Gênero e Educação: um olhar sob a ótica da pedagogia da autonomia

Palavras-chave: Pedagogia da Autonomia, Corpo, Gênero, Sexualidade, Educação

Resumo

A discussão de gênero na educação é uma temática atual e ampla. Assim, este artigo tem por objetivo conhecer os conceitos de corpo, gênero e sexualidade, de modo a examinar sob a ótica da Pedagogia da Autonomia, possibilidades de ressignificar as concepções de gênero no processo educacional.  Para tanto, por meio da técnica bibliográfica refletiu-se sobre: a) os conceitos de corpo, gênero e sexualidade; b) à Pedagogia da Autonomia, de Freire, enquanto uma possibilidade de ressignificar as concepções de gênero no processo educacional. Esta investigação configura-se como uma breve reflexão de cunho revisional teórico acerca do tema, que versou um debate no intuito de uma educação verdadeiramente democrática, com base na igualdade de gênero. Acredita-se que a concepção freiriana de pedagogia da autonomia é atemporal e pode ser acionada para enfrentar questões contemporâneas (corpo, gênero e sexualidade). Concluímos como imprescindível o respeito a autonomia dos alunos por parte da instituição escolar, considerando e compreendendo a multiplicidade de suas subjetividades, para fortalecer seus processos de autoconstrução. Por meio desses mecanismos autônomos de construção consciente de subjetividades será possível consolidar, na prática docente, o respeito à diversidade de gênero e às sexualidades diversas, rompendo com padrões e estereótipos nocivos e violentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Sara Castaman, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Sertão

Doutora em Educação na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Mestre em Educação nas Ciências na Universidade Regional do Noroeste do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ). Graduada em Psicologia pela UNIJUÍ; graduada em Pedagogia pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci (UNIASSELVI). Professora de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) – Campus Sertão.

Chana Francini Beltramin, Escola Sarandi

Mestranda em Educação pela UNIJUI, linha de pesquisa: Políticas Públicas educacionais. Possui graduação em Pedagogia pela Universidade regional Integrada-URI de Frederico Westphalen. Pós Graduação em Atendimento educacional Especializado (AEE), Pós Graduação em LIBRAS ( Língua Brasileira de Sinais). Possuí formação para trabalhar inteligência Emocional e conflitos escolares, facilitadora da Jornada das Emoções.Tem experiência em anos iniciais e também atuou como docente no curso de Pedagogia no CESURG - Sarandi e na FASA - Santo Ângelo, onde atuou como coordenadora do curso de Pedagogia. Também atuou como professora titular do Colégio Tereza Verzeri em Santo Ângelo. Atualmente, atua como professora de AEE na Escola Sarandi e na Pós-Graduação na Faculdade Fátima.

Referências

ARROYO, Miguel. Ofício de mestre. Imagens e auto-imagens. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo. 2 ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

CHARLOT, Bernard. A relação com o saber nos meios populares: uma investigação nos liceus profissionais de subúrbio. Porto: Livpsic, 2009.

DAVIS, Claudia Leme Ferreira; CAMPOS, Maria Malta; ESPÓSITO, Yara Lúcia. Indicadores educacionais para Ciência e Tecnologia. São Paulo: Fapesp, 2002.

FIGUEIRÓ, Mary Neide Damico. (Org.). Homossexualidade e educação sexual: construindo o respeito à diversidade. Londrina: UEL, 2007.

FIGUEIRÓ, Mary Neide Damico. O professor como educador sexual: interligando formação e atuação profissional. In: RIBEIRO, Paulo Rennes Marçal. (Org.). Sexualidade e educação: aproximações necessárias. São Paulo: Arte & Ciência, 2004. p.115-151.

FOUCAULT, Michael. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1986.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

FREIRE, Paulo. Professora sim, Tia, não: Cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olhos d’água, 1997.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 6. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1999.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

FRIEDAN, Betty. Mística feminina. Petrópolis: Vozes, 1971.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria. Perspectivas sociais e políticas da formação de nível médio: avanços e entraves nas suas modalidades. Educação & Sociedade, Campinas, v. 32, n. 116, 2011, p. 619-638.

HEILBORN, Maria Luiza et al. O aprendizado da sexualidade: reprodução e trajetórias sociais de jovens brasileiros. Rio de Janeiro: Garamond e Fiocruz, 2006.

IZQUIERDO, Maria Jesus. Uso y abuso del concepto de género. In: VILANOVA, Mercedes (Org.). Pensar las diferencias. Barcelona: Universidad de Barcelona, 1994. Disponível em: http://www.ub.edu/SIMS/pdf/PensarDiferencias/PensarDiferencias-03.pdf. Acesso em: 25 nov. 2018.

IZQUIERDO, Maria Jesus. (1998). Sexo, género e individuo. El sistema sexo/genero como marco de análisis. In: IZQUIERDO, Maria Jesus. El malestar en la desigualdad. Madri: Catedra, 1998. p. 7-56.

LIMA, Licínio C. Autonomia da Pedagogia da Autonomia. Inovação, Lisboa, V. 12, n. 3, 1999, p. 65-84.

LE BRETON, David. A sociologia do corpo. Petrópolis: Editora Vozes, 2006.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.

LOURO, Guacira Lopes. Pedagogias da Sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes. (org.) O corpo educado. Pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

MAIA, Ana Cláudia Bortolozzi. Orientação sexual na escola. In: RIBEIRO, Paulo Rennes Marçal (Org.). Sexualidade e educação: aproximações necessárias. São Paulo: Arte & Ciência, 2004. p.153-179.

MELO, Sônia Maria Martins de; POCOVI, Rosi Maria de Souza. Educação e sexualidade. Florianópolis: UDESC, 2002. (Caderno Pedagógico, v.1).

MEYER, Dagmar Estermann. Corpo, violência e educação. Anais da 28ª Reunião Anual da ANPED, realizada em Caxambu/MG, no período de 16 a 19 de outubro de 2005.

MEYER, Dagmar Estermann. Gênero e sexualidade na educação escolar. In: FELIPE, Jane. Educação para a igualdade de gênero. Salto para o futuro. Boletim 26, Ano XVIII, Novembro de 2008. p. 20 – 30.

MILLETT, Kate. Política sexual. Lisboa: Dom Quixote, 1969.

ROSEMBERG, Fúlvia. Educação formal, mulher e gênero no Brasil contemporâneo. Estudos Feministas, Florianópolis, V. 2, n. 9, 2001, p. 515-540.

SARTI, Cynthia Andersen. O feminismo brasileiro desde os anos de 1970: revisitando uma trajetória. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 12, n.2, p. 35-50, 2004.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil para análise histórica. Recife: Digitação Angela Araújo, 1991.

TEIXEIRA, Adla Betsaida Martins. Identidades docentes e relações de gênero. In: Escritos sobre educação, Instituto Superior de Educação Anísio Teixeira, V. 1, n.1, dezembro, 2002.

VASQUEZ, María Gabriela. Algunas reflexiones acerca del género desde la historia. In: RÍOS, José Carlos Cervante (ORG.). El género a debate: reflexiones teóricas y metodológicas multidisciplinarias. Guadalajara: Universidad de Guadalajara, 2011. P. 09-29.

WEEKS, Jeffrey. O corpo e a sexualidade. In: LOURO, Guacira (org.) O corpo educado. Pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

Publicado
2022-05-19
Métricas
  • Visualizações do Artigo 121
  • PDF downloads: 167
Como Citar
Castaman, A. S., & Beltramin, C. F. (2022). Gênero e Educação: um olhar sob a ótica da pedagogia da autonomia. Plurais - Revista Multidisciplinar, 7, 1-16. https://doi.org/10.29378/plurais.2447-9373.2022.v7.n.8581
Seção
Dossiê Temático: Mulheres na Educação Profissional e Tecnológica