Condições e restrições do estágio supervisionado no ensino remoto, no curso de Matemática - Licenciatura Da UFMS

Palavras-chave: Formação Inicial. Condições e Restrições. Estágio Supervisionado.

Resumo

O objetivo principal deste artigo é apresentar algumas discussões sobre condições e restrições, segundo Chevallard, para o desenvolvimento do Estágio Supervisionado durante o ensino remoto. Para tanto, fizemos o estudo de uma turma da disciplina de Estágio Supervisionado II, do Curso de Matemática – Licenciatura de uma universidade pública. Essa disciplina ocorreu no modelo de ensino remoto, situação totalmente atípica para uma disciplina que busca inserir o acadêmico em seu futuro ambiente profissional. Todavia, foi uma maneira de lidar com o isolamento social imposto pela pandemia provocada pelo Covid-19. Desse modo, buscamos nos relatórios finais, apresentados para conclusão dessa disciplina, elementos para analisarmos as condições e restrições para a realização da disciplina de Estágio Supervisionado II no modelo de ensino remoto. Esses acadêmicos eram de um curso presencial e tiveram de lidar com essas mudanças logo no início desse cenário pandêmico. Em nossas análises, percebemos o quantos as restrições impostas, pelo modelo de ensino remoto, criaram algumas condições para o desenvolvimento do estágio. De modo que estes puderam vivenciar algumas experiências, como análise dos Projetos Políticos Pedagógico (PPP) das escolas, dos livros didáticos e, além disso, a simulação de aulas síncronas via plataforma meet entre os próprios acadêmicos. O que possibilitou que experimentassem o componente curricular do Estágio Supervisionado em um contexto totalmente atípico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sonia Maria Monteiro da Silva Burigato, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Graduação em Matemática pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2003), especialização em Planejamento e Tutoria em Educação Aberta e a Distância e Mestrado em Educação pela UFMS. Doutorado sanduiche na França (CAPES/PDSE) em Educação Matemática pelo PPGEduMat/UFMS. Professora efetiva da UFMS desde 2009. Tem experiência na coordenação de curso de Licenciatura em Matemática, no ensino nas modalidades presencial e a distância. Como também, na avaliação de curso à distância. Atuando no ensino e aprendizagem com uso de software e também em ambientes virtuais, como: moodle e google classe. Professora permanente do PPGEduMat/ UFMS e desenvolve pesquisas em Didática da Matemática, com foco principalmente na Teoria das Situações Didáticas (TSD) e na Teoria dos Campos Conceituais (TCC). Um dos seus centros de interesse é o estudo do ensino e aprendizagem do conceito de limite de função. É membro do GT 14 (SBEM) - Didática da Matemática, do DDMat - Grupo de Estudos em Didática da Matemática e também do GECEMS ? Grupo de Estudo do Cálculo no Ensino Médio e Ensino Superior.

Cíntia Melo dos Santos, Universidade Federal da Grande Dourados

Professora adjunta da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Graduada em Matemática, pela UFGD em 2007, Especialização em Educação Matemática em 2009, Mestre em Educação Matemática no curso de Pós-Graduação em Educação Matemática (PPGEDumat) pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul - (UFMS) em 2013 e Doutora em Educação Matemática pela UFMS em 2019. Tem experiência em Educação Matemática com foco nas pesquisas em Didática da Matemática e em formação de professores, e é membro do grupo de pesquisa em Didática da Matemática (DDMat).

Referências

BURIGATO, S. M. M. S.; MONGELLI, M. C. G. Como Foi Fazer Um Curso de Licenciatura em Matemática na Modalidade a Distância: Visão dos Primeiros Formandos do Curso de Matemática da UFMS. In: ROCHA, P. G. (Org.). 10 Anos da Educação a Distância na UFMS: A Experiência das Licenciaturas. Porto Alegre, RS: Editora Fi, 2018, p. 251-270.

CHEVALLARD, Yves. Les processus de transposition didactique et leur théorisation. In: Contribution à l’ouvrage dirigé par G. Arsac, Y. Chevallard, J.-L. Martinand, Andrée Tiberghien (éds), La transposition didactique à l’épreuve, La Pensée sauvage, Grenoble, p. 135-180, 1994.

CHEVALLARD, Yves. La notion d’ingénieriedidactique, unconcept à refonder; Clermont-Ferrand, 16-23 août 2009a. Disponível em http://yves.chevallard.free.fr. Acesso em agosto de 2017.

CHEVALLARD , Yves. Didactique et formation des enseignants, p. 1-20, 2009b. Disponível em http://yves.chevallard.free.fr. Acesso em agosto de 2017.

CHEVALLARD , Yves. Recherches em didactique et pratiques de formation d'enseignants. février 2002. Notes pour un exposé fait à Namur, dans le cadre des Facultés universitaires Notre-Dame de laPaix, le 5 février 2002. Disponível em: http://yves.chevallard.free.fr/spip/spip/IMG/pdf/Recherches_en_didactique_et_formation.pdf. Acesso em janeiro de 2018.

CHEVALLARD , Yves. Passé et présent de la théorie anthropologique du didactique. 2007. Disponível em http://yves.chevallard.free.fr/spip/spip/article.php3?id_article=134. Acesso em janeiro de 2018.

CIGALES, Marcelo Pinheiro; SOUZA, Rodrigo Diego. O Estágio Curricular Supervisionado em tempos de pandemia: um debate em construção. Revista Latitude, v.15, edição especial, p. 286-310, jan., 2021.

FREITAS, Maria Ester. Viver a tese é preciso! Reflexões sobre a aventura e desventuras da vida acadêmica. RAE - Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 42, n.1, p. 88-93, jan./mar. 2002.

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti [et al]. Escola e aprendizagem da docência: processos de investigação e formação. São Carlos - EduUFSCAR, 2002.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência: diferentes concepções. Revista Poíesis, v. 3, n. 3-4, p. 5-24, 2005/2006.

SANTOS, Cintia Melo dos. Análise da prática pedagógica de uma professora indígena voltada para a Geometria no Ensino Médio. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2013.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL (UFMS). Projeto Pedagógico do Curso (PPC) de Matemática – Licenciatura. Instituto de Matemática (INMA), Campo Grande, 2019.

Publicado
2021-12-07
Métricas
  • Visualizações do Artigo 98
  • PDF (PORTUGUÊS) downloads: 52
Como Citar
Monteiro da Silva Burigato, S. M., & Santos, C. M. dos. (2021). Condições e restrições do estágio supervisionado no ensino remoto, no curso de Matemática - Licenciatura Da UFMS. Revista Baiana De Educação Matemática, 2(01), e202124. https://doi.org/10.47207/rbem.v2i01.12389
Seção
Dossiê Temático - O Estágio Curricular Supervisionado em Matemática