Narrativas de professores de matemática em formação contínua

  • Nathalia Tornisiello Scarlassari Universidade Cruzeiro do Sul https://orcid.org/0000-0002-0563-0939
  • Celi Espasandin Lopes Universidade Cruzeiro do Sul Professora do programa de pós-graduação
Palavras-chave: Grupo colaborativo, Pesquisa (auto)biográfica, Narrativa, Formação de professores

Resumo

Este artigo pretende discutir aspectos da trajetória profissional de três professores de matemática, efetivos da rede municipal da cidade de Valinhos, São Paulo, que optaram por permanecer em contínua formação, participando efetivamente de um grupo de estudos colaborativo. A análise de suas narrativas (auto)biográficas, pautadas na reflexão de si, oferecerá elementos para responder a esta questão:  como os professores, em processo de formação contínua, analisam sua trajetória profissional e percebem sua prática em sala de aula? Trata-se de uma pesquisa qualitativa do tipo narrativa, segundo os princípios da pesquisa (auto)biográfica, desenvolvida em uma das vertentes apontadas por Paula Perin Vicentini, Eliseu Clementino de Souza e Maria da Conceição Passeggi (2013), que toma as narrativas de si como práticas de formação e autoformação. Como resultado, salienta-se a necessidade dos professores em efetivo exercício docente de buscar formação contínua como educadores, aperfeiçoando sua prática na sala de aula e algumas potencialidades para o trabalho docente.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nathalia Tornisiello Scarlassari, Universidade Cruzeiro do Sul
Professora de Matemática, doutoranda em Ensino de Ciências e Matemática da Universidade Cruzeiro do Sul

Referências

ASSIS, Leonardo Bertholdo de. A formação do usuário de estatística pelo desenvolvimento da literacia estatística, do raciocínio estatístico e do pensamento estatístico através de atividades exploratórias. 2015. 88 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Matemática) – Mestrado Profissional em Educação Matemática, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, Minas Gerais, 2015.

BOLÍVAR, Antonio; DOMINGO, Jesús; FERNÁNDEZ, Manuel. La investigación biográfico-narrativa en educación: enfoque y metodología. Madrid: La Muralla, 2001.

CAZORLA, Irene et al. Estatística para os anos iniciais do ensino fundamental. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro, 2017.

CURTY, Andréia Caetano da Silva. Números racionais e suas diferentes representações. 2016. 84 f. Dissertação (Mestrado em Matemática) – Centro de Ciência e Tecnologia, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro, Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, 2016.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Autores Associados: Cortez, 1989.

HARGREAVES, Andy; FULLAN, Michael. Capital professional: transformar la enseñanza en cada escuela. Madrid: Morata, 2014.

LOPES, Celi Aparecida Espasandin. O conhecimento profissional dos professores e suas relações com estatística e probabilidade na Educação Infantil. Tese. 281 f. (Doutorado em Educação Matemática) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

LOPES, Celi Aparecida Espasandin; MENDONÇA Luzinete. O percurso de grupo que se tornou colaborativo. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE GRUPOS COLABORATIVOS E DE APRENDIZAGEM DO PROFESSOR QUE ENSINA MATEMÁTICA, 4., JORNADA DE ESTUDOS DO GEEM, 4., 2018, Vitória da Conquista. Anais eletrônicos... Campinas, SP: GALOÁ, 2018. Disponível em: <https://proceedings.science/geem/geem-2018/papers/o-percurso-de-grupo-que-se-tornou-colaborativo>. Acesso em: 27 dez. 2018.

LUEHMANN, A. L. Identity development as a lens to science teacher preparation. Science Education, Indianapolis/USA, p. 822-839, 2007. Disponível em: <https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1002/sce.20209>. Acesso em: 26 dez. 2018.

NÓVOA, António. (Coord.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote,

OLIVEIRA, Débora. A prática docente em estocástica, revelada por professores que ensinam matemática na educação infantil. In: LOPES, Celi Aparecida Espasandin. (Org.). Os movimentos da educação estocástica na escola básica e no ensino superior. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2014. p. 39-72.

PASSEGGI, Maria da Conceição. Narrar é humano! Autobiografar é um processo civilizatório. In: PASSEGGI, Maria da Conceição; SILVA, Vivian Batista. (Orgs.). Invenções de vidas, compreensão de itinerários e alternativas de formação. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010. p. 103-130.

PASSEGGI, Maria da Conceição; CUNHA, Luciana Medeiros da. Narrativas autobiográficas: a imersão no processo de autoria. In: VICENTINI, Paula Perin; SOUZA, Elizeu Clementino de.; PASSEGGI, Maria da Conceição. (Orgs.). Pesquisa (auto)biográfica: questões de ensino e formação. Curitiba: CRV, 2013. p. 43-57.

PASSOS, Cármen Lúcia Brancaglion et al. Desenvolvimento profissional do professor que ensina Matemática: uma meta-análise de estudos brasileiros. Quadrante, v. XV, n. 1-2, p. 193-219, 2006.

SILVANI, Paulo Antonio; PATERLINI, Roberto Ribeiro. Lançando CD’s no chão da escola para estudar probabilidade. Espaço da aula. Portal do Professor. 06 jul. 2010. Disponível em: <http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=19562>. Acesso em: 02 dez. 2018.

SOARES, Elizabeth. Uma análise sobre as atividades de probabilidade propostas nos livros didáticos de matemática dos anos finais do ensino fundamental. 2014. 145 f. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática) – Programa de Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática, Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo, 2014.

VICENTINI, Paula Perin; SOUZA, Elizeu Clementino de.; PASSEGGI, Maria da Conceição. (Org.). Pesquisa (auto)biográfica: questões de ensino e formação. Curitiba: CRV, 2013.

Publicado
2019-04-19
Métricas
  • Visualizações do Artigo 676
  • PDF downloads: 487
Como Citar
SCARLASSARI, N. T.; LOPES, C. E. Narrativas de professores de matemática em formação contínua. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 4, n. 10, p. 215-229, 19 abr. 2019.