Os Apurinã, Tenetehara, Kambeba, Huni Kuĩ, Maraguá, Ticuna e Krenak gritam: cuidado, o Curupira vai te pegar!

Resumo

Os/as Curupiras vão te pegar neste texto que busca divulgar essas múltiplas possibilidades de narrar e de existir. É uma análise que pretende contribuir para decolonizar os estudos de literatura e a desconstruir estereótipos atribuídos aos seres encantados indígenas. Há enfoque ecológico, a partir das ideias de Krenak (2019), na direção de ressaltar o poder regulador do Curupira como ser protetor da floresta e da vida. Inventaria denominações, capacidades de ação, de interpretação e de comparação entre obras de autoria indígena Apurinã, Tenentehara, Kambeba, Huni Kuĩ, Maraguá e Ticuna. Essas versões foram ouvidas pelos autores, por companheiros de pesquisa, conhecidas através de entrevistas ou de livros publicados por autores indígenas. Os textos de autoria não indígena mencionados aparecem apenas como contraponto, na direção de evidenciar algumas das diferentes formas de apropriação e transformação dessas literaturas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Rogério dos Santos, UFAC

Mestrando em Artes Cênicas (PPGA-UFAC); Especialização em Arte Educação (UNIASSELVI-SC); Licenciatura em Educação Artística com Habilitação em Artes Cênicas Faculdade de Artes do Paraná-FAP; Graduação em Educação Artística pela Faculdade de Artes do Paraná. Pós Graduação Lato Sensu pelo Centro Universitário Leonardo Da Vinci- UNIASSELVI em Arte Educação. Professor pela Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino do Amazonas. SEDUC-AM. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Teatro. Trabalha como ator desde 1988; Diretor de Produção; Figurante; Contrarregra; Operador de Luz; Cenotécnico.

Ananda Machado, PPGL- UFRR

Doutora em História Social pela UFRJ, mestre em Memória Social pela Unirio, especialista em Educação Indígena pela UFF. Professora do curso Gestão Territorial Indígena no Instituto Insikiran- UFRR, com ênfase em Patrimônio Indígena. Coordenadora do Programa de Valorização das Línguas e Culturas Indígenas de Roraima (Prae/Prppg- UFRR). Licenciada em Artes Cênicas pela Uni Rio. Com formação, pesquisas e publicações interdisciplinares, nas áreas de história oral, biografias indígenas, memória e patrimônio, antropologia, letras (narrativas orais e línguas indígenas), Linguística (lexicologia e sociolinguística).

Valtenir Soares de Abreu, UFRR

Doutor em Linguística Aplicada pelo Programa Interdisciplinar de Linguística Aplicada da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ, 2021). Possui mestrado em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) pela Universidade Federal de Roraima (UFRR/2014). Especialização em Informática na Educação pelo Instituto Brasileiro de Pós-Graduação e Extensão (IBPEX/2010). Licenciatura em Pedagogia pela Universidade Estadual de Roraima (UERR/2007). Atuou como professor efetivo do município de Boa Vista no período de 2007 a 2017, lecionando nas séries iniciais do Ensino Fundamental, além de desenvolver atividades nas áreas de Informática Educativa e Educação Musical. Atuou também como professor na rede privada de ensino, ministrando as disciplinas de Ensino Religioso, Informática e Empreendedorismo e Ética. Trabalhou também na área da Socioeducação, como servidor efetivo da Secretaria de Estado do Trabalho e Bem Estar Social do Governo do Estado de Roraima, desenvolvendo o acompanhamento de adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas. Como professor de Ensino Superior, atuou também na rede privada de Boa Vista, em curso de Pedagogia, Tecnologia da Informação e Serviço Social, ministrando disciplinas como Metodologia de Pesquisa, Didática, Políticas Públicas do Serviço Social, dentre outras. Atualmente, é servidor efetivo da Universidade Federal de Roraima, no cargo de Técnico em Assuntos educacionais, tendo sido Coordenador do Núcleo de Acessibilidade e Diretor de Assuntos Acadêmicos da Pró-Reitoria de Ensino e Graduação; foi Coordenador Adjunto do Programa Escolas Interculturais de Fronteira, além de organizar, coordenar e palestrar em eventos nas áreas de Educação Inclusiva, Cursos de Libras e Curso de Fotografia para Surdos. Como doutorando, organizou, em parceria com sua orientadora, a Professora Doutora Luciana Marino do Nascimento, quatro livros que reúnem produções de alunos de graduação, mestrado, doutorado e professores de várias universidades brasileiras e internacionais, sendo integrante do conselho editorial de algumas dessas obras. Integra, como pesquisador e/ou técnico, os seguintes grupos de pesquisa: Linguagens e Discursos da História (FBN), História, Memórias e Migrações: dinâmica urbana de Boa Vista/RR a partir de 1943 (UFRR) e Estudos de Literaturas e Identidades (UFRR). Sua tese de doutorado se ocupa da análise crítica de um relato de viagem à Guiana Brasileira, que traz como principal personagem o explorador americano Hamilton Rice. O viés analítico se localiza nos campos epistemológicos da Linguística Aplicada, Análise do Discurso e Crítica Literária.

Referências

ALBUQUERQUE, Antônio José de (liderança Huni Kuĩ) [17/10/2020]. Entrevista Currupira Kaxinawá filmada por Evanildo Kaxinawa. Disponível em: https://youtu.be/32LY7BITkW0.
APURINÃ, Waykury. (morador da aldeia Kamicuã) [05/02/2021]. Entrevista o Curupira/Caboclinho Da Mata, Terra Firme por Antonio Rogério dos Santos.
CASCUDO, Luís da Câmara. Dicionário do Folclore Brasileiro. Rio de Janeiro: Ed. Ediouro,1954.
COELHO, José Rondinelle Lima. Cosmologia Tenetehara Tembé: (re)pensando narrativas, ritos e alteridade no Alto Rio Guamá – PA. Universidade Federal do Amazonas – UFAM - Museu Amazônico Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social Manaus – Amazonas, 2014
DORRICO, Julie. Posfácio. In: NÚÑEZ, Geni. Djatchy Djatere: o saci guarani.
Ilustrações de Wanessa Ribeiro e Joyce Ara’i Firmiano. Brasil: Zió Zines, 2020.
FIOROTTI, Devair Antônio. Do Timbó ao timbó ou o que eu não sei, eu invento. Aletria: Revista e estudos literários. V. 22, n. 3, 2012.
KAMBEBA, Marcia Wayna. O lugar do Saber, São Leopoldo-RS: Ed. Casaleira, 2020.
KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Ed Companhia das letras, 2019.
______. A vida não é útil. São Paulo: Editora Companhia das Letras, 2020.
MONTE, Nieta; FREIRE, José Ribamar Bessa. Te mandei um Passarinho. Brasília: Ministério da Educação, 2007.
MUNDURUKU, Daniel. Foi vovó que disse. 2. ed. Ilustrações de Graça Lima. Porto Alegre: Edelbra, 2014.
RODRIGUES, Alan (Professor da Universidade Federal do Amazonas) [15/06/2020]. Entrevista o Curupira 7 espíritos realizada pelo googlemeet por Antonio Rogério dos Santos.
SILVA, Antônio José da (morador de Lábra-AM). [7/09/2021] Entrevista Vício na caça parte 1 –Entrevistado por Antonio Rogério dos Santos às margens do rio Sapatini, disponível em https://youtu.be/p_i2oxLGtS4.
______. Vício na caça, parte 2 - Entrevistado por Antonio Rogério dos Santos às margens do rio Sapatini, disponível em https://youtu.be/i6t01YeGeRs.
VIEIRA, Mônica do Corral. Histórias Tembé: sobre narrativas e autoidentificação. Tese (doutorado) na Universidade Federal do Pará, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Antropologia, Belém, 2016.
VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo B. Metafísicas canibais: elementos para uma antropologia pós-estrutural. São Paulo: Cosac Naify, 2015.
YAMÃ, Yaguarê. As Pegadas do Kurupyra. Ilustrações de Uziel Guaynê Oliveira. São Paulo: Mercuryo Jovem, 2008.
Publicado
2022-06-23
Métricas
  • Visualizações do Artigo 145
  • PDF downloads: 114
Como Citar
SANTOS, A. R. DOS; MACHADO, A.; ABREU, V. S. DE. Os Apurinã, Tenetehara, Kambeba, Huni Kuĩ, Maraguá, Ticuna e Krenak gritam: cuidado, o Curupira vai te pegar! . Tabuleiro de Letras, v. 16, n. 1, p. 9-22, 23 jun. 2022.
Seção
DOSSIÊ TEMÁTICO