Estágio Remoto de Matemática: o que se mostra além da tela plana?

Palavras-chave: Ensino Remoto Emergencial, Estágio Supervisionado, Pandemia de COVID-19

Resumo

O objetivo deste artigo é relatar e ponderar sobre a vivência de dois educadores matemáticos na implementação do primeiro oferecimento da disciplina de Estágio remoto em um curso de Licenciatura em Matemática de uma Instituição Federal. O relato destaca os caminhos trilhados, ressaltando os percursos e percalços surgidos, as reflexões possibilitadas, as (res)significações que se deram em meio às vivências de ensino remoto emergencial. São tematizadas não só questões que emergiram diante das incertezas e inseguranças frente ao cenário que se impôs, mas também são propostas reflexões acerca da importância da construção de uma Educação comprometida com o ser com o outro e com o cuidado na superação de desafios, dificuldades e desigualdades. Como considerações indicativas, de um lado, valendo-se da noção de uma esperança que mobiliza, defende-se o risco da ação em detrimento da queixa não propositiva. De outro lado, defende-se que haja reflexão sobre as limitações dessas ações tendo como norte o contexto de omissão e má gestão da pandemia por parte do poder público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marli Regina dos Santos, UFOP

Possui Licenciatura em Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho campus Bauru, mestrado e doutorado em Educação Matemática pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho campus Rio Claro. É membro do grupo de pesquisa Fenomenologia em Educação Matemática e professora adjunta da UFOP (Universidade Federal de Ouro Preto). Tem experiência na área de Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: geometria, pavimentações do plano, fenomenologia, tecnologias no ensino de Matemática e laboratórios de Educação Matemática.

André Augusto Deodato, UFOP

Possui graduação em Matemática (licenciatura) pela Universidade Federal de Minas Gerais (2010), mestrado em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais(2012) e Doutorado em Educação pela mesma Faculdade. É membro do grupo de pesquisa intitulado "Estudos Historico-Culturais em Educação Matemática e em Ciências". Lidera o referido grupo desde 2019. É membro também do Núcleo de Estudos-Tempos, Espaços e Educação Integral. Atuou como professor de Matemática no Centro Pedagógico (CP/EBAP/UFMG) de 2012 até 2019. Atualmente é professor do Departamento de Educação Matemática da Universidade Federal de Ouro Preto e atua como colaborador no Programa de Pós-graduação em Educação Matemática da UFOP. Tem experiência como docente e pesquisador na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: Ensino e Aprendizagem de Matemática; Sala de Aula de Matemática; Jogos e Materiais Manipulativos no Ensino da Matemática; Escolas de Tempo Integral; Educação Integral em Tempo Integral.

Referências

ALLEVATO, Norma Suely Gomes. Associando o computador à resolução de problemas fechados: análise de uma experiência. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista. Rio Claro, SP, 2005.

BRASIL. Portaria nº 343, de 17 de março de 2020. Dispõe sobre a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais enquanto durar a situação de pandemia do Novo Coronavírus - COVID-19. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 mar.2020. P. 39. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/Portaria/PRT/Portaria%20n%C2%BA%20343-20-mec.htm. Acesso em: 10 de junho de 2020.

BRASIL. Lei nº 14.040, de 18 de agosto de 2020. Estabelece normas educacionais excepcionais a serem adotadas durante o estado de calamidade pública reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020; e altera a Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 19 de ago.2020. P.4. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/lei/l14040.htm. Acesso em: 10 de setembro de 2020.

FERREIRA, Ana Rafaela. Práticas de Numeramento, Conhecimentos Escolares e Cotidianos em uma turma de Ensino Médio da Educação de Pessoas Jovens e Adultas. Dissertação (Mestrado em Educação Conhecimento e Inclusão Social) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, MG, 2009.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO. Portaria PROGRAD nº 5, de 04 de fevereiro de 2021. Dispõe sobre orientações para realização de estágios supervisionados obrigatórios com mediação da tecnológica da comunicação e informação nos cursos de licenciatura da UFOP, durante o período de atividades remotas em decorrência da pandemia da COVID-19. Ouro Preto, MG, 04 fev.2021.

GOMES, Marineide de Oliveira(Org.). Estágios na formação de professores: Possibilidades formativas entre ensino, pesquisa e extensão. São Paulo: Edições Loyola, 2011.

GONÇALVES, Amanda Natália da Silva. Atividades Contextualizadas e o Ábaco dos Inteiros: recursos didáticos para introduzir os números inteiros e as operações de adição e subtração no 7º ano. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação e Docência) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, MG, 2020.

HARGREAVES, Andy. A política do tempo e do espaço no trabalho dos professores. Tradução Celeste Veiga. Revisão Técnica Lúcia Velloso Maurício. In: MAURÍCIO, 167 L.V. (Org.). Tempos e Espaços Escolares: experiências, políticas e debates no Brasil e no mundo. 1ed. Rio de Janeiro: Ponteio, Faperj, 2014. p. 55-88.

HODGES, Charles; MOORE, Stephanie; LOCKEE, Barb; TRUST Torrey; BOND, Aron. The Difference Between Emergency Remote Teaching and Online Learning. Educausereview. Mar. 2020.

LIBÂNEO, José Carlos. O dualismo perverso da escola pública brasileira: escola do conhecimento para os ricos, escola do acolhimento social para os pobres. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n.1, p. 13-28, 2012.

MINAS GERAIS. Secretaria de Educação. Resolução SEE n° 4310, de 17 de abril de2020. Dispõe sobre as normas para a oferta de Regime Especial de Atividades Não Presenciais. Disponível em: http://www.pesquisalegislativa.mg.gov.br/LegislacaoCompleta.aspx?cod=191072&marc=. Acesso em: 25 de maio de 2020.

PICONEZ, Stela Conceição Bertholo. A prática de ensino e o estágio supervisionado. 24 ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

PIMENTA, Selma Garrido. Estágio e docência: diferentes concepções. In: PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e Docência. Editora Cortez, 2012.

SOUZA, Maria Celeste Reis Fernandes de; FONSECA, Maria da Conceição Ferreira Reis. Relações de Gênero e Matemáticas: entre fios e tramas discursivas. Educ. rev. [online]. 2015, n.55, pp.261-276. ISSN 0104-4060. Disponível em:<https://doi.org/10.1590/0104-4060.38464>.

Publicado
2021-12-07
Métricas
  • Visualizações do Artigo 141
  • PDF (PORTUGUÊS) downloads: 34
Como Citar
Santos, M. R. dos, & Deodato, A. A. (2021). Estágio Remoto de Matemática: o que se mostra além da tela plana? . Revista Baiana De Educação Matemática, 2(01), e202129. https://doi.org/10.47207/rbem.v2i01.12398
Seção
Dossiê Temático - O Estágio Curricular Supervisionado em Matemática