A perda da espacialidade no romance A morte e o Meteoro, de Joca Reiners Terron

  • Andre Rezende Benatti Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • Rute Pereira da Silva Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar questões acerca da perda da espacialidade na construção do enredo na obra A morte e o meteoro, de Joca Reiners Terron, escrito em 2019. Narrativa em quatro capítulos intitulados: Grande Mal; Apagar o sobrenome; Não morrer mais e Cosmogonia, nela é contada a história, que se passa em um futuro não muito distante do atual, em uma Amazônia destruída. E que nos é contado por um narrador, cujo nome não é apontado na obra. No decorrer da trama, os espaços e as ambientações são construídos de forma a levar o leitor a perceber que o extermínio total da tribo indígena dos kaajapukugi se deu por variados acontecimentos que se interligam. Para tal leitura tomamos por base, para além dos conceitos críticos e literários, relacionados à estética literária, também nos servirão como aporte estudos referentes ao espaço e a ambientação, tais como Lima Barreto e o espaço romanesco, de Osman Lins, Espaço e romance, de Antônio Dimas, entre outros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andre Rezende Benatti, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Doutor em Letras Neolatinas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro
Rute Pereira da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Mestranda em Estudos de Linguagens na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Tradução Vinícius Nicastro Honesk. Chapecó, Santa Catarina: Argos, 2009.
BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. Trad. Antonio de Pádua Danesi. 2ª edição. São Paulo: Martins Fontes, 2008.
BARBOSA, Anna Carolyna. O espaço, o humano e o espetáculo na distopia pós-moderna de Jogos Vorazes. 2017 f.103. Dissertaçao de Mestrado em Letras – Faculdade de Letras. Universidade Federal de São João del-Rei, São João del-Rei. Disponível em: Acesso em: 10 de agosto de 2020.
CARDOSO, João Batista. Teoria e prática de leitura, apreensão e produção de texto, 2001.
DIMAS, Antonio. Espaço e romance. São Paulo: Ática, 1987.
GANCHO, Cândida Vilares. Como analisar narrativas. São Paulo: Ática, 2004.
HAMON, Philippe; SALLENAVE, Daniele. Categorias da narrativa. Lisboa: Vega, 1976, p. 57-76.
LINS, Osman. Lima Barreto e o Espaço romanesco. São Paulo: Ed. Ática, 1978.
TERRON, Joca Reiners. A morte e o meteoro. São Paulo: Todavia, 2019.
PERRONE-MOISÉS, Leyla. Mutações da literatura no século XXI. São. Paulo: Companhia das Letras, 2016.
Publicado
2021-12-17
Métricas
  • Visualizações do Artigo 87
  • PDF downloads: 61
Seção
ARTIGOS