DA REPRESENTAÇÃO À AUTOREPRESENTAÇÃO DE CORPOS CIGANOS NA LITERATURA

  • Lorena Oliveira Tavares

Resumo

 Este artigo se propõe a refletir acerca do livro “El aliento negro de los romaníes”, de Jorge Nedich (2005), com o objetivo de mostrar que os romà podem e devem representar-se. A inquietação que levou a esta produção foi o desejo de contribuir para retirá-los do constante lugar de invisibilidade. Os autores que contribuíram e deram suporte teórico para realização deste estudo foram Fonseca (1996); Bernd (1994); Silva (2018) e Sória (2015). A metodologia utilizada foi de caráter qualitativo e bibliográfico. Os resultados mostram que embora a narrativa de Nedich não ofereça uma representação perfeitamente delineada do que é ser romà nos dias de hoje, contribui significativamente no tocante à visibilidade do povo e propõe uma alternativa identitária em um espaço múltiplo e em construção permanente. 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Métricas
  • Visualizações do Artigo 18
  • pdf downloads: 12