“A música que me forma ou (trans)forma”: narrativas musicais no estágio

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2023.v8.n23.e1144

Palavras-chave:

Educação Musical, Pesquisa (Auto)biográfica, Estágio Supervisionado, Formação de professores

Resumo

Neste artigo discutiremos a música como a materialização, representativa, exteriorizada no processo de formação de licenciandos, durante a disciplina de Estágio Supervisionado Curricular em um curso de Licenciatura em Música, tendo o campo de atuação a escola de educação básica. Apresentamos como foi realizado o Ateliê Biográfico de Projeto, que fomentou narrativas orais, escritas e musicais entre os estagiários. A partir de suas partilhas musicais, de suas experiências automediais proporcionadas pela música, debatemos o papel da música nas histórias de vida em formação e as projeções profissionais de dois estudantes. O significado de música e formação, para esses, está centrado na experiência vivida do tocar e na materialidade sonora expressiva que conseguiram realizar com seus instrumentos musicais. A partir das ressignificações de suas experiências musicais vividas na disciplina, percebemos suas ressonâncias em suas formas de pensar a docência em música na escola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mônica Luchese Marques, Universidade Federal do Maranhão

Doutora em Música, Educação Musical, no Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e integra o Grupo de Pesquisa Educação Musical e Formação Docente (ForMusi) da Udesc, certificado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). É professora do Departamento de Música da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Teresa Mateiro, Universidade do Estado de Santa Catarina

Professora Associada do Departamento de Música (DMU) da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Atua nos Programas de Pós-Graduação, Mestrado em Música (PPGMUS) e Mestrado Profissional em Artes (PROF-ARTES) na mesma instituição. Foi professora de música em escolas, públicas e privadas, de educação básica. É líder do Grupo de Pesquisa Educação Musical e Formação Docente (UDESC/CNPq). É editora da Revista ORFEU (PPGMUS/UDESC). Desenvolve pesquisas na área de Formação Docente privilegiando temas como prática pedagógica, programas curriculares, conhecimento profissional, práticas musicais escolares e abordagens (auto)biográficas em educação musical. 

Referências

ABREU, Delmary Vasconcelos. História de vida e sua representatividade no campo da educação musical: um estudo com dois educadores musicais do Distrito Federal. Intermeio, Campo Grande, v. 23, n. 45, p. 207-227, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufms.br/index.php/intm/article/view/5080. Acesso em: 31 mar. 2023.

ABREU, Delmary Vasconcelos de. Um ensaio sobre a musicobiografização como uma vertente para a pesquisa (auto)biográfica em educação musical. Revista da Abem, v. 30, n. 2, e30202, 2022, p. 1-21. Disponível em: http://www.abemeducacaomusical.com.br/revistas/revistaabem/index.php/revistaabem/article/viewFile/1099/631. Acesso: 29 abr. 2023.

ACKER, Maria Teresa Viana Van; GOMES, Marineide de Oliveira. Ateliê Biográfico de Projeto na formação de professores: uma perspectiva emancipatória. Revista Educ. Pública. Cuiabá, vol.22, n.4, p. 29-42. 2013. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S2238-20972013000100003&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 29 abr. 2023.

ADORNO, Theodor W. Fragmento sobre Música e Linguagem. Trad. D. Barros. Trans/Form/Ação. São Paulo, v. 1, n.2, p. 167-171.2008. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/transformacao/article/view/988/891

ANDRADE, Rosana Cássia Rodrigues; RESENDE, Marilene Ribeiro. Aspectos legais do estágio na formação de professores: uma retrospectiva histórica. Educação em Perspectiva, Viçosa, v. 1, n. 2, p. 230-252, jul./dez. 2010. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/educacaoemperspectiva/article/view/6474. Acesso em: 29 abr. 2023.

BLACKING, John. Música, cultura e experiência. Cadernos de Campo, São Paulo, n. 16, p. 201-218. 2007.

BORGES, Márcio. Os sonhos não envelhecem: histórias do Clube da Esquina. 8ª ed. São Paulo: Geração editorial, 2013.

CARVALHO, Pedro Paes de. “Cadê o cigano?”: reflexões sobre o gypsy jazz e ciganidades. Música Popular em Revista, Campinas, v. 7, p. 1-27. 2020. DOI: 10.20396/muspop.v7i00.14313. Acesso: 29 abr. 2023.

CAVACO, Carmem. Experiência e formação experiencial: a especificidade dos adquiridos experienciais. Revista Educação Unissinos, Vol. 13, n 3, p.220-227, Set/dez. 2009. Disponível em: https://revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/4949/2199 Acesso em: 29 abr. 2023.

COOK, Nicholas. Music: a very short introduction. New York: Oxford University Press Inc., 1998.

CORILOW, Vinicius Moreira. Vera Cruz: entre a instabilidade, a ambiguidade e a náusea nas versões de Milton Nascimento e Wayne Shorter. In: XXV Congresso ANPPOM, 2015. Vitória. Anais [...]. Vitória. 2015. s/n. Disponível em: https://anppom.org.br/anais/anaiscongresso_anppom_2015/3511/public/3511-11682-1-PB.pdf Acesso: 29 abr. 2023.

DELORY-MOMBERGER, Christine. Formação e socialização: os ateliês biográficos de projeto. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 32, n. 2, p. 359-371, maio/ago. 2006. Disponível em : https://www.scielo.br/j/ep/a/GxgXTXCCBkYzdHzbMrbbkpM/abstract/?lang=pt. Acesso em: 29 abr. 2023.

DELORY-MOMBERGER, Christine; BOURGUIGNON, Jean-Claude. Automédialité. In: DELORY-MOMBERGER, Christine. Vocabulaire des histoires de vie et de la recherche biographique. Toulouse: Érès. 2019. P. 36-39.

FERRAROTTI, Franco. Sobre a autonomia do método biográfico. In: NÓVOA, António; FINGER, Matthias. O método (auto)biográfico e a formação. Natal: EDUFRN. 2014. P. 29-56.

FERREIRA, Clodomir. Imaginando o triângulo: música, comunicação e história. In: CASTRO, Gustavo de. Mídia e Imaginário, São Paulo: Annablume, 2012. P.113-126.

FINNEGAN, Ruth. The hidden musicians. Middletown: Wesleyan University Press.2007.

FRANCISCHINI, Alexandre. Autonomia e Funcionalidade: Algumas considerações deste binômio em música. Revista Eletrônica Thesis. São Paulo, Ano XIII, n. 25, p. 1-10, 2016. Disponível em: http://cantareira.br/thesis2/ed_25/materia1.pdf. Acesso em: 29 abr. 2023.

HANSLICK, Eduard. Do Belo Musical. Trad. Arthur Mourão. Lisboa: Ed.70. 1994.

JOSSO, Marie-Christine. Experiência de vida e formação. Lisboa: EDUCA. 2002.

JOSSO, M. C. Da formação do sujeito... Ao sujeito da formação. In: NÓVOA, António; FINGER, Matthias. O método (auto)biográfico e a formação. Natal: EDUFRN. 2014. p. 57-76.

KOVADLOFF, Santiago. El Silencio Primordial. Buenos Aires: EMECÉ. 2009. Disponível em: https://kupdf.net/download/kovadloff-santiago-el-silencio-primordial_62efe8ade2b6f5454356d3cd_pdf. Acesso em: 29 abr. 2023.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras. 2020.

LIE, Siv. Genre, Ethnoracial Alterity, and the Genesis of Jazz Monouche. Journal of the American Musicological Society, v. 72, n. 3, p. 665-718, 2019. Disponível em: https://www.sivblie.com/wp-content/uploads/2019/12/Lie-JAMS-2019.pdf. Acesso em: 29 abr. 2023.

MARQUES, Mônica Luchese; MATEIRO, Teresa. Estudo-Piloto e Ateliê Biográfico de Projeto: rodas de conversa com estagiários(as) de música. In: Encontro Regional Sul da ABEM, 20º. Anais... [evento online]. Disponível em: 1342-5606-1-PB.pdf (abemeducacaomusical.com.br). Acesso em: 28 abr. 2023.

MELLO, Maria Ignez Cruz. Música e Mito entre os Wauja do Alto Xingu. 1999. 214f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, UFSC, Florianópolis, 1999.

MERRIAM, Allan P. The Anthropology of Music. Evanston:Nortwestern University. Press 1964.

NATTIEZ, Jean-Jacques. O Combate entre Cronos e Orfeu: Ensaios de semiologia musical aplicada. Trad. Luiz Paulo Sampaio. São Paulo: Via Lettera Editora e Livraria, 2005.

NÓVOA, António. Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1995

PASSEGGI, Maria. C. Reflexividade Narrativa e poder (auto)transformador. Revista práxis educacional, v. 17, n. 44, p. 1-21, 2021. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/8018. Acesso em: 29 abr. 2023.

NORONHA, Lina Maria Ribeiro de. A música como linguagem e os conceitos de música universal e música nacional. In: 10° Encontro Internacional de Música e Mídia, 2014. Vitória. Anais... Encontro Internacional de Música e Mídia. 2014. p. 59-71. Disponível em: http://musimid.mus.br/10encontro/wp-content/uploads/conferencia/10encontro_0_noronha.pdf. Acesso em: 29 abr. 2023.

PIMENTA, Selma G; LIMA, Maria S. Lucena. Estágio e docência. Editora: Cortez, 2017.

PINEAU, Gaston. A autoformação no decurso da vida: entre a hetero e a ecoformação. In: NÓVOA, António; FINGER, Matthias. O método (auto)biográfico e a formação. Natal: EDUFRN, Natal, 2014. p. 91-110.

SEKEFF, Maria de Lourdes. Da música: seus usos e recursos. São Paulo: UNESP. 2002.

SINZIG, Frei Pedro. Dicionário musical. Rio de Janeiro: Kosmos. 1946.

SOUZA, Elizeu Clementino de. Histórias de vida, escritas de si e abordagem experiencial. In: SOUZA, Elizeu Clementino de; MIGNOT, Ana Chrystina Venancio. Histórias de Vida e Formação de professores. Rio de Janeiro: Qartet, 2008. p. 89-98.

YEDAIDE, Maria Marta; PORTA, Luis. Narrativa como forma de conhecer as experiências do mundo. In: REIS, Graça; OLIVEIRA, Inês B. de; BARONI, Patrícia (org.). Dicionário de pesquisa narrativa. Rio de Janeiro, RJ: Ayvu, 2022. p. 241-248.

UDESC. Projeto Pedagógico Licenciatura em Música, 2012.

Downloads

Publicado

2023-12-28

Como Citar

MARQUES, M. L.; MATEIRO, T. “A música que me forma ou (trans)forma”: narrativas musicais no estágio. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 8, n. 23, p. e1144, 2023. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2023.v8.n23.e1144. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/17313. Acesso em: 13 abr. 2024.