Rede nacional das licenciaturas em ensino religioso e o movimento de decolonização religiosa da escola

Palavras-chave: Formação de professores, Ensino Religioso, Decolonialidade

Resumo

O artigo objetiva contextualizar a criação e fortalecimento do movimento de transformação epistemológica e pedagógica do Ensino Religioso, com a finalidade de analisar as contribuições da Rede Nacional de Licenciaturas em Ensino Religioso (RELER) para a decolonização religiosa da escola. Trata-se de um estudo qualitativo, do tipo bibliográfico e documental. A coleta dos dados é proveniente do estudo da literatura científica produzida por diferentes autores de perspectiva decolonial, e de documentos que sustentam a proposta do Ensino Religioso não confessional. Os resultados indicam que: a colonialidade subsiste nos campos religioso e educativo; o Ensino Religoso confessional reproduz os processos históricos de imposição e homogeneização religiosa; o movimento de decolonização do Ensino Religoso alterou seus fundamentos epistemológicos e pedagógicos para contribuir no processo de reconhecimento da diversidade religiosa; a Rede Nacional de Licenciaturas em Ensino Religioso (RELER) vem atuando com protagonismo no campo da formação de docentes para o Ensino Religioso de perspectiva decolonial e, portanto, não confessional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BALLOUSSIER, A. V. Bolsonarismo e ascensão evangélica são novas ameaças ao candomblé, diz sociólogo. Folha de São Paulo. São Paulo, 23/01/2021, p. 1. Disponível em: https://folha.com/7hm0sk2u. Acesso em: 5 jan. 2022.
.
BORGES, C.; BAPTISTA, P. A. N. Entender o passado e falar do presente: aportes a um Ensino Religioso descolonizador e pós-colonial. Numen: revista de estudos e pesquisa da religião, Juiz de Fora, v. 23, n.2, p. 21-38, jul./dez. 2020.

BRASIL. Decreto n. 7.247, de 19 de abril de 1879. Reforma o ensino primario e secundario no municipio da Côrte e o superior em todo o Imperio. In: Coleção de Leis do Império do Brasil – 1879, v. 1, pt. II, p. 196. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-7247-19-abril-1879-547933-publicacaooriginal-62862-pe.html. Acesso em: 5 jan. 2022.

BRASIL. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil de 1891. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao91.htm. Acesso em: 5 jan. 2022.

BRASIL. Decreto nº 119-A, de 7 de janeiro de 1890a. Prohibe a intervenção da autoridade federal e dos Estados federados em materia religiosa, consagra a plena liberdade de cultos, extingue o padroado e estabelece outras providências. In: Coleção de Leis do Brasil - 1890, vol. 1, p. 10. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-119-a-7-janeiro-1890-497484-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 29 jun. 2021.

BRASIL. Decreto n. 181, de 24 de Janeiro de 1890b. Promulga a lei sobre o casamento civil. In: Coleção de Leis do Brasil - 1890, v. 1, fasc. 1, p. 168. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-181-24-janeiro-1890-507282-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 5 jan. 2022.

BRASIL. Decreto n. 521, de 26 de Junho de 1890c. Prohibe cerimonias religiosas matrimoniaes antes de celebrado o casamento civil, e estatue a sancção penal, processo e julgamento applicaveis aos infractores. In: Coleção de Leis do Brasil - 1890, v. 1, fasc. VI, p. 1416. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-521-26-junho-1890-504276-norma-pe.html. Acesso em: 5 jan. 2022.

BRASIL. Decreto n. 789, de 27 de setembro de 1890d. Estabelece a secularisação dos cemiterios. In: Coleção de Leis do Brasil - 1890, v. 1, fasc. IX, p. 2454. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-789-27-setembro-1890-552270-publicacaooriginal-69398-pe.html. Acesso em: 29 jun. 2021.

BRASIL. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil de 1934. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao34.htm. Acesso em: 5 jan. 2022.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 5 jan. 2022.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 29 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº. 9.475, de 22 de julho de 1997. Dá nova redação ao art. 33 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9475.htm. Acesso em: 5 jan. 2022.

BRASIL. Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”, e dá outras providências. Brasília: Diário Oficial da União, 10 jan. 2003. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.htm. Acesso em: 5 jan. 2022.

BRASIL. Lei nº 11.645, de 10 de março de 2008. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei n. 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11645.htm. Acesso em: 5 jan. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília/DF, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/a-base. Acesso em: 5 jan. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP nº 12, de 02 de outubro de 2018a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=99971-pcp012-18&category_slug=outubro-2018-pdf-1&Itemid=30192. Acesso em: 5 jan. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 5, de 28 de dezembro de 2018b. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de licenciatura em Ciências da Religião e dá outras providências. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/janeiro-2019-pdf/105531-rcp005-18/file.

CARREIRA, D.; ANDRADE, A. Educação das relações raciais: balanços e desafios da implementação da lei 10639/2003. São Paulo, Ação Educativa, 2015.

CASTRO-GÓMEZ, S.; GROSFOGUEL, R. (comp.) El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores, 2007.

CECCHETTI, E.; SANTOS, A. V. . O Ensino Religioso na escola brasileira: alianças e disputas históricas. Acta Scientiarum. Education (Online), v. 38, p. 131, 2016.

CECCHETTI, E. A laicização do ensino no Brasil (1889-1934). 322 fls. 2016. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2016.

CECCHETTI, E.; POZZER, A.; TEDESCO, A. L. Formação docente intercultural e colonialidade do saber. Revista del CISEN Tramas/Maepova, n. 8 (1), p. 187-200, 2020.

CUNHA, L. A. A laicidade em disputa: religião, moral e civismo na educação brasileira. Revista Teias, 14 (36), p. 5-25, 2014.

CUNHA, L. A. O sistema nacional de educação e o ensino religioso nas escolas públicas. Educação & Sociedade, 34 (124), p. 925-941, jul/set., 2013.
CURY, C. R. J. Ideologia e educação brasileira: católicos e liberais. 4 ed. São Paulo: Cortez; Autores Associados, 1988.

CURY, C. R. J. Ensino religioso e escola pública: o curso histórico de uma polêmica entre Igreja e Estado no Brasil. Educação em Revista, 17, p. 20-37, jun. 1993.

CURY, C. R. J. Ensino religioso na escola pública: o retorno de uma polêmica recorrente. Revista Brasileira de Educação. 27, p. 183-213, set/dez 2004.

FANON, F. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EDUFBA, 2008.

FIGUEIREDO, A. de P. Ensino religioso: tendências, conquistas, perspectivas. Petrópolis: Vozes, 1995.

FIGUEIREDO, A. de P. Fuentes antropológicas y sociológicas de la educación religiosa en el sistema escolar brasileño, en la perspectiva foucaultiana: la evolución de una disciplina entre religión y área de conocimiento. 2007. 605 f. Tesis de Doctorado. Universidad Complutense de Madrid. Madrid, 2007.

FILORAMO, G.; PRANDI, C. As Ciências das Religiões. São Paulo: Paulus, 1999.

FONAPER. Fórum Nacional Permanente do Ensino Religioso. Carta de princípios. 1996. Disponível em http://www.fonaper.com.br/carta-principios.php. Acesso em: 5 jan. 2022.

FONAPER. Fórum Nacional Permanente do Ensino Religioso. Regimento da Rede Nacional das Licenciaturas em Ensino Religioso. S/d, 2012.

GROSFOGUEL, R. A estrutura do conhecimento nas universidades ocidentalizadas: racismo/sexismo epistêmico e os quatro genocídios/epistemicídios do longo século XVI. Revista Sociedade e Estado, v. 31, n. 1, jan./abr. 2016.

LORENZ, K. M; VECHIA, A. O debate ciências versus humanidades no século XIX: reflexões sobre o ensino de Ciências no Collegio de Pedro II. In: FERREIRA NETO, A.; GONÇALVES NETO, W.; MIGUEL, M. E. B. Práticas escolares e processos educativos: currículo, disciplinas e instituições escolares (século XIX e XX). Vitória: Edufes, 2011.

MARIA, M. R. C.; PAZZA, N. M. V.; CECCHETTI, E. O FONAPER e o Ensino Religioso não confessional no Brasil. In: CECCHETTI, E.; SIMONI, J.C. Ensino religioso não confessional: múltiplos olhares. São Leopoldo: Oikos, 2019, p. 13-27.

MARQUES, M; BILHÃO, I. A educação para as relações étnico-raciais na formação inicial em pedagogia: um estudo de caso. Pedagogia em Foco, v. 15, n. 13, p. 43-61, jan./jun. 2020.

MARTINS, T. PL 490: Entenda o que é o projeto que muda a demarcação de terras indígenas. Correio Brasiliense. Brasília/DF, 23/06/2021, p. 1. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/politica/2021/06/4933154-pl-490-entenda-o-que-e-o-projeto-que-muda-a-demarcacao-de-terras-indigenas.html. Acesso em: 5 jan. 2022.

OLIVEIRA, L. B. de; et al. Ensino religioso no ensino fundamental. São Paulo: Cortez, 2007. (Coleção docência em formação: Série Ensino Fundamental).
OLIVEIRA, L. B.; CECCHETTI, E. Diretrizes curriculares nacionais para a formação de professores de ensino religioso. In: Pozzer, A.; et al. (Orgs). Diversidade religiosa e ensino religioso no Brasil: memórias, propostas e desafios. São Leopoldo: Nova Harmonia, 2010.

OLIVEIRA, L. B.; RISKE-KOCH, S.; WICKERT, T. A. Formação de docentes e ensino religioso no Brasil. Tempos, espaços, lugares. Blumenau: Edifurb, 2008.

POZZER, A.; et al. (Orgs.). Diversidade religiosa e ensino religioso no Brasil: memórias, propostas e desafios. São Leopoldo: Nova Harmonia, 2010.

POZZER, A.; et al. (Orgs.). Ensino religioso na educação básica: fundamentos epistemológicos e curriculares. Florianópolis: Saberes em Diálogo, 2015.

QUIJANO, A. Colonialidad del poder y clasificación social. In: CLÍMACO, D. A. (org.). Cuestiones y horizontes: de la dependencia histórico - estructural a la colonialidad/descolonialidad del poder. Buenos Aires: CLACSO, 2014. p. 285 -330.

QUIJANO, A. Colonialidad del poder, eurocentrismo y América Latina. In: LANDER, E. La colonialidad del saber. Buenos Aires: CICCUS/CLACSO, 2011. p. 219-264.

RIOS, A. Religiões de matriz africana são alvos de 59% dos crimes de intolerância. Correio Brasiliense. Brasília/DF, 11/11/2019, p. 1. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2019/11/11/interna_cidadesdf,805394/religioes-de-matriz-africana-alvos-de-59-dos-crimes-de-intolerancia.shtml. Acesso em: 5 jan. 2022.

RISKE-KOCH, S.; OLIVEIRA, L. B.; POZZER, A. (Orgs.) Formação inicial em ensino religioso: experiências em cursos de ciência(s) da(s) religião(ões) no Brasil. Florianópolis: Saberes em Diálogo, 2017.

SANTOS, A. V. dos.; CECCHETTI, E. “A grita endiabrada”: o Ensino Religioso no decurso entre o Império e os primórdios da República. Rev. Pistis Prax., Teol. Pastor., v. 13, n. 1, p. 537-552, jan./abr. 2021.

SANTOS, D. M. dos; SANTOS, D. M. dos; GRANDO, B. S. Em nome do pai: a (não) laicidade nas instituições e escolas públicas. Conjectura: Filos. Educ., Caxias do Sul, RS, v. 26, Dossiê, e021041, p. 13-35, 2021.

SILVA FILHO, J. A. da. O ensino de história no Brasil e a lei 11.645/08: articulações e entrecruzamentos das histórias e culturas africanas, afro-brasileiras e indígenas na educação básica. 2016. 29 f. Relatório final (Iniciação Científica). Faculdade de Ciências da Educação e Saúde. Centro Universitário de Brasília, Brasília/DF, 2016.

UNESCO. Declaração mundial sobre educação para todos: satisfação das necessidades básicas de aprendizagem. Jomtien, 1990. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000086291_por. Acesso em: 29 jun. 2021.

UNESCO. Declaração de Salamanca sobre princípios, política e práticas na área das necessidades educativas especiais. Salamanca, 1994. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000139394. Acesso em: 5 jan. 2022.
Publicado
2022-05-28
Métricas
  • Visualizações do Artigo 96
  • PDF downloads: 0
Como Citar
CECCHETTI, E.; TEDESCO, A. L. Rede nacional das licenciaturas em ensino religioso e o movimento de decolonização religiosa da escola. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, v. 31, n. 66, p. 133-149, 28 maio 2022.