Colonialismo português, lusotropicalismo, racismo e lutas antirracistas:

entrevista com Marta Araújo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2021.v30.n62.p168-186

Palavras-chave:

Raça, Racismo institucional, Colonialismo, Lusotropicalismo, Antirracismo

Resumo

Marta Araújo é doutora pela Universidade de Londres (IoE) e pesquisadora sênior do Centro de Estudos Sociais (CES), Universidade de Coimbra. Nesta entrevista inédita Marta Araújo abordou sua trajetória de investigadora dedicada aos temas relacionados ao racismo que, em certa medida, se encontra sobre como a questão adentrou as agendas de pesquisa em Portugal. Conhecedora do contexto brasileiro, Marta Araújo tratou da influência do pensamento de Gilberto Freyre e do lusotropicalismo na compreensão de intelectuais portugueses e da elite política portuguesa sobre as consequências do colonialismo e do que conhecemos no Brasil como ideologia da mestiçagem. Reflete aspectos de caráter metodológicos sobre o desenvolvimento e disseminação de pesquisas antirracistas e analisa criticamente a agenda de pesquisas sobre raça no contexto português, destacando a importância da articulação, da mobilização e autonomia política do movimento negro português no enfrentamento ao racismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Otto Vinicius Agra Figueiredo, Universidade Estadual de Feira de Santana

Graduado em Pedagogia pela Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS (2004); Especialista em Política do Planejamento Pedagógico pela Universidade do Estado da Bahia - UNEB (2006), Mestre em Educação e Contemporaneidade pela UNEB (2007) e Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade - PPGEduc/UNEB. Membro da Comissão de Ações Afirmativas da UEFS (2011 - 2016); Chefe da Unidade de Organização e Desenvolvimento Comunitário - UNDEC/UEFS (2012 - 2014); Pró-Reitor de Políticas Afirmativas e Assuntos Estudantis - PROPAAE da UEFS (2014 - 2016). Professor Assistente do Departamento de Educação da UEFS dos componentes curriculares Política e Gestão Educacional e Relações Étnico-Raciais na Educação; Pesquisador do Grupo de Pesquisa FIRMINA Pós-Colonialidade: educação, história, cultura e ações afirmativas / UNEB; Pesquisador do Centro de Estudos e Documentação em Educação - CEDE/UEFS e Pesquisador do Grupo de Pesquisa Ações Afirmativas para o Ensino Superior UEL.

Jalusa Silva de Arruda, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Advogada; Professora Auxiliar do Departamento de Educação (Campus XV) da Uiversidade do Estado da Bahia (UNEB); Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Marta Araújo, Universidade de Coimbra (UC)

Doutora pela Universidade de Londres e pesquisadora sênior do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra (CES/UC), Portugal.

Referências

ALBERTI; Verena; PEREIRA, Amílcar A. (Orgs). Histórias do movimento negro no Brasil: depoimentos ao CPDOC, Rio de Janeiro: Pallas, CPDOC-FGV, 2007.

ALMEIDA, Miguel Vale de. Um mar da cor da terra: raça cultura e política de identidade. Oeiras: Celta Editora, 2000.

ALVES, Ana Rita. Realojar, despejar, guetizar. Arqueologias de uma violência obliterada: habitação e racismo nos relatórios nacionais/internacionais. Relatório de pesquisa - projeto COMBAT, 2018. Disponível em: https://www.ces.uc.pt/ficheiros2/files/Alves%202018%20Realojar,%20despejar,%20guetizar.pdf. Acesso em: 12 mar. 2020.

ARAÚJO, Marta. ‘Modernising the comprehensive principle’: selection, setting and the institutionalisation of failure. British Journal of Sociology of Education, v. 28, n. 2, 2007, p. 241-257. Disponível em: https://estudogeral.sib.uc.pt/bitstream/10316/42627/1/Modernising%20the%20comprehensive%20principle.pdf Acesso em: 14 mai. 2020.

. A Fresh Start for a ‘failing school’? A qualitative study. British Journal of Sociology of Education, v. 35, n. 4, 2009, p. 599-617. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1080/01411920802642439 Acesso em: 14 mai. 2020.

. Censos 2021 - “Raça” enterrada vida. Revista Manifesto: temas sociais e políticos, n. 4, série 2, 2019/2020, p. 71-75. Disponível em: https://ces.uc.pt/myces/UserFiles/livros/1924_Araujo%202019%20Censos%202021.pdf Acesso em: 14 mai. 2020.

ARAÚJO, Marta; MAESO, Silvia R. Eurocentrism, racism and knowledge: debates on history and power in Europe and the Americas. Basingtoke/New York: Palgrave Macmillan, 2015.

; . Os contornos do eurocentrismo: raça, história e textos políticos. Coimbra: Edições Almedina, 2016. (Série Identidades e Interculturalidades - 6)

; . O poder do racismo na academia: produção de conhecimento e disputas políticas. In: SANTOS, Boaventura de S.; MARTINS, Bruno S. (Orgs.). O pluriverso dos Direitos Humanos: a diversidade das lutas pela dignidade. Coimbra: Almedina, 2019, p. 457-481.

ARAÚJO, Marta; RODRIGUES, Anabela. História e memória em movimento: escravatura, educação e (anti)racismo em Portugal. Revista História Hoje, v. 17, n. 14, p. 107-132, 2018. Disponível em: https://rhhj.anpuh.org/RHHJ/article/view/468. Acesso em: 12 mar. 2020.

BRASIL. Lei 10.639, de 09 de janeiro de 2003. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática História e Cultura Afro-Brasileira. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2003/L10.639.htm. Acesso em: 12 mar. 2020.

CARMICHAEL, Stokely; HAMILTON, Charles V. Black power: the politics of liberation in America. New York: Vintage Books, 1992 [1. ed. 1967].

CASTELO, Cláudia. O modo português de estar no mundo. O lusotropicalismo e a ideologia colonial portuguesa (1933-1961). Porto: Edições Afrontamentos (Biblioteca das Ciências do Homem), 1998.

CÉSAIRE, Aimé. Discurso sobre o colonialismo. 1. ed. Lisboa: Livraria Sá da Costa Editora, 1978.

EUROPEAN COMMISSION AGAINST RACISM AND INTOLERANCE (ECRI). Relatório da ECRI sobre Portugal (quinto ciclo de controlo), 2018. Disponível em: https://rm.coe.int/fifth-report-on-portugal-portuguese-translation-/16808de7db. Acesso em: 10 mar. 2020.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 34. ed. Rio de Janeiro: Record, 1998.

. Aventura e rotina: sugestões de uma viagem à procura das constantes portuguesas de carácter e acção. 2. ed. Lisboa: Edição Livros do Brasil, 1952. (Colecção Livros do Brasil)

FÜREDI, Frank. The silent war: imperialism and the changing perception of race. Londres: Pluto Press, 1998.

GILLBORN, David. Racism and antiracism in real schools: theory, policy, practice. Buckingham: Open University Press, 1995.

GOLDBERG, David. The racial state. Malden, MA: Blackwell Publishers, 2002.

GOMES, Nilma L. O movimento negro educador: saberes construídos nas lutas por emancipação. Petrópolis: Vozes, 2017.

HESSE, Barnor. Im/plausible deniability: racism's conceptual double bind. Social Identities, v. 10, n. 1, 2004, p. 9-29. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/1350463042000190976. Acesso em: 14 mai. 2020.

LENTIN, Alana. Racism and anti-racism in Europe. Londres: Pluto Press, 2004.

MENESES, Maria Paula G. O ‘indígena’ africano e o colono ‘europeu’: a construção da diferença por processos legais. e-cadernos CES [Online], n. 7, 2010. Disponível em: http://journals.openedition.org/eces/403. Acesso em: 9 mar. 2020.

PEREIRA, Amílcar A. O movimento negro brasileiro e a Lei n. 10.639/2003: da criação aos desafios para a implementação. Revista Contemporânea de Educação, v. 11, n. 22, ago/dez, 2016, p. 13-30. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/rce/article/view/3452.

Acesso em: 8 mar. 2020.

PORTUGAL. Lei da Nacionalidade. Lei n. 37, de 03 de outubro de 1981. Disponível em:https://dre.pt/web/guest/legislacao-consolidada/-/lc/69738105/201708271644/exportPdf/normal/1/cacheLevelPage?_LegislacaoConsolidada_WAR_drefrontofficeportlet_rp=diploma. Acesso em: 7 mai. 2020.

. Despacho normativo n. 63, de 13 de março de 1991. Ministério da Educação. Cria o Secretariado Coordenador dos Programas de Educação Multicultural. Disponível em: https://dre.pt/application/conteudo/475368. Acesso em: 9 mar. 2020.

RAPOSO, Otávio et al. Negro drama. Racismo, segregação e violência policial nas periferias de Lisboa. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 119, p. 5-28, set. 2019. Disponível em: http://journals.openedition.org/rccs/8937. Acesso em: 8 mar. 2020.

VALA, Jorge; BRITO, Rodrigo; LOPES, Diniz. Expressões dos racismos em Portugal. 2. ed. on line, Lisboa: ICS, 2015. (Estudos e Investigações, volume 11) Disponível em: https://estudogeral.sib.uc.pt/handle/10316/18440?mode=full. Acesso em: 14 mai. 2020.

VALENTIM, Joaquim P. Escola, igualdade e diferença. 1. ed. Porto: Campo das Letras, 1997. Disponível em: https://estudogeral.sib.uc.pt/handle/10316/18440?mode=full. Acesso em: 9 mar. 2020.

Publicado

2021-06-30

Como Citar

AGRA FIGUEIREDO, O. V.; ARRUDA, J. S. de; ARAÚJO, M. Colonialismo português, lusotropicalismo, racismo e lutas antirracistas:: entrevista com Marta Araújo. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 30, n. 62, p. 168–186, 2021. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2021.v30.n62.p168-186. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/8613. Acesso em: 23 maio. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)