Vozes do cárcere

A prática literária e a redução de pena pela leitura na perspectiva de pessoas privadas de liberdade

Palavras-chave: Leitura e escrita na prisão, Remição pela leitura, Pessoas privadas de liberdade, Educação em prisões, Narrativas de pessoas presas.

Resumo

Este artigo objetiva compartilhar conhecimentos e experiências sobre as práticas literárias e a remição pela leitura a partir de perspectivas narradas por pessoas privadas de liberdade.  Para isso, inicialmente aborda as políticas educacionais e as iniciativas de fomento à leitura e escrita nas prisões, como mecanismo de inclusão social, de desenvolvimento educacional e intelectual. Em seguida, aponta as ações literárias desenvolvidas em diferentes estados, com dados atualizados sobre os projetos e instituições envolvidas em programas de remição pela leitura no Brasil. Por fim, apresenta as narrativas de participantes do Projeto de “Remição pela Leitura - Educação para a Liberdade”, que compartilham suas percepções sobre as experiências vivenciadas durante as práticas de leitura e escrita, além de dialogar sobre como os sujeitos envolvidos percebem o mundo e a influência do projeto literário em seu cotidiano no interior da prisão. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eli Narciso da Silva Torres, Grupo de Pesquisa Focus - Universidade Estadual de Campinas

Doutora em Educação (UNICAMP). Socióloga. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa sobre Educação, Instituições e Desigualdade - FOCUS (UNICAMP). Coordenadora do Observatório da Violência e Sistema Prisional - Linha de Pesquisa: Sociedade, educação e sistema punitivo - CNPq. E-mail: eli.educ@hotmail.com

Gesilane de Oliveira Maciel José, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul

Doutora em Educação (UNESP/Presidente Prudente). Docente EBTT (IFMS), Integra o Observatório da Violência e Sistema Prisional e o Grupo de Pesquisa Formação de Professores, Políticas Públicas e Espaço Escolar (GPFOPE). E-mail: gesilane.jose@ifms.edu.br

Miguel Barthiman dos Santos, Integra o Observatório da Violência e Sistema Prisional (UFMS)

Especialista em Gestão em Segurança Pública com ênfase em Sistema Prisional pela Faculdade
Tecnológica Paulista. Graduado em Letras. Integra o Observatório da Violência e Sistema Prisional (UFMS).
E-mail: mbarthimann@gmail.com

Referências

ARROYO, Miguel G. Outros sujeitos, outras pedagogias. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.
BRASIL. COMITÊ NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS. Plano nacional de educação em direitos humanos. Brasília: Secretaria especial dos direitos humanos, Ministério da Educação, Ministério da Justiça, UNESCO, 2007.
BRASIL. Constituição República Federativa do Brasil. Congresso Nacional. Brasília: Senado Federal, 1988.
BRASIL. Institui o Plano Estratégico de Educação no âmbito do Sistema Prisional. Decreto nº 7.626, de 24 de novembro de 2011. Brasília, 2011.
BRASIL. Lei de Execução Penal. Decreto-Lei n° 7.210, de 11 de julho de 1984.
BRASIL. Lei n. 12.433, de 29 de junho de 2011. Altera a Lei n. 7.210, de 11 de julho de 1984, para dispor sobre a remição de parte do tempo de execução da pena por estudo ou por trabalho. Brasília, 2011.
BRASIL. COMITÊ NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS. Plano nacional de educação em direitos humanos. Brasília: Secretaria especial dos direitos humanos, Ministério da Educação, Ministério da Justiça, UNESCO, 2007.
CANDIDO, Antonio. O direito à literatura In: CANDIDO, Antonio. Vários escritos. 4. ed. reorg. Duas cidades; Ouro sobre Azul: São; Rio de Janeiro, 2004, p. 169-191.
CAPUCHO, Vera. Educação de Jovens e Adultos: prática pedagógica e fortalecimento da cidadania. Coleção Educação em Direitos Humanos. v. 3. São Paulo: Cortez, 2012.
CARREIRA, Denise; CARNEIRO, Suelaine. Relatoria Nacional para o Direito Humano à Educação: Educação nas Prisões Brasileiras. São Paulo: Plataforma DhESCA Brasil, 2009.
CHARLOT, Bernard. A noção de relação com o saber: bases de apoio teórico e fundamentos antropológicos. In: CHARLOT, B.(org.) Os jovens e o saber; perspectivas mundiais. Porto Alegre: Artmed, 2001, p.15-31.
CLANDININ, D. Jean; CONNELLY, F. Michael. Pesquisa narrativa: experiência e história em pesquisa narrativa. 2. ed. rev. Uberlândia: EDUFU, 2015.
CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Recomendação n. 44, de 26 de novembro de 2013. Dispõe sobre atividades educacionais complementares para fins de remição da pena pelo estudo e estabelece critérios para a admissão pela leitura. Brasília, 2013.
CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA CRIMINAL E PENITENCIÁRIA (CNPCP). Resolução nº 03 de 11 de março de 2009. Dispõe sobre as Diretrizes Nacionais para a Oferta de Educação nos estabelecimentos penais. Brasília, 2009.
DE MAEYER, Marc. A educação na prisão não é uma mera atividade. Educação & Sociedade. Porto Alegre, v. 38, n. 1, p. 33-49, jan./mar, 2013. Disponível em http://www.ufrgs.br/edu_realidade/. Acesso em: 24 abr. 2019.
DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL (DEPEN). Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias – Dezembro de 2014. Brasília: Ministério da Justiça, 2015.
DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL (DEPEN). Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias: INFOPEN – Junho de 2016. Brasília: Ministério da Justiça, 2017.
DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL (DEPEN). Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias: INFOPEN – Dezembro de 2019. Disponível em: https://app.powerbi.com/view?r=eyJrIjoiMTVjZDQyODUtN2FjMi0 0ZjFkLTlhZ mItNzQ4YzYwNGMxZjQzIiwidCI6ImViMDkwNDIwLTQ0N GMtNDNmNy05MWYyLTRiOGRhNmJmZThlMSJ9. Acesso em: 10 mar. 2020a.
DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL (DEPEN). Nota técnica remição de pena pela leitura. Brasília, 2020b.
DEPARTAMENTO PENITENCIÁRIO NACIONAL (DEPEN). Nota Técnica 01/2020 - Remição de Pena pela Leitura. Revista Brasileira de Execução Penal - RBEP, v.1, n.1, pp. 309-330, 2020c. Disponível em: http://rbepdepen.depen.gov.br/index.php/RBEP/article/view/175
FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Autores Associados, Cortez, 1989.
FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade. 5. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.
FREIRE, Paulo. Educação como prática de liberdade. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1967.
FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 12. ed. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1979.
FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.
FREIRE, Paulo. Política e educação: questões da nossa época. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001. (Coleção questões de nossa época, v. 23).
INSTITUTO PENAL DE CAMPO GRANDE (IPCG). Demonstrativo do trabalho prisional. Março 2020. IPCG, 2020.
IRELAND, Timothy D. Educação em prisões no Brasil: direito, contradições e desafios. In: Em aberto. Brasília, v. 24, n. 86, p. 19-39, nov. 2011.
JOSÉ, Gesilane de Oliveira Maciel; TORRES, Eli Narciso; FLANDOLI, Beatriz Rosália G. X. Observatório da violência e sistema e prisional: relatos de uma trajetória. In: TORRES, Eli Narciso. JOSÉ, Gesilane de Oliveira Maciel José. Prisões, Violência e Sociedade: debates contemporâneos. Jundiaí: Paco, 2017.
JOSÉ, Gesilane de Oliveira Maciel. Entre os muros e grades da prisão: o trabalho do professor que atua nas ‘celas’ de aula. Tese 253p. Universidade Estadual Paulista (Unesp). Faculdade de Ciências e Tecnologia, Presidente Prudente, 2019.
JOVCHELOVITCH, Sandra; BAUER, Martin W. Entrevista narrativa. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Diretrizes Nacionais para a oferta de educação para jovens e adultos em situação de privação de liberdade nos estabelecimentos penais. Resolução nº 2, de 19 de maio de 2010. Publicado no D.O.U. de 7/5/2010, Seção 1, p. 28.
MORENO, Maria de Fátima de Souza; FLANDOLI, Beatriz Rosália Gomes Xavier; SANTOS, Miguel Barthiman dos. Remição de pena pela leitura: uma experiência em Mato Grosso do Sul. In: DEPEN. Revista brasileira de execução penal. Dossiê: educação e trabalho na perspectiva da execução penal. Brasília: MJSP, 2020.
ONOFRE, Elenice Maria Cammarosano. Educação escolar na prisão: controvérsias e caminhos de enfrentamento e superação da cilada. In: LOURENÇO, Arlindo da Silva; ONOFRE, Elenice Maria Cammarosano. O espaço da prisão e suas práticas educativas: enfoques e perspectivas contemporâneas. São Carlos: EdUSCAR, 2011.
ONOFRE, Elenice Maria Cammarosano. Educação escolar para jovens e adultos em situação de privação de liberdade. In: Cad. Cedes. Campinas, v. 35, n. 96, p. 239-255, maio-ago., 2015.
ORGANIZAÇÕES DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA (UNESCO). Declaração de Hamburgo: agenda para o futuro. V Conferência Internacional sobre a Educação de Adultos (CONFINTEA V), 1999.
ORGANIZAÇÕES DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA (UNESCO). Declaração Mundial sobre Educação para Todos: satisfação das necessidades básicas de aprendizagem. In: Conferência Mundial sobre Educação para Todos. Jomtien, 1998.
ORGANIZAÇÕES DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA (UNESCO). Educando para a liberdade: trajetória, debates e proposições de um projeto para a educação nas prisões brasileiras. – Brasília: Governo Japonês, Ministério da Educação, Ministério da Justiça, 2006.
ORGANIZAÇÕES DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA (UNESCO); CONSED; AÇÃO EDUCATIVA. Educação para todos: o compromisso de Dakar, 2001.
PEREIRA, Douglas William Quirino. Educação popular e encarceramento: um estudo sobre remição pela leitura no presídio Desembargador Sílvio Porto em João Pessoa/PB. Dissertação 123p. Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Programa de Pós-Graduação em Educação, João Pessoa, 2020.
PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL. Varas de Execuções Penais de Campo Grande. Portaria Conjunta das VEPS nº 001/2019. Campo grande, 2019.
ROJO, Roxane. Letramento e capacidade de leitura para a cidadania. PUCSP, 2002.
SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.
SOUZA, Elizeu Clementino de. Diálogos cruzados sobre pesquisa (auto)biográfica:
análise compreensiva-interpretativa e política de sentido. Revista Educação, v. 39, n. 1, p. 39-50, jan./abr. 2014.
TORRES, Eli Narciso da Silva. A gênese da remição de pena pelo estudo: o dispositivo jurídico-político e a garantia do direito à educação aos privados de liberdade no Brasil. 2017. Online (290 p.). Tese (doutorado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP. Disponível em: . Acesso em: 3 set. 2018.
TORRES, Eli Narciso da Silva. Prisão, educação e remição de pena no Brasil: a institucionalização da política para a educação de pessoas privadas de liberdade. Jundiaí: Editora Paco, 2019.
Publicado
2021-04-26
Métricas
  • Visualizações do Artigo 212
  • Html downloads: 6
Como Citar
Torres, E. N. da S., José, G. de O. M., & Santos, M. B. dos. (2021). Vozes do cárcere: A prática literária e a redução de pena pela leitura na perspectiva de pessoas privadas de liberdade. Plurais Revista Multidisciplinar, 6(1), 92-115. https://doi.org/10.29378/plurais.2447-9373.2021.v6.n1.10230