WALTER ZANINI E AS MEDIAÇÕES DA ARTE CONTEMPORÂNEA NO BRASIL EM REDEMOCRATIZAÇÃO

Palavras-chave: Sociologia da arte; Arte contemporânea; Curadoria de exposições; Bienal de São Paulo.

Resumo

A partir do estudo de processos de mediação institucional e atividades desempenhadas por agentes culturais intermediários, que operaram na emergência e consolidação da “arte contemporânea” como novo paradigma na história da arte no Brasil. Proponho uma análise desse processo, que se deu ao longo dos anos de 1970 e 1980, articulado às condições limitantes e provocantes de um cenário político que experimentava uma transição gradual e tutelada de um regime ditatorial-militar para uma democracia. Foco o estudo sobre a trajetória de um intermediário cultural específico, Walter Zanini, crítico e historiador de arte, museólogo e professor, que dirigiu o Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo entre 1963 e 1978, e foi a primeira pessoa a ocupar o cargo de curador geral para a Bienal Internacional de São Paulo, entre 1980 e 1983, organizando suas 16ª e 17ª edições.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tálisson Melo de Souza, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Doutorando no Programa de Pós-graduação em Sociologia e Antropologia do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro [bolsista CNPq]. Realizou estágio como visiting assistant in research no Center for Cultural Sociology da Yale University (bolsa Capes PDSE, 2018-19). Mestre em Artes (História e Cultura) pelo Programa de Pós-graduação em Artes, Cultura e Linguagem do Instituto de Artes e Design da Universidade Federal de Juiz de Fora (2013-15) [com bolsa integral Pro-PG/UFJF de estágio docência]. Onde também graduou-se Bacharel em Artes e Design (2009-13), com período de intercâmbio acadêmico em Teoria e História da Arte na Universidad de Salamanca, Espanha (2011-12) [com bolsa universitária]. Atua como pesquisador nas áreas de sociologia, história e antropologia das artes, concentrando-se sobre as manifestações relacionadas ao Brasil e à América Latina. Membro do NUSC (Núcleo de Pesquisa em Sociologia da Cultura - IFCS/UFRJ), e do LAHA (Laboratório de História da Arte - ICH/UFJF).

Referências

AGUIAR, Carolina A. Videoarte no MAC-USP: o supoerte de idéias nos anos 1970. Dissertação (mestrado em Estética e História da Arte) MAC-USP, São Paulo, 2007.

BINNIE, Mari R. Prospectiva 74 & Poéticas Visuais: The International Horizon of ‘Anartistic’ Print Experimentation. In: Caiana, n.2, 2017.

BRECHT, George; FILLIOU, Robert. [1989] The eternal network. In: WELCH, Chuck (org.) Eternal Network: A Mail Art Anthology. Calgary, Canadá: University of Calgary Press, 1995.

BRILL, Alice. Mário Zanini e seu tempo. São Paulo: Perspectiva, 1984.

CARVALHO, Ananda. Redes curatoriais: procedimentos comunicacionais no sistema da arte contemporânea. Tese (doutorado em Comunicação e Semiótica) PUC-SP, São Paulo, 2014.

CODATO, Adriano. Uma história política da transição brasileira: da ditadura militar à democracia. Rev. Sociol. Polit. 2005, n.25, pp.83-106.

COSTA, Cacilda T. Videoarte no Mac. In: MACHADO, Arlindo (org.). Made in Brasil: três décadas do vídeo brasileiro. São Paulo: Itaú Cultural, 2003.

FABRIS, Annateresa. Walter Zanini: O construtor do MAC-USP. In: Atas do XXIX Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte - Historiografia da Arte no Brasil: um balanço das contribuições recentes - Homenagem a Walter Zanini, 2009a, pp.12-20.

______. Perfil de Walter Zanini. In: Atas do XXIX Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte - Historiografia da Arte no Brasil: um balanço das contribuições recentes - Homenagem a Walter Zanini, 2009b, pp.1-2.

FREDRICKSON, Laurel J. Life as Art, or Art as Life: Robert Filliou and the Eternal Network. In: Theory, Culture & Society, setembro, 2018, pp.1-29.

FREIRE, Cristina (org.). Walter Zanini: Escrituras críticas. São Paulo: Annablume, 2013.

FREIRE, Cristina. Museus em rede: A dialética impecável de Walter Zanini. In: Art Journal, Vol. 73, N. 2, verão, 2014, pp.20-45.

______. Arte postal: comunicação marginal. In: FREIRE, Cristina. Poéticas do processo: arte conceitual no museu. São Paulo: Iluminuras/MAC-USP, 1999. pp.76-86.

FREITAS, Patrícia. O Grupo Santa Helena e o universo industrial paulista (1930-1970). Dissertação (mestrado em História) UNICAMP, Campinas-SP, 2011.

GILBERT, Zanna. Genealogical Diversions: Experimental Poetry Networks, Mail Art and Conceptualisms. In: Caiana, N.4, 2014.

HEINICH, Nathalie. Práticas da Arte Contemporânea: Uma Abordagem pragmática a um novo paradigma artístico. In: Sociologia & Antropologia, vol. 04 nº 2, 2014, p 373-387.

HEINICH, Nathalie. Mapping intermediaries in contemporary art according to pragmatic sociology. In European Journal of Cultural Studies, v.15(6), 2012, pp. 695-702.

JAREMTCHUCK, Dária. MAC do Zanini: o museu crítico do museu. In: OLIVEIRA, E. D. e COUTO, M. F. M. (org.). Instituições da arte. Porto Alegre: Zouk, 2013.

JORDÃO, Fabrícia. As atuações e contribuições institucionais e artistas e intelectuais no campo das artes visuais: durante o período da redemocratização brasileira (1974-1989). Tese (doutorado em Artes Visuais) ECA-USP, São Paulo, 2018.

JORDÃO, Fabrícia. Ativismo Institucional. (verbete) In: Revista Arte ConTexto – Reflexão em Arte, v.6 n.15, 2019. Disponível em: http://www.artcontexto.com.br/portfolio/ativismo-institucional_fabricia-jordao/

KEMP-WELCH, Klara. NET: an open proposition. In: e-flux Journal, N.28, 2019, disponível em: https://www.e-flux.com/journal/98/256870/net-an-open-proposition/

LOBETO, Claudio. Entre la acción social y las prácticas estéticas: El movimiento de Video en Santiago de Chile, San Pablo y Buenos Aires (1980-2000). Tese (doutorado em Letras) Universidad de Buenos Aires, 2009.

LORENTE, Jesús P. Los museos de arte contemporáneo: noción y desarrollo histórico. Gijon, Espanha: Ediciones Trea, 2008.

MAGALHÃES, Ana G. A Bienal de São Paulo, o debate artístico dos anos 1950 e a constituição do primeiro museu de arte moderna do Brasil. In: Museologia & Interdisciplinaridade, Vol.IV, N.7, 2015, pp.112-129.

MAIA, Tatyana. Os cardeais da cultura nacional: o Conselho Federal de Coultura na ditadura civil-militar (1967-1975). São Paulo: Itaú Cultural (Rumos Pesquisa) / Iluminuras, 2012.

MARTINS, Sérgio. Constructing an avantgarde: Art in Brazil, 1949-1979. Cambridge-MA: MIT Press, 2013.

MATHIAS, S. (2004) A militarização da burocracia: a participação militar na administração federal das Comunicações e da Educação, 1963-1990. São Paulo: Ed. UNESP.

MELLO, Christine. Vídeo no Brasil 1950-1980: novos circuitos para a arte. In: Arte y política de identidad. Múrcia, Espanha: Publicaciones Universidad de Murcia, 2009, pp.185-220.

PALADINO, Luiza. Conceitualismos em trânsito: intercâmbios artísticos entre Brasil e Argentina na década de 1970 - MAC USP e CAYC. Dissertação (mestrado em Estética e História da Arte) MAC-USP, 2015.

PALMA, Adriana. Invenções museológicas em exposição: MAC do Zanini e MASP do casal Bardi. Dissertação (mestrado em Estética e História da Arte) MAC-USP, São Paulo, 2014.

PECCININI, Daisy. Crônicas dos primeiros tempos da ANPAP. In: Anais do 26º Encontro da ANPAP – Memórias e Inventações, Campinas-SP, 2017.

PEREIRA, Verena. (2016) A gestão das artes visuais através da Bienal de São Paulo: pode entrar sem medo que é só arte. Tese (doutorado em artes visuais), Unicamp.

PINHEIRO, M. (2014) Ditadura: o que resta da transição. São Paulo: Boitempo.

PUCU, Izabela. (2017) Arte como trabalho (e vice-versa). Tese (Doutorado em Artes) Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

SOUZA, Tálisson. (2019) Cartografias estéticas entre mediação e esfera pública: como a ‘arte latino-americana’ acontece? In DABUL, L.; GUERRA, P. De Vidas Artes. Porto: editora da Universidade do Porto.

SAYÃO, Bruno. Solidariedade em Rede: Arte postal na América Latina. Dissertação (mestrado em Estética e História da Arte) MAC-USP, São Paulo, 2015.

SCHOEREDER, Caroline. X Bienal de São Paulo: sob os efeitos da contestação. Dissertação (mestrado em Artes) ECA-USP, São Paulo, 2012.

SOUZA, Tálisson M. Artes visuais, mediação e geopolítica: As Bienais Internacionais de São Paulo (1978 a 1989). Tese (doutorado em Sociologia) PPGSA, IFCS, UFRJ, Rio de Janeiro, 2020a.

______. Art vidéo, corps, espace public et télévision : les tranchées et les Institutions au Brésil et au Chili des années 1980. In: Artélogie, N. 8, junho, 2016, disponível em : http://cral.in2p3.fr/artelogie/spip.php?article444

QUINTANA, Lauci B. Mário Zanini, o pintor que lê: arte e biblioteca. Tese (doutorado em Estética e História da Arte) MAC-USP, São Paulo, 2018.

TEJO, Cristina. (2017) A gênese do campo da curadoria de arte no Brasil: Aracy Amaral, Frederico Morais e Walter Zanini. Tese (doutorado em Sociologia) Universidade Federal do Pernambuco, Recife.

ZANINI, Walter. Tendências da escultura moderna. São Paulo: Editora Cultrix, 1971.

______. [1978] Vídeo-arte: uma poética aberta. In: PECCININI, Daisy. Arte novos meios/multimeios: Brasil 70/80. São Paulo: FAAP, 1985.

______. Introdução. In: XVI Bienal Internacional de São Paulo – Geral. Catálogo de exposição. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1981.

______. História Geral da Arte no Brasil. Vols. 1 e 2. São Paulo: IMS, 1983.

______. A arte no Brasil nas décadas de 1930-40: o Grupo Santa Helena. São Paulo: Nobel/EDUSP, 1991.

______. Walter Zanini: Vanguardas, desmaterialização, tecnologias na arte. Eduardo de Jesus (org.). São Paulo: Editora Martins Fontes, 2018.

Publicado
2021-06-19
Métricas
  • Visualizações do Artigo 43
  • PDF downloads: 16
Como Citar
SOUZA, T. M. DE. WALTER ZANINI E AS MEDIAÇÕES DA ARTE CONTEMPORÂNEA NO BRASIL EM REDEMOCRATIZAÇÃO. Revista Encantar - Educação, Cultura e Sociedade, v. 3, p. e021003, 19 jun. 2021.
Seção
DOSSIÊ