Os inspetores de alunos do Colégio Pedro II em seus primeiros anos de funcionamento (1837-1857)

  • Letícia Sousa Campos da Silva Universidade Federal Fluminense

Resumo

Para muitos autores, a criação do Colégio Pedro II (CPII) foi uma experiência inovadora no século XIX. Na historiografia acerca desta instituição despontam duas tendências: a ênfase em seus alunos e professores, como se tivessem sido os únicos sujeitos no interior da escola, e a utilização de um determinado documento – a Memória Histórica do Colégio de Pedro II (MHCPII) – sem realizar uma crítica de seu conteúdo. Neste artigo abordo a possibilidade de investigar a situação dos inspetores de alunos do CPII entre 1837, data de criação do colégio, e 1857, ano no qual foi dividido em dois estabelecimentos de ensino. Após apresentar breve panorama sobre os estudos a respeito da escola, analiso o modo como estes trabalhadores são representados na MHCPII e, em seguida, confronto estas informações com os dados extraídos de outras fontes, tais como os dispositivos legais, o Almanak Laemmert e o material trocado entre os reitores do CPII e os representantes do Império. Concluo demonstrando omissões na MHCPII sobre as condições laborais dos inspetores e as tensões delas decorrentes.    

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Letícia Sousa Campos da Silva, Universidade Federal Fluminense

Bacharel e Licenciada em História pela UFF (2011). Mestre em História pela UFF (2014). Licenciada em Pedagogia pela UERJ (2019). Doutoranda em História pela UFF. 

Professora do Colégio Pedro II (2019).

Publicado
2020-10-29
Métricas
  • Visualizações do Artigo 46
  • pdf downloads: 38
Como Citar
da Silva, L. S. C. (2020). Os inspetores de alunos do Colégio Pedro II em seus primeiros anos de funcionamento (1837-1857). Revista Da FAEEBA - Educação E Contemporaneidade, 29(59), 432-447. https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2020.v29.n59.p432-447