Representações de amor e dor em narrativas no cárcere

Autores

  • Carla Verônica Albuquerque Almeida Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB) http://orcid.org/0000-0003-2330-1538
  • Maria de Lourdes Soares Ornellas Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

DOI:

https://doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2019.v4.n12.p959-975

Palavras-chave:

Narrativas, Formação e prática docente, Cárcere.

Resumo

O presente texto emerge de uma pesquisa e tem, como objetivo, apreender a formação e a prática docente de um grupo de professoras que atua em uma escola para privados de liberdade, a partir das representações presentes em suas narrativas e formações discursivas. O referencial teórico busca apresentar um breve contexto da formação docente e da narrativa, enquanto método teórico-metodológico. Ao se enlaçarem com as representações sociais, as narrativas possibilitam a recolha de informações detalhadas e contextualizadas, os diferentes efeitos de sentidos da formação docente. A partir da entrevista narrativa em profundidade, foi possível conhecer e (re)conhecer que o discurso recheado de símbolos e significantes organiza a trajetória de formação das professoras e sua inserção no ambiente do cárcere. Um movimento de construção e reconstrução da própria trajetória – numa busca pela compreensão das histórias que marcaram, positivamente ou negativamente, as influências sofridas, as escolhas realizadas.   

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Verônica Albuquerque Almeida, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)

Doutora em Educação (UNEB), professora Adjunta da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (UNILAB) – Instituto de Humanidades e Letras. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Psicanálise e Educação e Representações Sociais.

Maria de Lourdes Soares Ornellas, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Professora Pós - Doutora e Pesquisadora da Universidade do Estado da Bahia – UNEB, Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade. Líder do Grupo de Pesquisa em Psicanálise e Educação e Representações Sociais.

Referências

ABRAHÃO, Maria Helena. M. B. As narrativas de si ressignificadas pelo emprego do método autobiográfico. In: ABRAHÃO, Maria Helena M. B.; SOUZA, Elizeu Clementino de. (Orgs.). Tempos, narrativas e ficções: a invenção de si. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006. p. 149-170.

ALARCÃO, Isabel; TAVARES, J. Paradigmas de formação e investigação no ensino superior para o terceiro milênio. In: ALARCÃO, Isabel; TAVARES, José. (Orgs.). Escola reflexiva e nova racionalidade. Porto Alegre: Artes Médicas, 2001. p. 97-114.

ALMEIDA, Carla Verônica Albuquerque. A professora nos entremuros do cárcere. 2014 246 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade – PPGEDUC, Departamento de Educação – DEDC/CAMPUS I, Universidade do Estado da Bahia – UNEB, Salvador, 2014

ARROYO, Miguel Gonzalez. Ofício de mestre: imagens e auto-imagens. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: lembranças de velhos. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

BENJAMIN, Walter. O narrador, considerações sobre a obra de Nicolai Leskov. In: BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 7. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994. (Obras Escolhidas, 1). p. 197-221.

CALVINO, Ítalo. Os amores difíceis. Companhia das Letras, 1992.

CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano: artes de fazer. 18. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

CONNELLY, Michael; CLANDININ, Jean, Pesquisa narrativa: experiências e história na pesquisa qualitativa. Uberlândia, MG: EDUFU, 2011.

ENS, Romilda Teodora. Trabalho docente e saberes do professor. In: ENS, Romilda Teodora; BEHRENS, Marilda Aparecida. (Orgs.). Trabalho do professor e saberes docentes. 2. ed. Curitiba: Champagnat, 2012. p. 17-39.

GOFFMAN, Erving. Manicômios, prisões e conventos. 8. ed. São Paulo: Perspectiva, 2010.

FURLANETTO, Ecleide. Como nasce um professor. São Paulo: Paulus, 2007.

IMBERNÓN, Francisco. Formação permanente do professorado: novas tendências. São Paulo: Cortez, 2011.

________. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

JODELET, Denise. Experiência e representações sociais. In: MENIN, M. S. S.; SHIMISU, A. M. (Orgs.). Experiência e representações sociais: questões teóricas e metodológicas. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2005. p. 23-56.

JOSSO, Marie Christine. Experiências de vida e formação. São Paulo: Cortez, 2004.

JOVCHELOVITCH, Sandra; BAUER, Martin W. Entrevista narrativa. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George. (Orgs.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Tradução de Pedrinho Guareschi. 10. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012. p. 90-113.

LARROSA, Jorge. Tecnologias do eu e educação. In: SILVA, Tomaz. Tadeu. (Org.). O sujeito da educação: estudos foucaultianos. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994. p. 35-85.

MAEYER, Marc de. A educação na prisão não é uma mera atividade. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 38, n. 1, p. 33-49, jan./mar. 2013. Disponível em: . Acesso em: 09 set. 2019.

NÓVOA, António. O regresso dos professores. Pinhais: Melo, 2011.

________. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009.

________. Formação de professores e trabalho pedagógico. Lisboa: Educa, 2002.

________. (Org.). Os professores e sua formação. Dom Quixote. Lisboa, 1995.

ONOFRE, Elenice Maria Cammarosano. Escola da prisão. In: ONOFRE, Elenice Maria Cammarosano. (Org). Educação escolar entre as grades. São Carlos: EDUFSCar, 2007. p. 11-28

ORNELLAS, Maria de Lourdes Soares. [Entre]vista: a escuta revela. Salvador: EDUFBA, 2011.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006.

SARTRE, Jean Paul. O homem não é político? Lisboa: D. Quixote, 1970.

SOUZA, Elizeu Clementino de. Territórios das escritas do eu: pensar a profissão – narrar a vida. Revista Educação, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 213-220, mai./ago. 2011.

________. O conhecimento de si: estágio e narrativas de formação de professores. Rio de Janeiro: DP&A; Salvador: UNEB, 2006.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 9. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

VELOSO, Caetano. Dom de iludir. Álbum totalmente demais. Polygram, 1986.

Downloads

Publicado

2019-12-26

Como Citar

ALBUQUERQUE ALMEIDA, C. V.; ORNELLAS, M. de L. S. Representações de amor e dor em narrativas no cárcere. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, [S. l.], v. 4, n. 12, p. 959–975, 2019. DOI: 10.31892/rbpab2525-426X.2019.v4.n12.p959-975. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/rbpab/article/view/6201. Acesso em: 21 jun. 2024.