Entre a memória, a literatura e a educação: práticas de escrita de si no IFRO, Campus Ji-Paraná

Palavras-chave: Narrativas (auto) biográficas. Memória. Educação e Linguagem. Literatura.

Resumo

Em consonância com a concepção de educação emancipatória (FREIRE, 2006), na qual os estudantes são sujeitos protagonistas em seu processo de aprendizagem, a abordagem (auto) biográfica configura-se como importante dispositivo formativo em educação (DELORY-MOMBERGER, 2016). Dessa forma, este artigo coloca em cena narrativas de jovens estudantes do ensino médio-técnico de uma instituição federal de Rondônia - campus Ji-Paraná - e numa abordagem qualitativa, analisa as narrativas desses alunos a respeito de suas experiências de leituras literárias.  As escritas de si inspiradas em suas memórias fazem movimentar as experiências de vida dos discentes, abrindo portas às reflexões iniciais de uma pesquisa de Doutorado, em uma universidade de Rondônia. Os sujeitos se constroem ao narrarem suas vidas em seus textos, e como forma de praticar a escuta sensível, o gênero memorial torna-se fundamental para realizar a dinamização da linguagem, ao passo que tece diálogos entre a memória e as experiências dos discentes. Os estudos de Marcuschi (2002), Bakhtin (1997), Candau (2016), Candido (2011) e Cosson (2016) ajudam a refletir que os diálogos entre a linguagem e a vida nascem nas práticas sociais, e igualmente permite reflexões sobre o ensino de Literatura na última etapa da Educação Básica da Amazônia Ocidental. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geovânia de Souza Andrade Maciel, Instituto Federal de Rondônia (IFRO) e Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Cursando Doutorado Profissional Em Educação Escolar pela Universidade Federal de Rondônia (2021). Mestre em Letras (UNIR-2019). Pós-graduação em Língua Inglesa (AJES- 2007). Graduação em Letras (FAEC- 2005) e graduação em Serviço Social (UNIP - 2019). Trabalhou como professora da 5ª a 8ª séries atuando nas disciplinas de Língua Portuguesa e Inglesa na Escola Municipal de Ensino Fundamental Dom João VI (Colorado do Oeste/RO, 2002 - 2008). Foi professora de Língua Portuguesa e Inglesa nas modalidades de Ensino: Fundamental, Médio e EJA (SEDUC/RO - 2008 a 2016 ), atuando na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Manuel Bandeira em Colorado do Oeste - RO. Atualmente faz parte do quadro efetivo de docente do IFRO - Instituto Federal de Rondônia, Campus Ji-Paraná, como professora de Língua Portuguesa e Literatura. Fez parte do Grupo de Pesquisa Estudos Linguísticos, Literários e Socioculturais - GELLSO (UNIR/ 2018-2020). Faz parte do grupo de Estudo em Leitura, Linguagem e Identidade Cultural - GELLIC. Atua no campo de investigação sobre o ensino da Língua Portuguesa e da Literatura, com foco na leitura e escrita por meio de práticas que envolvam o Multiletramento Literário, atuando especialmente nos temas: Educação, Literatura e Linguagens; Gêneros Discursivos Hipermodernos; Práticas Pedagógicas e Novas Tecnologias; Cibergêneros, Ciberespaço.

Robson Fonseca Simões, Universidade Federal de Rondônia

Pós-doutor em Educação, pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (ProPEd) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), com estágio pós-doutoral na Universidade de Alcalá, Espanha. Doutor em educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da UERJ. Professor adjunto do Núcleo de Ciências Humanas, no Departamento de Ciências da Educação da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), campus Porto Velho. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar, Mestrado e Doutorado Profissional (PPGEE/UNIR). Está vinculado ao Grupo de Pesquisa Multidisciplinar em Educação e Infância (Educa) do PPGEE/UNIR, assim como ao grupo de pesquisa Instituições, Prática Educativas e História do Programa de Pós-Graduação em Educação (ProPEd) da UERJ. 

Referências

ABREU, Casimiro de. As Primaveras. São Paulo: Livraria Editora Martins S/A co-edição Instituto Nacional do Livro, 1972. Disponível em: < http://www.culturatura.com.br/obras/as%20primaveras.pdf > Acesso em 4 abr. 2022.

BAKHTIN, Mikhail Mjkhailovitch. Estética da criação verbal. Tradução Maria Emsantina Galvão G. Pereira. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BARTHES, Roland. A análise estrutural da narrativa. Tradução de Maria Zélia Barbosa Pinto. 7 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (DCNEM). Resolução Nº 3, de 21 11/2018. Brasília: CNE/CEB. 2018a. Disponível em: < https://normativasconselhos.mec.gov.br/normativa/view/CNE_RES_CNECEBN32018.pdf > Acesso em 08 abr. 2022.
BRASIL. Ministério da educação. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília, 2018b. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf > Acesso em: 08 abr. 2022.

BUENO, Belmira Oliveira et al. Histórias de vida e autobiografias na formação de professores e profissão docente (Brasil, 1985-2003). Educação e Pesquisa [online]. 2006, v. 32, n. 2 [Acessado 8 Abril 2022] , pp. 385-410. Disponível em: . Epub 21 Nov 2006. ISSN 1678-4634. https://doi.org/10.1590/S1517-97022006000200013.
CANDIDO, Antonio. O direito à literatura. Vários Escritos. 5 ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul/ São Paulo: Duas Cidades, 2011.

CANDAU, Vera Maria Ferrão. Cotidiano escolar e práticas Interculturais. Caderno de Pesquisa. V. 46. p. 802-820. jul - set. 2016.

CAPPARELLI, Sérgio. A jiboia Gabriela. Porto Alegre: L&PM, 1997.

CERTEAU, M . A invenção do cotidiano: Artes de fazer. 3ª edição, Petrópolis: Editora vozes. 1998.
COSSON, Rildo. Letramento literário: teoria e prática. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2016.

DELORY-MOMBERGER, Christone. A Pesquisa Biográfica ou Construção compartilhada de um Saber do Singular. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 1, n. 1, p. 133-147, 2016.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 44. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2006.
LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. São Paulo: Editora 34, 1999.

LISPECTOR, Clarice. Tortura e Glória. In a descoberta do mundo. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

MEIRELES, Cecília. Melhores poemas de Cecília Meireles. 11 ed. São Paulo: Global, 1999.
MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, A.P; MACHADO, Anna Rachel, BEZERRA, Maria Auxiliadora (Orgs.). Gêneros Textuais e ensino. Rio de janeiro: Editora Lucerna, 2002.

MARCUSCHI, Luiz Antônio; DIONÍSIO, Angela Paiva. Fala e escrita. 1. ed., 1. reimp. — Belo Horizonte: Autêntica, 2007. 208 p. Disponível em: http://www.serdigital.com.br/gerenciador/clientes/ceel/arquivos/29.pdf Acesso em 04 abr. 2022.

MINAYO, Marília Cecília de Souza (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

QUEIRÓS. Bartolomeu Campos de. Para ler em silêncio. São Paulo: Moderna, 2007.

PAULINO, Graça. Formação de leitores: a questão dos cânones literários Revista Portuguesa de Educação, vol. 17, núm. 1, 2004, pp. 47-62. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/374/37417104.pdf Acesso em 03 abr 2022.

SOARES, Magda. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Educação & Sociedade. Centro de Estudos, Educação e Sociedade – Vol. 23, n. 81. p. 143-160. São Paulo: Cortez: Campinas: Cedes, 2002.

SOARES, Magda. A escolarização da literatura infantil e juvenil. In: EVANGELISTA, Aracy Alves Martins; BRANDÃO, Heliana Maria Brina; MACHADO, Maria Zélia Versiani (Orgs.). A escolarização da leitura literária. O jogo do livro infantil e juvenil. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

TODOROV, Tzvetan. A literatura está em perigo. Tradução: Caio Meira. 12ª ed. Rio de Janeiro: DIFEL, 2020.

YOUSAFZAI, Malala. Eu sou Malala: a história da garota que defendeu o direito à educação e foi baleada pelo Talibã. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.
Publicado
2022-11-04
Métricas
  • Visualizações do Artigo 115
  • pdf downloads: 130
Como Citar
DE SOUZA ANDRADE MACIEL, G.; SIMÕES, R. F. Entre a memória, a literatura e a educação: práticas de escrita de si no IFRO, Campus Ji-Paraná. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 7, n. 21, p. 357-370, 4 nov. 2022.