Processos de identificação na docência: ressignificando experiências no campo da pesquisa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2021.v6.n19.p973-991

Palavras-chave:

Desenvolvimento Profissional Docente, Processos de Identificação, Experiências, Pesquisa Narrativa, Escrita Biográfico-Narrativa.

Resumo

Trata-se de estudo sobre experiências significativas vividas pelo primeiro autor durante os três anos iniciais como docente e pesquisador no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM), Campus Coari, no interior do estado brasileiro do Amazonas. Objetivou-se, a partir de reflexões sobre o Desenvolvimento Profissional Docente (DPD), encontrar novos sentidos para os processos de identificação experienciados no campo da pesquisa científica, buscando descobrir e informar possibilidades de mudanças significativas. A investigação ocorreu no contexto de estudos de doutorado em andamento na perspectiva da Pesquisa Narrativa, ancorada na proposta de Clandinin e Connelly (2015), em diálogo com o enfoque biográfico-narrativo de pesquisa, a partir de Ferrarotti (2014) e outros. Esse exercício resultou em novas compreensões e possibilidades de melhorias no processo de DPD, quando se ressignificaram experiências vivenciadas entre tempos, lugares e contextos sociais e educativos diferentes. Permitiu, ainda, ampliar a visão sobre método e metodologia de pesquisa qualitativa, relatada em primeira pessoa do singular, considerando o diálogo colaborativo com os coautores, que contribuem com o suporte teórico e com as relações estabelecidas em grupos epistêmicos no Brasil e na Espanha, para a ressignificação da experiência vivida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudio Afonso Peres, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Mestre em Educação pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE). Doutorando em Educação na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), com Bolsa do Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE) na Universidade de Sevilha-ES. Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Política e Formação Docente (GEPForDoc) e do Grupo Educação, Tecnologias Sociais e Desenvolvimento no interior do Amazonas.

Filomena Maria de Arruda Monteiro, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Doutorado em Educação e pós-doutorado pela Universidade Federal de São Carlos-UFSCar. Professora do Curso de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação (PPGE) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Política e Formação Docente (GEPForDoc). Editora da Revista de Educação Pública.

José González-Monteagudo, Universidade de Sevilha - Espanha

Doutorado em Pedagogia e Professor do Departamento de Teoria e História da Educação e Pedagogia Social, Faculdade de Ciências da Educação, Universidade de Sevilha (Espanha). Prêmio Nacional de Pesquisa Educacional e Prêmio Extraordinário de Doutorado. Foi professor convidado e pesquisador - trabalhando em espanhol, inglês, francês e italiano - em universidades no Brasil, Colômbia, Dinamarca, Egito, França, Alemanha, Itália, México, Reino Unido e Estados Unidos. Pertence às associações de pesquisa e treinamento de língua francesa (ASIHVIF), língua inglesa (ESREA) e brasileira (BIOGraph), com foco em histórias de vida. Participou de vários projetos de pesquisa europeus. Publicou em diferentes línguas, sobre teorias educacionais contemporâneas, educação de adultos, diversidade cultural, migrações, mediação social e intercultural, pesquisa qualitativa, etnografia, metodologias biográficas em treinamento e pesquisa, estudantes internacionais e não-tradicionais.

Referências

ANTUNES, Ricardo. O caracol e sua concha: ensaios sobre a nova morfologia do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2005.

BOLÍVAR, Antonio; SEGÓVIA, Jesús Domingo; FERNÁNDEZ-CRUZ, Manuel. La investigación biográfico-narrativa en educación: Enfoque y metodología. Madrid: Muralla, 2001.

BOLIVAR. Antonio. Prefácio. In: ABRAHÃO, M.H.M.B. In: A nova aventura (auto) biográfica. Tomo III. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2018. p. 7-27.

BRASIL. Lei n° 11.892, de 29.12.2008 - Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Brasília: Senado Federal, 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11892.htm. Acesso em: 17 nov. 2020.

BRUNER, Jerome. Narrative and paradigmatic modes of thought. In: BRUNER, Jerome. (2006) Search of pedagogy. The selected works of Jerome Bruner. Vol. 2. New York: Routledge, 1985. p. 116-128.

CLANDININ, Jean et. alli. Engaging in narrative inquiries with children and youth. Walnut Creek, CA: Left Coast Press, 2016.

CLANDININ, Jean; CONNELLY, Michael. Pesquisa Narrativa: experiências e histórias na pesquisa qualitativa. Tradução grupo de Pesquisa Narrativa e Educação de Professores ILEEL/UFU. Uberlândia: EDUFU, 2015.

COMTE, Augusto. Discurso sobre o Espírito Positivo. São Paulo: Martins Fontes, 1990.

CONNELLY, Michael; CLANDININ, Jean. Relatos de experiência e investigacion narrativa. In: LARROSA, Jorge. Déjame que te cuente: ensayos sobre narrativa y educación. Barcelona: Editorial Laertes, 1995. p. 11-59.

DAY, Chistopher.. Formar Docentes: Cómo, Cuándo y em que condiciones aprende el profesorado. Madrid: NARCEA S.A. de Ediciones, 2005.

DEWEY, John. Experiência e educação. Tradução Anísio Teixeira. São Paulo: Ed. Nacional, 1979.

DILTHEY, Wilhelm. A construção do mundo histórico nas ciências humanas. Tradução de Marcos Casanova. São Paulo: Editora da UNESP, 2010.

FERNÁNDEZ-CRUZ, Manuel. Formación y Desarrollo de Profesionales de la Educación. Un Enfoque Profundo. USA. Deep University Press, 2015.

FERRAROTTI, Franco. Sobre a autonomia do método biográfico. In: NÓVOA, Antônio; FINGER, Mathias. O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa, PT: Ministério da Saúde, 1988. p. 17- 34.

FERRAROTTI, Franco. História e histórias de vida: o método biográfico nas Ciências Sociais. Tradução de Carlos Eduardo Galvão Braga e Maria da Conceição Passeggi. Natal: EDUFRN, 2014.

FERRAROTTI, Franco. Sobre a autonomia do método biográfico. In: NÓVOA, António; FINGER, Matthias. O método (auto)biográfico e a formação. Natal, RN EDUFRN. São Paulo: Paulus, 2010. p. 21-57.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método. Tradução de Flávio Paulo Meurer. 3ª edição. Petrópolis: Vozes; 1999.

GAVIRIA, Ricardo; MONTEIRO, Filomena. 'Eu não pensei ser uma professora universitária': trajetória de formação profissional e construção da identidade docente. In: BRAGANÇA, I. F. S.; NAKAYAMA, B. C. M. D.; TINTI, D. S. (Org.). Narrativas, formação e trabalho docente. 1º ed, v. 7. Curitiba: CRV, 2018. p. 203-216.

GONZÁLEZ-MONTEAGUDO, José. Abordagens biográfico-narrativas com estudantes universitários não-tradicionais. In: FRAGOSO, A.; VALADAS, S.T. (Eds.). Estudantes não-tradicionais no Ensino Superior. Publisher: Coimbra: CINEP/IPC, 2018b. p. 59-77.

GONZÁLEZ-MONTEAGUDO, José. El enfoque biográfico en las investigaciones sobre los profesores. Una revisión de las líneas de trabajo más relevantes. p. 63-85. Aula Abierta. Universidad de Oviedo. España, 1996. Disponível em: file:///C:/Users/claud/Downloads/1996cesarAulaAbierta%20(1).pdf. Acesso em: 17 nov. 2020.

GONZÁLEZ-MONTEAGUDO, José. Writing in Ethnographic and Auto/biographical Approaches: Old and New Challenges. Miradas, v. 1, n. 11, 1 dez. 2013. Disponível em: https://revistas.utp.edu.co/index.php/miradas/article/view/9083/5583. Acesso em: 14 dez. 2021.

GONZÁLEZ-MONTEAGUDO, José. El Trabajo Biográfico-Narrativo En Investigación Y En Formación En El Siglo Xxi (2000-2016): Itinerarios, Experiencias Y Redes. In: ABRAHÃO, M.H.M.B. A nova aventura (auto) biográfica. Tomo III. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2018a. p. 227-251.

GONZÁLEZ-MONTEAGUDO, José; OCHOA-PALOMO, Carmen. El giro narrativo en España: investigación y formación con enfoques auto/biográficos. Revista Mexicana de Investigación Educativa. México, DF. vol. 19, nº 62, p. 809-829. Set. 2014. Disponível em: http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1405-66662014000300008. Acesso em: 17 nov. 2020.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução: Tomaz Tadeu da Silva & Guaciara Lopes Louro. 11. ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2019.

IÑIGUEZ, Lupicínio. Identidad: De lo Personal a lo Social. Un Recorrido Conceptual. En: Eduardo Crespo (Ed.), La constitución social de la subjetividad. Madrid: Catarata, 2001. p. 209-225. Disponível em: file:///C:/Users/claud/Downloads/Identidad_2001%20(3).pdf. Acesso em: 17 nov. 2020.

KEYNES, John Maynard. M. A teoria geral do emprego, do juro e da moeda. São Paulo: Atlas, 1982.

MÉSZÁROS, István. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2005.

MONTEIRO, Filomena. Práticas de investigação narrativa com professores em exercício: contribuições significativas ao desenvolvimento profissional. Teias, v. 15, p. 118-129, 2014. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistateias /article/view/24424. Acesso em: 17 nov. 2020.

MONTEIRO, Filomena; SILVA, Maria das Graças. Universidade e trabalho docente: repensar para ressignificar. Poiésis. (Catalão), Catalão- GO, v. 02, n.02, p. 121-136, 2004. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/poiesis/article/view/10525. Acesso em: 14 dez. 2021.

MORAES, Gustavo Henrique. Identidade de Escola Técnica vs. Vontade de Universidade - A formação da Identidade dos IF. 2016. 356p. Tese (Doutorado e Educação). UNB: Brasília, 2016. Disponível em: www.https://repositorio.unb.br/handle/10482/21409. Acesso em: 15 nov. 2020.

RESTREPO, Eduardo; WALSH, Catherine; VICH, Victor (Org.). Sin Garantías: trayectorias y problemáticas en estudios culturales. Popayán/Lima/ Bogotá: Instituto de Estudios sociales y Culturales Pensar/Instituto de Estudios Peruanos/Universidad Andina Simón Bolivar, 2010. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/331235109_Sin_garantias_Trayectorias_y_problematicas_en_estudios_culturales_2_ed/link/5c6ddf16a6fdcc404ec18c39/download. Acesso em: 17 nov. 2020.

ROSE, Nicolas. Como se deve fazer a história do eu? Tradução de Tomaz T. da Silva. Revista Educação e Realidade. V. 26, n1, p. 33 a 57, 2001. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/41313/26145. Acesso em: 17 nov. 2020.

SIBÍLIA, Paula. Autenticidade e performance: a construção de si como personagem visível. In:

OSWALD, Maria Luiza; COUTO JUNIOR, Dilton Ribeiro Do (Org.) ; WORCMAN, Karen. (Org.)

Narrativas Digitais, Memórias e Guarda. 1. Ed. Curitiba, PR: Editora CRV, 2014. P. 41-62.

SILVA, Tomás Tadeu. A Produção Social da Identidade e da Diferença. In: SILVA, T. T. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis. RJ: Vozes, 2014, p. 73-102.

SILVA, Tomás Tadeu. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 3ª ed. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2011.

SILVA, Wilson Carlos Lima. Saber se inventar: o memorial acadêmico na encruzilhada da autobiografia e do egodocumento. Métis: História & Cultura. Caxias do Sul. V. 14, p. 30. P. 44-67, jul/dez. 2016. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/metis/article/view/4934. Acesso em: 17 nov. 2020.

SOUZA, Elizeu Clementino. (Auto)biografia, histórias de vida e práticas de formação. In: NASCIMENTO, A. D.; HETKOWSKI, T. M. (Org.). Memória e formação de professores. Salvador: Edufba, 2007. p. 59- 74.

ZEICHNER, Kennety. Uma análise crítica sobre a “reflexão” como conceito estruturante na formação docente. Educação e Sociedade. Campinas. v. 29, n.103, p. 535-554. Mai/Ago. 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v29n103/12.pdf. Acesso em: 17 nov. 2020.

Downloads

Publicado

2021-12-24

Como Citar

PERES, C. A.; MONTEIRO, F. M. de A.; GONZÁLEZ-MONTEAGUDO, J. . Processos de identificação na docência: ressignificando experiências no campo da pesquisa. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 6, n. 19, p. 973–991, 2021. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2021.v6.n19.p973-991. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/10207. Acesso em: 19 maio. 2024.