Violência Contra Estudantes Com Deficiência em Situação de Inclusão na Escola Pública

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2023.v32.n69.p147-166

Palavras-chave:

Inclusão Educacional, Preconceito, Direitos Humanos e Educação

Resumo

Este artigo refere-se a uma pesquisa de mestrado em educação tendo por questão central a identificação das causas que contribuem à violência, manifestada pelo preconceito contra estudantes com deficiência em situação de inclusão na escola pública. O referencial teórico-metodológico adotado foi a Teoria Crítica da Sociedade e a Pesquisa Social Empírica. O lócus investigado foi o cotidiano de uma escola pública de Petrópolis/RJ, com instrumento de coleta de dados a entrevista semiestruturada e participação remota de quatro professoras do ensino fundamental devido à pandemia do coronavírus. Os resultados obtidos evidenciaram que mesmo com os limites impostos pela pandemia e a exigência do ensino remoto, a escola pública e as professoras demonstraram capacidade de resistir e enfrentar a violência ao considerarem a educação e a inclusão escolar fundamentadas nos direitos humanos. Nesse cenário, a formação docente, discente e a experiência com as diferenças de aprendizagem e seu acolhimento assumem prioridade, vislumbrando-se a emancipação e o desenvolvimento da sensibilidade, pilares para que professores e estudantes se tornem livres pensantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lívia de Lima Miranda, Universidade Federal Fluminense

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Faculdade de Educação, Programa de Pós-graduação em Educação. Membro do Grupo de Pesquisa/CNPq: ‘Políticas em Educação: Formação, Cultura e Inclusão’. Professora da Educação Básica, Petrópolis, Rio de Janeiro

Valdelúcia Alves da Costa, Universidade Federal Fluminense

Professora Titular da Universidade Federal Fluminense (UFF). Docente da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação. Líder do Grupo de Pesquisa (CNPq) ‘Políticas em Educação: Formação, Cultura e Inclusão’. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa (CNPq) ‘Estudos sobre violência escolar: bullying e preconceito’. Coordenadora do Observatório de Educação: violência, inclusão e direitos humanos (UFF).

Referências

ABRAMOVAY, Miriam; RUA, Maria das Graças. Violências nas escolas. Brasília, UNESCO Office. 2003. Disponível em: <https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000133967_por/PDF/133967por.pdf.multi.page=5&zoom=auto,-13,533> Acesso em: 17 fev. 2020.

ADORNO, Theodor W. Educação e emancipação. São Paulo: Paz e Terra, 2020.

ADORNO, Theodor W. Indústria cultural e sociedade. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

ADORNO, Theodor W. Palavras e sinais: modelos críticos 2. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995.

BANDEIRA, Lourdes; BATISTA, Analía Soria. Preconceito e discriminação como expressões de violência. Revista Estudos Feministas, 2002. p. 119-141. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0104-026X2002000100007>. Acesso em: 20 maio 2021.

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. Rio de Janeiro: Campus, Elsevier, 2004.

COSTA, Valdelúcia Alves da. Formação, inclusão e educação em Direitos Humanos no Brasil: desafios e perspectivas. In: COSTA, V. A. da. VARGAS SEGURA, R. (orgs.). Direitos Humanos em Educação: formação e inclusão no Brasil e México. Niterói: Intertexto X CAPES, 2018, p. 35-55.


COSTA, Valdelúcia Alves da; LEME, Erika Souza. Educação Inclusiva no Brasil: aspectos políticos, sociais e humanos. In: COSTA, V. A. da. VARGAS SEGURA, R. (orgs.). Educação Inclusiva na América Latina: políticas, pesquisas e experiências. Niterói: Intertexto, 2016, p. 21-42.

CROCHÍK, José Leon. Fatores psicológicos e sociais associados ao bullying. Revista de Psicologia Política. São Paulo: v. 12, 2012, p. 211-229. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-549X2012000200003> Acesso em: 10 de set. 2019.

CROCHÍK, José Leon. Preconceito e educação inclusiva. Brasília: SDH/PR, 2011.

CROCHÍK, José Leon. Preconceito, indivíduo e cultura. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006.

CROCHICK, José Leon; CROCHICK, Nicole. Bullying, preconceito e desempenho escolar: uma nova perspectiva. São Paulo: Benjamin Editorial, 2017.

HORKHEIMER, Max.; ADORNO, Theodor. W. Dialética do Esclarecimento: fragmentos filosóficos. 1947. Disponível em: <http://antivalor.vilabol.uol.com.br> Acesso em: 10 dez. 2021.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: SCHWARCZ S.A, 2019.

MARX, Karl. & ENGELS, Friedrich. Manifesto Comunista. São Paulo: Boitempo, 2017.

ONU. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, 1948. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/wp-content/uploads/2018/10/DUDH.pdf> Acesso em: 07 de fev. 2020.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da educação no Brasil (1930/1973). 8ª Ed. Petrópolis: Vozes, 1986.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Sobre o autoritarismo brasileiro. São Paulo: Cia das Letras, 2019.

SILVA, Wanda Lúcia Borsato da. Políticas públicas de educação, formação de professores e inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais: as experiências da Rede Pública Municipal de Ensino de Petrópolis/RJ. 2013. 166f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2013.

SOUZA, Jessé. A elite do atraso. Rio de Janeiro: Estação Brasil, 2019.

UNESCO. Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos (PNEDH). Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, 2007. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/docman/2191-plano-nacional-pdf/file> Acesso em: 07 de out. 2019.

Arquivos adicionais

Publicado

2023-02-03

Como Citar

MIRANDA, L. de L.; COSTA, V. A. da. Violência Contra Estudantes Com Deficiência em Situação de Inclusão na Escola Pública. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 32, n. 69, p. 147–166, 2023. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2023.v32.n69.p147-166. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/14981. Acesso em: 24 maio. 2024.