OS FUNDAMENTOS SOCIOPOLÍTICOS E PEDAGÓGICOS DAS ESCOLAS CENECISTAS: UMA ESCOLA DA COMUNIDADE

Palavras-chave: CNEC, Educação, Políticos, Pedagógicos, Comunidade.

Resumo

No âmbito da educação, ocorreu, na década de 1940, uma intensa mobilização, sob a forma de campanhas embalsadas pelo movimento do “entusiasmo pela educação”. Nesse contexto, surgiu a Campanha do Ginasiano Pobre (1943), hoje Campanha Nacional de Escolas da Comunidade (CNEC), como um movimento para ofertar educação à população carente, cujos fundadores foram imbuídos das ideias ligadas ao “entusiasmo pela educação”. Nesta perspectiva, buscaremos analisar os fundamentos sociopolíticos e pedagógicos das escolas Cenecistas, particularmente no processo em que ocorreu a mudança de nome, passando de Campanha Nacional de Ensino Gratuito para Campanha Nacional de Escola da Comunidade. Para um melhor entendimento dessa mudança de nome é imprescindível a discussão do conceito de comunidade. Portanto, analisaremos a década de 1960, nesse período o Desenvolvimento de Comunidade (DC) esteva associado ao conceito de comunidade como um paradigma de progresso e participação, conforme afirma Pagaza (1997). Esse discurso desenvolvimentista passa a ser assumido pela CNEC. Assim, os fundamentos sociopolíticos e pedagógicos das escolas Cenecistas tinham como fundamento básico a cooperação voluntária, resultado da interação da comunidade. Os agentes desse processo seriam lideranças que deveriam estimular a mudança através de seus próprios exemplos, da realização de suas próprias vidas e das relações que estabeleceriam com os outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Idinária Faustino Pereira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - Brasil

Mestranda em Educação Profissional no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte.

Olívia Morais de Medeiros Neta, Universidade Federal do Rio Grande do Norte / Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - Brasil

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) e no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande no Norte (UFRN). 

Referências

AMMANN, Safira Bezerra. Ideologia do Desenvolvimento de Comunidade no Brasil. São Paulo: Cortez, 1992.

BRASIL. Decreto-Lei nº 4.244, de 09 de abril de 1942. Rio de Janeiro, 09 de abr. 1942. Disponível em: <http://www.soleisad.br/leiorganizaensinosegundario.htm>. Acesso em: 18 abril. 2019.

______. Lei nº. 4.024 de 20 de dezembro de 1961 Disponível em: . Acesso em 18 abril. 2019.

______. Lei nº 5692, de 11 de agosto de 1971. Brasília, 11 de ago. 1971. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil/leis/l5692.htm>. Acesso em 18 abril. 2019.

______. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília, 20 de dez. 1996. Disponível em: . Acesso em 18 abril. 2019.

CUNHA, L.A. Educação, Estado e Democracia no Brasil. São Paulo: Cortez, 1991.

GOHN, Ma. da Glória. Movimentos Sociais e Educação. São Paulo, Cortez, 1994. (Coleção questões da nossa época; v.5)

GOMES, Felipe Tiago. Escolas da Comunidade. Brasília: CNEC Edições, 1989.

GUNTHER, John. O drama da América Latina. Tradução de Jorge Jobinski.

Rio de Janeiro: Irmãos Pongetti Editores, 1942.

HOLANDA, Ivanildo Coelho de. CNEC: um estudo histórico. João Pessoa: Edições UFPB, 1981.

MACEDO, Gisele. Felipe Tiago Gomes – A Campanha. Uberaba, Editora e Gráfica Cenecista Dr José Ferreira, 2018.

PAIVA, Vanilda P. Educação Popular e Educação de Adultos. São Paulo: Loyola,1987.

PAGAZA, Margarita Rozas. El Trabajo Social comunitario en las actuales relaciones Estado y Sociedad. Serviço Social e Sociedade, Ano XVIII, no. 3, março 1997. p.67-73.

KUENZER, Acacia (org.). Ensino médio: Construindo uma proposta para os que vivem do trabalho. 5ª ed. S. Paulo: Cortez, 2007.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas, SP: Autores Associados, 2007.

SENNET, Richard. O Declínio do Homem Público: as tiranias da intimidade. Trad. Lygia A.Watanabe. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

SCOCUGLIA, Afonso C. A história das ideias de Paulo Freire e a atual crise de paradigmas. João Pessoa, Editora Universitária - UFPB, 1997.

SILVA, R. B. Educação comunitária: além do estado e do mercado? A Campanha Nacional de Escolas da Comunidade – CNEC (1985-1998). Campinas/SP. 2001. Disponível :<https://www.google.com.br/search?q=SILVA%2C+R.+B.+Educa%C3%A7%C3%A3o+comunit%C3%A1ria%3A+al%C3%A9m+do+estado+e+do+mercado%3F+A+Campanha+Nacional+de+Escolas+da+Comunidade+%E2%80%93+CNEC+(1985-1998). Acesso em: 18 de abril, 2019.

SOUZA, Maria Luiza de. Desenvolvimento de Comunidade e Participação. São Paulo: Cortez, 1996.

TÖNNIES, Ferdinand. Comunidad Y Asociacion. Trad. de José Francisco Ivars. Barcelona: Edicions 62, 1979.

Publicado
2020-03-13
Métricas
  • Visualizações do Artigo 290
  • PDF downloads: 173
Como Citar
Pereira, I. F., & Medeiros Neta, O. M. de. (2020). OS FUNDAMENTOS SOCIOPOLÍTICOS E PEDAGÓGICOS DAS ESCOLAS CENECISTAS: UMA ESCOLA DA COMUNIDADE. Cenas Educacionais, 2(Espec), 70-85. Recuperado de https://revistas.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/7363