APRESENTAÇÃO

Autores

  • Ana Claudia Lemos Pacheco Universidade do Estado da Bahia - UNEB
  • Delcele Mascarenhas Queiroz Universidade do Estado da Bahia - UNEB

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2016.v25.n45.p%25p

Resumo

As pesquisas que compõem este dossiê abordam a educação na perspectiva dos grandes processos de mudanças estruturais. Em linhas gerais, partem de análises que privilegiam as dimensões da microanálise do cotidiano, articuladas à equação democrática acerca da “igualdade social na diversidade”, ou melhor, das diferenças nas quais estão estruturadas as desigualdades sociais e as novas configurações identitárias.

O respeito às diferenças é central para uma sociedade democrática e multicultural. A discussão sobre a política de inclusão e de reconhe-cimento em torno das identidades sociais e políticas, no Brasil, remontam à década de 1980, com a eclosão dos chamados Novos Movimentos Sociais. Entretanto, as políticas efetivas de reconhecimento e/ou afirmativas implementadas pelo Estado brasileiro, direcionadas às populações negras e indígenas, só foram efetivadas a partir do século XXI, o que contribuiu para uma série de práticas pedagógicas voltadas para a problemática da diversidade cultural na escola e de pesquisas sobre o sistema de ensino.

A violência simbólica perpetrada nos corpos e mentes das crianças e dos jovens no interior do sistema educacional reproduz a violência estrutural da sociedade brasileira contra amplos segmentos sociais. A crítica teórica ao atual sistema de ensino e a reprodução de ideias e valores hegemônicos tem sido realizada por diferentes agentes sociais. Tais críticas teóricas, oriundas de diferentes posições de sujeitos, têm influído
na prática pedagógica, no currículo escolar e na formação dos professores, centrando seu argumento na defesa da diversidade cultural e de políticas afirmativas que visem atenuar e/ou erradicar as desigualdades sociais e históricas contra tais grupos sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Claudia Lemos Pacheco, Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas UNICAMP, São Paulo (2008); com o tema de pesquisa sobre Mulher Negra, Afetividade, Gênero, Raça e solidão. Mestre em Sociologia pela Universidade Federal da Bahia (1998); Bacharel e Licenciada em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (1992, 1993). É professora Adjunta "B" de Sociologia da Universidade do Estado da Bahia, UNEB; Campus-I . É professora permanente do Mestrado Stricto sensu em Relações Étnicas e Contemporaneidade da Universidade do Sudoeste da Bahia. Atualmente é coordenadora pró-tempore do Núcleo de pesquisa e extensão (NUPE) do Departamento de Educação da UNEB, Campus-I, Salvador. Autora do livro Mulher Negra: Afetividade e Solidão, publicado em dezembro de 2013, pela Editora da Universidade Federal da Bahia- EDUFBA.

Delcele Mascarenhas Queiroz, Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Possui graduação em Pedagogia (1974), mestrado em Educação (1996) e doutorado em Educação pela Universidade Federal da Bahia (2001). E professora titular da Universidade do Estado da Bahia - UNEB. Coordena o Grupo de Pesquisa Educação Desigualdade e Diversidade. Integra o Conselho Editorial da Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos RBEP/INEP. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Fundamentos da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: negro, ações afirmativas, raça, acesso de negro ao ensino superior e cotas.

Como Citar

PACHECO, A. C. L.; QUEIROZ, D. M. APRESENTAÇÃO. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 25, n. 45, 2016. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2016.v25.n45.p%p. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/2280. Acesso em: 13 jun. 2024.