i4.1944>. Acesso em: 5 fev. 2021.

SOUZA, J. O racismo de nossos intelectuais: o brasileiro como vira-lata. In: SOUZA, J. A elite do atraso: da escravidão a Bolsonaro. Rio de Janeiro: Estação Brasil, 2019. p. 12-36.

SOUZA, J. Patriarcalismo e escravidão. In: SOUZA, J. Subcidadania brasileira: para entender o país além do jeitinho brasileiro. Rio de Janeiro: LeYa, 2018. p. 153-177.

VAN DIJK, E. M.; KATTMANN, U. A research model for the study of science teachers’ PCK and improving teacher education. Teaching and Teacher Education, v. 23, n. 6, p. 885-897, 2007. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1016/j.tate.2006.05.002>. Acesso em: 5 fev. 2021.

VENÂNCIO, L. Planejamento participativo em educação física escolar: um contexto situado de relações com os saberes e corresponsabilidades. In: VENÂNCIO, L.; SANCHES NETO, L.; ULASOWICZ, C.; OKIMURA-KERR, T. (Orgs.). Educação física no ensino fundamental II: saberes e experiências educativas de professores(as)-pesquisadores(as). Curitiba: CRV, 2017. p. 65–95.

VENÂNCIO, L. A relação com o saber e o tempo pedagogicamente necessário: narrativas de experiência com a educação física escolar. Revista de Estudos de Cultura, v. 5, p. 89-102, 2019. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.32748/revec.v5i14.13268>. Acesso em: 5 fev. 2021.

VENÂNCIO, L; BETTI, M.; FREIRE, E. dos S.; SANCHES NETO, L. Modos de abordar a aprendizagem na educação física escolar: sujeitos-interlocutores na relação com o saber. Revista Brasileira de Educação Física Escolar, n. 2, v. 3, p. 33-53, 2016.

VENÂNCIO, L.; DARIDO, S. C. A educação física escolar e o projeto político pedagógico: um processo de construção coletiva a partir da pesquisa-ação. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. p. 97–109, 2012. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S1807-55092012000100010>. Acesso em: 5 fev. 2021.

VENÂNCIO, L.; NOBREGA, C. C. dos S. (Orgs.). Mulheres negras professoras de educação física. Curitiba: CEV, 2020.

VENÂNCIO, L.; SANCHES NETO, L.; FERREIRA, E. C. da S.; LIMA, C. E. S. Relação com o saber na educação física escolar e algumas transgressões transdisciplinares sobre gênero. In: WIRTZBIKI, F.; ALMEIDA, M. T. P. de (Orgs.). Educação física e transdisciplinaridade: razões práticas. Fortaleza: Nexos, 2020.

WESTBURY, I.; HOPMANN, S.; RIQUARTS, K. (Orgs.). Teaching as a reflective practice: the German Didaktik tradition. New York: Routledge, 1999.

Publicado
2021-03-11
Métricas
  • Visualizações do Artigo 371
  • ♪Áudio♪ downloads: 5
Como Citar
Venâncio, L., Bruno, B. D., Silva, I. C. de C., Flor, B. J. M. S. de, Gonçalves, Y., & Sanches Neto, L. (2021). TEMAS E DESAFIOS (AUTO)FORMATIVOS PARA PROFESSORƎS DE EDUCAÇÃO FÍSICA À LUZ DA DIDÁTICA E DA JUSTIÇA SOCIAL. Cenas Educacionais, 4, e10778. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/10778
Seção
Dossiê Temático - DIDÁTICA EM QUESTÃO

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##