As imagens da Independência do Brasil na Bahia: o 2 de Julho em iconografias históricas – de pinturas às histórias em quadrinhos

Autores

Palavras-chave:

Independência do Brasil na Bahia, Iconografia/iconologia, História das Mulheres, representações, Histórias em Quadrinhos

Resumo

O texto produz análise crítica das imagens produzidas para os registros de memórias da Independência do Brasil na Bahia. Além de revisão bibliográfica, o trabalho faz abordagem qualitativa das imagens produzidas, de pinturas, passando por estatuária, até por cinema e histórias em quadrinhos. Memórias e imaginários sociais estão em intensas disputas nas produções e reproduções das imagens que retratam os eventos mais significativos, ou assim escolhidos, da guerra e seus personagens mais célebres. Produções artísticas de diversos suportes traduzem muito mais expectativas de populares ou mesmo da elite política que a realidade crua do conflito separatista. Cenas da guerra, comemorações de seu desfecho, fazem parte das fontes primárias aqui eleitas para a análise crítica. Mas são as imagens de três mulheres, Maria Quitéria, Maria Felipa e Joana Angélica, que consagram a abordagem mais precisa. Tais representações visuais sobreviveram enquanto uma cultura visual própria e definiram as aparências e estéticas em produções cinematográficas e histórias em quadrinhos, em seus usos pedagógicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Savio Queiroz Lima, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul - Brasil

Doutorando pelo Programa de Pós Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professor Substituto da Universidade Federal da Bahia.

Contribuição de autoria: autor.

Referências

ALBUQUERQUE JR, Durval Muniz de. A Invenção do Nordeste e Outras Artes. 4ª edição. FJN, Ed. Massangana, Recife; Cortez, São Paulo, 2009.

BITTENCOURT, Circe. As “Tradições Nacionais” e o Ritual das Festas Cívicas. In: PINSKY, Jaime (org). O Ensino de História e a Criação do Fato. 14ª edição. Editora Contexto, São Paulo, 2021.

CASTRO JR.; GENTIL. 2 de Julho –190 Anos da Independência do Brasil na Bahia(História em Quadrinhos). Fundação Gregório de Matos, Jornal A Tarde, Salvador, 2013.

DA MATTA, Roberto. Relativizando: Uma Introdução à Antropologia Social. Editora Vozes, Petrópolis, 1981.

GOMES, Nathan. A la Guerra Americanas: Questões de Gênero e Etnicidade nos Retratos de Maria Quitéria de Jesus. In: RITA -Revue interdisciplinaire de travaux sur les Amériques, n. 12, 2019a. Disponível em: http://www.revue-rita.com/notes-de-recherche-12/a-la-guerra-americanas-questoes-de-genero-e-etnicidade-nos-retratos-de-maria-quiteria-de-jesus-nathan-gomes.html. Acessado em 13 de outubro de 2022.120

GOMES, Nathan. A Brazilian Amazon: Olhares Britânicos sobre Maria Quitéria de Jesus. In: CREMASCO, Renata Lima. As mulheres (In)visíveis na Arte Renascentista -Encontro de História da Arte -XIV EHA -Unicamp, Campinas, SP, número 14, p. 361–368, 2019b. DOI: 10.20396/eha.vi14.3476. Disponível em: https://econtents.bc.unicamp.br/eventos/index.php/eha/article/view/3476. Acesso em: 13 de outubro de 2022.

GOMES, Nathan. “Joana Angélica ou a Mártir da Independência”: História de uma Pintura Perdida de Firmino Monteiro. In: MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 6, n. 3, p. 245–272, set. 2022. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8668832. Acesso em: 13 de outubro de 2022.

GOMES, Nathan Yuri. Teatro da Memória, Teatro da Guerra: Maria Quitéria de Jesus na Formação do Imaginário Nacional (1823-1979). Dissertação (Mestrado em Culturas e Identidades Brasileiras) -Instituto de Estudos Brasileiros, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2022. Disponível em: doi:10.11606/D.31.2022.tde-20072022-150024. Acesso em: 13 de outubro de 2022.

KRAAY, Hendrik. “Frio como a pedra de que se há de compor”: caboclos e monumentos na comemoração da Independência da Bahia, 1870-1900. In: Tempo, volume 1, número 14, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2002, pp.51-81. Disponível em: Redalyc, https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=167018094004. Acessado em 11 de outubro de 2022.

KRUSCHEWSKY, Eduardo; LEITE, Luiz Cleiton Mascarenhas. Maria Quitéria –A Injustiçada(História em Quadrinhos -Mangá). Academia Feirense de Letras, Feira de Santana, 2012.

LEAL, Maria das Graças de Andrade. A Arte de ter um Ofício: Liceu de Artes e Ofícios da Bahia (1872 1972). 212 f. Dissertação (Mestrado em História) –Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1996. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/handle/ri/35500. Acessado em 11 de outubro de 2022.

LIMA, Savio Queiroz. Histórias em Quadrinhos e Juventude. In: PRIORE, Mary Del (org). História dos Jovens no Brasil. Editora Unesp, São Paulo, 2022.

MARQUES, Xavier. O Sargento Pedro (Obra Premiada pela Academia Brasileira). 2ª Edição. Livraria Catalina –Romualdo dos Santos Editor, (Rua da Princeza –Atual Rua Portugal) Salvador, 1921.

MARTINS, Wilson Thomé Sardinha (et al.). Síntese Histórica: 125 Anos do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia –1894-2019. Editora Allucci e Associados Comunicações, Salvador, 2019.

MOSCOVICI, Serge. Representações Sociais: Investigações em Psicologia Social. 5ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

MOTTA, Alda Britto da. Idade e Solidão: A Velhice das Mulheres. In: Revista Feminismos, volume 6, número 2, mai-ago 2018.pp. 88-96. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/feminismos/article/view/30390. Acessado em 11 de outubro de 2022.

NAPOLITANO, Marcos. A História Depois do Papel. In: PINSKY, Carla Bassanezi. Fontes Históricas. Editora Contexto, São Paulo, 2019.

ORGE, Filomena Maria Marques Modesto. Retrato Falado com Retoques Subjetivos de Personagens Históricos. In: Prova Material –Revista Científica do Departamento de Polícia Técnica da Secretaria da Segurança Pública da Bahia, ano 2, número 4, Salvador, abril de 2005.

PESTANA, Maurício. Dois de Julho –A Bahia na Independência do Brasil(História em Quadrinhos). Fundação Pedro Calmon, Pestana Arte & Publicações, São Paulo, 2013.

SANTOS, Antônia da Silva. Joana Angélica saindo dos Papéis à Beatificação. In: Anais do XV Congresso Nacional de Linguística e Filologia. Cadernos do CNLF, Vol. XV, Nº 5, t. 2. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2011, pp. 1943-1949. Disponível em: http://www.filologia.org.br/xv_cnlf/tomo_2/161.pdf. Acessado em 11 de outubro de 2022.

SECCHIN, Antonio Carlos (et al.). Antônio de Castro Alves -Nosso Rebelde Apaixonado Faz 150 anos. Gráfica Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 1997.

TAVARES, Luís Henrique Dias. História da Bahia. 10ª Edição. Edufba, Unesp, São Paulo, 2001.

Downloads

Publicado

2023-12-31

Como Citar

LIMA, S. Q. As imagens da Independência do Brasil na Bahia: o 2 de Julho em iconografias históricas – de pinturas às histórias em quadrinhos. Perspectivas e Diálogos: Revista de História Social e Práticas de Ensino, Caetité, v. 6, n. 12, p. 104–123, 2023. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/nhipe/article/view/18518. Acesso em: 20 maio. 2024.