A memória de futuro e o ato de narrar como princípio constitutivo do sujeito professor

Palavras-chave: Memória de futuro, Relações dialógicas, Entrevista narrativa

Resumo

O presente artigo tem como forma de produção e análise de dados a entrevista narrativa de um professor da área de Linguagens do Instituto Federal de São Paulo, buscando na singularidade do discurso narrativo formas de identificar a constituição do sujeito professor, bem como as vozes sociais presentes em seu relato. Para isso, focaremos nossos estudos na filosofia da linguagem de Bakhtin e de seu Círculo, investigando a natureza social da linguagem, a questão das relações dialógicas, da memória de passado, presente e futuro, como forma de ressignificar o percurso do entrevistado, demonstrando que rever a própria história, trazendo-a à luz do pensamento presente, é uma forma autêntica de percepção das marcas constitutivas de nossa trajetória, sempre em embate com o outro e com as instituições.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Plez Silva, Universidade São Francisco

Mestre em Linguística pela Universidade de Franca. Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), Campus de São João da Boa Vista – professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT). Membro dos Grupos de pesquisa Análise de Linguagem, Trabalho Educacional e suas Relações: Letramento, Gêneros Textuais e Ensino (ALTER-LEGE) / e Teoria Crítica e Teorias Críticas Latino-Americanas e Educação (TCTCLAE), vinculados ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Milena Moretto, Universidade São Francisco

Doutora em Educação pela Universidade São Francisco (USF). Professora do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação da Universidade São Francisco. Grupos de pesquisa: Relações de Ensino e Trabalho Docente da USF; Análise de Linguagem, Trabalho Educacional e suas Relações: Letramento, Gêneros Textuais e Ensino (ALTER-LEGE); Linguagem, Memória e Subjetividade da Universidade de São Paulo (USP).

Referências

AMORIM, Marilia. Memória do objeto: uma transposição bakhtiniana e algumas questões para a educação. Bakhtiniana: Revista de Estudos do Discurso, São Paulo, v.1, n. 1, p. 8 - 22, 1 sem. 2009. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/bakhtiniana/article/download/2993/1927/6701. Acesso em: 30 nov. 2020.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovich. Estética da criação verbal. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovich. Para uma filosofia do Ato Responsável. Trad. Valdemir Miotello e Carlos Alberto Faraco. São Carlos: Pedro & João Editores, 2017.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovich. Problemas da poética de Dostoiévski. Tradução Paulo Bezerra. 5ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2013.

BENJAMIN, Walter. O Narrador - considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In: BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1993. p. 197-221.

BOLÍVAR, Antonio; DOMINGO, Jesús. La investigación Biográfica-Narrativa em Iberoamérica: campos de desarrollo y estado actual. Forum: Qualitative Social Research, 7 (4), p. 1-33, 2006. Disponível em: http://jbposgrado.org/icuali/La%20investigacion%20biografica%20y%20narrativa%20en%20iberoamerica%20%20%20.pdf. Acesso em: 18 out. 2020.

BOLÍVAR, Antonio; DOMINGO, Jesús & FERNÁNDEZ, Manuel. La investigación biográficonarrativa en educación. Enfoque y metodología. Madrid: La Muralla, 2001.

BUENO, Belmira de Oliveira. O método autobiográfico e os estudos com histórias de vida de professores: a questão da subjetividade. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 28, n. 1, p. 11-30, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/fZLqw3P4fcfZNKzjNHnF3mJ/?lang=pt&format=pdf. Acesso em: 30 nov. 2020.

CONNELLY, F. Michael; CLANDININ, D. Jean. Relatos de Experiencia e Investigación Narrativa. In: LARROSA, Jorge et. Al. Déjame que te cuente: ensayos sobre narrativa y educación. Barcelona: Laertes, 1995. p. 11-59.

CREUS, Amalia Susana. Narrar experiencias, construir historias: (Re)visitando Lara. In: Fernando Hernández, Juana María Sancho. & José Ignacio Rivas Flores (Coord.) Historias de Vida en Educación: biografías en contexto. Esbrina – Recerca, Universitat de Barcelona, 2011. p. 57-67.

DOMINICÉ, Pierre. O processo de formação e alguns dos seus componentes relacionais. In: NÓVOA, António.; FINGER, Matthias. (Org.). O método (auto) biográfico e a formação. Natal, RN: UFRN; São Paulo: Paulus, 2010. p. 81-95.

FREIRE, Paulo. A Educação na Cidade. São Paulo: Cortez; 1991.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GEGE - Grupo de estudos de gêneros. Palavras e contrapalavras: glossariando conceitos, categorias e noções de Bakhtin. Vol. IV. São Carlos: Pedro & João Editores, 2013.

HERNÁNDEZ, Fernando. Las historias de vida en el marco del giro narrativo en la investigación en Ciencias Sociales: los desafíos de poner biografías en contexto. In: Fernando Hernández, Juana María Sancho & José Ignacio Rivas (Coords.). Historias de Vida en Educación: biografías en contexto. Barcelona: Esbrina – Recerca, Universitat de Barcelona, 2011. p. 13-22.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de Vida e Formação. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2010.

NÓVOA, Antônio. Vidas de Professores. Porto: Porto Editora, 1995.

PASSEGGI, Maria da Conceição. A pesquisa (auto)biográfica em educação: princípios epistemológicos, eixos e direcionamentos da investigação científica. In: VASCONCELOS, Fátima; ATEM, Érica. (Org.). Alteridade: o outro como problema. Fortaleza: Expressão Gráfica, 2011b, p. 13-39.

PESSOA, Fernando. Novas Poesias Inéditas. Lisboa: Ática, 1993.

PLATÃO. Fédon. São Paulo: Edipro, 2012.

PONZIO, Augusto. Procurando uma palavra outra. Tradução aos cuidados de Valdemir Miotello, Regina Silva, Daniela M. Mondardo, Camila Caracelli Scherma, Marina Haber de Figueiredo, Ana Beatriz Dias e Allan Pugliese. São Carlos: Pedro & João editores, 2010.

PRADO, Guilherme Val Toledo; SERODIO, Liana Arraes; PROENCA, Heloisa Helena Dias Martins; RODRIGUES, Nara Caetano (Orgs.). Metodologia narrativa de pesquisa em Educação: uma perspectiva bakhtiniana. São Carlos: Pedro & João Editores, 2015.

SOBRAL, Adail Ubirajara.; GIACOMELLI, Karina. Memória, imprecisões, sentidos: em torno da proposta bakhtiniana de estudos da linguagem. Revista Linguagem & Ensino, Pelotas, RS, v. 21, n. esp., |VIII SENALE| p. 395-432, 2018. Disponível em: http://www.rle.ucpel.tche.br/index.php/rle/article/view/1971/1217. Acesso em: 15 jul. 2020.

TEZZA, Cristovão César. A. Discurso poético e discurso romanesco na teoria de Bakhtin. In: FARACO et al. Uma introdução a Bakhtin. Curitiba: Hatier, 1988.

VOLÓCHINOV, Valentin (Círculo de Bakhtin). Marxismo e filosofia da linguagem. Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução, notas e glossário de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. Ensaio introdutório de Sheila Grillo. São Paulo: Editora 34, 2018.

Publicado
2021-09-07
Métricas
  • Visualizações do Artigo 150
  • pdf downloads: 265
Como Citar
PLEZ SILVA, A.; MORETTO, M. A memória de futuro e o ato de narrar como princípio constitutivo do sujeito professor . Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 6, n. 18, p. 685-701, 7 set. 2021.