O Laboratório de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática e a construção de material didático: o “Semelhâmetro” e o ensino de semelhança de triângulos

Palavras-chave: “Semelhâmetro”. Materiais didáticos. Ensino e aprendizagem. Semelhança de triângulos.

Resumo

O presente artigo objetiva relatar o processo de criação e validação de um material didático nomeado “Semelhâmetro”, bem como apresentar suas características e passo a passo de sua utilização. Esse material foi construído no Laboratório de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática (LEPEM) do Departamento de Educação da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), campus VII, e possibilita a realização de cálculos de distâncias sem a utilização de instrumentos de medidas, tais como fita métrica, trena, etc. A partir do que foi desenvolvido durante o processo de validação do “Semelhâmetro”, é possível ressaltar que o mesmo atende as expectativas de ser um material didático que possibilita a realização de cálculos de distâncias sem a utilização de instrumentos de medidas, assim como pode ser uma ferramenta capaz de auxiliar no processo de ensino e aprendizagem de conceitos matemáticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gevando Lopes Santos, Universidade do Estado da Bahia

Graduado em Matemática pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Atuou como monitor de ensino dos componentes curriculares Desenho Geométrico, Álgebra Linear I e Cálculo Diferencial e Integral II; participou como bolsista de Iniciação à Docência do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), no subprojeto interdisciplinar intitulado "Iniciação à Docência: uma colaboração entre áreas, sujeitos e espaços"; atuou como professor substituto do Colégio Estadual Teixeira de Freitas e trabalhou como monitor de ensino da disciplina Matemática no programa Universidade Para Todos (UPT). Atualmente é professor de Matemática na rede municipal de Quixabeira- BA e, também, da rede estadual de ensino.

Américo Junior Nunes da Silva, Universidade do Estado da Bahia

Professor do Departamento de Educação da Universidade do Estado da Bahia (Uneb - Campus VII) e docente permanente do Programa de Pós-Graduação Mestrado em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos - PPGESA (Uneb - Campus III). Atualmente coordena o Núcleo de Pesquisa e Extensão (NUPE) do Departamento de Educação da Uneb (DEDC7). Doutor em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Mestre em Educação pela Universidade de Brasília (UnB), Especialista em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela Faculdade Regional de Filosofia, Ciências e Letras de Candeias (IESCFAC), Especialista em Educação Matemática e Licenciado em Matemática pelo Centro de Ensino Superior do Vale do São Francisco (CESVASF). Foi professor e diretor escolar na Educação Básica. Coordenou o curso de Licenciatura em Matemática e o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) no Campus IX da Uneb. Foi coordenador adjunto, no estado da Bahia, dos programas Pró-Letramento e PNAIC (Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa). Participou, como formador, do PNAIC/UFSCar, ocorrido no Estado de São Paulo. Pesquisa na área de formação de professores que ensinam Matemática, Ludicidade e Narrativas. Integra o Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática (CNPq/UFSCar), na condição de pesquisador, o Grupo Educação, Desenvolvimento e Profissionalização do Educador (CNPq/PPGESA-Uneb), na condição de vice-líder e o Laboratório de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática (CNPq/LEPEM-Uneb) na condição de líder. É editor-chefe da Revista Baiana de Educação Matemática (RBEM) e coordenador do Encontro de Ludicidade e Educação Matemática (ELEM).

Referências

BAHIA. Documento Curricular Referencial da Bahia para Educação Infantil e Ensino Fundamental. Secretaria da Educação. Superintendência de Políticas para Educação Básica. União Nacional dos Dirigentes Municipais da Bahia. União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação. Salvador: Secretaria da Educação, 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF. 2018.

BIANCHINI, E. Matemática – Bianchini: manual do professor/ Edwaldo Bianchini – 9. ed. – São Paulo: Moderna, 2018.

D’AMBROSIO, B. S. Formação de professores de matemática para o século XXI: o grande desafio. Pro-Posições, Campinas-SP, v. 4, n. 1, p. 35-41, mar, 1993.

GATTI, B. A. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação & Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out.-dez. 2010. Disponível em: https://www.cedes.unicamp.br/. 25 abr. 2020.

LORENZATO, S. Laboratório de ensino de matemática e materiais didáticos manipuláveis. In: LORENZATO, Sérgio. Laboratório de Ensino de Matemática na formação de professores. Campinas: Autores Associados, 2010.

MUNIZ, C. A. Educação Lúdica da Matemática, Educação Matemática Lúdica. In: SILVA, A. J. N; TEIXEIRA, H. S (org.). Ludicidade, formação de professores e educação matemática em diálogo. 1. ed. Curitiba: Appris, 2016. p. 12-28.

PASSOS, C. L. B. Materiais manipuláveis como recursos didáticos na formação de professores de Matemática. In: LORENZATO, S. (org.). O laboratório de ensino de Matemática na formação de professores. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2010. p. 77-92.

RODRIGUES, F. C. GAZIRE, E. S. Reflexões sobre uso de material didático manipulável no ensino de matemática: da ação experimental à reflexão. Revemat: R. Eletr. de Edu. Matem. Florianópolis, v. 07, n. 2, p. 187-196, 2012.

SANTOS, V. M. O Desafio de Tornar-se Professor de Matemática. In: NUANCES: estudos sobre educação. ano VIII, n. 08. set. 2002. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/. Acessado em: 21 abr. 2020.

SANTOS, G. L. SENA, D. S. VIEIRA, A. R. L. Construção e utilização do teodolito para a contextualização do ensino de razões trigonométricas no 1º ano do ensino médio. In: Anais do XVIII Encontro Baiano de Educação Matemática. XVIII EBEM. Ilhéus, Bahia 2019.

SHULMAN, L. S. (2005). Conocimiento y enseñanza: fundamentos de la nueva reforma. Profesorado. Revista de Currículum y formación del profesorado, 9, 2, p. 1-30.

SILVA, A. J. N. A ludicidade no laboratório: considerações sobre a formação do futuro professor de matemática. Curitiba: Editora CRV, 2014.

SILVA, A. J. N.; PASSOS, C. L. B. Formação do professor que ensina matemática, ludicidade e narrativas: o que se pesquisou no Brasil. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 14, p. 01, 2020. DOI 10.14244/198271993631. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/3631. Acesso em: 21 abr. 2020.

SILVA, A. J. N.; SOUZA, I. S; BARROS, S. S; ALMEIDA, SILVA, J. A. A formação do professor de Matemática e o ato de planejar: unicidade entre dimensão política e pedagógica? In: SILVA, A. J. N.; SOUZA, I. S. (org.). A formação do professor de Matemática em Questão: reflexões para um ensino com significado. D. Jundiaí, Paco Editorial: 2014. p. 39-52.

SILVEIRA, E. Matemática: Compreensão e prática: manual do professor/ Ênio Silveira. – 5. ed. – São Paulo: Moderna, 2018.

Publicado
2021-04-19
Métricas
  • Visualizações do Artigo 46
  • PDF (PORTUGUÊS) downloads: 24
Como Citar
Santos, G. L., & Silva, A. J. N. da. (2021). O Laboratório de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática e a construção de material didático: o “Semelhâmetro” e o ensino de semelhança de triângulos. Revista Baiana De Educação Matemática, 2(01), e202105. https://doi.org/10.47207/rbem.v2i01.11334