Memórias, escritas e diários em pesquisaformação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2023.v8.n23.e1109

Palavras-chave:

Diário; Pesquisa-formação; Narrativas; abordagem (Auto)Biográfica

Resumo

No texto compartilhamos memórias e escritas em diários, a partir de contextos e processos de vida, pesquisa e formação, em diálogo com autores/as que nos acompanharam nesse percurso e trabalharam com escritas de diários, em variadas composições e áreas do conhecimento. Destacamos o estudo de René Lourau, com o diário de pesquisa, fundamentado na análise institucional francesa, e de René Barbier com o diário da itinerância, proposto pela pesquisa-ação existencial. Tendo, como perspectiva, a corrente das histórias de vida em formação e os estudos nos/dos/com os cotidianos escolares, nos aventuramos pensar e problematizar o trabalho com diários, como movimentos de pesquisaformação narrativa (auto)biográfica, a partir de fragmentos das memórias das três autoras, com intuito de compor sentidos, até então adormecidos pelo passar dos anos, em diferentes espaços do vivernarraspesquisarformar. Com esses diálogos e rememorações, procuramos traçar caminhos possíveis para pensar os diários, sem fronteiras demarcadas, abertos às finalidades propostas pelo/a/s diarista/s, situado em um dado contexto. Assim como os memoriais, os diários são, também, práticas de pesquisaformação, de pesquisa com os cotidianos, arriscamos dizer que é um território de escrita aberta para a criação e a invenção de si e do outro. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciane Maria Pezzato, Universidade Federal de São Paulo

Doutora em Saúde Coletiva pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e pós-doutorado em Educação pela Faculdade de Formação de Professores (FFP) da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), campus Baixada Santista – Instituto Saúde e Sociedade. Grupo de Pesquisa Análise Institucional de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp e Grupo Interinstitucional de Pesquisaformação Polifonia (Unicamp/UERJ).

Inês Ferreira de Souza Bragança, Universidade Estadual de Campinas

Doutora em Ciências da Educação pela Universidade de Évora-Portugal e pós-doutora pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Professora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Grupo Interinstitucional de Pesquisaformação Polifonia (Unicamp/UERJ).

Camila Petrucci Rosa, Prefeitura Municipal de Campinas.

Mestra em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). É professora pela Prefeitura Municipal de Campinas. Faz parte do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Continuada (Gepec) e do Grupo Interinstitucional de Pesquisaformação Polifonia (Unicamp/UERJ).

Referências

ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. Pesquisa (auto)biográfica – tempo, memória e narrativas. In.: ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto (Org.) A aventura (auto)biográfica: teoria e empiria. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004. p. 201-224.
AGUIAR, Kátia Faria de; ROCHA, Marisa Lopes da. Micropolítica e o exercício da pesquisa-intervenção: referenciais e dispositivos em análise. Psicologia: Ciência e Profissão, [Online] v.27, n.4, 2007, p.648-663. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1414-98932007000400007 . Acesso em: 10 mai. 2021.
ALVES, Maria da Penha Casado. Frida Kahlo entre palavras e imagens: a escrita diarista e o acabamento estético. Linha d’Água, v. 25, n.02, p. 169-184, out. 2012. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v25i2p169-184. Acesso em: 12 nov. 2021.
BARBIER, René. A Pesquisa-Ação. Brasília: Plano, 2002.
BARROS, Manoel de. Meu quintal é maior do que o mundo. 1ª. ed. Rio de Janeiro: Objetiva Ltda, 2015.
BAUMAN, Zygmunt. Isto não é um diário. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.
BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas I: Magia e técnica, arte e política. 7ª. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.
XXXXX, 2008
BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza. Histórias de vida e formação de professores: diálogos entre Brasil e Portugal. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012. Disponível em: https://doi.org/10.7476/9788575114698. Acesso em: 20 jun 2020.
BRAGANÇA, Inês Ferreira Souza. Pesquisaformação narrativa (auto)biográfica: trajetórias e tessituras teórico-metodológicas. In.: ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto; CUNHA, José Luiz; BÔAS, Lúcia Villas. (Orgs.) Pesquisa (auto)biográfica: diálogos epistêmico-metodológicos. Curitiba: Editora CRV, 2018. p. 65-81.
BRAGANÇA, Inês Ferreira de Souza. Cadernos Escolares em Arquivos Pessoais: Mistérios da “Caixa de Pandora”. In: MIGNOT, Ana. Crystina Venâncio. Não me esqueça num canto qualquer. Rio de Janeiro: Laboratório Educação e Imagem, 2008.
XXXXX, 2009.
CUNHA, José Luiz da. Escrever histórias para convencer os outros: memórias, diários e cartas de imigrantes. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)Biográfica, Salvador, v. 03, n. 07, p. 235-256, jan./abr. 2018. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/4332/3156. Acesso em: 10 abr. 2021.
XXXXX, 2021.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a Pedagogia do oprimido. 8ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 1992.
GALZERANI, Maria Carolina Bovério. Memória, história e (re)invenção educacional: uma tessitura coletiva na escola pública. In.: KOYAMA, Adriana Carvalho; GALZERANI, José Claudio.; PRADO, Guilherme do Val Toledo. (Orgs.). Imagens que lampejam: ensaios sobre memória, história e educação das sensibilidades / de autoria da Professora Maria Carolina Bovério Galzerani. Campinas, SP: FE/UNICAMP, 2021. p. 95-136.
GAGNEBIN, Jeanne Marie. História e narração em Walter Benjamin. 2ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2007.
GAGNEBIN, Jeanne Marie. Limiar, aura e rememoração. São Paulo: Editora 34, 2014.
GARCIA, Regina Leite. A difícil arte/ciência de pesquisar com o cotidiano. In.: GARCIA, Regina Leite. (Org.) Método, métodos, contramétodos. São Paulo: Cortez, 2003. p. 193-208.
HESS, Remi. Uma técnica de formação e de intervenção: o diário institucional. In: HESS, Remi; SAVOYE, Antoine. (Orgs.) Perspectives de I’Analyse Institutionnelle. Paris: Méridiens Klincksieck, 1998. p. 119-138.
HESS, Remi. O momento do diário de pesquisa na educação. AMBIENTE & EDUCAÇÃO. v. 14, 2009. p. 61-87. Disponível em: https://periodicos.furg.br/ambeduc/article/view/1137/447. Acesso em: 10 jun. 2021.
HESS. Remi. O movimento da obra de René Lourau (1933-2000). In.: ALTOÉ, Sônia. (Org.) René Lourau. Analista Institucional em tempo integral. São Paulo: Hucitec, 2004, p.15-46.
XXXXX, 2021.
JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010a.
JOSSO, Marie-Christine. Caminhar para si. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010 b.
KOYAMA, Adriana Carvalho. Arquivos online: práticas de memória, de ensino de História e de educação das sensibilidades. 2013. 373 f. Tese de Doutorado em Educação. Faculdade de Educação/UNICAMP, Campinas, 2013.
KRENAK, Ailton. A vida não é útil. São Paulo: Editora Schwarcz S.A., 2020.
LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico: de Rousseau à internet. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2014. 2a. edição.
LIMA, Nádia de Lima; SANTIAGO, Ana Lydia Bezerra. Historização e romance: a construção do personagem no diário íntimo de adolescentes. Ágora (Rio de Janeiro). v. XV n. 1 jan/jun 2012 p. 95-115. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1516-14982012000100007. Acesso: 20 jun 2021.
LOURAU, René. Le journal de recherche. Matériaux d’une théorie de l’implication. Paris, Méridien Klincksieck, 1988.
LOURAU, René. Uma técnica de análise das implicações: B. Malinowski, Diário de etnógrafo (1914-1918). In.: ALTOÉ, Sônia. (Org.) René Lourau. Analista Institucional em tempo integral. São Paulo: Hucitec, 2004, p.259-283.
LOURAU, René. René Lourau na UERJ- 1993. Análise Institucional e Práticas de Pesquisa. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1993. 116p.
MALINOWSKI, Bronislaw Kasper. Argonautas do pacífico ocidental: um relato do empreendimento e da aventura dos nativos nos arquipélagos da Nova Guiné Melanésia. 2ª. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1978.
MENDES, Mariana Diniz. Diários de Maria Isabel Silveira: vestígio e inscrição de uma voz. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, Brasil, n. 77, p. 220-250, dez. 2020. Disponível em: https://orcid.org/0000-0003-0796-2627. Acesso em: 10 jun 2021.
MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento. Pesquisa qualitativa em saúde. 9ª. Ed. revista e aprimorada. São Paulo: Hucitec. 2006.
XXXXX, 2019.
XXXXX, 2020.
PENHAVEL, Pedro. Leitura de Retrato calado, de Luiz Roberto Salinas Fortes: aproximações benjaminianas. estud. lit. bras. contemp., Brasília, n. 60, e6011, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1590/2316-40186011. Acesso em: 10 jun 2020.
XXXXX, 2009.
XXXXX, et al. 2019
PEZZATO, Luciane Maria; L’ABBATE, Solange. O uso de diários como ferramenta de intervenção da análise institucional: potencializando reflexões no cotidiano da Saúde Bucal Coletiva. Physis, Rio de Janeiro, v. 21, n. 4, p. 1297-1314, 2011. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-73312011000400008. Acesso em: 20 abr. 2020.
PEZZATO, Luciane Maria; BOTAZZO, Carlos; L’ABBATE, Solange. O diário como dispositivo em pesquisa multicêntrica. Saúde Soc. São Paulo, v. 28, n. 3, p. 296-308, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-12902019180070. Acesso em: 19 jan. 2020
XXXXX, 2019.
RANCIERI, Jacques. Políticas da escrita. Rio de Janeiro:Editora 34, 1995.
RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa (vol. 1). Tradução C. M. César. Campinas, SP: Papirus, 1994.
XXXXX, 2021.
XXXXX, 2021.
SARAMAGO, José. O Caderno. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.
SOUZA, Elizeu Clementino. O conhecimento de si. Estágio e narrativas de formação de professores. Rio de Janeiro: DP&A. 2006.
VASCONCELOS, Maria Celi Chaves. Escritas femininas na casa oitocentista: memórias sobre o diário da Viscondessa de Arcozelo. Revista História da Educação, v. 24, e97649, 2020. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/2236-3459/97649. Acesso em: 20 abr 2021.

Downloads

Publicado

2023-04-30

Como Citar

PEZZATO, L. M.; BRAGANÇA, I. F. de S. .; ROSA, C. P. Memórias, escritas e diários em pesquisaformação. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 8, n. 23, p. e1109, 2023. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2023.v8.n23.e1109. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/13544. Acesso em: 16 jun. 2024.