Inclusão e Violência Escolar

contribuições de um estudo empírico no Rio de Janeiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2023.v32.n69.p167-186

Palavras-chave:

Violência Simbólica, Inclusão Educacional, Teoria Crítica da Cultura

Resumo

O presente artigo traz resultado da pesquisa “Violência Escolar: discriminação, bullying e responsabilidade” com objetivo de analisar a relação entre inclusão e violência escolar, sob a forma do preconceito e do bullying. A metodologia foi de cunho quanti-qualitativo, com coleta de dados em 2019 por meio de questionários aplicados a 217 alunos do 9º ano do Ensino Fundamental em cinco escolas públicas da cidade do Rio de Janeiro. Os resultados indicaram correlação entre o grau de inclusão e o preconceito (-0,87) e grau de inclusão e maus tratos sofridos (-0,46), ou seja, quanto mais ações de inclusão nas escolas, menor a tendencia a ter manifestações de preconceito por parte dos alunos e menos maus tratos entre eles. Este estudo, assim como na Teoria Crítica, ressaltam a importância das ações de inclusão nas escolas como forma de combate à violência escolar, tanto em termos de preconceito quanto em termos de maus tratos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vania Mefano, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Possui graduação em Terapia Ocupacional pela Sociedade Unificada de Ensino Superior Augusto Motta / Escola de Reabilitação do Rio de Janeiro-ERRJ-ABBR (1980) e Mestrado em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública.Trabalha na Universidade Federal do Rio de Janeiro(UFRJ), como Professora Assistente Efetiva/DE do Departamento de Terapia Ocupacional e desenvolve suas ações de docência e projetos de extensão nas áreas de Atenção Básica, Educação Inclusiva e Desenvolvimento Infantil. É associada a Worl Federation of Occupational Therapistsl. Foi representante governamental da Saúde do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência- CONDEF e vice presidente da Associação dos Terapeutas Ocupacionais do Rio de Janeiro- ATOERJ . 

Marina Maldonado Lopes, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Possui graduação em Licencianda em Ciências Biológicas (2013) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Durante a graduação, foi monitora voluntária de duas disciplinas do Instituto de Biologia: Vegetais Superiores e Ecologia Básica e monitora de campo de três disciplinas: Vegetais Superiores, Elementos de Ecologia (Riacho) e Zoologia III (Costão). Também foi aluna de Iniciação Cientifica pelo laboratório de Interação Inseto-Planta, orientada pela professora Daniela Rodrigues e coorientada pela professora Cassia Sakuragui, o que gerou uma publicação e algumas premiações. Concomitantemente, foi aluna bolsista do Programa Instituição de Bolsas de Iniciação a Docência (PIBID). Além disso, foi bolsista de extensão da Seção de Assistência ao Ensino (SAE) atrelado ao Museu Nacional. Durante o Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Saúde do Instituto NUTES, foi bolsista e trabalhou no Laboratório de Linguagens e Mediações, orientada pela professora Cristina Vermelho possuindo assim, publicações e o título de Mestre (2017). Além de ter atuado como Tutora a Distância em Insetos na Educação Básica. Atualmente é Professora do Ensino Fundamental II, Doutoranda pelo Instituto NUTES e Tutota a Distância em Atividade de Extensão pelo CEDERJ. As áreas de interesse de pesquisa são: Educação em Ciências e Saúde na formação para emancipação e autonomia, pesquisa-formação, pesquisa participante, Teoria Crítica.

Referências

ADORNO, T. W. & HOKHEIMER, M. Dialética do Esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.
ADORNO, T. W. Educação e emancipação. Tradução: Wolfgang Leo Maar. 3ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.
ALCANTARA, S.C.; GONZÁLEZ-CARRASCO, M.; MONTSERRAT, C. et al. Violência entre pares, clima escolar e contextos de desenvolvimento: suas implicações no bem-estar. Ciência & Saúde Coletiva, 24(2): 509-522, 2019. Disponível: https://doi.org/10.1590/1413-81232018242.01302017. Acesso em 06.01.2022.
BERLESE, D.B.; SANFELICE, G.R.; BERLESE, D.B. et al. Bullying e violência social: vivência de adolescentes obesos. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, 15(1), p. 491-503, 2017. Disponível: http://dx.doi.org/10.11600/1692715x.1513111042016. Acesso em 10.02.2022.
BOOTH, T.; AINSCOW, M. Index for Inclusion: developing learning and participation in schools. Bristol: Center for Studies on Inclusive Education, 2002. Disponível: Index 2002 complete_05 (csie.org.uk). Acesso em 15.07.2020.
BRASIL, Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 1988. Disponível: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em 10.02.2022.
BRASIL, Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008. Disponível: EDUCAO INCLUSIVA: POLTICA NACIONAL DE EDUCAO ESPECIAL (mec.gov.br) . Acesso em 06.01.2022.
CANDAU, V.M.F. Diferenças culturais, interculturalidade e educação em direitos humanos Educação e Sociedade, Campinas, v. 33, n. 118, p. 235-250, jan.-mar. 2012
CERQUEIRA, D. et al. Atlas da Violência. São Paulo: FBSP, 2021. Disponível: https://www.ipea.gov.br/atlasviolencia/publicacoes. Acesso em 06.01.2022.
CORRÊA, A. S. (In)disciplina e Bullying nas práticas escolares de diretores, coordenadores, docentes e alunos: uma análise à luz da Teoria Crítica. Tese (Doutorado – Programa de Pós-Graduação em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano) Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, 2017.
CROCHICK, J. L, et al. Análise de concepções e propostas de gestores escolares sobre o Bullying. Acta Scientiarum. Education, v. 36, n. 1, p. 115-127, Jan.-Jun, 2014.
CROCHICK, J. L, et al. Hierarquias escolares: desempenho e popularidade. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 44, e167836, 2018. Disponível: https://doi.org/10.1590/S1678-4634201710167836. Acesso em 21.12.2021.
CROCHICK, J. L. & CROCHICK, N. Bullying, preconceito e desempenho escolar: uma nova perspectiva. São Paulo: Benjamin Editorial, 2017a.
CROCHICK, J. L. Violência Escolar: discriminação, bullying e responsabilidade. Projeto de pesquisa. São Paulo: USP, 2013 (impresso).
FERREIRA, V. S. & OLIVEIRA, L. V. Convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência. PRODIDE em Revista Reviva, v. 4, p. 54, 2007. Disponível:https://www.mpdft.mp.br/portal/pdf/unidades/promotorias/prodide/Reviva_ano4_2007.pdf. Acesso em 06.01.2022.
FRANCISCO, M.V. & LIBÓRIO, R.M.C. Um Estudo sobre Bullying entre Escolares do Ensino Fundamental. Psicologia: Reflexão e Crítica, 22(2), p. 200-207, 2009. Disponível: https://doi.org/10.1590/S0102-79722009000200005. Acesso em 21.12.2021.
FREUD, S. El malestar en la cultura. In: Braunstein,N.A. A medio siglo de el malestar en la cultura de Sigmund Freud 4ª.ed. México: Siglo Veintiuno Editores, 1986.
GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Tradução Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2009.
GIORDANO, R.C. & NAZARETH, L.J.S. Violência, educação e sociedade: o bullying na concepção de educadores em Ananindeua (PA). Comunicações Piracicaba, v. 24, n. 2, p. 103-126, 2017. Disponível: https://doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v24n2p103-126. Acesso em 21.12.2021.
KAPPEL, V.B.; GONTIJO, D.T.; MEDEIROS, M. et al. Enfrentamento da violência no ambiente escolar na perspectiva dos diferentes atores. Interface (Botucatu), 18(51), p. 723-35, 2014. Disponível: https://doi.org/10.1590/1807-57622013.0882. Acesso em 21.12.2021.
MALTA, D.C.; BERNAL, R.T.I.; PUGEDO, F.S.F. et al. Violências contra adolescentes nas capitais brasileiras, segundo inquérito em serviços de urgência. Ciência & Saúde Coletiva, 22(9), p. 2899-2908, 2017.
MARCUSE, H. Eros e Civilização. Uma interpretação filosófica do pensamento de Freud. Tradução de Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar Editores, Rio de Janeiro, 1981.
NETO, A. A. L. Bullying – comportamento agressivo entre estudantes. Jornal de Pediatria, 81, S164- S172, 2005. Disponível: https://doi.org/10.1590/S0021-75572005000700006. Acesso em 21.12.2021.
NOBRE, C.S.; VIEIRA, L.J.E.S., NORONHA, C.V. et al. Fatores associados à violência interpessoal entre crianças de escolas públicas de Fortaleza, Ceará, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 23(12), p. 4299-4309, 2018. Disponível: https://doi.org/10.1590/1413-812320182312.29222016. Acesso em 21.12.2021.
OLIVEIRA, J.C. & BARBOSA, A.J.G. Bullying entre Estudantes com e sem Características de Dotação e Talento. Psicologia: Reflexão e Crítica, 25(4), 747-755, 2012. Disponível: https://doi.org/10.1590/S0102-79722012000400014. Acesso em 21.12.2021.
OLIVEIRA, W.A.; DA SILVA, J.L.; BRAGA, I.F. et al. Modos de explicar o bullying: análise dimensional das concepções de adolescentes. Ciência & Saúde Coletiva, 23(3), p. 751-761, 2018. Disponível: https://doi.org/10.1590/1413-81232018233.10092016. Acesso em 21.12.2021.
OLIVEIRA, W.A.; DA SILVA, J.L.; SAMPAIO, J.M.C. et al. Saúde do escolar: uma revisão integrativa sobre família e bullying. Ciência & Saúde Coletiva, 22(5), p. 553-1564, 2017. Disponível: https://doi.org/10.1590/1413-81232017225.09802015. Acesso em 21.12.2021.
ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração Universal dos Direitos Humanos, 1948. Disponível: Declaração Universal dos Direitos Humanos (unicef.org). Acesso em 24.11.2021.
ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE, Global Consultation on Violence and Health. Violence: a public health priority. Ginebra, 1996 (documento inédito WHO/EHA/SPI.POA.2).
ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE, Informe Mundial Sobre la Violencia y la Salud: resumen. Washington, D.C.: OPAS, 2002. Disponível:https://www.sanidad.gob.es/ciudadanos/violencia/docs/informeOMS.pdf. Acesso em 24.11.2021.
PAIXÃO, R. F.; PATIAS, N. D. & DELL’AGLIO, D. D. Relações entre Violência, Clima Familiar e Transtornos Mentais na Adolescência. Revista Interinstitucional de Psicologia, 11(1), p. 109-122, 2018. Disponível: http://dx.doi.org/10.36298/gerais2019110109. Acesso em 21.12.2021.
PIGOZI, P. L. A produção subjetiva do cuidado: uma cartografia de bullying escolar. Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 28(3), p. 280-312, 2018. Disponível: https://doi.org/10.1590/S0103-73312018280312. Acesso em 21.12.2021.
PINHEIRO, F. M. F., & WILLIAMS, L. C. A. Violência intrafamiliar e intimidação entre colegas no ensino fundamental. Cadernos de Pesquisa, 39(138), p. 995-1018, 2009. Disponível: https://doi.org/10.1590/S0100-15742009000300015. Acesso em 21.12.2021.
REIS, C. M. B. & DOS SANTOS, W. S. A escola perdendo o controle: o discurso da violência em uma narrativa de uma professora em formação inicial. Veredas Temática: Revista de Estudos linguísticos, v. 22, n.1, p. 224-242, 2018.
SILVA, B.R.V.S.; DA SILVA, A.O.; DOS PASSOS, M.H.P. et al. Autopercepção negativa de saúde associada à violência escolar em adolescentes. Ciência & Saúde Coletiva, 23(9), p. 2909-2916, 2018. Disponível: https://doi.org/10.1590/1413-81232018239.12962018. Acesso em 21.12.2021.
SILVA, J. L.; DE OLIVEIRA, W.A.; DE MELLO, F.C.M. et al. Revisão sistemática da literatura sobre intervenções antibullying em escolas. Ciência & Saúde Coletiva, 22(7), p. 2329-2340, 2017. Disponível: https://doi.org/10.1590/1413-81232017227.16242015. Acesso em 24.11.2021.
SILVA, J. M. A. P.; SALLES, L. M. F. A violência na escola: abordagens teóricas e propostas de prevenção. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. especial 2, p. 217-232, 2010. Disponível: https://doi.org/10.1590/S0104-40602010000500013. Acesso em 24.11.2021.
SPOSITO, M. P. Um breve balanço da pesquisa sobre violência escolar no Brasil. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 27, n.1, p. 87-103, jan./jun. 2001. Disponível: https://doi.org/10.1590/S1517-97022001000100007. Acesso em 24.11.2021.
VITAL, F.M.P. A. Convenção sobre Direitos das Pessoas com Deficiência Comentada. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, 2008. Disponível:https://www.gov.br/governodigital/pt-br/acessibilidade-digital/convencao-direitos-pessoas-deficiencia-comentada.pdf. Acesso em 24.11.2021.

Arquivos adicionais

Publicado

2023-01-29

Como Citar

MEFANO, V.; LOPES, M. M. .; VERMELHO, S. C. S. D. Inclusão e Violência Escolar: contribuições de um estudo empírico no Rio de Janeiro. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, [S. l.], v. 32, n. 69, p. 167–186, 2023. DOI: 10.21879/faeeba2358-0194.2023.v32.n69.p167-186. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/14956. Acesso em: 13 abr. 2024.