A Questão Indigenista a Partir da Perspectiva de Diferentes Escritores(a) na Virada do Século XIX e Início do Século XX

projetos educativos e civilizacionais (1893-1910)

Palavras-chave: Indigenismo; Escritores(as); Causa Indígena; Contextualismo Línguístico.

Resumo

O presente artigo analisa os jogos linguísticos presentes em fontes de diferentes naturezas, no projeto educativo e civilizacional orientado para os indígenas brasileiros, manifestado por um grupo de escritores(as) da virada do século XIX e início do XX. Esse trabalho delimita-se entre 1890 e 1910 e considerou a ambiência intelectual que elegeu a temática indigenista como cerne de um dos projetos educacionais deste período. A análise pauta-se no Contextualismo Linguístico - Pocock e Quentin Skinner - cujo foco encontra-se na dimensão pragmática do discurso político e relação entre a realidade experienciada e a linguagem. Em relação às fontes, as mesmas foram produzidas por diferentes sujeitos, que evidenciaram, na cena pública, concepções acerca do tema deste trabalho. Conquanto os(a) escritores(a) elencados aqui, tenham posicionamentos genéricos sobre algumas questões relativas aos indígenas brasileiros, há um consenso de que a educação seria o condão que viabilizaria o processo de inserção destes povos no processo civilizador, com um viés que tinha como projeto a construção de uma “identidade brasileira”, na qual os indígenas ocupavam um lugar importante.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caroline Marach, UniFael

Doutora em História pela Universidade Federal do Paraná e Mestre em Educação pela mesma instituição. Especialista em História do Brasil, com foco no período republicano. Atua como docente do curso de Licenciatura em História pela Faculdade Educacional da Lapa. Também atua no campo editorial, como editora e autora de coleções de materiais didáticos destinados ao ensino de História e Filosofia e Ciências Humanas.

Referências

CABRAL, Oswaldo R. História de Santa Catarina. 2ª ed. Rio de Janeiro: Ed. Laurdes, 1970.
CERTEAU, Michel de. "Etno-Grafia: a oralidade ou o espaço do outro: Léry". Em A escrita da história, editado por Michel de Certeau. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982, 211-242.
CORREA, Mariza. "Os índios do Brasil elegante & a professora Leolinda Daltro". Em Antropólogas & antropologia, editado por Mariza Corrêa. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003, 107-139.
CUNHA DOS SANTOS, Paulete Maria. Leolinda Daltro, A caminhante do futuro: uma análise de sua trajetória de catequista a feminista (Rio de Janeiro/Goiás – 1896-1920). 168 f. Tese (Doutorado em História). Universidade do Vale dos Sinos (Unisinos), São Leopoldo (RS), 2014.
DALTRO, Leolinda. Da catechese dos indios no Brasil: Noticias e documentos para a Historia (1896-1911). Rio de Janeiro: Typ. da Escola Orsina da Fonseca, 1920.
GRIGÓRIO, Patrícia C. "Leolinda Daltro e o projeto de catequese dos índios no Brasil". XIII Encontro de História. Identidades, Anais... Rio de Janeiro: ANPUH / UFRRJ, 2008.
GRIGÓRIO, Patrícia C. A professora Leolinda Daltro e os missionários: disputas pela catequese indígena em Goiás (1896-1910). Dissertação em Mestrado em História, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2012.
FILHO, Dalmo Vieira; WEISSHEIMER, Maria Regina (coord.). Roteiros Nacionais de Imigração. Dossiê de Tombamento. Florianópolis: IPHAN/Santa Catarina, vol. 1, 2007.
GUERRA, Abílio. O primitivismo em Mario de Andrade, Oswald de Andrade e Raul Bopp. Origem e conformação no universo intelectual brasileiro. São Paulo: Romano Guerra, 2010.
LAMB, R. E. Uma Jornada Civilizadora: imigração, conflito social e segurança pública na Província do Paraná (1867-1882). Curitiba: Aos Quatro Ventos, 1999.
NADALIN, S. O. Paraná: ocupação do território, população e migrações. Curitiba: SEED, 2001.
PINTO, D. O. 175 anos da Imigração Alemã no Rio Negro: os pioneiros no Paraná. Mafra/SC: Editora Nosde, 2007.
RABELLO, S. O Itinerário de Sílvio Romero. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira S.A., 1967.
ROMERO, Sílvio. História da literatura brasileira, tomo I. Coleção Documentos Brasileiros, 4ª edição. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 1949.
SANTOS, Sílvio Coelho dos. Índios e brancos no sul do Brasil: a dramática experiência dos Xokleng. Florianópolis: Edeme, 1973.
VELLOZO, Dario. O futuro do Brazil. Revista do Clube Curitibano, ano III, n. 5, Março de 1892.
REVISTA DO CLUBE CURITIBANO, 1892, n. 6, p. 4.
O Cenáculo, 14º, tomo II, maio de 1896.
Ermelino de Leão, A ESCOLA, 1910, n. 1-3, p. 159.
Publicado
2022-08-16
Métricas
  • Visualizações do Artigo 48
  • PDF downloads: 0
Como Citar
BUENO, A. P.; MARACH, C. A Questão Indigenista a Partir da Perspectiva de Diferentes Escritores(a) na Virada do Século XIX e Início do Século XX: projetos educativos e civilizacionais (1893-1910). Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, v. 31, n. 67, p. 143-162, 16 ago. 2022.