Tornar-se professora: o saber da experiência na pesquisa narrativa

Palavras-chave: Formação de professores, Narrativa, Pesquisa-narrativa, Professor iniciante, Saber da Experiência

Resumo

Este artigo objetiva revelar como ocorreu o processo de construção de saberes da experiência, a partir da prática de uma escrita narrativa reflexiva compartilhada, durante a constituição profissional de uma professora iniciante. A metodologia utilizada foi a pesquisa narrativa, os dados são as narrativas da professora e as interlocuções que ela estabeleceu com um grupo de profissionais da educação. O ato de narrar possibilitou a percepção da necessidade de mudanças que, por sua vez, orientou a professora na organização de práticas que possibilitassem outras ações de ensino. Ao escrever sobre o vivido, colocando-se num lugar exotópico, a professora tinha acesso a excedentes de visão da prática e das relações, o que a mobilizava a pensar em mudanças a favor das crianças. Narrar e pesquisar a própria prática mostraram-se instrumentos potentes da construção de saberes da experiência. Assim, sugere-se o uso formativo da narrativa, sempre em diálogo, como um meio relevante para o desenvolvimento profissional no início da docência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2010a.

BAKHTIN, Mikhail. Para uma filosofia do ato responsável. São Carlos, SP: Pedro & João Editores, 2010b.

BOLÍVAR, António; DOMINGO, Jesús; FERNÁNDEZ, Manuel. La investigación biográfico-narrativa en educación – Enfoque y metodología. Madrid: Editorial La Muralla, 2001.

BOLÍVAR, António. “De nobis ipsis silemus?”: epistemologia de la investigación biográfico-narrativa en educación. Revista Electrónica de Investigación Educativa, Ensenada, v. 4, n. 1, p. 40-65, 2002.

CLANDININ, Jean; CONNELLY, Michael. Pesquisa narrativa – Experiência e história em pesquisa qualitativa. Uberlândia: EDUFU, 2011.

CONNELLY, Michael; CLANDININ, Jean. Relatos de experiencia e investigación narrativa. In: LARROSA, J. et al. (Eds.). Déjame que te cuente: ensayos sobre narrativa y educación. Barcelona: Laertes, 1995. p. 11-59.

CONTRERAS, José. El saber de la experiencia en la formación inicial del profesorado. Revista Interuniversitaria de Formación del Profesorado, v. 27, n. 3, p. 125-136, 2013.

DEWEY, John. A arte como experiência. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

FREIRE, Paulo. Conscientização – Teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Cortez & Moraes, 1979.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

HEIDEGGER, Martin. La esencia del habla. In: _______. De camino al hablar. Barcelona: Serbal, 1987. p. 141-194.

HUBERMAN, Michaël. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, António. (Ed.). Vidas de professores. Porto: Porto Editora, 2007. p. 31-61.

LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira de Educação, n. 19, p. 20-28, 2002.

LARROSA, Jorge. O ensaio e a escrita acadêmica. Educação e realidade, v. 28, n. 2, p. 101-115, 2003.

LARROSA, Jorge. Experiencia y alteridad en educación. In: SKLIAR, C.; LARROSA, J. (Orgs.). Experiencia y alteridad en educación. Rosário: Homo Sapiens Ediciones, 2009. p. 13-44.

MARCELO, Carlos. Pesquisa sobre formação de professores: o conhecimento sobre aprender a ensinar. Revista Brasileira de Educação, n. 9, p. 51-75, 1998.

MARCELO, Carlos. Empezar con buen pie: inserción a la enseñanza para profesores principiantes. Docencia, n. 33, p. 27-38, 2007.

MARCELO, Carlos. Políticas de inserción a la docencia: de eslabón perdido a puente para el desarrollo profesional docente. In: MARCELO, C. (Ed.). El profesorado iniciante – inserción a la docencia. Barcelona: Octaedro, 2009. p. 07-58.

PINEAU, Gaston. As histórias de vida em formação: gênese de uma corrente de pesquisa-ação-formação existencial. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 32, n. 2, p. 329-343, 2006.

PINO, Angel. A produção imaginária e a formação do sentido estético. Reflexões úteis para uma educação humana. Campinas: Pro-Posições, Campinas, v. 17, n. 2, p. 47-69, 2006.

PONZIO, Augusto. Procurando uma palavra outra. São Carlos, SP: Pedro & João Editores, 2010.

PRADO, Guilherme do Val Toledo; MORAIS, Jacqueline de Fátima. Inventário – organizando os achados de uma pesquisa. EntreVer, Florianópolis, v. 1, n. 1, p. 137-154, 2011.

SIMAS, Vanessa França. A professora-pesquisadora-iniciante e seus outros: caminhos partilhados na invenção de ser professora. 2018. 381 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2018.

SKLIAR, Carlos; LARROSA, Jorge. (Orgs). Experiencia y alteridad en educación. Rosario: Homo Sapiens, 2009.

SOBRAL, Adail. Do dialogismo ao gênero: as bases do pensamento do círculo de Bakhtin. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2009.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

TARDIF, Maurice; RAYMOND, Danielle. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Educação & Sociedade, ano XXI, n. 73, p. 209-244, 2000.

VIGOTSKI, Lev Semynovich. Imaginação e criação na infância. São Paulo: Ática, 2009.

VOLÓCHINOV, Valentin. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo: Editora 34, 2017.

ZAMBRANO, María. Persona y democracia: la historia sacrifical. Barcelona: Anthropos, 1992.

ZAMBRANO, María. Hacia un saber sobre el alma. Madri: Alianza Editorial, 2008.

ZAMBRANO, María. Notas de un método. Madri: Editorial Tecnos, 2011.

Publicado
2019-12-26
Métricas
  • Visualizações do Artigo 1349
  • PDF downloads: 874
Como Citar
SIMAS, V. F.; PRADO, G. DO V. T.; DOMINGO SEGOVIA, J. Tornar-se professora: o saber da experiência na pesquisa narrativa. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 4, n. 12, p. 991-1004, 26 dez. 2019.