Um olhar cronotópico sobre as narrativas biográficas relacionadas às pessoas em situação de deficiência no cinema

Palavras-chave: Cinema, Educação, Inclusão, Narrativas biográficas

Resumo

Muitos filmes cinematográficos que retratam pessoas em situação de deficiência são dramas biográficos que narram a vida ou fragmentos da vida de pessoas que apresentam alguma deficiência ou síndrome. Neste artigo, propomo-nos a analisar esses filmes a partir da classificação feita por Bakhtin (2010, 2011) em relação aos romances literários, considerando o movimento espaço-temporal, com base no conceito de cronótopo, que define a forma como a vida da personagem e ela própria estão representadas (HALL, 2016) na narrativa. Na análise, encontramos filmes nos quais a potência de sentidos se perde em apenas um significado possível e antedado da superação. Todavia,também, há filmes que rompem com essa perspectivaao apresentarem: múltiplas vozes sociais que tensionam o contexto social; diversificadas representações das deficiências e síndromes; múltiplas experiências, inclusive considerando o corpo e a sexualidade; e até um movimento cronotópico, no qual seus personagens se transformam na relação com o mundo, transformando-o e antecipando formas outras de pensar e experienciar a situação da deficiência em uma perspectiva plenamente inclusiva, que se projeta no devir.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria jaqueline de Grammont, Universidade Federal de São João del-Rei

Doutora em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professora associada do Departamento de Ciências da Educação da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ).        Membro do Grupo de Pesquisas sobre Condição e Formação Docente (Prodoc) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Referências

ADICHIE, Chimamanda Ngozi. O perigo de uma história única. Tradução: Júlia Romeo. São Paulo: Companhia das letras, 2019.

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévski. 5. ed. Tradução Paulo Bezerra. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Introdução e tradução Paulo Bezerra. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm>. Acesso em: 10 maio 2021.

DUARTE, Rosália. O outro no cinema. Revista Teias, [S.l.], v. 10, n. 19, p. 6 pgs., jul. 2009. ISSN 1982-0305. Disponível em: <https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistateias/article/view/24058>. Acesso em: 10 maio 2021.

FRANÇA, Thiago Henrique. Modelo social da deficiência: uma ferramenta sociológica para a emancipação social. Lutas sociais, São Paulo, v. 17, n. 31, p. 59-73, jul./dez.2013.

HALL, Stuart. Cultura e representação. Rio de janeiro: Ed. da PUC-Rio: Apicuri, 2016.

KELLNER, Douglas. Lendo imagens criticamente: em direção a uma pedagogia pós-moderna. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação.11. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013. p. 121-128.

KRUPSKAYA, Nadejda. A construção da pedagogia socialista. São Paulo: Expressão Popular, 2017.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. 6. ed. Rio de Janeiro: Ed. da UFRJ, 2009.

NORDEN, Martin F. El cine del asilamiento: El discapacitado em la história del cine. Madri: Escuela Libre Editorial/Fundacion Once, 1998.

SILVA, Thomaz Tadeu da. O currículo como fetiche: a poética e a política do texto curricular. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

XAVIER, Ismail. Um Cinema que “Educa” é um Cinema que (nos) Faz Pensar. Entrevista com Ismail Xavier. Educação & Realidade, Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, v. 33, n. 1, p. 13-20¸ jan./jun. 2008. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/6683. Acesso em: 24 ago. 2021.

Filmografia

A Teoria de tudo. Direção: James Marsh. Produção: Working Title Films. Reino Unido, Universal Pictures, 2015. Globoplay (124m).

As Sessões. Direção: Ben Lewin. Produção: Such Much Films, Rhino Films. EUA, Fox Searchlight Pictures, 2012. 1 DVD (98m).

CORAGEM de viver. Direção: Sean McNamara. Produção: TriStar Pictures, FilmDistrict, Mandalay Vision, Brookwell McNamara Entertainment, Island Film Group, Enticing Entertainment, Affirm Films, Life's a Beach Entertainment. EUA, Sony Pictures Releasing, 2011.DVD (106m).

DE Porta em porta. Direção: Steven Schachter. Produção: Rede TNT. EUA, 2002. Disponível em: <https://gloria.tv/post/27L7yu8WJSqcBS6W8wCGkt1WB>. Acesso em 01 de set 2021. (91m).

MAR adentro. Direção: Alejandro Aménalar. Produção: Alejandro Amenábar, Fernando Bovaira. Espanha, coprodução francesa e italiana, 2004. (125m).

O Primeiro da Classe. Direção: Peter Werner. Produção: Andrew Gottlieb. EUA, 2008. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=F61X7PfO9iw&ab_channel=AnaPaola>. Acesso em: 1º set 2021. (95m).

O Scafandro e a Borboleta. Direção: Julian Schnabel. Produção: Kathleen Kennedy. França e EUA, 2007. 1 DVD (112m).

RAY. Direção: Taylor Hackford. Produção: Universal Pictures. EUA, 2004. 1 DVD. (178m).

TEMPLE Grandin. Direção: Mick Jackson. Produção: Scott Ferguson. EUA, 2010. 1 DVD. (120m).

UMA Mente brilhante. Direção: Ron Howard. Produção: Imagine Entertainment. EUA, 2001. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=clUcJlfwSg8&ab_channel=YouTubeMovies>. Acesso em: 1º set. 2021. (135m).

VERMELHO como o céu. Direção: Cristiano Bortoni. Produção: Cristiano Bortone, Daniele Mazzocca. Itália, 2006. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=yvd9R30hNqk&ab_channel=VanderleiMedeiros>. Acesso em: 1º de set 2021. (100m).

Publicado
2021-09-06
Métricas
  • Visualizações do Artigo 76
  • pdf downloads: 71
Como Citar
GRAMMONT, M. JAQUELINE DE. Um olhar cronotópico sobre as narrativas biográficas relacionadas às pessoas em situação de deficiência no cinema. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica, v. 6, n. 18, p. 618-634, 6 set. 2021.