Memorial Acadêmico, Experiência Monitorial e Aprendizagem Docente (2013-2016)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2023.v32.n71.p164-182

Palavras-chave:

História, Memória, Formação Docente, Monitoria

Resumo

Resumo

Este trabalho é vinculado à História e à Memória, objetivando refletir acerca dos processos formativos da docência, constituídos e/ou (re)elaborados no decorrer do exercício monitorial nas disciplinas de História da Educação/CE/UFPB, entre 2013 e 2016. Os suportes teóricos perpassam a História do Tempo Presente, a Memória e as Representações Sociais. Tendo a escrita de si por método de pesquisa, analisa-se um memorial acadêmico, dialogando com autores, como David (2012), Nóvoa (2013), entre outros, em um processo de releitura sobre a Monitoria, espaço de constituição de identidade professoral, construída na práxis (ação-reflexão-ação). Os resultados indicam o exercício monitorial como elemento pedagógico constitutivo dos sujeitos em formação, concluindo-se que a experiência monitorial fortalece a tríade ensino-pesquisa-extensão e o memorial acadêmico é uma fonte histórica configuradora da docência e da escrita de si.

Palavras-chave: História. Memória. Formação Docente. Monitoria.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Cavalcanti Ivo, Universidade Federal da Paraíba

Doutorando e Mestre em Educação pela Universidade Federal da Paraíba. Especialista em Educação Profissional e Tecnologia e em Pedagogia Empresarial e Educação Corporativa. Membro dos Grupos de Estudos História da Educação Brasileira, GT – PB e Memória, História e Educação. Mentor voluntário do Programa Cais Mentoria 2023.

Maria da Graça da Cruz Barbosa, Universidade Federal da Paraíba

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Mestre em Educação e em Direitos Humanos e especialista em Educação em Direitos Humanos e em Educação Infantil, todos pela UFPB. Membro do Grupo de Estudos Memória, História e Educação (GEMHE). Professora da Secretaria de Educação do Município de Bayeux (PB).

Maria Elizete Guimarães Caravlho, Universidade Federal da Paraíba

Pós-doutorado em Política Educativa pela Universidade do Minho/PT (UMINHO/PT). Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Professora associada da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Departamento de Fundamentação da Educação, Centro de Educação. Credenciada aos Programas de Pós-Graduação em Educação (PPGE), UFPB e em Direitos Humanos (PPGDH), UFPB. Pesquisadora dos Grupos de Estudos História da Educação Brasileira, GT-PB e Memória, História e Educação.

Referências

BASSOTTO, Simone Aparecida Silva Angelo; FURLANETTO, Ecleide Cunico. Desafios enfrentados pelos alunos de Pedagogia para inserção no ensino superior. Educação & Linguagem. v.17, n.1, p. 223-237, jan.-jun. 2014.

BASTOS, Maria Helena Camara. Memoriais de professoras: reflexões sobre uma proposta. In: MIGNOT, Ana Chrystina Venancio; CUNHA, Maria Teresa Santos (org.). Práticas de memória docente. São Paulo: Editora Cortez, v. 3, 2003.

BÉDARIDA, François. Tempo Presente e presença da história. In: FERREIRA, Marieta de Morais; AMADO, Janaína. (org.). Usos e abusos da História Oral. 2. ed., Rio de Janeiro: Ed. FGV, 1998, p. 219-229.

BRAGANÇA, Inês.Ferreira.de Souza. Curso de Pedagogia: Histórias de vida e formação de professores/as. Revista Eletrônica Pesquiseduca. v.2, n.3, p 4-23, jan.-jun. 2010.

BURKE, Peter. (org.). A escrita da história: novas perspectivas. Tradução de Magda Lopes. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1992, p.7-37.

CHARTIER, Roger. O mundo como representação. Estud. av. [online]. v.5, n.11, p.173-191, 1991.

DAVID, Nivaldo Antonio Nogueira. A formação de professores na universidade: reflexões a respeito da cultura, juventude e trabalho docente. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Goiás, 2012.

ELÍBIO Júnior., Antônio Manuel. A História do Tempo Presente: reflexões sobre um campo historiográfico. Cadernos do Tempo Presente. São Cristóvão, SE, v. 12, n. 01, p. 13-27, jan./jun. 2021.

FIORUCCI, Rodolfo. Considerações acerca da História do Tempo Presente. Revista Espaço Acadêmico. Maringá, PR, n.125. p.110-121, out. 2011.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra 1987.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990.
IMBERNÓN, Francisco. Qualidade do ensino e formação do professorado: uma mudança necessária. Tradução de Silvana Cobucci Leite. São Paulo: Cortez, 2016.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Trad.: Bernardo Leitão et al. 3 ed. Campinas: UNICAMP, 1994.

LOMBARDI, José Claudinei; NASCIMENTO, Maria Isabel Moura (org.). Fontes, história e historiografia da educação. Campinas, SP: autores Associados: HISTEDBR: Curitiba, PR: Pontíficia Universidade católica do Paraná (PUCPR); Palmas, PR: Centro Universitário Diocesano do Sudoeste do Paraná (UNICS); Ponta Grossa, PR: Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), 2004. (Coleção Memória da Educação).

MCCULLOCH, Gary. História da educação e formação de professores. Revista Brasileira de Educação, SciELO Brasil, v. 17, n. 49, p. 121–132, 2012.

MEDEIROS, Liara das Graças Costa de. O programa de monitoria da UFPB: influência na qualidade da formação dos alunos monitores. In.: CHAVES, Elisângela André Oliveira et al. (org.). Gestão Pública: a visão dos técnicos administrativos em Educação das Universidades Públicas e Institutos Federais. Salvador: Editora Pontocom, 2015. v. 2.

NÓVOA, António. Os professores e as histórias da sua vida. In: NÓVOA, António. (org.). Vidas de professores. 2. ed. Portugal: Porto Editora, 2013.

NUNES, João Batista Carvalho. Monitoria acadêmica: espaço de formação. In: SANTOS, Mirza Medeiros dos; LINS, Nostradamus.de Medeiros. (org.). A monitoria como espaço de iniciação à docência: possibilidades e trajetórias. Natal, RN: Edufrn, 2007, p.45-58.

NUNES, Célia Maria Fernandes; CUNHA, Maria Amália Almeida. A narrativa como uma das fontes de construção do ofício do pedagogo. In: NUNES, Célia Maria Fernandes; ARAÚJO, Regina Magma Bonifácio de. (org.).Narrativas de professores em formação: o significado de ser pedagogo. Jundiaí, Paco Editorial, 2015, p.132.

PACHECO, Luci Mary Duso. A Universidade e a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão na formação do professor. In: SUDBRACK, Edite Maria et al. (org.). Políticas de formação docente: horizontes investigativos. Frederico Wesphalen: Ed. URI: 2007, p.41-67.

PRADO, Guilherme do Val Toledo; SOLIGO, Rosaura. Memorial de Formação: quando as memórias narram a história da formação. In: PRADO, Guilherme do Val Toledo; SOLIGO, Rosaura. (org.). Porque escrever é fazer história: revelações, subversões, superações. Campinas, SP: Editora Alínea, 2007, p362.

RODRIGUES, Susy Cristina O. A instituição pública primária: o método de ensino monitorial/mútuo na província da Parayba do Norte (1822-1849). Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso em Pedagogia) – Centro de Educação/UFPB. João Pessoa, 2011.

RODRIGUES, Susy Cristina de Oliveira et al. Papel da monitoria ao longo da história: contribuições para o processo ensino-aprendizagem. In: CARVALHO, Maria Elizete Guimarães. (org.). História, educação e direitos humanos. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2011, p. 231-258.

SANTOS, Mirza Medeiros dos; LINS, Nostradamos de Medeiros. Monitoria acadêmica: espaço de formação. In: SANTOS, Mirza Medeiros dos; LINS, Nostradamos de Medeiros. (org.). A monitoria como espaço de iniciação à docência: possibilidades e trajetórias. Natal, RN: Edufrn, 2007, p.59-68.

SHIGUNOV NETO, Alexandre; MACIEL, Lizete Shizue Bomura. As políticas neoliberais e a formação docente: propostas de formação simplistas e aligeiradas em épocas de transformações. In: NETO, Alexandre Shigunov; MACIEL, Lizete Shizue Bomura. (org.). Formação de professores: passado, presente e futuro. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2011, p.128.

SILVA, Ezequiel Theodoro da. Três textos curtos, mas pertinentes: o professor lendo e se lendo (se). In: SILVA, Ezequiel Theodoro da (org.). Leitura de si, o professor enquanto pessoa. Campinas, SP: Edições Leitura Crítica, 2014, p.120.

SOLIGO, Ângela. et al. Os memoriais de formação no contexto do PROESF. In: SOLIGO, Ângela; ALEXANDRINO, Ronaldo. (org.). Histórias de professores: (re)construções em memoriais de formação. Campinas-SP: FE/UNICAMP, 2007, p.17-22.

UFPB. Regimento Geral. Capítulo VIII - Da Monitoria. Disponível em: http://www.ufpb.br/sods/contents/paginas/institucional/copy_of_regimentos/regimento-geral. Acesso em 19 abr.2017a.

UFPB. Resolução Nº 02/1996. Regulamenta o Programa de Monitoria para os cursos de graduação da UFPB. Disponível em: http://www.mat.ufpb.br/lenimar/r0296.htm. Acesso em: 14 mai. 2017b.

UFPB. Plano de Curso História da Educação I Ano letivo: 2013. Centro de Educação, Curso de Pedagogia, Departamento de Fundamentação da Educação, 2013.

UFPB. Plano de Curso História da Educação II. Ano letivo: 2015. Centro de Educação, Curso de Pedagogia, Departamento de Fundamentação da Educação, 2015.

UFPB. Projeto de ensino/monitoria, componentes curriculares e Planos de Trabalho nas disciplinas de História da Educação, ano de 2013. DFE/CE/UFPB, 2013. Disponível em: https://sigaa.ufpb.br/sigaa/public/departamento/monitoria.jsf?id=1387. Acesso em: 11 out. 2021.

UFPB. Resolução nº 74/2011.Regulamenta algumas mudanças no Programa de Monitoria para os cursos de graduação da UFPB. Disponível em: https://sigrh.ufpb.br/sigrh/public/colegiados/filtro_busca.jsf. Acesso em: 14 maio 2017c.

Arquivos adicionais

Publicado

2023-08-01

Como Citar

IVO, F. C.; DA CRUZ BARBOSA, M. da G.; GUIMARÃES CARAVLHO, M. E. Memorial Acadêmico, Experiência Monitorial e Aprendizagem Docente (2013-2016). Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 32, n. 71, p. 164–182, 2023. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2023.v32.n71.p164-182. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/16673. Acesso em: 15 jun. 2024.