Estágio Supervisionado contribuindo com o processo formativo de uma mestranda em estágio de docência na pandemia

Palavras-chave: Estágio de docência. Estágio Supervisionado em Matemática. Processo formativo. Pandemia.

Resumo

O presente estudo é um relato de experiência sobre a realização do Estágio de Docência/CAPES durante um Curso de Mestrado em Ensino da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia- UESB. Foi realizado em 2021 em uma turma de 5º semestre do curso de licenciatura em Matemática.  O objetivo do relato é expor reflexões ao realizar um Estágio de Docência em uma disciplina de Estágio Supervisionado, em tempos de pandemia. De modo mais específico: caracterizar o Estágio de Docência (ED) presencial e virtual; contrastar o Estágio Supervisionado (ES) realizado de forma presencial com o ES realizado de forma remota e registrar as contribuições do ES no processo formativo da mestranda enquanto realizou o ED, no modo virtual. A participação da mestranda, durante o estágio, se deu por meio da atuação em aulas síncronas, leituras e discussões de textos, atividades propostas pela professora e segunda autora desse relato; observação das aulas ministradas pelos alunos do ES e na oportunidade da regência. A coleta dos dados foi feita por meio das notas analíticas e produção de relatório pela mestranda. Como resultado o estágio de docência constituiu-se como uma experiência de grande relevância, pois oportunizou conhecer estratégias de ensino, compartilhamento de conhecimentos sobre planejamento, avaliação, resolução de problemas e a reflexão sobre a prática docente. Realizar o ED constituiu-se como fundamental tanto para formação acadêmica quanto para formação profissional da primeira autora.  

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Santos Brito Viana, Universidade do Sudoeste da Bahia (UESB)

Mestranda do Programa de Pós- Graduação em Ensino da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia- UESB. Possui especialização em Educação de Jovens e Adultos pela Faculdade Independente do Nordeste- FAINOR. É graduada em MATEMATICA pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (2014) e graduada em Serviço Social pela Universidade Norte do Paraná (2017). Atualmente é professora da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista.

Roberta D’ Angela Menduni-Bortoloti, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Doutora em Educação.

Possui Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade Federal do Espírito Santo (1999), mestrado em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (2003) e doutorado em Educação pela Universidade Federal da Bahia (2016). Desde 2005, é professora em regime de dedicação exclusiva no Departamento de Ciência Exatas e Tecnológicas da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). Atua como professora no Programa de Pós-Graduação em Ensino (PPGEn/UESB). Tem experiência na área de Educação Matemática, cujas pesquisas são em Psicologia da Educação Matemática, Alfabetização Matemática, Análise de Erros, Matemática para o Ensino e grupos colaborativos. Atua na formação de professores que ensinam matemática. Atualmente tem coordenado o grupo de pesquisa PRACOMAT - Práticas Colaborativas em Matemática com objetivo de melhoria do ensino e da aprendizagem em matemática. Este grupo se apresenta em três frentes de pesquisa: 1) o Lesson Study e suas potencialidades; 2) reaprender matemática quando lidamos com a Educação Especial (Discalculia) na perspectiva da Inclusão e 3) Matemática para o Ensino. Desde 2019 está coordenando o projeto de pesquisa "Professores da Universidade e da Educação básica colaborando com o ensino de matemática", aprovado pelo CNPq.

Referências

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Portaria nº 76, de 14 de abril de 2010. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 19 abr. 2010. Seção 1, p. 31-32. Disponível em: <https://www.capes.gov.br/images/stories/download/legislacao/Portaria_076_RegulamentoDS.pdf>. Acesso em 26 de abril de 2021.

CARRER. J. J; DOEREING. L. R; RIPPOL. C.C. A divisão Euclidiana e o resto desde os anos iniciais. 1ª edição. 2018. Rio de Janeiro. Sociedade Brasileira de Matemática- SBEM.

DANTE. Luiz Roberto. Coleção Ápis matemática: ensino fundamental, anos iniciais. 3. ed. São Paulo : Ática, 2017.

FREIRE, Paulo. Carta de Paulo Freire aos Professores – Ensinar e aprender: leitura do mundo, leitura da palavra. Estudos Avançados, n. 15, v. 42, 2001, p. 259-268.

Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_pdf&pid=S0103-

&lng=en&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso em 26 de abril de 2021.

GIOVANNI Castrucci; GIOVANNI Jr. A Conquista da Matemática. 6º ano. Ed. renov. São Paulo/; FTD, 2007- coleção a conquista da matemática.

INÁCIO. A.M; RONQUI. D.D; MANDELLI. J. P; SCHMIDT. K. G. A. do V. estágio Docente em Modalidade Remota: breve relato de experiência em tempos pandêmicos. III SENPE. Seminário Nacional de Pesquisa em Educação. 2020.

LIU, K. et al. Clinical features of COVID-19 in elderly patients: A comparison with young and middle-aged patients. [published online ahead of print,2020 Mar 27].Journal of Infection.2020. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32171866/

ONUCHIC. L. de La. R; ALLEVATO. N. S. G. Pesquisa em Resolução de Problemas: caminhos, avanços e novas perspectivas. Bolema, Rio Claro (SP), v. 25, n. 41, p. 73-98, dez. 2011. disponível em:https://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/bolema/article/view/5739

PONTE, J. P.; BROCARDO, J.; OLIVEIRA, H. Investigações Matemáticas na sala de aula. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

Programa de Pós-graduação em Ensino- PPGEN. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. 2016. Disponível em: http://www2.uesb.br/ppg/ppgen/. Acesso em: 02 jun.2021.

DOS SANTOS, JOÃO RICARDO VIOLA. O que alunos da escola básica mostram saber por meio de sua produção escrita em matemática. 2007.

SANTOS. J. R.V.D; BURIASCO. R.L.C.D; FERREIRA. P.E.A. Interpretações de Alunos da Educação Básica Para a Idéia de Recorrência em uma Questão Aberta de Matemática. Educ. Matem. Pesq., São Paulo, v.12, n.1, pp.143-163, 2010.Link

SMOLE, Kátia Stocco; DINIZ; Maria Ignez. Ler, Escrever e Resolver Problemas: habilidades básicas para aprender matemática. Cap.2, p. 29-68 Porto Alegre: Artmed, 2001.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 17 ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

VAILLANT, D.; MARCELO, C. Ensinando a ensinar: as quatro etapas de uma aprendizagem. Curitiba: UTFPR, 2012.

Publicado
2021-12-07
Métricas
  • Visualizações do Artigo 386
  • PDF (PORTUGUÊS) downloads: 210
Como Citar
Viana, D. S. B., & Menduni-Bortoloti, R. D. A. (2021). Estágio Supervisionado contribuindo com o processo formativo de uma mestranda em estágio de docência na pandemia. Revista Baiana De Educação Matemática, 2(01), e202118. https://doi.org/10.47207/rbem.v2i01.12165
Seção
Dossiê Temático - O Estágio Curricular Supervisionado em Matemática